Compatibilidade Básica entre Parceiros #1

caom

·         Parceiro com Ascendente Leão Lua virgem e Sol Escorpião
·         Parceiro com Ascendente Capricórnio Lua Virgem e Sol Peixes

O Parceiro 1) com Ascendente no signo Leão é alguém que não passa despercebido, com uma presença radiante , optimista e respirando auto-confiança .  A sua expressão é marcada por uma forte capacidade de afirmação e pontos de vista muito pessoais acerca de tudo: Leão vive todas as coisas  a partir do centro da sua personalidade – o «eu».

Apesar do exibicionismo muitas vezes visível na forma como age e fala com os outros, tomando-se a si mesmo como centro de interesse,  este nativo tem um fundo nobre e generoso e é capaz de  dar ,altruisticamente.  A emoção e a necessidade de amar são poderosos impulsionadores do  seu agir e das relações que estabelece com os outros. Leão  representa o desenvolvimento da individualidade e, por isso, não suporta ver-se esbatido no  meio de uma massa anónima e sem rosto: detesta ver-se de forma abstracta e rejeita ser «mais um» onde quer que seja.  Ele quer destacar-se, aparecer como alguém totalmente original  e único.

Possui um enorme poder de intuição  e uma inteligência forte que, a partir daquilo de que gosta, é capaz de criar algo duradouro e digno de admiração.

 A Lua no signo de Virgem  associada ao Ascendente  Leão   mostra  alguma  incompatibilidade energética pois  o  seu elemento Terra não se harmoniza bem com o elemento Fogo de Leão  mas, por outro lado, não há inimizade entre  o regente  do signo Virgem , Mercúrio   e o regente do signo Leão  – o sol . Este é amigo de Mercúrio e este é neutro em relação a ele e, deste modo,  as energias do Ascendente  e da Lua  exprimem-se ambas na personalidade de forma satisfatória.

A Lua em Virgem  acrescenta um carácter prático à mente deste nativo, tornando a sua criatividade algo mais controlável e organizado.  A associação das capacidades intelectuais e emocionais de Leão com a mente analítica  e discriminativa de Virgem  produz excelente resultado. Ambos os signos são dotados de uma boa intuição e esta junta-se às aptidões cognitivas, articulando imaginação e memória,  criatividade e organização sistemática. Este nativo é simultaneamente muito criativo e logicamente determinado e organizado.

No plano psicológico, a Lua em virgem  atenua os traços excessivamente exibicionistas de Leão bem como a sua sede de poder e de autoridade, dando-lhe um perfil um pouco mais discreto, a menos que  a Lua  seja fraca no horóscopo.

O Sol em Escorpião harmoniza-se muito bem com a Lua em Virgem no plano dos elementos, pois o elemento Terra  de Virgem mistura-se muito bem com o elemento Água de Escorpião. Os regentes dos signos , por seu lado, são neutros em relação um ao outro. Os signos do Sol e da Lua atuam desta forma de modo integrado  na personalidade, constituindo uma personalidade muito mais subjectiva do que poderia esperar-se com o Ascendente em Leão. Este nativo é muito motivado para  adquirir uma posição que lhe permita influenciar os outros e, de algum modo, destacar-se  em alguma área. Pode ser um político , um  investigador ou médico, etc. e atingir o sucesso na sua profissão. Gosta de controlar e de liderar mas fá-lo de forma discreta e  muitas vezes subtil.

O Parceiro 2, com Ascendente em Capricórnio destaca-se pela sua visão pragmática e calculada de todas as coisas, característica  acentuada pela Lua em Virgem. Inteligente e com uma presença dominadora, traça um caminho claro para atingir uma posição socialmente compensadora e que lhe permita sentir que se construiu a si próprio através dos alicerces que preparou com muito  trabalho e dedicação.

É  uma pessoa muito trabalhadora e isso dá-lhe uma  postura de seriedade em relação a todas as coisas: está determinado em conseguir alcançar uma posição elevada na comunidade e em ganhar o respeito e o reconhecimento dos outros e, por isso, nem quer ouvir falar em «diversão» , que considera uma frivolidade sem grande lugar na sua vida marcada por objectivos materialmente   ambiciosos.

