Personalidade Básica Ascendente Aquário Lua Leão e Sol Balança

personalidade-basica-ascendente-aquario-lua-leao-e-sol-balanca

Continuamos a responder aos pedidos dos leitores, analisando uma personalidade básica composta pelos elementos Ar e Fogo.

O Ascendente no signo Aquário produz uma personalidade jovial e muito interativa, gostando de socializar e de interagir em grupo. Trata-se de uma pessoa que se identifica com causas que dizem respeito a algum grupo, ou com a sociedade, talvez não tanto com a sociedade convencional mas com a sociedade ideal, com os grandes valores que motivam a humanidade e a fazem evoluir e progredir.

Aquário é um visionário, aos olhos de alguns é um excêntrico, que se situa mais no plano do pensar do que na realidade prática. Tem sempre em vista os valores universais, o «que deve ser», e que ele imagina correspondente com a dignidade de todos os seres humanos. É por isso frequente ver os seus nativos empenhados em participar na vida política e/ou mesmo seguir uma carreira nesta área, sempre com um fundo de utopia a povoar-lhes o pensamento, generoso para com a humanidade integral e para com as  necessidades desta no plano geral da existência humana.

Já a vida individual, sua ou de outros, é-lhes mais difícil de abordar. O «eu», nos nativos de Aquário, ou se esbate na identidade de uma «causa» (humanitária, política, filosófica, etc.) ou se distorce em excentricidades que levam os outros a considera-los «estranhos», «diferentes»,  de algum modo «outsiders» que parecem não conseguir integrar-se bem na realidade concreta. Talvez isso suceda devido à dificuldade em se focarem nas suas necessidades pessoais, que tendem a ver como expressão de egoísmo, sentindo-se mais confortáveis quando se relacionam de modo impessoal com os outros. É como  se só se sentissem confortáveis quando «se esquecem» de si próprios para se focarem no plano universal da maioria e vivessem a partir dessa distância em relação a si mesmos.

Esta característica revela uma certa alienação destes nativos em relação a tudo o que faz parte da sua vida privada. Se tiverem que fazer uma escolha entre a sua família e a sua vida privada ou dedicarem-se ao serviço de uma organização  com a qual se identifiquem, escolhem sem dúvida esta última opção e deixam a família «governar-se a si própria». Uma parte desta preferência  deve-se, sem dúvida, à dificuldade que os nativos com Ascendente Aquário têm de lidar com as emoções. Estas são uma fragilidade que os incomoda, que lhes dá insegurança e, por isso, adotam o distanciamento abstrato e impessoal de uma vida «sem um rosto» muito visível, para se convencerem de que a vida é feita de ideias,  de causas, é um mundo ideal que luta para se manifestar. E tudo o resto que gira à sua volta é como se, verdadeiramente, não lhes pertencesse.

Estas pessoas são muito tolerantes com os outros, manifestam a bonomia de quem está confortável com todas as diferenças, sejam estas quais forem. Mas a sua jovialidade e simpatia são «cerebrais», dizem respeito às suas crenças e têm pouco a ver com as emoções ou os sentimentos. É mais um «dever ser» racional, uma empatia intelectual que aproxima os nativos de Aquário dos outros. Daí que a sua forma preferida de interagir seja a comunicação, a troca de ideias, a reflexão e o pensamento e tenha pouco ou nada a ver com laços afetivos que fogem geralmente à sua compreensão e modo de ser e de estar na vida.

Quando, ao Ascendente Aquário, se associa a Lua em Leão, temos a expressão da complementaridade de signos expressa na personalidade. E isso  significa que esta personalidade se revê a si mesma nos parceiros com os quais interage. Os parceiros fazem-na ter consciência de quem é e talvez a obriguem a rever-se nos seus traços e tiques comportamentais. Esta é uma personalidade que sente atração por pessoas afirmativas, com uma vontade individual forte que sejam capazes de gerar à sua volta movimentos de popularidade. Provavelmente, os parceiros exprimem os traços da  personalidade que estes indivíduos têm dificuldade em aceitar e expressar por si mesmos.

 A Lua em Leão é aristocrata, vaidosa, orgulhosa do seu próprio valor, caprichosa como só alguém especial consegue ser, convencida de que merece só o que de melhor existe no mundo e anseia por ser admirada, popular, estar no centro de todas as atenções , dominando os outros com a sua presença e a adoração destes. Gosta de ser diferente e, em conjunto com o Ascendente Aquário, pode tornar o indivíduo bastante excêntrico, escolhendo roupas, penteado e ornamentos que são diferentes, geralmente caros, exclusivos, se assim puder ser. Precisa de se destacar da maioria, de sentir que a sua presença ilumina o espaço em que se encontra.  E de um séquito que lhe obedeça, sem reclamar nem hesitar. Gosta de ser obedecida e de ser ela a lançar «as boas ideias». A única coisa que gosta de realmente ouvir aos outros é a sua concordância, ficando amuada se há opiniões discordantes e se estas não são dissipadas em pura obediência…

A Lua rege a 6ª casa e está colocada na 7ª.  Esta posição afeta negativamente a relação com os parceiros, incluindo o cônjuge, indicando conflitos e desentendimentos com a generalidade dos parceiros. Em alguns casos, sobretudo se a Lua estiver fraca, indica um cônjuge com saúde frágil, ou dívidas geradas pelo cônjuge e problemas nas parcerias em geral. Pode também indicar problemas de saúde para o nativo, bem como dificuldade em fazer-se notar e respeitar pelos outros. Esta é uma posição que prejudica todos os que aspiram a atingir  fama e  bem-estar individual.

