Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Peixes

peixs Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.

O Ascendente Peixes  tem  regência de Júpiter um planeta que também rege a 10ª casa, na qual se encontra o seu signo Mooltrikona razão pela qual a projeção social e profissional, bem como a reputação e o reconhecimento público desempenham um papel importante na vida destas pessoas.

 Planetas Benéficos  e/ou Neutros para o  signo Ascendente Peixes – Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- A Lua é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 5ª casa , uma casa trikona.  Encontrámos opiniões de que Marte seria o  planeta mais auspicioso porque rege a 9ª casa, a melhor casa trikona. Porém, o seu signo Mooltrikona está colocado na 2ª casa  que é uma casa Maraka (capaz de infligir a morte ) pelo que consideramos mais corretas as opiniões que colocam a Lua como o planeta mais auspicioso para este Ascendente, dando aos nativos, quando está forte, uma poderosa intuição e imaginação.

2º- Marte. Rege a e a casas.  Parashara considera que Marte e a Lua são auspiciosos para este Ascendente e que Marte é um planeta Maraka mas «sozinho não causa a morte do nativo» ou seja, as associações de Marte com outros funcionais maléficos poderão torná-lo  num planeta Maraka pelo que o planeta deve ser objeto de análise cuidada no horóscopo.

3º- Júpiter.  Rege a e a 10ª casas. É um planeta benéfico natural a reger duas casas kendra pelo que perde o caráter benéfico mas, tratando-se do regente do Ascendente, a sua classificação  torna-se controversa. Encontrámos astrólogos que o consideram como funcionalmente benéfico, devido à regência do Ascendente e outros que o consideram como neutro. Parashara diz, na sua obra Brihat hora Sastra  que Marte e Júpiter, quando associados, formam um poderoso Raja yoga – regente da 9ª + o regente da 10ª – (desde que estejam fortes, claro, caso contrário poderão produzir fracos resultados.

Planetas Maléficos para o Signo Ascendente  Peixes- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- Vénus  rege a 8ª casa , ocupada pelo seu signo Mooltrikona e  a 3ª casa, sendo considerada a mais maléfica devido à regência da 8ª. A 3ª casa também  é considerada maléfica pela Jyotish clássica. O estado de Vénus neste horóscopo é importante para a longevidade, uma vez que estas duas casas estão relacionadas com a duração de vida e achamos curioso que Parashara tenha referido Mercúrio, regente da 7ª casa, como um planeta Maraka, mas nada tenha dito do papel de Vénus para este Ascendente, tendo-se limitado a considerar o planeta como maléfico.

2º- Saturno , pela regência da 12ª casa, uma das casas consideradas maléficas pela Astrologia Jyotish clássica e que está ocupada pelo signo Mooltrikona de Saturno e a 11ª casa, que é considerada uma das maléficas na Jyotish clássica. Parashara afirma que Saturno é um planeta Maraka para este Ascendente.

 3º- Sol que rege a 6ª casa, uma casa de doença, conflito , dívidas e litígios, etc.  Parashara diz que o Sol é um planeta funcionalmente maléfico. Encontrámos porém algumas opiniões que o classificam como neutro porque, se estiver forte, o Sol pode ajudar a vencer os inimigos e problemas  representados pela 6ª casa. Mas a maioria das opiniões aceitam o seu caráter maléfico funcional.

4º- Mercúrio. Rege a e a casas, duas casas kendra e, atendendo a que a sua natureza é de benéfico natural, a sua ação depende muito das associações que forma e da sua colocação no horóscopo.

Planetas Benéficos e Planetas Maléficos  para o Ascendente Peixes segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish

Esta  abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.

Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.

Para o Ascendente Peixes , são os seguintes os planetas funcionais maléficos:

 Sol, Vénus,Saturno  Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). Vénus  tem o seu signo Mooltrikona na 8ª casa razão pela qual é  classificado como funcionalmente maléfico para este Ascendente. O Sol, pela regência da 6ª casa,  é considerado funcionalmente maléfico. Vénus, pela regência  da 8ª casa ,é considerado a influência mais maléfica para este Ascendente.

Para o Ascendente Peixes são os seguintes os planetas funcionais benéficos:

Lua, Marte, Mercúrio, Júpiter.  Marte pela regência da 2ª casa que é ocupada pelo seu signo Mooltrikona , e não havendo signo Mooltrikona na 4ª casa,  torna-se a influência mais benéfica.

Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando  ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.  Observam-se divergências entre a classificação de V.K. Choudhry e a Astrologia Jyotish tradicional. Isto lembra-nos que a Astrologia, como outros saberes, não tem um caráter absoluto, baseia-se em hipóteses que são confrontadas com os resultados das previsões efetuadas. E estes parecem mostrar que as previsões que seguem  a abordagem sistemática são mais rigorosas e menos suscetíveis de erros do que as que seguem as hipóteses por vezes contraditórias e com lacunas dos textos antigos.

Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam  e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas  funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos  trazem obstruções, conflitos, doença,  perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Aquário

aqua

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.

O Ascendente Aquário  tem  regência de Saturno um planeta que também rege a 12ª casa, o que  o torna algo ambivalente quanto aos resultados. A 12ª casa é uma casa de perda, e a 1ª é a casa da vitalidade, da saúde e energia de vida, do sucesso em geral, etc. Quando o regente da 1ª casa também rege a 12ª situação que só ocorre com este Ascendente, são de esperar resultados por vezes mistos em várias áreas de vida. Saturno lentifica os processos e causa demoras e obstruções. É verdade que  o seu signo Mooltrikona se encontra na 1ª casa e os seus significados são dominantes em relação aos da 2ª casa, no entanto, é de esperar um temperamento mais reservado, a necessidade de um certo isolamento mental e emocional nestas pessoas, bem como fracas reservas de energia física para desempenharem trefas exigentes no plano físico.

 Planetas Benéficos  e/ou Neutros para o  signo Ascendente Aquário – Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- Vénus é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 9ª casa , a melhor casa trikona. É também o regente da casa, o que o torna um planeta yogakaraka. O signo Mooltrikona encontra-se colocado na 9ª casa, retirando impacto ao  facto de Vénus ser um planeta benéfico natural a reger uma casa kendra.

