Pontos Fracos nos Signos- Sandhi e Gandanta

cord

A  Astrologia Jyotish   desenvolveu o conceito de Gandanta e  de Sandhi,   que se referem a alguns graus de  determinados signos, como sendo pontos fracos no horóscopo, enfraquecendo também qualquer planeta que aí esteja situado. Neste artigo vamos referir  esses pontos e  analisar o que diz a tradição   sobre isto.

Sandhi  é uma palavra  que em sânscrito significa «junção» e refere-se ao ponto de ligação entre dois signos, ou cúspide. A palavra Gandanta também tem origem sânscrita e significa  um «nó» ou , em sentido figurado , um ponto de tensão. Agora, a que se referem estes pontos? Trata-se, no caso de Gandanta, de uma porção no início e no final de alguns signos do Zodíaco, quando se passa de um signo de Água para um signo de Fogo. É sabido que estes elementos não combinam harmoniosamente entre si e, assim, há um choque entre estas duas energias   e uma fraqueza provocada pela sua indefinição, no ponto de junção entre esses signos.

O conceito de Sandhi   é mais geral do que o de Gandanta e pressupõe que,  em qualquer signo, o 1º e o último graus  têm uma fraqueza inerente porque as energias diferentes dos dois signos separados pela cúspide se misturam e, por isso, as suas características estão mal definidas. Um planeta aqui colocado partilha desta fraqueza e indefinição. Por ex., imaginemos que temos Júpiter colocado a 29º e 10’ de Sagitário. O planeta estará no próprio signo, ainda mais no seu signo Mooltrikona mas, na verdade, está também  já a receber a influência do signo Capricórnio por estar tão perto da cúspide. Ora, acontece que Júpiter fica debilitado no signo de Capricórnio. Assim, provavelmente, não produzirá  os efeitos esperados para o signo de Sagitário. Tenhamos agora em consideração a colocação por casa. Imaginemos que Júpiter, no  nosso exemplo, está colocado no final da 7ª casa. Porém, o facto de estar a menos de 1º do início da 8ª casa faz com que os efeitos  de ambas as casas se misturem e o planeta dê resultados tanto de 7ª  como de 8ª casa. Mas ,como esta última é uma casa maléfica, os bons significados de Júpiter são destruídos por ela. Como se vê, há boas razões para se considerar que a colocação dos planetas ou do Ascendente no primeiro e último grau de um signo pode ser origem de confusão e de resultados nem sempre positivos. Esta fraqueza é de resto reconhecida nos avasthas  (infância e Velhice) que são um dos fatores de análise da força e fraqueza dos planetas no horóscopo.

Agora o Gandanta  refere-se aos primeiros graus (signos de Fogo) e últimos graus (signos de Água)  tanto dos signos como dos Nakshatras que são ocupados por essas porções dos  signos e  considera crítico o ponto de junção entre eles.  Nem todos os astrólogos estão de acordo sobre o nº de graus que fazem parte deste ponto de tensão. De acordo com os textos clássicos são:

Nos signos de Água– últimos 3º20’ do signo de Caranguejo, correspondente ao último pada do Nakshatra Aslesha ; últimos 3º20’ do signo de Escorpião  correspondentes ao último pada do Nakshtra Jyestha; últimos 3º20’ do signo de Peixes correspondentes ao último pada do Nakshatra de Revati.

Nos signos de Fogo- primeiros 3º20’ do signo de Carneiro correspondente ao 1º pada do Nakshstra Ashwini; primeiros 3º20’ do signo de Leão correspondente ao 1º pada do Nakshstra Magha; primeiros 3º20’ do signo de Sagitário, correspondente ao 1º pada do Nakshstra Moola.

Para além do fator das energias de Água e Fogo que não se combinam harmoniosamente (a água dissolve o poder  do fogo), existe também incompatibilidade   entre os regentes dos padas dos Nakshatras envolvidos: nos três últimos padas dos Naksatras de Aslesha, Jyestha e Revati, Mercúrio é o regente de todos eles; no caso do primeiro pada dos três signos de Carneiro, Leão e Sagitário, o regente de todos  é Ketu. Mercúrio representa a mente pensante, lógica e discursiva enquanto Ketu é o «demónio sem mente», pois não tem cabeça. O choque na passagem de um para o outro Nakshatra e/ou signo é evidente.

E quanto aos planetas colocados nestes pontos «gandanta»? Alguns autores estreitam a margem dos graus nos quais existem perturbações sérias  nos efeitos dos planetas. Alguns afirmam que nem sempre os planetas colocados nestes pontos dão resultados fracos  e que os efeitos mais fracos acontecem quando os planetas estão colocados  no intervalo  de 24 minutos (ou  gathi ) – no início dos signos de Fogo e no final dos signos de Água. Outros aceitam a regra geral da cúspide ou sandhi  e consideram que os efeitos perturbadores na vida da pessoa acontecem principalmente quando estamos numa orbe de 1º antes e 1º depois da cúspide entre os signos referidos.

Segundo a opinião e a experiência de alguns astrólogos védicos, os pontos gandanta afligem as áreas do horóscopo quando os planetas afetados são fracos por outros motivos. Por ex, a colocação da Lua no signo de Escorpião no ponto gandanta   pode ser problemática para a Lua e enfraquecê-la  pois ela estará no seu signo de debilitação, e no Nakshstra do seu inimigo Mercúrio. Se a Lua estiver nos outros dois últimos padas de Aslesha e Revati e se estiver forte, não decorrerá daí nenhuma fraqueza notória para a Lua. Do mesmo modo, se o Ascendente está colocado num dos pontos críticos de gandanta mas o seu regente está forte, este será um fator secundário na avaliação do horóscopo e dos seus resultados.

Porém, mantém-se a característica de indefinição  na energia dos planetas colocados nos pontos gandanta e , nos seus períodos e subperíodos, esses planetas podem trazer mudanças estranhas para os assuntos das casas  onde estão colocados (e daquela onde estão colocados na Navamsha). E, como o ponto gandanta se refere a fraquezas, nos períodos/ subperíodos  dos planetas colocados nos pontos gandanta, haverá eventos onde  a fraqueza significadas pelas casas ligadas ao planeta operante serão reveladas na vida da pessoa.

ajude-nos a melhorar, deixe o seu comentário