Neste sentido,  o parceiro 2) pode Projectar u ma imagem de frieza e calculismo, quando na presença do parceiro 1)  com o seu Ascendente em Leão: este é romântico,  gosta de actividades de lazer e, por vezes, o seu comportamento soa a «infantil» ao parceiro 2), com a sua necessidade de receber atenções e admiração constantes.  Por seu lado, o parceiro 1) pode achar o outro demasiado «aborrecido», materialista  e convencional, no primeiro encontro.

Porém, ambas as pessoas têm a Lua no signo de Virgem  e, deste modo, inevitavelmente vão reparar que  pensam da mesma maneira, têm as mesmas necessidades de segurança e isso fá-las sentirem-se próximas uma da outra.

A associação entre a Lua em virgem  e o Ascendente Capricórnio  produz  uma pessoa orientada para o plano do concreto: visa objectivos práticos e tem pouco interesse em tudo o que ultrapassa o mundo da experiência palpável. As suas competências de planeamento e de organização/sistematização dão-lhe a capacidade para gerir qualquer organização de forma eficiente e virada para os objectivos.  A pessoa tem uma excelente memória e aptidão para lidar com os pormenores.

Estes dois signos, no entanto, não primam pelas qualidades da imaginação, baseiam-se no experienciado empírico e não na especulação ou   divagação abstracta. E é aqui que o Signo do Sol,  Peixes  introduz um factor de maleabilidade e de distanciamento em relação ao mundo concreto, alargando as fronteiras do mesmo para dar lugar ao espaço do imaginário e do maravilhoso. A influência do Sol em Peixes leva esta pessoa a não se contentar com o mundo organizado de todos os dias e, a menos que o Sol  esteja fraco no horóscopo, produz o desejo interior  de transcendência e o sentimento de devoção que enriquecem a personalidade deste nativo com uma densidade que vai além do pensamento racional e algo  desumanizado da associação entre Capricórnio e virgem. 

O signo de Peixes desestrutura as armações de defesa racionais da Lua em Virgem, dá-lhe uma inquietação que pode conduzir ao desejo de encontrar no longínquo, um sentido mais profundo para a vida do que a simples admiração exterior ou o estatuto social. O sol em Peixes  é um factor de espiritualização da vida deste nativo e pode, em última instância, levar à renúncia dos aspectos mundanos da vida para se identificar com algo mais profundo do que a mera identidade social.

O parceiro 1), apesar de tudo, pode dominar na relação, pois tem na identidade básica  dois signos fortes de autoridade -Leão e Escorpião –  e, apesar de o parceiro 2) também possuir bastante assertividade com o seu Ascendente em Capricórnio,   o seu Sol em Peixes sente-se  muito à vontade para deixar que outros controlem o que ele não tem vocação nem interesse de controlar: as circunstâncias e as necessidades do quotidiano.

Análise da compatibilidade Básica entre os Parceiros

A relação entre o Ascendente  de ambos é neutra, isto é, 6/8. Não é uma boa relação porque significa que as energias imediatas destas pessoas não interagem, ignoram-se uma à outra, são invisíveis uma para a outra.  O Ascendente  é a imagem de nós próprios que projectamos  quando estamos com os outros, é  o nosso modo de ser imediato e espontâneo.  Nesta relação, esta imagem escapa aos dois parceiros, a menos que haja outros planetas pessoais de cada um em aspecto com o Ascendente  deles.

E é isto que se passa, a Lua do parceiro 1) está numa relação muito harmoniosa com o Ascendente do parceiro 2). Esta configuração indica grande proximidade, familiaridade e compreensão dos processos mentais um do outro; a Lua do parceiro 2), por seu lado, está numa relação de 2/12 com o Ascendente do parceiro 1). Isto é também uma relação  neutra, e muitos dos aspectos emocionais e mentais do parceiro 2) podem ser invisíveis para a percepção do parceiro 1).  Lembrando-nos de que o parceiro 1) tem o seu Ascendente em Leão , com a consequente tendência para um certo narcisismo, este é um risco real, nos relacionamentos a longo prazo, pois este parceiro pode mais facilmente pensar nas suas próprias necessidades do que nas necessidades emocionais do seu parceiro. A menos que Vénus  do parceiro 2) lance um aspecto harmonioso para a Lua ou para o Ascendente  do parceiro 1).  Porém, há que lembrar que os dois  têm a Lua no mesmo signo e que isso também gera uma proximidade emocional entre ambos que pode compensar o anterior.

