Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Virgem

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
O Ascendente Virgem  tem regência de Mercúrio um planeta que tem muita volatilidade porque se move rapidamente e porque, devido à sua proximidade em relação ao Sol, está muitas vezes combusto. A combustão é um dos maiores motivos de fraqueza dos planetas e tem a ver com a distância em graus do planeta em relação ao Sol. Cada planeta é considerado combusto numa distância que difere de planeta para planeta em relação ao Sol. No caso de Mercúrio, este é considerado combusto quando a sua longitude é de 0 a 14 º em relação à posição do Sol, para ambos os lados. Quanto mais próximo está em relação à posição do Sol, mais fraco é o planeta. Isto sucede porque os raios solares sobrepõem-se à energia do planeta e este perde por isso grande parte das suas características essenciais positivas. Devido à proximidade entre Mercúrio e o Sol, muitas pessoas nascem com o planeta em estado de combustão .Quando o Sol é um planeta funcional benéfico, não prejudica os significados dos planetas quando forma conjunção com eles. (estes são vulneráveis apenas quando sofrem o trânsito de algum planeta funcional maléfico. Infelizmente, o Sol para este Ascendente não é um planeta funcional benéfico, nem segundo as regras clássicas da Jyotish nem segundo a abordagem sistémica, pelo que a boa colocação de Mercúrio no horóscopo, bem como a sua força e aspetos recebidos, são determinantes para estes nativos. A associação de Mercúrio com Vénus, por exemplo, protege todas as áreas de vida do nativo, se ambos forem fortes e não estiverem aflitos.
Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Virgem- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Mercúrio. Rege a 1ª e a 10ª casas, duas casas kendra (a 1ª é considerada kendra e trikona). A classificação de Mercúrio como benéfico funcional para este Ascendente não é pacífica, pois trata-se de um planeta natural benéfico e, segundo a regra, os planetas naturais benéficos quando regem casas kendra (as casas angulares- 1ª, 4ª, 7ª e 10ª) tornam-se maléficos nos resultados. Porém, Mercúrio fica exaltado em Virgem e, se estiver bem colocado, se for forte e se receber bons aspetos, pode trazer sucesso e uma carreira com grande visibilidade para o nativo. Mas, lá está: se estiver fraco ou se estiver colocado numa casa maléfica, retira brilho e visibilidade à existência do nativo. A nosso ver, seria por isso mais lógico classificá-lo como neutro, pelo menos até determinar a sua força no horóscopo.
2º- Vénus é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 9ª casa ,porém, o seu signo Mooltrikona ocupa a 2ª casa, com má fama por ser uma casa marakha (capaz de infligir a morte ao nativo) . Assim, a Jyotish clássica atribui a Vénus um caráter benéfico mas com algumas reticências, considerando que, durante o período dasha do planeta é preciso vigiar a saúde. Porém, tem sido observado que, quando Vénus é forte, dá muitos recursos ao nativo , trazendo riqueza, conforto, beleza, etc., para a sua vida.
3º- Saturno é potencialmente o 3º planeta mais benéfico para este Ascendente, pela regência da 5ª casa do horóscopo. Porém, também rege a maléfica 6ª casa, o que o torna um planeta controversamente considerado como benéfico. No «Brihat Hora Sastra», o livro do Mestre Parashara, não existe referência à classificação de Saturno para este Ascendente, provavelmente porque a obra é fragmentária . Mas, o facto de Saturno ter o seu signo Mooltrikona na 6ª casa torna esta casa predominante nos significados do planeta e, como tal, parece-nos mais correta a classificação de Saturno como planeta neutro pois a sua ação depende muito da sua casa de colocação e do facto de receber ou não o aspeto próximo de um planeta funcional benéfico , como Vénus. Neste último caso, poderia classificar-se como funcional benéfico.
4º-O Sol rege a 12ª casa. Aqui a generalidade das fontes aceita a classificação do Sol como neutro para este Ascendente, apesar de reger uma casa maléfica e de ser também um planeta naturalmente maléfico. Parashara afirma que os seus resultados dependem das associações: se estiver bem colocado por casa e se receber bons aspetos pode ter efeitos benéficos; caso contrário deverá ser considerado maléfico para o Ascendente Virgem
Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Virgem- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Marte, pela regência da 3 ª e da 8ª casas, Marte é considerado o planeta mais maléfico para este Ascendente. O seu signo Mooltrikona ocupa a 8 ª casa . Mercúrio é considerado inimigo de Marte, embora este seja neutro em relação a Mercúrio. Se estiver mal colocado ou se receber maus aspetos, o dahsa e os subperíodos de Marte podem trazer muitas provações para a vida do nativo.
2º- Júpiter, que rege a 4ª e a 7ª casas . A razão pela qual se classifica Júpiter como maléfico deve-se ao facto de ele ser um planeta naturalmente benéfico e a 4ª e a 7ª casas serem ambas casas kendra, pelo que se considera que os resultados do planeta são negativos. Além disso, rege uma casa marakha, a 7ª. Há ainda outra razão para o classificar como maléfico: a 7ª casa é considerada uma casa «Badakha» para o Ascendente Virgem e, na Jyotish clássica, considera-se que o regente da casa Badhakha traz resultados negativos para a vida do nativo. Porém, alguns astrólogos discordam desta classificação e consideram que é mais correto considerar Júpiter como um planeta neutro, o que francamente nos parece mais lógico.
3º- A Lua é regente da 11ª casa e, por esse facto, é considerada funcionalmente maléfica. Como a Astrologia clássica considera que as casas 3ª, 6ª e 11ª são casas maléficas, pela regência desta casa a Lua é classificada como temporalmente maléfica.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos para o Ascendente Virgem segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish 
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.
Para o Ascendente Virgem , são os seguintes os planetas funcionais maléficos:
Sol, Marte, Saturno , Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). Marte é o mais maléfico pela regência da 8ª casa, ocupada pelo seu signo Mooltrikona.
Para o Ascendente Virgem são os seguintes os planetas funcionais benéficos: 
Lua, Mercúrio, Vénus e Júpiter. Júpiter, pela regência da 4ª casa, que é ocupada pelo seu signo Mooltrikona, é potencialmente a influência mais benéfica para este Ascendente.
Esta classificação baseia-se na conceção de que há apenas 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.