2º- Saturno. Rege a 1ª e a 12ª casas.  O regente do Ascendente é, tradicionalmente, considerado benéfico, tanto mais que o seu signo Mooltrikona ocupa a 1ª casa. Tratando-se de um planeta maléfico natural, no entanto, Saturno como regente da 1ª casa obriga  a uma vida com restrições de algum tipo, situação que necessita de conhecer o estado do planeta no horóscopo e a sua força. Mas Saturno anuncia um «destino» em que o cumprimento de algum dever e/ou responsabilidade desempenharão algum papel principal.

3º- Mercúrio.  Mercúrio rege a 5ª casa, uma casa benéfica mas também rege a 8ª, ocupada pelo seu signo Mooltrikona. Parashara, na obra Brihat  Hora Sastra considera   que Mercúrio dá resultados de acordo com as associações, pese alguma falta de clareza na expressão. Mas Parashara é claro  quando diz que os planetas auspiciosos para este Ascendente são Vénus  em primeiro lugar e depois Saturno. Hoje em dia os astrólogos da Jyotish  também não concordam todos com a classificação de Mercúrio como um planeta benéfico funcional, por isso muitos classificam-no como neutro, afirmando que só as configurações do planeta no horóscopo, a sua colocação e aspetos é que decidem se os seus efeitos são maléficos ou benéficos. Na verdade, Mercúrio, como regente da 8ª pode trazer obstruções frequentes e problemas de saúde para o nativo.

4º-O Sol. Rege a 7ª casa que é também uma casa Marakha pelo que alguns astrólogos classificam o Sol  como Maléfico. Parashara refere-se ao Sol como «assassino», isto é, um planeta maraka para este Ascendente. Mas não o inclui no rol dos planetas maléficos, pois indica claramente que estes são Júpiter, a Lua e Mercúrio. A classificação mais frequente é  como planeta neutro.

Planetas Maléficos para o Signo Ascendente  Aquário- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- Júpiter , pela regência da 11ª casa, uma das casas consideradas maléficas pela Astrologia Jyotish clássica. Esta casa é ocupada pelo signo Mooltrikona de Júpiter , que também rege a 2ª casa. Parashara afirma que Júpiter é um planeta Maraka para este Ascendente. No entanto Júpiter pode dar excelentes resultados no plano material, se for forte e estiver bem colocado.

2º- A Lua  rege a 6ª casa  e aqui as opiniões convergem em considerá-la maléfica. Fic apor explicar, em nosso entender, porque é que há-de ser a segunda na hierarquia dos maléficos funcionais.

3º- Marte que rege a 3ª e a 10ª casas e tem o seu signo Mooltrikona  Carneiro na 3ª casa. Parashara diz que Marte é um planeta Maraka. No conjunto, esta classificação também nos suscita muitas dúvidas porque, tendo uma correspondência com a 3ª casa que rege, Marte pode dar grande capacidade e iniciativa, coragem e empreendedorismo aos nativos com este Ascendente se estiver bem colocado  e permitir-lhes conquistar uma boa ascensão social e profissional.

Planetas Benéficos e Planetas Maléficos  para o Ascendente Aquário segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish

Esta  abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.

Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.

Para o Ascendente Aquário , são os seguintes os planetas funcionais maléficos:

 Lua, Mercúrio,  Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A razão pela qual o regente da 12ª  casa , Saturno, não é  considerado funcional maléfico deve-se ao facto de o signo que ocupa essa casa não ser um  signo Mooltrikona, e, desse modo, saturno  não é classificado como funcionalmente maléfico. Mercúrio  tem o seu signo Mooltrikona na 8ª casa razão pela qual é  classificado como funcionalmente maléfico para este Ascendente. A  Lua, pela regência da 6ª casa,  é considerada funcionalmente maléfica. Mercúrio, pela regência  da 8ª casa é considerado a influência mais maléfica para este Ascendente.

Para o Ascendente Aquário são os seguintes os planetas funcionais benéficos:

Sol, Marte,Júpiter,  Vénus e Saturno.  Vénus, pela regência da 9ª casa que é também ocupada pelo seu signo Mooltrikona torna-se a influência mais benéfica.

Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando  ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.  Observam-se divergências entre a classificação de V.K. Choudhry e a Astrologia Jyotish tradicional. Isto lembra-nos que a Astrologia, como outros saberes, não tem um caráter absoluto, baseia-se em hipóteses que são confrontadas com os resultados das previsões efetuadas. E estes parecem mostrar que as previsões que seguem  a abordagem sistemática são mais rigorosas e menos suscetíveis de erros do que as que seguem as hipóteses por vezes contraditórias e com lacunas dos textos antigos.

Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam  e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas  funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos  trazem obstruções, conflitos, doença,  perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Sagitário

acs

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.

O Ascendente Sagitário  tem  regência deJúpiter , que também rege a 4ª casa.  Trata-se de um planeta benéfico natural a reger duas casas kendra pelo que as opiniões dividem-se na sua classificação, devido à regra segundo a qual um planeta benéfico natural  quando rege uma casa kendra perde o seu caráter benéfico, tornando-se maléfico. Por outro lado, temos também outra regra na Jyotish tradicional segundo a qual  o regente do Ascendente não pode produzir resultados maléficos. Além do mais, a 1ª casa é simultaneamente kendra e trikona e os regentes das  casas trikona são sempre considerados benéficos. Assim, encontramos astrólogos que consideram Júpiter neutro para este planeta e outros que o consideram benéfico.Parashara considera Júpiter como neutro.

Planetas Benéficos  e/ou Neutros para o  signo Ascendente Sagitário- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

 1º- O Sol. Apesar de alguns atribuírem o «pódio» a Marte, devido à regência da 5ª casa, preferimos a opinião dos que consideram o Sol  o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 9ª casa , ocupada pelo seu signo Mooltrikona e a mais forte  das casas trinas.

2º- Marte. Rege a 5ª e a 12ª casas. Apesar de a 12ª casa ser considerada maléfica, Marte tem o seu signo Mooltrikona na 5ª casa e, por isso, os significados desta prevalecem. Se o planeta for forte, protege contra as perdas , excesso de despesas etc, representadas pela 12ª casa.

