Trânsito Rahu Ketu 2017-19 Ascendente Escorpião

Trânsito Rahu Ketu 2017-19 Ascendente Escorpião capa

Para conhecer os efeitos gerais do trânsito de Rahu e Ketu pelos signos de Caranguejo e Capricórnio (respetivamente) leia o artigo aqui.

No próximo dia 18 de agosto os nodos vão iniciar um novo ciclo de trânsito:  Rahu vai transitar pela 9ª casa  no signo Caranguejo enquanto Ketu transitará pela 3ªcasa no signo Capricórnio. Rahu habitualmente quebra todos os tabus e rompe com o modo convencional de fazer as coisas. Porém, o signo Caranguejo é um signo tradicional e que se foca nos costumes e modos habituais de fazer as coisas pelo que há uma forte contradição entre a energia do signo Caranguejo e Rahu, que estará em signo inimigo mais uma vez. Rahu é também um charlatão, um enganador e mestre do disfarce por  isso irá provavelmente originar  comportamentos aparentemente muito tradicionais ao mesmo tempo que, disfarçadamente,  atuará a seu modo ocultamente. Este pode por isso ser um período complexo embora os nativos com Ascendente Escorpião saibam, desde sempre, que as aparências e a realidade são coisas bem distintas.

Durante este trânsito, Rahu  vai fazer uso dos valores tradicionais religiosos, filosóficos , éticos, etc., para que você possa aparecer aos olhos da comunidade como alguém realmente sábio. Rahu gerará o desejo de alcançar mais conhecimentos (filosóficos, metafísicos ou religiosos) para que o seu estatuto de sábio (a), mestre, autoridade que os outros consultam, ou até como pai que a comunidade respeita pelas evidências de sabedoria que revela e, desse modo, possa ensinar outros ou outros possam procurá-lo (a) (isto é especialmente verdadeiro no caso de um homem) para se aconselharem ou orientarem.  Ser um mestre de sabedoria vivida, capaz de ajudar a orientar outros e de proteger outros, sobretudo em termos mentais e psíquicos, será um papel que você gostará de desempenhar agora. e, se desempenha as funções de professor (a), conselheiro (a), guia espiritual, clérigo, verá o seu «estilo» de atuação assumir um modelo parental, como o de pai que cuida dos seus  e os orienta para descobrirem o melhor caminho de vida. Estes papeis agora trazem-lhe enorme satisfação, causada pelo facto de  que, ser ouvido (a) como alguém que «sabe mais»  e melhor do que a maioria, é uma forma extraordinária de poder. E você  quer ser o (a) sábio (a) na sua comunidade, seja esta  a escola onde trabalha, os alunos ou discípulos, ou a sociedade mais alargada à qual consegue chegar porque as suas ideias agora são mais populares  e são seguidas por outros.  E você tem ideias muito firmes agora, com impacto público porque  o seu estilo misturado com afetos e atos solidários convence os outros da sua autenticidade. E, ao longo deste período, você vai privilegiar esta atividade pública de influência que lhe dá estatuto de sábio (a) na comunidade, mais do que realizar os próprios desejos pessoais privados. Conseguir uma boa projeção através da expressão das ideias e valores , de crenças que deseja propagar, é mais importante do que situar-se na pequena dimensão individual das necessidades pessoais.

Transitando no signo Caranguejo, um signo de comunidade e de tradição, você vai certamente criar um estilo em que os valores da comunidade e os seus costumes têm papel relevante, usando o apego dos outros em relação às raízes comunitárias para estabelecer um laço de pertença a essa mentalidade coletiva.  Isto poderá, no entanto, ser apenas uma estratégia para chegar a um grande número de pessoas e obter a máxima aprovação possível para outras ideias que sejam importantes para si.

Os nativos de Escorpião também valorizam a tradição mas valorizam sobretudo o seu próprio poder pessoal. Ora, aparecer perante a comunidade e os seus costumes como um guardião e protetor dos mesmos dá a vantagem de obter poder e influência a nível social  e, por isso, muitos poderão usar o domínio de conhecimentos considerados superiores como forma de explorar as crenças dos outros a seu favor e, desse modo, aumentar o seu poder pessoal ou sentimento de autoridade perante os outros. Outros haverá, no entanto, que poderão passar por uma crise de valores após a qual um novo sistema de crenças, que seja fundamentado na razão e não na fé, e no qual se possam apoiar.