O Soldo parceiro 1)  e o Sol do parceiro 2) estão numa relação de 5/9, uma excelente relação: estas pessoas têm um entendimento semelhante quanto ao seu propósito mais essencial de vida  e o seu destino pessoal  floresce com esta relação.

O Sol do parceiro 1)  está numa relação de 3/11 com o Ascendente  do parceiro 2), o que é uma excelente relação, que gera proximidade e o sentimento mútuo de que partilham os mesmos ideais  e a mesma filosofia de vida; o sol do parceiro 2) está numa relação de 5/9, com o Ascendente do parceiro 1) confirmando os aspectos referidos para ambas as pessoas.

O Sol do parceiro 1)  está numa relação de 3/11 com a Lua do parceiro 2), mais uma vez, uma relação muito harmoniosa que facilita a integração dos vários aspectos da psique e uma relação de partilha profunda entre as duas pessoas.  O sol do parceiro 2) está numa relação de 1/7 com a Lua do parceiro 1. Embora esta complementaridade possa  ter as suas arestas, no geral é aceitável, pois a Lua e o Sol simbolizam os aspectos feminino e masculino da personalidade e a oposição não é, neste caso problemática.Pelos aspetos referidos, consideramos que estas duas pessoas são muito compatíveis, podendo sentir-se muito bem uma com a outra e o seu relacionamento pode  ajudar o seu crescimento mútuo.

Compatibilidade para Casamento

namor

Os relacionamentos de proximidade, como acontece numa relação amorosa, pressupõem uma dinâmica energética na interacção entre as duas pessoas que nem sempre produz resultados muito positivos.

Na Índia, em que existe uma tradição muito forte de confirmar essa dinâmica energética antes de formalizar um compromisso de casamento, considera-se que, para além da atracção química desencadeada pelo nosso cérebro, como tem sido estudado pela Psicologia actual, há que considerar outros factores energéticos, representados pelos planetas, e que têm um papel determinante, não apenas para «explicar a paixão» mas , mais importante ainda quando se trata de um projecto de casamento que idealmente se desenha para a vida toda, verificar se esses factores suportam a possibilidade de um projecto de vida comum a longo prazo. E aqui há vários passos a considerar na análise do horóscopo das duas pessoas envolvidas:

Os Factores Gerais que Determinam a Compatibilidade entre Parceiros no Horóscopo

Em primeiro lugar é necessário analisar o horóscopo de cada uma das pessoas e verificar os seguintes aspectos :

  1. A  7ª casa que mostra as parcerias e o casamento, os planetas aí colocados , os aspectos que recebe;

  1. Ver o estado do planeta que rege a 7ª casa e os aspectos que recebe;

  2. Analisar os planetas que significam o cônjuge: no caso de um horóscopo masculino, Vénus; no caso de um horóscopo feminino, Júpiter. Porém, muitos astrólogos usam vénus para ambos os sexos, como indicador geral da afectividade e do amor.

  1. Analisar a 7ª casa da Navamsha certificar onde se encontra o regente da 7ª casa do horóscopo natal e qual o seu estado. Ver também qual o planeta que rege a 7ª casa da varga Navamsha e onde é que este está colocado no horóscopo natal. Adicionalmente analisar também a 1ª casa da Navamsha dos dois horóscopos e ver se existem planetas no mesmo signo ou no signo oposto entre as duas pessoas.

A varga Navamsha representa uma visão microscópica do nosso destino pessoal nesta vida (correspondente à 9ª casa do horóscopo). É uma varga companheira do horóscopo de nascimento, mostrando com pormenor as forças e fraquezas indicadas de modo mais geral no horóscopo. A 1ª casa da Navamsha significa o cônjuge e as suas qualidades, temperamento e personalidade e aspecto físico.O regente da Navamsha e o signo que corresponde à 1ª casa da Navamsha mostram a parte do nosso carácter que terá um papel essencial na concretização do nosso destino (em conjunto com a casa que esse signo ocupa no nosso horóscopo natal).

  1. Devem ser vistas, na Navamsha de ambas as pessoas envolvidas na parceria a localização do Sol da Lua, de Marte e de Vénus e os aspectos que têm uns com os outros – o mesmo planeta (Sol de um  , Sol do outro, etc) e complementarmente: Sol de um e Lua do outro; Marte de um e Vénus do outro. Ver as mesmas interacções entre os horóscopos natais de ambos: qual a casa em que cada um desses planetas «cai» no horóscopo do parceiro. Isto ajudará a perceber quais as áreas de vida em que a relação criará harmonia ou atrito.

