Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Capricórnio

capr

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.

O Ascendente Capricórnio  tem  regência de Saturno um planeta que também rege a 2ª casa, encontrando-se por isso algumas divergências na sua classificação para este Ascendente. Alguns Astrólogos consideram-no benéfico devido à regência do Ascendente; outros, devido ao facto de Saturno ter o seu signo Mooltrikona na 2ª casa, uma casa Maraka , relacionada com a morte do nativo, optam por considerá-lo neutro, fazendo depender da sua colocação no horóscopo e  dos aspetos que recebe, a sua caracterização como bom ou mau  para um determinado nativo.

Planetas Benéficos  e/ou Neutros para o  signo Ascendente Capricórnio – Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- Vénus é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 5ª casa , uma casa auspiciosa, associada aos «créditos de ações passadas» . Rege também a 10ª casa e, porque esta é uma casa kendra e a 5ª é uma casa trikona, Vénus é também um planeta yogakaraka. No entanto, convém lembrar que Vénus é um planeta naturalmente benéfico e, desse modo, ao reger uma casa  kendra, ocupada pelo  seu signo Mooltrikona, pelas regras clássicas da Jyotish , perderia algo  do seu caráter benéfico. Porém, Parashara, o mestre que estabeleceu as regras da Jyotish afirma no Brihat Hora Sastra que Vénus é o único planeta capaz de produzir um yoga superior para este Ascendente.

2º- Mercúrio. Rege a 6ª e a 9ª casas.  A 9ª casa está ocupada pelo seu signo Mooltrikona e, sendo a trikona mais poderosa, faz de Mercúrio um planeta funcional benéfico, não obstante a regência da 6ª casa.  Pela regência da 6ª casa, no entanto, considera-se que, durante os seus períodos dasha ou subperíodos, Mercúrio dá resultados negativos no início e só posteriormente dará resultados positivos. Em termos gerais, como a 6ª casa é uma casa upachaya (de crescimento- os seus resultados melhoram com o tempo) e está associada à 9ª casa, a casa da «fortuna» para esta vida, considera-se que a sorte da pessoa melhorará com o tempo, durante os períodos deste planeta.

3º- Saturno.  O Ascendente Capricórnio é um dos que não corresponde a um signo Mooltrikona, o que faz dele um Ascendente cujos resultados dependem das várias configurações do horóscopo e do estado do seu regente, Saturno. Encontrámos, no entanto, divergências quanto à sua classificação: uns consideram-no benéfico devido à regência do Ascendente, apesar de o seu signo Mooltrikona estar na 2ª casa, tradicionalmente associada ao perigo para a vida do nativo (casa Maraka). Parashara não é muito claro, afirmando que Saturno, «por si só não é um assassino», isto é, apontando implicitamente para a sua classificação como neutro. Esta classificação também é aceite por vários astrólogos, que  consideram ser necessário avaliar o estado de Saturno no horóscopo antes de se pronunciar acerca do seu caráter funcional.

4º-A Lua. Rege a 7ª casa que é também uma casa Maraka pelo que muitos astrólogos, baseados na classificação de Parashara, classificam a Lua como Maléfica. Trata-se de um planeta benéfico natural a reger uma casa Kendra e,  que é também uma casa cujo regente traz obstáculos e circunstâncias que colocam em perigo a vida do nativo. Mas também encontrámos  vários  autores que classificam a Lua como neutra.

Planetas Maléficos para o Signo Ascendente  Capricórnio- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- Marte, pela regência da 11ª casa, a casa Badakha (causadora de obstruções) para este Ascendente, embora o seu signo Mooltrikona esteja na 4ª casa. Tradicionalmente, considera-se que durante o período dasha ou subperíodos do regente da 11ª casa para este Ascendente, aparecem obstruções para os significados desta casa: rendimentos e realização dos desejos pessoais.

2º- O Sol. Este é um caso clássico de divergência nas classificações. Parashara afirma no Brihat Hora Sastra que o Sol é neutro. Porém, rege a maléfica 8ª casa, ocupada pelo seu signo Mooltrikona e, por essa razão, muitos astrólogos classificam o Sol como maléfico funcional para este Ascendente. Além do mais, na Astrologia Jyotsh, a relação do Sol com Saturno é de grandes inimigos, o que torna ainda mais incompreensível  e incoerente a sua classificação como neutro.

3º- Júpiter que rege a 3ª e a 12ª casas e tem o seu signo Mooltrikona  Sagitário na 12ª casa, pelo que pode trazer situações de perda , problemas de saúde, despesas, destruição dos laços conjugais, etc.

Planetas Benéficos e Planetas Maléficos  para o Ascendente Capricórnio segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish

Esta  abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.

Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.

Para o Ascendente Capricórnio , são os seguintes os planetas funcionais maléficos:

 Sol, Júpiter, Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A razão pela qual o regente da 6ª  casa , Mercúrio, não é  considerado funcional maléfico deve-se ao facto de o signo que ocupa essa casa não ser um  signo Mooltrikona, isentando, desse modo, Mercúrio de ser classificado como funcionalmente maléfico. Júpiter  tem o seu signo Mooltrikona na 12ª casa razão pela qual é  classificado como funcionalmente maléfico para este Ascendente. O Sol, pela regência da 8ª casa, é considerado a influência mais maléfica para este Ascendente.

Para o Ascendente Capricórnio são os seguintes os planetas funcionais benéficos:

Lua, Marte, Mercúrio,  Vénus e Saturno.  Marte, pela regência da 4ª casa que é também ocupada pelo seu signo Mooltrikona torna-se o mais benéfico potencialmente, pois é preciso analisar a sua força no horóscopo.

Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando  ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.

Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam  e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas  funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos  trazem obstruções, conflitos, doença,  perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Observam-se grandes divergências entre a classificação de V.K. Choudhry e a Astrologia Jyotish tradicional. Isto lembra-nos que a Astrologia, como outros saberes, não tem um caráter absoluto, baseia-se em hipóteses que são confrontadas com os resultados das previsões efetuadas. E estes parecem mostrar que as previsões que seguem  a abordagem sistemática são mais rigorosas e menos suscetíveis de erros do que as que seguem as hipóteses por vezes contraditórias e com lacunas dos textos antigos.

ajude-nos a melhorar, deixe o seu comentário