3º- Júpiter.  Rege o Ascendente, ocupado pelo seu signo Mooltrikona e, por essa razão, muitos astrólogos consideram-no um planeta temporalmente benéfico. Porém, trata-se de um planeta benéfico natural e a 1ª casa e a 4ª casa são ambas casas kendra, o que leva muitos astrólogos, na sequência do  antigo mestre Parashara, a classificá-lo como neutro .

4º-  Mercúrio. As opiniões dividem-se  na classificação funcional de Mercúrio: encontramos os que o consideram benéfico, devido à regência da 10ª casa, ocupada pelo seu signo Mooltrikona, os que o consideram maléfico, devido à regência da 7ª casa, uma casa Maraka (capaz de infligir a morte ao nativo)  e os que ficam pelo meio termo, classificando-o como neutro, isto é, os que «aguardam para ver»: consideram que os resultados de Mercúrio dependem da sua força no horóscopo, nomeadamente da sua colocação e dos aspetos que recebe- se for forte e estiver bem colocado, é considerado benéfico funcional; caso contrário, considera-se maléfico funcional.

5º- A Lua- apesar da regência da 8ª casa, a Lua aparece classificada como neutra. Na obra fundadora da Jyotish, de Parashara, não há referência à Lua para este Ascendente mas é referido que só há um planeta funcional maléfico para este Ascendente e esse é Vénus. Mas, ao classificar a Lua como neutra, à partida já sabemos que o seu caráter benéfico ou maléfico depende da sua força , colocação e aspetos recebidos: será considerada benéfica se receber bons aspetos ou se estiver bem colocada; pelo contrário será considerada maléfica se estiver fraca , mal colocada e/ou receber maus aspetos.

Planetas Maléficos para o Signo Ascendente  Sagitário – Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- Vénus. Rege  a 6ª casa, a casa das dívidas, dos conflitos e da doença e também a 11ª casa, conotada com o surgimento de desejos que podem ter origem no egoísmo do nativo .Na Astrologia Jyotish clássica, estas duas casas do horóscopo são consideradas maléficas, existindo a ideia geral de que os seus regentes são maléficos. Porém, tendo o seu signo Mooltrikona na 11ª casa, Vénus pode trazer muitos ganhos , um excelente círculo social com amigos influentes que beneficiarão o nativo e a realização dos seus desejos, se for forte no horóscopo.

2º-  Saturno. É o regente da 2ª e da 3ª casas, sendo simultaneamente o significador geral da longevidade. Assim, Parashara refere-se a Saturno como «um assassino» pois  a 2ª casa é  considerada Maraka, sendo aconselhável cuidados redobrados com a saúde durante os  subperíodos /trânsitos do planeta pelas posições  significativas do horóscopo.

Planetas Benéficos e Planetas Maléficos para o Ascendente Sagitário segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish

Esta  abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.

Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.

Para o Ascendente Sagitário , são os seguintes os planetas funcionais maléficos:

A Lua,  Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A razão pela qual os regentes da 6ª e 12ª  casas não são considerados funcionais maléficos deve-se ao facto de os signos que ocupam essas casas não serem signos Mooltrikona.

Para  o Ascendente Sagitário  são os seguintes os planetas funcionais benéficos:

Sol, Marte, Mercúrio, Júpiter, Vénus e Saturno. Para este Ascendente não existe um signo Mooltrikona na 4ª casa nem na 2ª pelo que  a influência mais benéfica é representada pelo regente da 9ª casa, que é o Sol. Quando este planeta é forte dá excelentes resultados na vida, tanto no material  como afetivo e social. Quando pelo contrário este planeta está fraco ou aflito no horóscopo, gera perda de riqueza e problemas nas várias áreas de vida.  Por outro lado, a influência mais maléfica do horóscopo é a da Lua, regente da 8ª casa do horóscopo. Neste sistema, a Lua tem o seu signo Mooltrikona no signo de Caranguejo. O  período dasha e subperíodos da Lua podem ser muito desafiadores na vida dos nativos, trazendo reviravoltas e perdas substanciais.

Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando  ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.

Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam  e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas  funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos  trazem obstruções, conflitos, doença,  perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

 

 

 

 

 

 

Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Escorpião

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
O Ascendente Escorpião tem regência de Marte, um planeta que também rege a 6ª casa, encontrando-se por isso algumas divergências na sua classificação para este Ascendente. De qualquer modo, Marte pode trazer muitas lutas para a vida nos nativos embora dê também coragem e determinação para vencer os obstáculos. A caracterização da natureza funcional dos planetas é o primeiro passo para fazer previsões acerca dos efeitos de um planeta no horóscopo, tanto durante o seu período dasha e nos subperíodos, como quando, em trânsito, os planetas formam conjunção ou aspeto próximo com as posições natais.
 Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Escorpião – Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- A Lua é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 9ª casa , uma casa auspiciosa e associada à sorte. Os resultados da Lua dependem, no entanto, da sua força, nomeadamente da fase em que se encontrava no momento do nascimento. A Lua brilhante é essencial para tornar visíveis esses resultados que serão modestos se estiver minguante no nascimento.
2º- Júpiter. Rege a 5ª e a 2ª casas. Quando está forte e bem colocado, Júpiter pode trazer muita riqueza para estes nativos. O seu signo Mooltrikona encontra-se na 2ª casa, da riqueza e do status, do desenvolvimento de competências, recursos e conhecimentos e confere inteligência e capacidades de intuição.
3º- O Sol. Apesar de alguns astrólogos o considerarem neutro, em geral é considerado um benéfico temporal pois rege uma casa kendra, a 10ª. O Sol é um planeta naturalmente maléfico e, como tal, ao reger uma casa kendra tende a produzir bons resultados. Quando está forte dá visibilidade à pessoa, nome e fama, embora possa também produzir a necessidade compulsiva para estar no centro das atenções.
4º-Marte. Rege a 1ª casa. A Astrologia Jyotish considera que o regente do Ascendente não pode ser maléfico mas a verdade é que a regência da 6ª casa pode trazer o envolvimento do nativo em lutas, conflitos, oposições, inimizades, etc. Parashara considera-o um planeta neutro, sendo necessário ver como está disposto no horóscopo, a sua força e aspetos recebidos, etc, antes de pronunciar um juízo definitivo sobre a sua natureza funcional num determinado horóscopo. Apesar de termos encontrado alguns astrólogos que consideram Marte um planeta benéfico para este Ascendente, parece-nos que dificilmente a experiência da ação do planeta pode considerar-se como tal.
Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Escorpião- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Mercúrio, pela regência da 8ª casa, a casa das obstruções, da doença e das perdas e também da 11ª, conotada com a realização de desejos que podem ter origem no egoísmo do nativo. Na Astrologia Jyotish clássica, estas duas casas do horóscopo são consideradas maléficas, a 8ª por razões óbvias e a 11ª por causa da relação que tem com os desejos que podem ser de caráter egoísta, para além de, na correlação das casas do horóscopo, a 11ª casa ser a 6ª a partir da 6ª, tendendo a produzir resultados semelhantes. O signo Mootrikona de Mercúrio, no entanto, ocupa a 11ª casa e não a 8ª, pelo que os significados da 11ª casa prevalecem sobre os da 8ª. Se estiver forte, Mercúrio pode trazer resultado positivos relacionados com a inteligente utilização dos amigos influentes e do círculo social.
2º- Vénus, que rege a 7ª e a 12ª casas e tem o seu signo Mooltrikona Balança na 12ª casa, pelo que pode trazer situações de perda relacionadas com as parcerias pessoais ou com o cônjuge. Trata-se de um planeta benéfico natural a reger uma casa kendra- a 7ª- pelo que, pelas regras clássicas, perde o caráter benévolo mas a 12ª casa é o fator realmente decisivo para a sua classificação.
3º- Saturno .Este é um dos casos que não nos parecem muito lógicos: segundo as regras clássicas, um planeta natural maléfico dá bons resultados quando rege uma casa kendra. Saturno tem o seu signo mooltrikona numa casa kendra, a 4ª mas é considerado maléfico pela regência da 3ª casa, uma casa upachaya ( de crescimento) onde os planetas maléficos também dão bons resultados com o tempo. A única razão que encontramos para esta classificação deve-se ao facto de Saturno ser o significador natural da longevidade e a 3ª casa, porque é a 8ª a partir da 8ª, é uma casa conotada com a morte , com a doença etc. e Saturno reforça esses significados. Mas, na prática, Saturno pode dar boas capacidades para vencer através da iniciativa , da perseverança e do esforço pessoal.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos para o Ascendente Escorpião segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish 
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.
Para o Ascendente Escorpião , são os seguintes os planetas funcionais maléficos: 
Marte, Vénus, Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A razão pela qual o regente da 8ª casa não é considerado funcional maléfico deve-se ao facto de o signo que ocupa essa casa não ser um signo Mooltrikona, isentando, desse modo, Mercúrio de ser classificado como funcionalmente maléfico. Marte tem o seu signo Mooltrikona na 6ª casa e Vénus tem o seu signo Mooltrikona na 12ªcasa, razão pela qual são classificados como funcionalmente maléficos para este Ascendente.
Para o Ascendente Escorpião são os seguintes os planetas funcionais benéficos: 
Sol, Lua, Mercúrio, Júpiter e Saturno. Saturno, pela regência da 4ª casa que é também ocupada pelo seu signo Mooltrikona torna-se o mais benéfico potencialmente, pois é preciso analisar a sua força no horóscopo.
Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições de nascimento em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros Para o Ascendente Balança

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
O Ascendente Balança tem regência de Vénus um planeta que também rege a 8ª casa, encontrando-se por isso algumas divergências na sua caracterização. Esta caracterização da natureza funcional dos planetas é o primeiro passo para fazer previsões acerca dos efeitos de um planeta no horóscopo, seja durante o seu período dasha ou subperíodos, seja quando, por trânsito, os planetas formam uma conjunção ou um aspeto próximo com as posições de nascimento.
 Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Balança- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Saturno é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 5ª casa , ocupada pelo seu signo Mooltrikona. Ao reger a 4ª casa, cumpre os requisitos para ser considerado um planeta yogakaraka, isto é, um planeta que é capaz de atrair riqueza, poder e status para o nativo (desde que seja forte no horóscopo e não esteja aflito). Saturno é um planeta naturalmente maléfico mas, ao reger uma casa kendra, perde esse caráter. A colocação de Saturno numa casa kendra ou trikona pode trazer grandes benefícios. Mas, caso esteja aflito ou colocado numa casa maléfica, os seus resultados tendem a ser maléficos.
2º- Mercúrio. Rege a 9ª e a 12ª casas, a casa trikona mais forte- a 9ª- e a 12ª que não é uma boa casa. Convém, no entanto, referir que a ação de Mercúrio depende muito da sua força no horóscopo. Se estiver combusto devido a excessiva proximidade do Sol ou aflito de algum modo, a volatilidade de Mercúrio, cuja natureza é mutável devido ao movimento muito rápido e ao facto de, por essa razão, ficar muitas vezes enfraquecido pelos trânsitos de planetas funcionais maléficos.
3º- Vénus. Rege o Ascendente, ocupado pelo seu signo Mooltrikona e, por essa razão, muitos astrólogos consideram-na um planeta temporalmente benéfico. Porém, também rege a 8ª casa e, por isso, outros classificam-na como neutra pois consideram que os seus resultados dependem muito da sua força e dos aspetos que recebe.
4º- A Lua. A maioria dos astrólogos classifica a Lua como um planeta neutro, tendo em conta que a 10ª casa rege a carreira e que a Lua , sendo extremamente mutável, devido ao movimento muito rápido, sofre frequentemente o efeito de influências maléficas por trânsito, causando mudanças e instabilidade no plano profissional. Porém, se a Lua estava na fase brilhante, no momento do nascimento, pode trazer fama, nome e reputação ao nativo, acompanhados de popularidade e influência junto do público.
Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Balança – Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Júpiter. Rege a 6ª casa, a casa das dívidas, conflitos e da doença e também da 3ª, conotada com o surgimento de desejos que podem ter origem no egoísmo do nativo e também com a longevidade (ou falta dela). Na Astrologia Jyotish clássica, estas duas casas do horóscopo são consideradas maléficas, a 6ª por razões óbvias e a 3ª por causa da relação que tem com os desejos que podem ser de caráter egoísta e pela relação que tem, devido à correspondência de casas, com a matéria da longevidade e da morte.
2º- O Sol, que rege a 11ª casa , uma das casas com «má fama» na Jyotish clássica, pelo critério da correlação de casas, uma vez que a 11ª é a 6ª casa a partir da 6ª, considerando-se que dá resultados idênticos aos da 6ª casa. Este não é, no entanto, um critério absoluto e o Sol forte pode trazer excelentes resultados para o nativo, tanto no que se refere aos ganhos e rendimentos como à ajuda de amigos influentes.
3º- Marte é o regente da 2ª e da 7ª casas duas casas maraka (isto é, que podem infligir a morte ao nativo) e, por esse facto, é considerado funcionalmente maléfico. O período dasha de Marte e os seus subperíodos em outros dashas, bem como os trânsitos do planeta pelas posições natais podem trazer perigo de vida para a pessoa se Marte não receber influências benéficas, devendo o nativo ser cuidadoso com a saúde nessas alturas.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos para o Ascendente Balança segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish 
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.
 
