Os signos Opostos na Identidade- Gémeos e Sagitário, Aprendizagem e Comunicação

O signo Gémeos é um signo de polaridade positiva e de elemento Ar. Este elemento está associado a características mentais, sociais e comunicacionais. É também um signo mutável, o que significa que a sua ação se desenvolve de forma adaptativa, continuando o que foi iniciado antes (são os signos cardinais que iniciam a ação).
O signo Gémeos está estreitamente ligado à mente, à cultura, ao conhecimento, ao nascimento dos valores humanos que orientam a ação das comunidades e dos indivíduos. Tal como o signo de Sagitário. No entanto, estes signos são considerados opostos, isto é ,contrários e, por isso, vamos tentar compreender em que consiste essa oposição e, depois, tentaremos mostrar porque razão é que as características de um complementam as do signo contrário, de tal modo que ambos os signos simbolizam as duas fases do mesmo processo.
Após o desenvolvimento de recursos e de competências conseguido na interação com o mundo representada pelo signo de Touro, Gémeos simboliza a apropriação mental da experiência vivida através do intelecto e da linguagem. Em Touro, temos essencialmente a sensação e o vivido em estado «bruto», fruto da perceção e da emoção não refletida, não organizada nem trabalhada ao nível dos conhecimentos; temos uma experiência , recursos e competências que não se organizaram ainda em torno do «eu» como fonte da iniciativa e da ação;
Em Gémeos temos a curiosidade  centrada na autoconsciência , na noção de que há um eu que vive as experiências e que é o centro delas através de desejos e intenções que são a sua causa. É apenas quando aparece esta consciência de um eu que vive e tem consciência do que vive que a experiência se transforma em narrativa ,em  análise lógica , quantificada, escrita, etc, porque toda a narrativa pressupõe alguém que vai construindo «uma história», factual ou auto-biográfica. Gémeos representa o estádio em que as experiências começam a fazer sentido porque fazemos o esforço de as organizar e sistematizar em conceitos, em eventos com sentido para nós e para os outros com quem queremos partilhar as nossas «histórias».
Osigno de Gémeos simboliza deste modo a experiência humana que passa do plano individual  privado para o plano social porque, usando a linguagem, comunicamos essa experiência com os outros; neste sentido, é em Gémeos que, verdadeiramente, começa a ser possível uma comunidade humana porque esta está alicerçada num universo simbólico que origina os valores e a possibilidade de vivermos numa comunidade em que a nossa experiência pode ser comunicada e partilhada com os outros.
Por outro lado, Gémeos representa o surgir de uma ferramenta que é a utilização da linguagem e do pensamento lógico e matemático: com ela estabelecermos uma nova forma de domínio dos ambientes humanos; sem a linguagem e os conceitos que ela desenvolve, o mundo humano ( um mundo de símbolos e de interpretações que traduzem o modo de ser de cada cultura na sua relação com o mundo) não seria possível. É por isso que o regente de Gémeos Mercúrio, é tantas vezes associado ao Prometeu grego que roubou o fogo aos deuses permitindo assim ao homem «tornar-se semelhante aos deuses», através do desenvolvimento da ciência e da cultura.
Gémeos representa o domínio mental dos ambientes próximos do homem na  vida de todos os dias; na «vizinhança» com outros indivíduos e nos contextos ou situações em que vive as suas experiências. Desse modo, representa o conhecimento fruto dos vários tipos de experiências vividas, resultante do esforço lógico e linguístico de interpretação. Quando reflectimos no que vivemos ou simplesmente tentamos «contar» o que vivemos a outrem, sem quase darmos por isso, tornamos o que vivemos uma informação manejável e partilhável; transformamos as nossas experiências em mensagens que são partilháveis porque «fazem sentido» isto é, estão organizadas de acordo com a estrutura lógica que partilhamos com os outros membros da nossa comunidade.
A transformação do que se vive  em  «informação» partilhável é a grande chave do signo de Gémeos. É isso que transforma um sentimento, um  conceito ou uma emoção em algo universalizável e transmissível a qualquer um. As redes sociais atuais são a mais viva expressão do simbolismo do deste signo,  são a simbólica do signo a funcionar de modo puro. Gémeos é um falador e comunicador nato porque ele representa este impulso para socializar e partilhar o conhecimento e a informação que estão na origem de todas as comunidades humanas. É adaptável, falador, excelente dominador do poder da linguagem, inteligente e com espírito. Porém, também pode ser instável, volátil, disperso, nervoso e partidário da mudança pela simples razão de gostar de mudar.
