Reflexão de fim de Semana-Segredos da Espiritualidade, Os Chakras e o Fluxo da Energia de Vida

Durante séculos, a cultura  Hindu  e  Chinesa , entre outras, chamaram a atenção para o facto de que o ser humano, para além de possuir um corpo físico, tem outros corpos mais subtis, entrelaçados com o corpo físico, e relacionados com os níveis de consciência, das emoções e, fundamentalmente também, com a qualidade da energia vital que alimenta e sustenta o corpo físico. As formas de tratamento alternativas, como a Acupunctura, o Reiki, a medicina Ayurvédica  ou as práticas de meditação como a Yoga, têm a sua base nesta assunção de que, associado ao corpo físico, estão outros princípios mais subtis que com ele interagem e que, quando estão bloqueados, afetam o corpo físico sob a forma de doença física ou mental. 
A Metafísica Hindu e a tradição Tântrica desenvolveram a conceção, baseada na perceção, por parte dos Rishis (sábios) hindus de que existe, no chamado «corpo vital» ou «corpo etéreo» uma coluna de centros energéticos que absorvem energia de alta frequência, de vários tipos, incluindo a força vital, que processam e passam para o corpo físico através dos chakras, palavra do Sânscrito que significa «roda», ou vórtice. Os chakras permitem que a energia vital flua para dentro e para fora, unindo o corpo e a consciência. Formam uma coluna de centros energéticos que se eleva, desde a base da coluna vertebral até ao topo da cabeça, tendo cada um uma cor específica relacionada com a frequência vibratória da sua energia. Porém, convém compreender que os chakras não se localizam no corpo físico embora constituam pontos de união com o corpo físico. Eles estão localizados no corpo vital e podem ser visionados pelas pessoas capazes de percepcionar as energias subtis sob a forma de aura com diversas colorações.
Cada chakra liga-se ao nosso ser em diferentes níveis: físico, mental, emocional, espiritual. No plano físico, cada chakra associa-se a um órgão principal ou glândula, estando conectado com as partes do corpo físico que têm uma frequência vibratória semelhante. Os órgãos do corpo físico estão, deste modo, conectados com um determinado chakra e cada chakra exprime uma determinada frequência vibratória da energia vital que é captada sob a forma de uma cor. Várias formas de medicina alternativa que partem desta conceção  afirmam  que a doença física, antes de se manifestar  no corpo físico, aparece sob a forma de bloqueio nas energias dos chakras e, com base neste princípio,  há muitas formas de prevenção da saúde que se relacionam com a libertação dos bloqueios das energias subtis , permitindo, dessa forma, promover um estado de saúde mais completo do que o simples tratamento dos sintomas das doenças: a razão é simples- como a energia dos chakras se exprime em diferentes níveis, não se limitando ao  plano físico mas  incluindo também o plano emocional, mental e espiritual, a sua abordagem é mais satisfatória e menos invasiva do que a que recorre a substâncias químicas para tratar exclusivamente o corpo físico. É claro que, muitas vezes, os danos no corpo físico são de tal monta que a decisão  mais sensata é a utilização das formas de medicina ocidentais  e dos seus recursos, incluindo a cirurgia mas, como forma de prevenção e de manutenção da saúde, os procedimentos que reconhecem a união profunda entre as energias do corpo e a energia vital universal (Prana) são inestimáveis.
No nosso Universo tudo é redutível à expressão de uma certa forma de energia, com uma determinada frequência vibratória. Cada chakra que se liga ao corpo humano exprime os vários tipos de energia cósmica que, do plano macrocósmico, se projeta no microcosmos que é o homem: «assim como é em cima é em baixo», como os místicos de há muito compreenderam. E através da energia de cada chakra ligamo-nos a uma frequência específica da energia vital universal. 
Existem 7 grandes centros de energia ou chakras e passaremos a explicá-los  brevemente aos nossos leitores, começando hoje por falar do «chakra da base » ou «chakra raiz».
Este chakra situa-se junto da base da coluna, próximo da sua última vértebra.  Está associado com os instintos básicos e com a compreensão do mundo físico. A sua frequência vibratória exprime-se pela cor vermelha ou rosa escuro. Este é o chakra que nos liga à Terra e nos relaciona com as necessidades básicas da sobrevivência. No plano emocional ,é ele que nos permite sentir que pertencemos a uma família, a uma comunidade, etc. É a energia deste chakra que nos permite reconhecer as ações que nos salvaguardam e mantêm em segurança e quais as que podem ser ameaçadoras e nos colocam em perigo. Deste modo, esta energia ajuda-nos a tomar decisões pois, nessas circunstâncias, o chakra envia-nos sinais que são sentidos como sensações desagradáveis ou, pelo contrário, sensações de conforto que, quando aprendemos a sintonizar com essa energia, são auxiliares preciosos para nos ajudar a manter o sentimento de segurança e a satisfação das necessidades preenchidas.  Deste modo, quando a energia deste chakra flui livremente, sentimo-nos seguros e confiantes de que as nossas necessidades serão preenchidas. Quando a energia do chakra está bloqueada, o resultado é um estado de ansiedade, de frustração e de preocupação relativamente aos aspetos mais básicos do nosso bem estar e sentimentos de segurança. 
Agora, como fazer para desbloquear a energia dos chakras?
Muitas considerações podem ser feitas acerca disso mas, por hoje, limitamo-nos a constatar que o bloqueio das energias dos chakras pode ter muitas causas: desde a doença e a intoxicação ambiental aos aspetos do temperamento da pessoa, incluindo as suas crenças, etc. Um chakra pode estar bloqueado por curtos períodos de tempo, durante meses ou anos ou mesmo durante a vida toda, por exemplo, devido à falta de uso, quer dizer, à ausência de experiências pela pessoa das energias que ele representa.
Para ajudar a compreender de que tipo de energia se trata, quando falamos dos chakras, propomos-lhe um exercício simples:
Concentre-se numa das suas mãos. Feche os olhos durante um ou dois minutos, com a mente e o corpo relaxados e, simplesmente, foque a sua atenção numa das mãos, com os olhos fechados. Ao fim de um ou dois minutos verificará que a mão em que concentrou a sua atenção tem mais energia acumulada do que a outra. É tão simples como isto, você pode aprender a desbloquear as energias dos chakras usando o poder da vontade. A energia segue o ponto focal da nossa atenção,  como todas as pessoas que usam habitualmente técnicas de relaxamento já compreenderam. Assim, o uso da vontade ,ao focar a atenção numa determinada zona do corpo, permite que a energia possa ser acumulada ou movida para outra zona do corpo.
Voltaremos a esta questão na nossa próxima reflexão de fim de semana.

ajude-nos a melhorar, deixe o seu comentário