Para o Ascendente Balança , são os seguintes os planetas funcionais maléficos: 
Mercúrio, Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A razão pela qual os regentes da 6ª e 8ª casas não são considerados funcionais maléficos deve-se ao facto de os signos que ocupam essas casas não serem signos Mooltrikona.
Para o Ascendente Balança são os seguintes os planetas funcionais benéficos: 
Sol, Lua, Marte, Júpiter, Vénus e Saturno. Para este Ascendente não existe um signo Mooltrikona na 4ª casa nem na 2ª nem na 9ª pelo que a influência mais benéfica é representada pelo regente da 3ª casa, que é Júpiter. Quando este planeta é forte dá excelentes resultados na vida, tanto no material como afetivo e social. Quando pelo contrário este planeta está fraco ou aflito no horóscopo, gera perda de riqueza e problemas nas várias áreas de vida.
Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Virgem

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
O Ascendente Virgem  tem regência de Mercúrio um planeta que tem muita volatilidade porque se move rapidamente e porque, devido à sua proximidade em relação ao Sol, está muitas vezes combusto. A combustão é um dos maiores motivos de fraqueza dos planetas e tem a ver com a distância em graus do planeta em relação ao Sol. Cada planeta é considerado combusto numa distância que difere de planeta para planeta em relação ao Sol. No caso de Mercúrio, este é considerado combusto quando a sua longitude é de 0 a 14 º em relação à posição do Sol, para ambos os lados. Quanto mais próximo está em relação à posição do Sol, mais fraco é o planeta. Isto sucede porque os raios solares sobrepõem-se à energia do planeta e este perde por isso grande parte das suas características essenciais positivas. Devido à proximidade entre Mercúrio e o Sol, muitas pessoas nascem com o planeta em estado de combustão .Quando o Sol é um planeta funcional benéfico, não prejudica os significados dos planetas quando forma conjunção com eles. (estes são vulneráveis apenas quando sofrem o trânsito de algum planeta funcional maléfico. Infelizmente, o Sol para este Ascendente não é um planeta funcional benéfico, nem segundo as regras clássicas da Jyotish nem segundo a abordagem sistémica, pelo que a boa colocação de Mercúrio no horóscopo, bem como a sua força e aspetos recebidos, são determinantes para estes nativos. A associação de Mercúrio com Vénus, por exemplo, protege todas as áreas de vida do nativo, se ambos forem fortes e não estiverem aflitos.
Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Virgem- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Mercúrio. Rege a 1ª e a 10ª casas, duas casas kendra (a 1ª é considerada kendra e trikona). A classificação de Mercúrio como benéfico funcional para este Ascendente não é pacífica, pois trata-se de um planeta natural benéfico e, segundo a regra, os planetas naturais benéficos quando regem casas kendra (as casas angulares- 1ª, 4ª, 7ª e 10ª) tornam-se maléficos nos resultados. Porém, Mercúrio fica exaltado em Virgem e, se estiver bem colocado, se for forte e se receber bons aspetos, pode trazer sucesso e uma carreira com grande visibilidade para o nativo. Mas, lá está: se estiver fraco ou se estiver colocado numa casa maléfica, retira brilho e visibilidade à existência do nativo. A nosso ver, seria por isso mais lógico classificá-lo como neutro, pelo menos até determinar a sua força no horóscopo.
2º- Vénus é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 9ª casa ,porém, o seu signo Mooltrikona ocupa a 2ª casa, com má fama por ser uma casa marakha (capaz de infligir a morte ao nativo) . Assim, a Jyotish clássica atribui a Vénus um caráter benéfico mas com algumas reticências, considerando que, durante o período dasha do planeta é preciso vigiar a saúde. Porém, tem sido observado que, quando Vénus é forte, dá muitos recursos ao nativo , trazendo riqueza, conforto, beleza, etc., para a sua vida.
3º- Saturno é potencialmente o 3º planeta mais benéfico para este Ascendente, pela regência da 5ª casa do horóscopo. Porém, também rege a maléfica 6ª casa, o que o torna um planeta controversamente considerado como benéfico. No «Brihat Hora Sastra», o livro do Mestre Parashara, não existe referência à classificação de Saturno para este Ascendente, provavelmente porque a obra é fragmentária . Mas, o facto de Saturno ter o seu signo Mooltrikona na 6ª casa torna esta casa predominante nos significados do planeta e, como tal, parece-nos mais correta a classificação de Saturno como planeta neutro pois a sua ação depende muito da sua casa de colocação e do facto de receber ou não o aspeto próximo de um planeta funcional benéfico , como Vénus. Neste último caso, poderia classificar-se como funcional benéfico.
4º-O Sol rege a 12ª casa. Aqui a generalidade das fontes aceita a classificação do Sol como neutro para este Ascendente, apesar de reger uma casa maléfica e de ser também um planeta naturalmente maléfico. Parashara afirma que os seus resultados dependem das associações: se estiver bem colocado por casa e se receber bons aspetos pode ter efeitos benéficos; caso contrário deverá ser considerado maléfico para o Ascendente Virgem
Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Virgem- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Marte, pela regência da 3 ª e da 8ª casas, Marte é considerado o planeta mais maléfico para este Ascendente. O seu signo Mooltrikona ocupa a 8 ª casa . Mercúrio é considerado inimigo de Marte, embora este seja neutro em relação a Mercúrio. Se estiver mal colocado ou se receber maus aspetos, o dahsa e os subperíodos de Marte podem trazer muitas provações para a vida do nativo.
2º- Júpiter, que rege a 4ª e a 7ª casas . A razão pela qual se classifica Júpiter como maléfico deve-se ao facto de ele ser um planeta naturalmente benéfico e a 4ª e a 7ª casas serem ambas casas kendra, pelo que se considera que os resultados do planeta são negativos. Além disso, rege uma casa marakha, a 7ª. Há ainda outra razão para o classificar como maléfico: a 7ª casa é considerada uma casa «Badakha» para o Ascendente Virgem e, na Jyotish clássica, considera-se que o regente da casa Badhakha traz resultados negativos para a vida do nativo. Porém, alguns astrólogos discordam desta classificação e consideram que é mais correto considerar Júpiter como um planeta neutro, o que francamente nos parece mais lógico.
3º- A Lua é regente da 11ª casa e, por esse facto, é considerada funcionalmente maléfica. Como a Astrologia clássica considera que as casas 3ª, 6ª e 11ª são casas maléficas, pela regência desta casa a Lua é classificada como temporalmente maléfica.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos para o Ascendente Virgem segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish 
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.
Para o Ascendente Virgem , são os seguintes os planetas funcionais maléficos:
Sol, Marte, Saturno , Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). Marte é o mais maléfico pela regência da 8ª casa, ocupada pelo seu signo Mooltrikona.
Para o Ascendente Virgem são os seguintes os planetas funcionais benéficos: 
Lua, Mercúrio, Vénus e Júpiter. Júpiter, pela regência da 4ª casa, que é ocupada pelo seu signo Mooltrikona, é potencialmente a influência mais benéfica para este Ascendente.
Esta classificação baseia-se na conceção de que há apenas 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Planetas Benéficos, Neutros e Maléficos para o Ascendente Leão