A Lua está colocada na 7ª casa. Esta é, classicamente, uma posição afortunada para o casamento mas, atendendo a que a Lua rege a 6ª casa, as coisas ficam um pouco mais difíceis neste plano, sendo necessário, no entanto, uma análise global do horóscopo e da força da Lua para saber até que ponto esta consegue dar alguns resultados positivos. Uma coisa é certa, a atenção destas pessoas  está toda focada no parceiro, o cônjuge tende a tornar-se o centro das suas vidas. Esta posição da Lua torna os nativos românticos (tanto quanto podem ser os nativos de Aquário- talvez através da escrita, mais do que por outros meios de expressão), apaixonados , «apagando-se» perante o outro e deixando-o brilhar e dominar . Normalmente o cônjuge é atraente, próspero, talvez famoso ou muito popular, chamando as atenções com a sua presença. Os nativos sentem-se fortemente ligados ao cônjuge e outros parceiros mas estes podem, apesar da lealdade que lhes é manifestada, quebrar a relação. Sendo a Lua muito mutável, há em geral diversos relacionamentos, a menos que o Sol, regente da 7ª casa, seja muito forte (o que não é o caso para esta personalidade, pois está debilitado). As parcerias pessoais serão um ponto fraco na vida destas pessoas, que buscam justamente alguma segurança através dos parceiros e de um cônjuge em particular.

Quando ao Ascendente Aquário e à Lua em Leão  se associa o Sol no signo Balança, torna-se muito evidente que esta é uma personalidade pensadora, comunicativa, tolerante e capaz de criar consensos com os outros. É também refinada, humanista, amante da beleza e da harmonia. É alguém que aprecia a verdade e a justiça, o equilíbrio social entre os seres humanos, convicta do muito que é preciso mudar na sociedade humana para que todos tenham os seus direitos defendidos. Mas, a menos que possua planetas como Marte num signo de Terra, precisa que outros levem a cabo as boas ideias que é capaz de desenvolver e os projetos que consegue imaginar.

É também uma personalidade de contrastes, alternando entre a empatia que ouve os outros e os põe ao mesmo nível do seu (signo Balança) e a altivez própria da Lua que está sempre pronta a menosprezar qualquer ideia com a qual não concorde ou que esteja em competição com as suas. Atitudes opostas podem conviver com frequência  no seu comportamento, umas a seguir às outras. Pode passar rapidamente da simpatia para a rispidez sem grande interregno ou mediação.

O Sol rege a 7ª casa e está colocado na 9ª casa. Esta é uma posição que beneficia as qualidades do cônjuge, que pode ser rico, atraente e muito devotado ao nativo. Pode ter qualidades espirituais, ou ser alguém que é um líder pelas ideias, pela sua maneira de ser. Tendo porém em consideração que  o Sol está colocado no signo de debilitação, o nativo não deverá ser particularmente beneficiado com isso. A família do cônjuge pode ser influente, ou rica. Pode haver residência em país estrangeiro ou o cônjuge pode ele mesmo ser estrangeiro.

O Sol está colocado na 9ª casa.  Nesta posição, o sol dá resultados em consonância com os aspetos que recebe (trata-se de um maléfico numa casa auspiciosa).  Em primeiro lugar, esta posição do Sol produz um elevado interesse pela filosofia e assuntos religiosos e espirituais. Mas estes nativos podem iniciar um caminho espiritual que é diferente daquele que lhes foi transmitido na infância ou que é prática do seu país/cultura. Se receber o aspeto de algum planeta benéfico, o Sol  indica um pai com muita sorte, riqueza, vida longa, etc.. E ao mesmo tempo indica um excelente caráter do nativo,  que tem elevado sentido moral , fazendo o bem pelos outros, etc.. Se o sol estiver fraco- o que é o caso, por estar em Balança-  o nativo sofre bastante por causa do pai, que pode ser doente ou o relacionamento com ele pode ser difícil. O nativo tem pouca sorte, o mesmo sucedendo com o pai. Pode haver pouco ou nenhum interesse por assuntos espirituais. As viagens a países estrangeiros podem ser fonte de problemas. Nesta situação há também, muitas vezes,  pouca autoconfiança. Pode haver poucas oportunidades na vida e dificuldade em resolver os problemas que aparecem.

Globalmente, esta é uma personalidade básica que poderá ter que enfrentar alguns desafios, como parte das lições fundamentais que compõem o guião da sua existência.

ajude-nos a melhorar, deixe o seu comentário