Os Factores Específicos que Determinam a Compatibilidade entre Parceiros

Na Astrologia Védica são considerados os seguintes factores específicos para analisar a compatibilidade entre os parceiros:

O Teste Ashta Kootas

1. Na Índia, o teste Ashta Kootas constituído por 8 grupos, é muito popular e, para muitos, decisivo e eliminatório: se não forem alcançados bons resultados neste teste- que é quantitativo- o casamento é desaconselhado:

No norte da Índia são considerados os seguintes:

  1. Varna. Representa a natureza do indivíduo, mostrando se esta é delicada ou agressiva. Pontos máximos=1

  2. Vashya Koota. Representa a atracção mútua entre o casal baseado na dinâmica energética entre ambos. Pontos máximos=2

  3. Tara Koota. Representa a saúde e o bem estar de ambos com base na relação entre os Nakshatras onde se encontra a Lua de ambos. Pontos máximos =3

  4. Yoni. Representa a compatibilidae sexual. Pontos máximos= 4

  5. Grha Maitri. Representa o nível espiritual e intelectual de ambos.Pontos máximos=5

  6. Gana Koota. Representa o temperamento de ambos. Pontos máximos=6

  7. Bhakout ou Rashi Koot. Representa a compatibilidade emocional do casal., a compatibilidade de karma, destino e obrigação. Pontos máximos=7

  8. Nadi Koota. Representa a compatibilidade genética e a saúde interna e externa de ambos na interacção. Pontos máximos=8

Nota: o último grupo (8) perdeu alguma importância nos dias de hoje devido ao avanço da ciência que pode, entre outras coisas, aumentar a fertilidade, etc.

No sul da Índia- para além destes 8 grupos consideram-se mais 4:

  1. Mahendra Koota. Representa a longevidade da relação;

  2. Sthree Deergha Koota. Representa os filhos e netos.

  3. Rajju. Representa a duração da vida conjugal. Os indivíduos não devem ter o mesmo Rajju.

  4. Vedha. Representa o poder de afastar todos os infortúnios.

Estes 12 factores são calculados com base no signo da Lua e no Nakshatra da Lua dos parceiros. A Lua e o seu Nakshatra assumem um papel essencial.

O máximo de pontos que se pode ter neste teste é 36.

Entre 28 e 36, o resultado é considerado excelente; entre 20 e 27, é muito bom; entre 13 e 19 é médio; menos de 12 a compatibilidade é muito reduzida e exige muitos compromissos. Quanto mais jovem for o casal, mais desafiador é este resultado. Conisdera-se que 18 pontos é o mínimo para assegurar a possibilidade de um bom entendimento mútuo.

Existência de Kalathra Doshas( Aflição de Marte, Rahu/Keu, Saturno)

Considera-se seguidamente a existência ou não de Kuja Dosha (aflição de Marte). Este ponto já foi objecto de uma publicação específica. Considera-se especialmente desfavorável a posição de Marte na 7ª  ou 8ª casas. Isto pode indicar que o cônjuge terá má saúde, acidentes, que não amará o nativo, haverá desentendimentos, morrerá cedo, etc. Adicionalmente analisa-se também a presença de Rahu/Ketu ou Saturno  nessas casas (tendo em conta a possibilidade de cancelamento do dosha ou aflição). E, neste caso, estamos perante um Kalathra dosha (problemas conjugais, que também inclui a aflição de Marte).

A Relação entre os Planetas em ambos os Horóscopos

O factor mais importante é a amizade e harmonia entre os planetas de ambos os horóscopos:

  1. O Ascendente de ambos devem ter uma boa posição em relação ao outro, ou seja, uma relação de 1-7, 3-11 e 5-9 (sendo que os números significam o número de casas/signos que separam um Ascendente e o outro , contando de um para o outro). Não devem ter uma relação de 2-12, 4-10 ou 6-8. No que se refere ao Ascendente  devido à complementaridade entre os signos opostos, considera-se a posição 1-7 como boa. Esta posição en relação aos outros factores não é, no entanto, desejável. ex.: um dos indivíduos tem Ascendente Touro. O outro deverá ter Ascendente Touro (1), Caranguejo (3), Virgem (5), Escorpião (7), Capricórnio (9) ou Peixes (11).