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Leão- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Marte é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 4ª e a 9ª casas , tendo o seu signo Mooltrikona na 9ª casa, que é a casa trikona mais forte, sendo também a que se refere à sorte do nativo para esta vida. Quando um planeta rege uma casa angular (Kendra), neste caso a 4ª, e também uma casa trikona, neste caso a 9ª, o planeta diz-se um yogakaraka e, sozinho, forma uma assinatura de poder e de riqueza no horóscopo.
2º- Júpiter. Rege a 5ª e a 8ª casas e, apesar de a 8ª casa ser uma casa maléfica, o signo Mooltrikona de Júpiter ocupa a 5ª casa, que é uma casa de sorte também, e auspiciosa, pelo que se considera que prevalecem os significados de Júpiter como regente da 5ª casa. Assim, interpreta-se a ação de Júpiter como fazendo valer os significados positivos da 8ª casa: heranças, ganho súbito de dinheiro, etc.
3º- Sol. É temporalmente benéfico com base na regra que diz que o Regente do Ascendente nunca pode ser maléfico porque ele «superintende» a todos os aspetos da vida da pessoa e é o seu guardião mais básico.
4º-A Lua rege a 12ª casa. É considerada temporalmente neutra, sendo necessário estudar cuidadosamente os seus efeitos no horóscopo, a sua força , aspetos recebidos e lançados etc, antes de determinar se é funcionalmente maléfica ou benéfica.
Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Leão- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Saturno, pela regência da 6ª casa, a casa das dívidas, conflitos e da doença e também da 7ª, uma casa marakha isto é, capaz de produzir a morte do nativo. Esta classificação não é, no entanto, pacífica. Muitos astrólogos consideram que o regente da 11ª casa é o planeta mais maléfico e, por essa razão, colocam Mercúrio «em primeiro lugar no pódio» dos mais maléficos. Porém, se nos lembrarmos de que Saturno é o planeta significador da doença, da morte, de tudo o que causa tristeza e sofrimento, vemos que a sua regência de duas casas que têm afinidade com esses significados reforça-os, pelo que, potencialmente, a ação de Saturno é poderosamente negativa. Acresce também que Saturno é um grande inimigo do Sol, que rege Leão. Por isso, consideramos mais lógica a posição dos astrólogos que o classificam como o mais maléfico para este Ascendente: as suas natureza são opostas- O sol significa a criação da vida, Saturno significa a sua destruição.
2º- Mercúrio, que rege a 2ª e a 11ª casas e tem o seu signo Mooltrikona Virgem na 2ª casa, uma casa marakha, (capaz de infligir a morte). Parece-nos no entanto muito contraditória esta classificação, pois vejamos: a 2ª casa significa o discurso, a família, o falar verdade, as competências que desenvolvemos para vencer na vida, etc.. E a 11ª casa simboliza a realização dos desejos e ambições, as interações sociais e as amizades. A consideração de que Mercúrio é um planeta temporalmente maléfico para este Ascendente porque a 2ª casa é uma casa cujo regente pode infligir a morte, nos seus períodos e subperíodos parece-nos fraca.
3º- Vénus regente da 3ª e da 10ª casas e, por esse facto, é considerado funcionalmente maléfico. Como a Astrologia clássica considera que as casas 3ª, 6ª e 11ª são casas maléficas, e porque Vénus é um planeta naturalmente benéfico, ao reger uma casa kendra- a 10ª- perde, segundo a tradição , esse caráter benéfico. Porém, o que se observa em muitas natividades, quando Vénus é forte, é que dá talentos artísticos ao nativo e a capacidade de atingir a fama e obter nome e reputação, para este Ascendente, pelo que também não nos parece uma classificação coerente à luz dos resultados que produz na vida dos nativos.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos para o Ascendente Leão segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish 
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª. 
Para o Ascendente Leão, são os seguintes os planetas funcionais maléficos:
Lua, Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A Lua rege a 12ª casa e, neste sistema, ao contrário do que acontece na Astrologia Jyotish tradicional,  Caranguejo e não Touro, é o signo Mooltrikona da Lua. O autor baseia-se no facto de que, em relação a todos os outros planetas, o signo Mooltrikona tem regência do próprio planeta: no caso dos planetas que regem 2 signos , o signo Mooltrikona corresponde a um desses dois; no caso do Sol, que rege apenas um signo, Leão, este é simultaneamente considerado «próprio signo» e «signo Mooltrikona». Ora, a Lua é o único planeta em que o signo Mooltrikona tinha regência de outro planeta , segundo a tradição, e sem justificação, o que não é muito lógico dado que o signo Mooltrikona de um planeta é aquele onde este tem mais força e atua mais em conformidade com a sua natureza mais forte. Assim, deverá ser o próprio planeta a regê-lo e não outro. Choudhry corrigiu assim uma das contradições da tradição da Jyotish, a nosso ver de forma fundamentada.
Para o Ascendente Leão são os seguintes os planetas funcionais benéficos: 
Sol, Marte, Mercúrio, Júpiter, Vénus e Saturno. Mercúrio, pela regência da 2ª casa que é também uma casa Mooltrikona, é o mais benéfico potencialmente, (pois é preciso analisar a sua força no horóscopo) porque a 4ª casa do horóscopo não é ocupada por um signo Mooltrikona. Quando isso sucede, o regente da 2ª casa, desde que ocupada por um signo Mooltrikona , é considerada a influência mais benéfica.
Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo. Para este Ascendente, não há signos Mooltrikona a ocupar as casas maléficas e isso significa que, potencialmente, se os regentes dessas casas forem fortes, e estiverem bem colocados e não aflitos; se do mesmo modo essas casas não tiverem aflições nos seu ponto mais efetivo, os seus significados mais positivos não serão destruídos.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Planetas Benéficos , Maléficos e Neutros para o Ascendente Caranguejo