A experiência de Gémeos tem a ver com a aprendizagem, com a recolha de múltipla informação e com a comunicação. Os ambientes imediatos da vida humana são voláteis, mudam incessantemente e estimulam-nos a viver novas e excitantes experiências. A relação de Gémeos é com estes contextos de «novidade», de mudança que excita a curiosidade a explorar e a partilhar. Este signo procura responder continuamente à pergunta «o que é que está a acontecer?» É sempre este acontecer do momento que merece o foco da sua atenção. É por isso que normalmente não acaba os projetos que inicia e desinteressa-se rapidamente das coisas quando tem outras novidades no horizonte. Para muitos isto é superficialidade mas a verdade é que sem esta atenção ao «que se passa» não é possível dominar os contextos imediatos da vida quotidiana. E, como esses contextos mudam continuamente, assim também muda o interesse e o foco do signo Gémeos.
Sagitário, por seu lado, abstrai-se dos contextos imediatos da vida e procura o longínquo. Não lhe interessam os ambientes do quotidiano, ele quer antes ir à fonte e conhecer a causa primeira e última de todas as coisas; Gémeos concentra-se no momento presente, nos eventos que aparecem «aqui e agora» e  esses que procura compreender e sistematizar, analisando cada perspetiva, cada face de um  acontecimento com todos os pormenores. Ignora a análise de pormenor e procura a visão global ; Sagitário  também é um signo mutável, com  polaridade positiva e elemento Fogo. 
Enquanto Gémeos  se entretém a esmiuçar cada evento em múltiplas aparições e perspetivas, Sagitário procura ir além da multiplicidade e do temporariamente presente para encontrar a unidade eterna entre todas as coisas. Gémeos divide para analisar cada fragmento; Sagitário busca pontos de união e sintetiza a unidade entre todas as coisas.
Simplisticamente, muitos consideram que Gémeos representa o estádio de conhecimento/educação mais imediato e elementar enquanto Sagitário representa o estádio superior de conhecimento/educação . Mas a simples lembrança de que é Gémeos que rege as Matemáticas, por ex., deita por terra esta visão tão simplista. Simplesmente, estes dois signos mostram uma abordagem oposta da mente em relação à realidade: Gémeos  analisa, foca-se na multiplicidade e variedade da informação presente nos ambientes concretos em que vive e prefere o estímulo constante da descoberta de novas informações e estímulos ;
Sagitário está mais interessado em encontrar « a informação mais essencial» e desenvolver a partir dela uma opinião fundamentada que exprima a sua convicção em relação à «verdade». Gémeos é um relativista, de certo modo é neutro em relação à informação – ele não tem preferência por  uma informação em vez de outra, por isso é apontado como um jornalista de mérito pela sua «imparcialidade». Deseja partilhar a informação que recolheu como uma novidade, sem repercussão direta sobre si mesmo;
Sagitário representa, por seu lado, o homem transformado pelo conhecimento, o homem que desenvolveu valores e um pensamento próprio a partir da informação recolhida. Por isso ele tem ligação com a «verdade» porque refletiu sobre a informação e , a partir dela, gerou valores. Daí considerar-se que em Gémeos existe conhecimento e, em Sagitário, existe sabedoria.
Sagitário é considerado um signo filosófico ou religioso porque  gosta de procurar os pontos de união entre o imediato sensível e o transcendente. O próprio símbolo do signo mostra a união entre o humano e o animal, como expressão do desejo de unidade entre todos os seres. Sagitário é idealista, entusiasta e otimista, generoso e com sentido de justiça e de dever. Mas, do mesmo modo que Gémeos pode perder-se na comunicação sem ter nada verdadeiramente para dizer, Sagitário pode ter a «mania das grandezas», ser exagerado, pensar que é «dono da verdade», ser arrogante e ter falta de humildade e de diplomacia no lidar com os outros.
Sagitário é um signo que vive da «inspiração», sente-se permanentemente atraído pelo desconhecido longínquo, seja a transcendência da religião ou da «causa primeira» da filosofia, seja o desejo de conhecer uma cultura estrangeira exótica, seja o impulso para se auto- desenvolver e aperfeiçoar em termos pessoais: de um modo ou de outro ele está sempre para além do agora vivido.