2. Os regentes do Ascendente de ambos devem estar em aspecto amigo como 3-11ou 5-9.

Ex. um tem Ascendente Caranguejo e o outro tem Ascendente Sagitário. A Lua rege Caranguejo e está na 2ª casa; Júpiter rege Sagitário e está colocado na 6ª casa.  Contando da 2ª (inclusive) para a 6ª temos 5 casas, logo os regentes são compatíveis.

  1. Verificar se os signos da Lua de ambos estão em posições boas um em relação ao outro como 5-9 ou 3-11. Não devem ter uma relação de 1-7, 4-10, 2-12 ou 6-8.

  2. Os regentes do signo da Lua devem estar em posições amigas como 5-9 ou 3-11.

  1. Os karakas (significadores) gerais do cônjuge (Lua e Vénus quando o cônjuge é uma mulher e Sol e Marte quando é um homem) devem estar em posições harmoniosas: o Sol dele deve esta em harmonia com a Lua dela; o Marte dele deve estar em harmonia com o Vénus dela, isto é, devem ter uma relação de 5-9 ou 3-11. Os factores Sol e Lua em harmonia indicam compatibilidade psicológica  e mental; os fatores Vénus e Marte indicam compatibilidade sexual.

  2. Adicionalmente verificamos se a  de cada um dos indivíduos está em boa posição em relação à  do outro- deve estar numa posição de 5-9 ou 3-11.

  3. Considerando o Ascendente de cada um, idealmente não deverá haver nenhum planeta maléfico (Saturno, Rahu e Ketu, Marte) a formar aspecto com o Ascendente do outro.

  4. Planetas maléficos como Saturno , Marte e os nodos na 7ª ou 8ª casas no horóscopo individual geralmente indicam infelicidade no casamento e parcerias pessoais e separação ou morte prematura do parceiro.

Finalmente, é preciso ter em conta que, na vida real, os relacionamentos perfeitos são muito raros . Normalmente há muitos fatores que interferem com as interacções entre as pessoas, entre os quais o mais forte é o que se refere ao «Karma»: seremos atraídos para indivíduos em relação aos quais muitas vezes enfrentamos relações com alguns aspectos menos harmoniosos mas essa experiência, por alguma razão, é fundamental para o nosso crescimento como pessoas.

O conhecimento, porém, de todos os pontos fortes e fracos nas nossas interacções pessoais pode ser de uma grande ajuda para aprender a tirar partido dos aspectos positivos e diminuir o impacto daqueles que são negativos.

A Aflição de Marte e seus Efeitos nos Relacionamentos

casal

O Que é o Kuja dosha (Aflição de Marte)?

O que é a «aflição de Marte» ou Manglik ou Kuja (nomes atribuídos ao planeta Martedosha?Esta condição é bem conhecida  na Astrologia Védica/Jyotish pois é uma das maiores preocupações daqueles que procuram o astrólogo védico para um estudo de compatibilidade tendo  em vista o casamento. 

Esta  «aflição» ou dosha acontece quando o planeta Marte está colocado em certas casas do horóscopo: assim, se Marte está colocado na 1ª casa ; 4ªcasa ; 7ª casa 8ª casa); 12ª casa este dosha deve ser estudado. Esta relação de casas é vista no horóscopo de nascimento e  na Navamsa (e complementarmente  na relação entre Marte e Vénus).

As posições consideradas piores, no entanto, são a colocação na 7ª e 8ª casas. De acordo com os textos  dos sábios e a experiência dos astrólogos – e certamente também dos nativos que têm esta condição ( Manglik)  estas pessoas deverão casar com alguém que tenha Marte na mesma posição do seu horóscopo para que o dosha seja anulado.  

Existe no entanto um problema com este conselho: geralmente os nativos com esta posição de Marte apenas se sentem atraídos por outros que não têm tal condição no seu horóscopo, o que torna difícil, na nossa cultura, contornar o problema pois as pessoas preferem os relacionamentos espontâneos e baseados na atracção mutua. 