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
Conhecer os planetas mais benéficos ou mais maléficos para cada signo Ascendente é importante porque nos ajuda a prever os efeitos dos períodos dasha e dos seus subperíodos. Com efeito, a Astrologia Jyotish considera que, ao longo da nossa vida e por um número diferenciado de anos, cada planeta é o «regente principal» da nossa carta astrológica. E é nesses períodos principais ou nos seus subperíodos que os significados gerais e específicos dos planetas em causa se fazem sentir na nossa vida. Por exemplo, o período principal de Vénus dura 20 anos. Se Vénus for um planeta funcional benéfico para o nosso Ascendente, ao longo desse tempo veremos florescer os seus significados gerais e específicos de forma positiva. Será um tempo para sentirmos a nossa vida decorrer de acordo com os nossos objetivos e desejos: vénus simboliza conforto, luxo, prazer, amor e beleza, etc. e, de acordo com a sua posição no nosso horóscopo e com as casas que rege, adquire ainda outros significados para nós. Todos eles se ativarão durante esse período, em conjugação com os significados dos planetas que operam nos subperíodos desse dasha. Mas, se Vénus for um planeta funcional maléfico para o nosso Ascendente, sofreremos dificuldades e privações durante esses períodos. Assim, sabendo antecipadamente quais são as tendências gerais de cada período da nossa vida – qualquer bom software de Astrologia Jyotish apresenta os cálculos com as datas de todos os períodos dasha e respetivos subperíodos da nossa vida – poderemos tomar algumas medidas que ajudem a reforçar os aspetos positivos e a minorar os negativos.
 
 Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Caranguejo- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
. 1º- Marte, pela regência da 5ª e da 10ª casas, o que o torna um planeta yogakaraka, ou seja, por si só constitui um Rajayoga ou planeta capaz de trazer poder , riqueza e fama.
2º- Júpiter, que rege a 6ª e a 9ª casas . a regência da 6ª casa é má, porém, a abordagem tradicional da Jyotish considera que a regência da 9ª, a casa mais forte do horóscopo, torna Júpiter um planeta temporalmente benéfico para este Ascendente. Porém, no período e nos subperíodos do planeta, serão também experienciados conflitos, excesso de despesas , dívidas, etc. Alguns quantificam Júpiter como sendo 90% benéfico e 10% maléfico para este Ascendente.
3º- A Lua é regente da 1ª casa e, por esse facto, é considerado um planeta benéfico temporal devido à regência do Ascendente.
4º- O Sol ,pela regência da 2ª casa, que é uma casa Maraka, é considerado neutro temporal. No plano do desenvolvimento material e da aquisição de riqueza, se estiver forte, permite acumular muitos bens.
Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Caranguejo- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Saturno. Saturno rege a 7ª e a 8ª casas. E, se é verdade que a 7ª é uma casa kendra e que os planetas maléficos perdem a natureza má quando regem estas casas, a 8ª casa é ocupada pelo signo Mooltrikona de Saturno e, sendo uma casa de morte, reforça o significado de Saturno como planeta maraka, pois a 7ª casa que ele rege é uma casa maraka (capaz de produzir a morte).
2º- Vénus. Rege a 4ª e a 11ª casas. Vénus é um planeta benéfico natural e, ao reger uma casa kendra, perde o caráter benéfico. A 4ª casa é ocupada pelo signo Mooltrikona de Vénus, o que reforça este aspeto. Por outro lado, a 11ª casa é considerada uma das casas de egoísmo e, assim, Vénus é considerado um planeta maléfico temporal.
3º- Mercúrio. Mercúrio rege a 3ª e a 12ª casas, tendo o seu signo Mooltrikona na 3ª casa e é considerado um planeta maléfico temporal devido ao facto de a 3ª casa ser uma das casas relacionadas com os desejos e, por isso, inclinando para a prossecução de objetivos egoístas.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são apenas : a 6ª, a 8ª, a 12ª.
Para o Ascendente Caranguejo, são os seguintes os planetas funcionais maléficos: 
Júpiter , Saturno, Rahu e Ketu . Júpiter é considerado funcional maléfico porque o seu signo Mooltrikona ocupa a 6ª casa das obstruções , das dívidas, dos conflitos, dos inimigos e das doenças. Saturno é o mais maléfico, devido à regência da 8ª casa, onde está o seu signo Mooltrikona, Aquário.
Para o Ascendente Caranguejo são os seguintes os planetas funcionais benéficos:
Sol, Lua, Marte, Mercúrio, Vénus. Nesta abordagem Vénus é mesmo considerado o planeta mais benéfico pois o seu signo Mooltrikona ocupa a 4ª casa, considerada estruturante na nossa vida. Vénus pode trazer muitos bens, fama e popularidade a estes nativos, se estiver bem colocado no horóscopo e sem receber aspetos de planetas maléficos funcionais. Para os leitores que se mostrem perplexos pelo facto de, em duas abordagens da Astrologia Jyotish um planeta ser considerado bom, funcionalmente e noutra ser considerado mau (Já lemos a opinião de alguns astrólogos védicos segundo a qual Vénus seria o pior planeta para este Ascendente) pedimos que se lembrem de que, tal como qualquer outro saber, o saber astrológico não é absoluto, estando sujeito a divergências, algumas das quais têm a ver com a definição do que é «bom» ou «mau». É esta a razão pela qual preferimos a abordagem de V. K. Choudhry, em que a consideração de um planeta bom ou mau se refere exclusivamente à regência de casas más pois os seus efeitos trazem efetivamente problemas, perdas, doença, inimigos, etc, para a vida das pessoas. Mas muitos astrólogos classificam um planeta como mau porque ele inclina a pessoa a prosseguir objetivos egoístas. É o caso do planeta Mercúrio, por ex., para este Ascendente. Porém, quando vemos os efeitos de Mercúrio como regente da 3ª casa do horóscopo, percebemos que, se o planeta estiver forte e bem colocado dá inteligência, dons de discurso e de escrita, iniciativa para levar a cabo qualquer empreendimento… e compreendemos que é por uma questão de valores e não por uma razão objetiva, que se classifica o planeta como «mau» para este Ascendente. Consideramos por isso que a abordagem de V. K. Choudhry é melhor porque é fundamentada e objetiva.
Esta classificação baseia-se na conceção de que há apenas 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Planetas Benéficos, Maléficos e Neutros para o Ascendente Gémeos