Agora, em que sentido estes dois signos se complementam e completam mutuamente? Ou, por outras palavras, porque consideramos que cada um destes signos só «cresce» verdadeiramente, se desenvolver as características do signo oposto?
Bom, Gémeos representa o esforço intelectual para desenvolver o conhecimento acerca do mundo concreto que possibilita a vida humana comunitária e partilhada pela cultura e pela linguagem. É ele que permite formar os laços humanos a nível social: comunica porque é essa a forma de iniciar relacionamentos para uma humanidade formatada pelos símbolos culturais. Mas a intenção primeira do impulso de Gémeos pode perder-se na infinita fragmentação dos eventos e das experiências de vida, logo abandonadas sem se perder tempo na sua apropriação aprofundada. Em última análise, uma informação que muda incessantemente tornaria, a limite, impossível a própria comunicação e partilha da informação porque a ausência da sua sistematização e unificação não permitiria a sua consolidação como «saber«. Este muda mas também tem que conter referências estáveis e universalizáveis. Ora, esse esforço de sistematização é feito por Sagitário.
Vivemos numa época em que a multiplicidade da informação oferece um enorme desafio: o da seleção do que é importante ou essencial: Gémeos  não se detém o suficiente nem se envolve suficientemente com o que estuda para fazer o esforço intelectual para ir além do imediato porque, antes de isso acontecer ele já se interessou por outra coisa e os dados anteriores perderam-se na multiplicidade de perspetivas da sua análise. É o signo Sagitário que representa o esforço para tornar permanente o essencial da informação e do conhecimento, criando os valores universais que prendem a humanidade a crenças e justificações. O seu desejo de ir até ao longínquo simboliza justamente esta necessidade de encontrar o «fundamento», o «porquê» de a realidade se comportar desta ou daquela maneira.
Assim, Sagitário continua o impulso representado por Gémeos e leva-o para o patamar de um saber sintetizado e sistematicamente organizado através das crenças e valores que se formaram na apropriação dos conhecimentos por parte do homem.  Gémeos analisa e descreve, compara , etc, mas , no fundo , faz tudo isso sem que a informação recolhida o modifique; ele mantém a separação entre o «eu que vive» e o mundo de experiências e de eventos, por isso ele é o signo dos «Gémeos», é 1 em dois, ele e o mundo nunca superam verdadeiramente a dualidade. Quando Gémeos perceciona ou «sente» ou analisa algum evento, há um momento em que ele e o mundo se entrelaçam e unem mas, logo que ele aplica a mente para analisar, descrever, reflectir, ocorre a separação e ele pode ser «imparcial» acerca dos factos porque, verdadeiramente, não foi afectado ou modificado por eles.
Assim, Gémeos necessita de ultrapassar a necessidade infinita de «novidade» que o impede de, verdadeiramente experienciar em sentido profundo, os aspetos da realidade; precisa de desenvolver este esforço de síntese, representado por Sagitário, e que é fruto do envolvimento e da convicção. No fundo, precisa de ser menos relativista sem se tornar um fanático e evitar perder-se na linguagem como sistema que se afastou da referência à realidade para se tornar num mero sistema formal movido pela lógica vazia e algo cínica de quem, no fundo, não acredita em nada.
Mas Sagitário ,com toda a profundidade de que é capaz, também precisa de desenvolver a atenção pelo «aqui e agora»: a unidade baseada em puras crenças que  não se  baseiam  nas experiências concretas pode facilmente conduzir a conceitos rígidos de «verdade» que estão na origem de todos os fundamentalismos. Sagitário confia por vezes demasiado na sua «intuição» e pode desprezar os factos, não lhes dando relevância, nem  aos processos  de análise, que considera fastidiosos. Ora, a inteligibilidade da realidade necessita tanto da capacidade de síntese como da capacidade de análise e, por vezes, a pressa de Sagitário para retirar conclusões que «tem a certeza» de serem verdadeiras, pode ganhar muitíssimo com os processos lógicos de análise que são típicos do signo de Gémeos. A verdade é que não é possível desenvolver uma inteligibilidade clara e legitimada acerca da realidade sem recorrer aos processos representados pelos dois signos deGémeos e de Sagitário.

ajude-nos a melhorar, deixe o seu comentário