Efeitos do Kuja Dosha (Aflição de Marte)

Marte é um planeta maléfico e com uma energia bastante agressiva e, na 1ª casa, além de afectar a saúde, lança aspecto para a 7ª prejudicando o casamento e as parcerias devido às características do nativo, que é agressivo e briguento, implicando continuamente mesmo com pequenas coisas. A pessoa é combativa por natureza e pode querer dominar na relação;

Alguns consideram que o mesmo efeito  do dosha acontece quando Marte  está colocado na 2ªcasa que significa a vida familiar que é destruída por esta posição devido à tendência para discussões e o discurso áspero ; 

Na 4ª  casa prejudica o ambiente do lar e  o contentamento ou felicidade geral. Existe também uma natureza emocional agressiva que pode afectar a carreira , gerando mudanças frequentes a esse nível;

Na 8ª casa destrói os laços conjugais.  Esta destruição pode ser devida a divórcio ou separação e ainda por morte prematura do cônjuge. Parashara  na sua obra Brihathora aconselha que quem tem esta posição de Marte case com uma pessoa que tenha  a mesma posição do planeta pois, desse modo, o dosha será anulado.

Na 12ª casa destrói o prazer sexual dos parceiros e indica muitas perdas financeiras, inimigos e tendência para reprimir a raiva.

Cancelamento do Kuja Dosha no Horóscopo

Convém lembrar em primeiro lugar que uma única assinatura não é suficiente para determinar os resultados gerais do horóscopo. Assim, deverá ser analisada a força geral do horóscopo e  o dosha deverá ser confirmado na Navamsha. Se a condição existir no horóscopo de nascimento mas não na Navamsha, o problema verificar-se-á  nos primeiros tempos da vida da pessoa mas mais tarde desaparecerá.

De qualquer modo, mesmo quando existe um dosha de Marte forte no horóscopo, os seus efeitos serão reduzidos, segundo os sábios, após os 28 anos de idade. 

Outro aspecto a ter em conta é que, se Marte estiver exaltado ou no próprio signo(Capricórnio, Carneiro e Escorpião) os seus efeitos são benéficos e, por isso, não existe dosha.  Também não existe «aflição» quando  Marte está colocado nos signos de planetas amigos: Sol, Lua e  Júpiter. 

Para os Ascendentes de Caranguejo e de Leão, Marte é  um yogakaraka por isso, nestes Ascendentes nunca causa  dosha. Se Júpiter ou Vénus estão no Ascendente, o dosha também  não existe. Se Marte estiver em conjunção  ou em aspecto com Júpiter e a Lua, não há dosha. O mesmo acontece se Marte estiver em conjunção ou em aspecto com o sol, Mercúrio, Saturno ou Rahu e, para o Ascendente Aquário, se Marte estiver localizado na 4ª ou 8ª casa. 

Esta aflição é também  cancelada nos seguintes casos:

  1. Quando Marte está na 2ª casa em Gémeos ou Virgem;
  2. Quando está na 4ª casa no signo Carneiro ou Escorpião;
  3. Quando está na 7ª casa em  Caranguejo ou Capricórnio;
  4. Quando está na 8ª casa em Peixes;
  5. Quando está n 12ª casa em Touro ou Balança.

Como nota final, convém ter em conta que Marte não é o único planeta a causar «aflição» nos relacionamentos: Saturno e Rahu  são outros maléficos que podem perturbar poderosamente a felicidade conjugal, num conjunto de «aflições» designadas por Kalathra dosha (problemas conjugais).

