O 14º NAKSHATRA – CHITRA

Localiza-se entre 23º 20’ de Virgem e 6º 40’ de Balança
 Este Nakshatra é constituído por uma única estrela. A divindade que preside é Viswakarma, o  «artífice dos deuses». Este rege as artes aplicadas e a Estética aplicada.  Algumas fontes referem antes a divindade Twashtar   a presidir ao Nakshatra, também relacionada com a criação artística.
Esta estrela  estende a sua influência sobre o pintor, o escultor ou o  arquiteto  mas também o artesão que grava, borda, faz uma moldura, tanto se vê no construtor de catedrais como no engenheiro industrial que se ocupa da maquinaria; ou no  escritor que que faz das palavras poema e arte narrativa, tudo isso é causado e influenciado por Chitra.
O símbolo desta estrela é uma serpente que tem, na cabeça, uma gema preciosa. Também aparece simbolizado por uma pérola.
A energia desta estrela simboliza a explosão inicial do impulso criativo que, a partir de uma enormíssima pressão e calor faz surgir algo maravilhosamente belo e precioso:  
Do mesmo modo que o carvão escuro  se transforma na beleza  pura do diamante, brilhante e luminoso,  do espírito humano mergulhado no sonho e na fantasia sai a rara beleza da obra de arte  de todos os ornamentos que transformam o mundo num deleite para o olhar
Vem da  Arte o prazer espiritual que nos revela o lado subtil das coisas  que os olhos do quotidiano não deixam ver.
O propósito de vida  simbolizado por esta estrela também é o da descoberta e desenvolvimento espiritual(Moksha).
 Podemos  deste modo ver como a aparente futilidade do belo e de todas as suas expressões, da  escultura e da pintura ao designer de jóias ou de moda, do  engenheiro/arquiteto que planeia um edifício  ao bordado da mulher que, na sua casa, transforma o lar num local de  harmonia,  neste impulso para o belo e para o prazer que ele provoca  encontramos,  na verdade, um caminho sublime para a descoberta da espiritualidade.
Criar um destes objetos ou domínios da realidade é  construir um mundo novo, para além  da utilidade do quotidiano, da redução dos objetos a  meros utensílios e que está  para além da aparência das coisas cegas no dia a dia  para,  no prazer estético do olhar, nos dar a ver  a essência do mundo, bela e luminosa
Quem é capaz de olhar para o mundo  para além da banalidade das  aparências também é capaz de se descobrir a si mesmo como mais belo do que aparenta ser  e descobrir o  mesmo nos outros.
 E assim descobre-se , no íntimo do que parecia não ter valorou importância – como um pedaço de carvão antes de se transmutar em puro diamante– a verdadeira essência de todas as coisas: o trivial esconde afinal o essencial.
Mas,  da mesma forma que o carvão não é um diamante, as aparências, só por si também não são a realidade essencial– o carvão só se transforma em diamante após tremenda pressão e  calor, num processo longo e moroso.  
Da mesma forma,  os nativos desta estrela oscilam entre a superficialidade que deslumbra pelas aparências e a intelectualidade que procura, pelo conhecimento e pela experiência de vida, alcançar a pura essência das coisas através da criação de algo belo e sublime.
Encontramos assim nativos  que, na sua prodigiosa imaginação e fantasia, projetam um mundo eivado de sentimentos e emoções que se tornam tão fora do comum que as outras pessoas não os conseguem entender. Como consequência, essas pessoas fecham-se  num mundo próprio  que, por ser incompreendido ,se torna  hostil  para os outros.
Isto traz-lhes inimizades e fricções com os outros.
Os nativos da parte da estrela que está em Virgem procuram compreender a realidade para além das ilusões. Os nativos da parte  da estrela que  está em Balança  concentram-se mais nos relacionamentos  e na forma  estética das coisas. Mas tanto uns como outros são tomados, de vez em quando, pela dúvida e pela  incerteza
Chitra adora conhecer o mecanismo das coisas  e, por isso, relaciona-se tanto com o campo científico e tecnológico que cria os artefactos como com a dimensão mágica e criativa que lhe dá o poder da fantasia  e o apelo estético.
De uma forma ou de outra, o seu impulso conduz os nativos à procura do real belo e harmonioso que se esconde por detrás de todas as ilusões.
Fisicamente, estas pessoas têm uma aparência bem proporcionada e olhos brilhantes.   Deslumbram facilmente os outros   com o seu modo de ser
A vida conjugal tem algumas fricções, sendo medianamente satisfatória. A saúde apresenta geralmente alguns desafios, a nível do sistema digestivo e da região abdominal.
A vida destas pessoas passa por oscilações até aos 32 anos. Entre os 32 e os 54anos terão os seus melhores anos. Algumas fontes apontam os anos 22, 27, 30, 36, 39, 43 e 48 anos como sendo anos difíceis.
Cada Pada acrescenta ainda as seguintes características específicas:
1º PADA- Leão Navamsa- 23º 20’  a 26º 40’ de Virgem.
Regente Sol.  Os nativos caracterizam-se pelo glamour, pelo desejo de perfeição. Alguns são arrogantes, fortes mas pouco caridosos, podem entrar em auto-negação. São dados ao  secretismo  e ao esoterismo. Alguns são criados em duas famílias. Tendem a sofrer de doenças dos olhos.
2º PADA- Virgem Navamsa- 26º 40’ a 30º de Virgem.
Regente Mercúrio. Estes nativos experienciam a dualidade, são organizados, tendem a ser puritanos, valorizam a maternidade. Gostam de levar as coisas até à sua conclusão. Praticam a austeridade. Respeitam a palavra dada. Têm passo rápido. Alguns são pobres.
3º PADA- Balança Navamsa- 0º a 3º 20’ de Balança.
Regente Vénus. Estes nativos caracterizam-se pela importância que dão aos relacionamentos, pela procura do equilíbrio, pela capacidade de manipulação social, gostam de se mostrar e de deslumbrar. Têm sucesso. São corajosos, possuem hábitos gentis e vivem de modo correto. Escolhem boas companhias.
3º PADA- Escorpião Navamsa- 3º 20’ a 6º e 40’ de Balança.
Regente Marte. Gostam do mistério, de Magia, de secretismo. São apaixonados e materialistas.  Têm jeito para os negócios. O seu discurso é suave e cheio de astúcia. São atraentes.
GANA (temperamento): Rakshasa/demónio. Representa  o poder de manipular
 as aparências 
Segundo o sábio Varahmihira esta influência lunar dá a esta estrela uma aparência agradável e brilhante.

4 opiniões sobre “O 14º NAKSHATRA – CHITRA”

  1. O que seria uma navamsa? Tipo tenho ascendente libra navamsa libra, isso quer dizer que o meu ascendente que só depende da força de Vênus(claro que deve ver as posições de outros planetas)? Se eu tivesse libra ascendente navamsa escorpião, deveria ver Vênus e Marte ? Ou tudo que digitei anteriormente foi besteira?
    E também pode me recomendar por onde eu começo essa astrologia védica?
    Desculpa pela ignorância!
    Obrigado!

ajude-nos a melhorar, deixe o seu comentário