Neste período, todas as figuras de autoridade, incluindo mestres, professores, membros do clero, vão ser vistos como não sendo de confiança. Este não é o momento para se apoiar na intuição e aceitar passivamente  «verdades de fé». Esta atitude pode desencadear um desejo forte de prosseguir estudos superiores, de  aprofundar os conhecimentos filosóficos ou aprender práticas milenárias como meditação, yoga, etc., que permitam a substituição das velhas crenças por «verdades objetivas» à luz da razão ou da sua prática concreta. Haverá um desencanto, no entanto,  como pano de fundo a toldar a relação com tudo isso. No fundo, trata-se da situação de alguém que queria acreditar mas que se sente desamparado(a)  pela realidade que contradiz as crenças em que sempre confiou. Durante algum tempo pode haver uma espécie de vazio  em que parece não haver mais nada em que acreditar. Em alternativa, você  pode querer ir conhecer o mundo, descobrir outras pessoas e outras culturas, fazer uma viagem de peregrinação a algum lugar associado  com as velhas fontes de sabedoria, para preencher o desejo de compreender a realidade segundo novos parâmetros. Em vez de estudar pelos livros, talvez prefira  aprender com a própria vida a desenrolar-se à sua frente.

Para aqueles que vivem numa relação próxima com o pai, este pode ser um momento difícil: se este foi até agora o exemplo ou modelo de orientação fundamental, neste  momento as suas fragilidades  vêm ao de cima e  você descobre as imperfeições desse modelo que não representa nenhuma verdade absoluta. Você pode encarar todos os saberes, incluindo a Filosofia e a Religião instituídas como devendo ser substituídos por outras fontes não convencionais de conhecimento e de sabedoria. Também porá em causa todos os valores tradicionais sobre a família e também os costumes da sua cultura.

Assim, este pode ser um período de procura de crenças alternativas. As crenças convencionais serão encaradas como meramente instrumentais, tendo por função  mover a máquina que é a sociedade e todos os seus grupos sociais. Mas, estando focado(a) numa perspetiva individualizada de perceção da realidade, você precisa agora  de uma abordagem diferente .

Lembrando-nos de que Rahu estará em signo inimigo, deverá ter algum cuidado com as viagens, pois Rahu pode reduzir a sua sorte e criar situações desagradáveis nesse contexto. Do mesmo modo, deve ser visto o contacto, incluindo profissional, ou relacionado com a educação, com países estrangeiros e que pode por vezes não ser favorável.  Desconfie dos que lhe aparecem como verdadeiros «gurus» e que podem ser charlatães à procura de vítimas para explorar.

Por outro lado, Ketu vai estar a transitar pela 3ª casa  no signo Capricórno,  uma casa de atenção aos pormenores imediatos do dia- a- dia e às notícias que passam rapidamente; dos desejos, dos irmãos, da comunicação, da escrita , das artes, etc.. O signo Capricórnio na 3ª casa indica pouca espontaneidade na expressão dos desejos, repressão ou «disciplina» das suas reais motivações, em prol daquilo que «acha que  deve ser feito». Pode ter tido que assumir responsabilidades em relação a irmãos mais novos e aprendeu a viver de acordo com regras em vez de exprimir o que sente, de forma espontânea. Entusiasmar-se, falar ou escrever de forma expansiva não é para si.  Porém, Ketu por aqui a transitar vai «dissolver» a sua obsessão por «seguir regras» em relação a tudo o que sente ou deseja, reprimindo a sua espontaneidade. As convenções sobre educação , sobre necessidade de  pensar bem antes de agir, a cautela que teve sempre em relação às iniciativas e empreendimentos, esperando até que lhe parecessem «seguros» agora fazem pouco sentido e a flexibilidade que surge neste período em relação a tudo isto deixa espaço para que você possa trazer ao de cima todas as experiencias passadas que «deixaram pontas» ou resíduos por superar. A provável mágoa por ter sido obrigado (a) a assumir responsabilidades antes de ser adulto (a) ou de estar preparado (a) para isso, todo o convívio despreocupado que nunca teve mas que «era o apropriado» , tudo isso deixa de fazer sentido e pode ser visto como inútil por si. Mas essa é a porta que também permite a libertação das mágoas que possam ter ficado presas nas memórias de tudo que podia ter escrito e não escreveu, podia ter aprendido e não aprendeu, das aventuras que nunca viveu . E poderá aprender que tudo isso já foi já se desvaneceu e agora é tempo de aprender com o que possa ter sofrido e dedicar-se a aprendizagens mais profundas, saberes esquecidos e ocultos. é tempo de seguir em frente e compensar  tudo isso. , em vez de aceder a práticas habituais e convencionais, pode preferir ir ao fundo das questões, usando o pensamento, a intuição e a crítica.

Os irmãos mais novos, se existirem, também ficam agora por sua conta: melhor aprenderem por si próprios do que ficarem desiludidos mais tarde, no confronto com a realidade. Ketu faz surgir uma atitude de desapego e separação em relação a todos os desejos e iniciativas que desenvolveu antes  e agora leva a considerar  que esses desejos  estão esgotados e já não são capazes de continuar a motivá-lo (a) como dantes. Se, durante algum tempo,  você  se interessou por aprender e por praticar alguma arte, como tocar um instrumento musical, aprender dança, representação dramática, etc., agora tudo isso parecerá longínquo porque o seu interesse já não está aí. A vida «supérflua» do dia – a- dia não consegue motivar os seus desejos ou ações. é tempo de procurar uma nova aventura e ir  mais além.

ajude-nos a melhorar, deixe o seu comentário