Jyotish e o Karma nos Relacionamentos

Os  relacionamentos são a  área privilegiada em que se desenrola o Karma humano, enraizado nos  desejos e nas emoções   que continuamente o alimentam e constituem.
Nas cartas astrológicas das pessoas que  mantêm relações de íntima proximidade existem muitas vezes ligações kármicas fortes que nos permitem dizer que muitos dos encontros que temos uns com os outros são, em grande medida, «predestinados». 
Cada um de nós parece ser atraído para pessoas   cujos fatores do «destino», nas suas próprias cartasse conjugam  com os nossos num entrelaçar criador de  uma dinâmica   própria que dá origem a  um certo tipo de relacionamento.
Por vezes, quando isso está indicado na nossa própria carta, esses relacionamentos são harmoniosos e causadores de felicidade mútua; outras vezes existem focos de tensão e de conflito que dão origem a  interações difíceis  mas em que  os parceiros envolvidos têm alguma «lição» para  aprender em conjunto. E, pelo menos  durante algum tempo (um trânsito longo, um período ou sub-período dasha)  as pessoas ficarão juntas. Noutros casos, a ligação dura toda a vida.
Nestas interações kármicas tanto encontramos relacionamentos amorosos como relações pais/filhos, irmãos, amigos, marido e mulher e estes são os relacionamentos da nossa vida que mais nos fazem crescer  e evoluir, nas áreas indicadas na nossa carta natal. 
Este tipo de experiências parece funcionar como um importante catalisador  do nosso crescimento  como seres humanos,  melhorando a nossa capacidade de compreender a realidade essencial.
O exemplo que apresentarei a seguir refere-se a duas pessoas que foram casadas durante  40 anos, numa dinâmica  em que os fatores mútuos do destino  se cruzaram, revelando, na sua interacção, um conjunto de áreas das suas vidas que foram, desse modo, conjuntamente ativadas e transformadas.
Dados  do horóscopo feminino: eixo do destino: Rahu em Capricórnio, Ketu em Caranguejo , Rahu na 4ª casa e Ketu na 10ª. Saturno em Aquário  na 5ª casa.  Saturno é o dispositor de Rahu e rege a 4ª e a 5ª casa acentuando desse modo o significado de Rahu. A lua, dispositor de Ketu, rege a 10ª casa.  Rahu é muito forte pois  é o regente do Nakshatra em que se encontra colocado. Saturno rege o Nakshatra onde se encontra Ketu o que reforça os significados do eixo  4ª/10ª casa.
O impacto destes fatores na  vida desta mulher mostrou uma clara tensão envolvida neste eixo pois viveu uma vida de dedicação à família, sem constituir carreira mas a frustração por não desenvolver esse lado da vida teve um preço  grande ao nível da sua felicidade pessoal. 
Dados do horóscopo masculino : Rahu encontra-se na 12ª casa , Ketu está na 6ª. Saturno encontra-se no próprio signo , conjunto com Marte, exaltado e regente do ascendente. Rege a 10ª e a 11ª casas.  Rahu está conjunto com o seu dispositor, Júpiter, que rege a 9ª e a 12ª casas  e com a lua. Mercúrio, dispositor de Keturege a 3ª e a 6ª casas. O regente do Nakshatra onde se encontra Rahu é Saturno o que reforça o poder deste planeta na condução do destino desta pessoa. Ketu está no Nakshatra regido pelo Sol
A presença do Sol, Marte exaltado e Saturno no próprio signo deram a esta pessoa a capacidade e determinação para se «fazer a si próprio» e ser bem sucedido na profissão.   A sua poderosa  10ªcasa  sobrepôs-se à da esposa, ativando o Ketu  colocado na 10º casa dela  e fazendo-a confinar-se  ao espaço  do seu Rahu natal- a 4ª casa do lar,  cumprindo-se assim  um dos  significados simbólicos de Ketu na 10ª casa, de perda de uma vida profissional e de reconhecimento público. 
Olhando para o cruzamento de aspetos entre  ambas as cartas,  encontramos os seguintes interaspetos: O Rahu dele está conjunto com o Sol/Mercúrio dela .  O Rahu dela está conjunto com o Sol dele.  
O Ketu dela está conjunto com Júpiter e Marte dele e o Saturno dela está conjunto com o Vénus dele.
Com indicadores tão poderosos não admira que estas duas pessoas tenham contribuído, ao longo do tempo que passaram juntas, para uma refundação das suas identidades e objetivos de vidaCom o   Ketu  dela associado com diversos planetas dele,(Ketu está  associado à perda material)  ele tornou-se  a personalidade dominante e dominadora nesta relação, ao ponto de a identidade dela se ter confundido muitas vezes com a identidade dele. Mas ela  também ativou os significados do Rahu natal dele na 12ª casa, ajudando-o a descobrir um sentido mais espiritual no conhecimento  de si mesmo e na visão da realidade.
 
 
A  associação entre o Saturno dela e o Vénus dele  criou simultaneamente um sentimento de obrigação e de dever  em relação a ele mas também possibilitou  o desenvolvimento de um sentimento de grande segurança e de confiança-  ele era a pessoa em  quem  ela podia confiar e a única com que sabia que  podia sempre contar.
   

Compatibilidade nos Relacionamentos #2

Um relacionamento é  uma interação entre os  campos de energia de duas pessoas: algumas  vezes, essas energias fluem e interpenetram-se mutuamente, gerando  bem estar e satisfação. As energias de cada um dos parceiros  revitaliza as energias do outro. 
Outras vezes  existe um bloqueio da energia de cada indivíduo porque o campo energético de um choca com o do outro, repelindo-se e gerando frustração. Neste caso só aparentemente existe relação porque não há um verdadeiro encontro entre as pessoas. Ambos permanecem inacessíveis à apreensão do outro.
Como se explica isto? 
Em termos muito básicos isso explica-se por dois fatores essenciais (existem outros mais finos, estudados pela Jyotish mas não cabem nesta abordagem): 1.os elementos dos signos onde se encontram o ascendente e os planetas de um e outro.  2.  os aspetos que formam entre eles na relação entre as cartas natais.
Se, por exemplo, tenho o meu Ascendente em Sagitário -elemento Fogo– e me relaciono com alguém cujo Ascendente é Touroelemento Terra– existe aqui uma dificuldade básica. Como o Ascendente se refere ao meu modo imediato e espontâneo de ser e de me  exprimir, com a tendência para ser exasperantemente franca, sem qualquer diplomacia, o meu entusiasmo pela aventura e o desconhecido, a minha  extroversão, chocam naturalmente com  a necessidade de estabilidade, reserva, cautela e ponderação  da pessoa de Touro que gosta de se agarrar a uma realidade estável e sem mudanças, gosta de saber com o que conta e detesta aventuras para o desconhecido. 
Mas imaginemos que o meu Sol está em Capricórnio elemento Terra– e que a Lua da pessoa está em Sagitário-elemento fogo. Isto significa que o meu Ascendente é estimulado diretamente pelas emoções e pela mente da outra pessoa e vice-versa, pelo que este outro aspeto compensa a diferença entre os ascendentes, ainda  mais sendo mútuo, pois o meu Sol em Capricórnio harmoniza-se muito bem com o Ascendente da pessoa em Touro, o meu Sol estimula a pessoa, vitalizando-a em termos gerais  e levando-a a identificar-se comigo, o que  possibilita uma grande aproximação entre ambos. As diferenças no modo de expressão continuam a existir mas torna-se possível uma  relação de profunda proximidade. 
Tratando-se de uma relação amorosa, será também fundamental que  Marte e Vénus de ambos estejam ligados por elemento e aspeto aos planetas pessoais de ambos: o meu Vénus em Sagitário-elemento Fogo– é naturalmente romântico, tipicamente movido pelo mito do «cavaleiro andante» mas também é cioso da sua liberdade e independência e detesta ser «dado como garantido». Imaginemos que o meu parceiro tem o seu  Vénus em Caranguejo. A sua maneira de expressar afeto , muito emocional e dependente, agarrado à necessidade de segurança de uma família estável  torna  muito difícil  uma harmonia afetiva entre nós  pois eu vou sentir-me sufocada pela excessiva dependência dessa pessoa a esse nível e provavelmente  vou desejar que ela me dê mais espaço e respeite a minha necessidade de liberdade. Por sua vez, essa pessoa vai sentir que eu não gosto verdadeiramente dela pois  não lhe dou o apoio emocional de que ela necessita.
Uma relação pode por isso ser perfeitamente satisfatória numa ou mais dimensões e não o ser noutras.
É possível as pessoas harmonizarem-se de forma fantástica a nível intelectual  e  serem excelentes amigas,  porque as energias representadas por Mercúrio,o Ascendente, o Sol  e a Lua  estão em perfeita sintonia   mas  permanecerem   perfeitamente desconhecidas uma para a outra a nível afetivo e sexual por  não haver harmonia  entre essa dimensão das suas energias. 
Para uma relação de negócios  ou de trabalho intelectual, ou uma relação de amizade, esse aspeto não é relevante mas a questão muda de figura quando se trata de um casamento que, supostamente, desejamos que seja para a vida.
Do mesmo modo é possível duas pessoas  terem uma sintonia muito grande a nível emocional e sexual, devido ao  intercâmbio positivo das  energias  simbolizadas por Vénus e Marte mas não conseguirem  manter a sua  relação  no tempo sem se desgastarem mutuamente  porque  a energia representada por Mercúrio, que rege o discurso e  a felicidade doméstica,  está em conflito.
O papel da  Astrologia é  esclarecer  e orientar sobre as áreas que poderão ser trabalhadas pelos indivíduos  a fim de melhorar o fluxo das energias mútuas na relação ou, perante uma relação demasiado desgastante,  permitir tomadas de decisão que melhorem o desenvolvimento e  as experiências da vida dos parceiros envolvidos.