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
O Ascendente Gémeos  tem regência de Mercúrio um planeta que tem muita volatilidade porque se move rapidamente e porque, devido à sua proximidade em relação ao Sol, está muitas vezes combusto. A combustão é um dos maiores motivos de fraqueza dos planetas e tem a ver com a distância em graus, do planeta em relação ao Sol. Cada planeta é considerado combusto numa longitude diferente em relação ao Sol. No caso de Mercúrio, este é considerado combusto quando a sua longitude é de 0 a 14 º antes ou depois da posição do Sol. Se, por ex., o Sol está colocado a 3º de Caranguejo, Mercúrio estará combusto se estiver colocado até 17º de Caranguejo ou , no signo anterior, se estiver colocado entre 19º e 30 º do signo de Gémeos. Quanto mais próximo está em relação à posição do Sol, mais fraco é o planeta. Isto sucede porque os raios solares sobrepõem-se à energia do planeta e este perde por isso grande parte das suas características essenciais positivas. Devido à proximidade entre Mercúrio e o Sol, muitas pessoas nascem com o planeta em estado de combustão. Ora, isso significa que muitas pessoas com Ascendente Gémeos têm o regente do seu Ascendente fragilizado, o que se torna limitativo pois o regente do Ascendente é um importante fator geral da força do horóscopo.
Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Gémeos- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Vénus é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 5ª casa, ocupada pelo seu signo Mooltrikona. É certo que também rege a 12ª casa, que é  uma casa maléfica mas, como o seu signo Mooltrikona é mais forte, a 12ª casa é considerada neutra e Vénus é classificado como um planeta benéfico.
2º- Mercúrio. Rege a 1ª e a 4ª casas, duas casas kendra (a 1ª é considerada kendra e trikona). A classificação de Mercúrio como benéfico funcional para este Ascendente não é pacífica, pois trata-se de um planeta natural benéfico e, segundo a regra, os planetas naturais benéficos quando regem casas kendra (as casas angulares- 1ª, 4ª, 7ª e 10ª) tornam-se maléficos nos resultados. Deste modo, alguns astrólogos classificam Mercúrio como um planeta neutro para este Ascendente. .Os que o classificam como benéfico argumentam que é o regente do Ascendente e que, por isso, também de acordo com as regras da Jyotish, o regente do Ascendente dá bons resultados. Porém, é preciso que o seu estado no horóscopo seja forte , não combusto e não aflito por aspeto ou por associação com planetas maléficos.
3º- Saturno é potencialmente o 3º planeta mais benéfico para este Ascendente, pela regência da 9ª casa do horóscopo. Porém, também rege a maléfica 8ª casa, o que o torna um planeta controversamente considerado como benéfico. Os astrólogos que o classificam como tal argumentam que se trata do regente da 9ª casa, a casa trikona mais forte e que é ocupada pelo seu signo Mooltrikona, Aquário. Porém, acrescentam que é preciso mais algumas condições para que esta classificação se mantenha: o planeta deve estar colocado numa casa boa e não deve estar fragilizado por aspeto nem associação com planetas funcionais maléficos. Caso esta condição não se verifique, Saturno deverá ser colocado entre os planetas maléficos funcionais para este Ascendente. Considera-se que a capacidade de Saturno para dar resultados positivos, nas condições normais, é de dois terços, contra um terço de resultados negativos. Esta é a razão pela qual alguns astrólogos classificam Saturno como um planeta neutro para o Ascendente Gémeos.
4º-A Lua rege a 2ª casa. É um planeta natural benéfico mas a 2ª casa é uma casa marakha, isto é, capaz de infligir a morte, pelo que a Lua é considerada um planeta neutro para este Ascendente. Há que ver qual a fase da Lua no momento do nascimento pois o caráter benéfico da Lua perde-se quando ela está na fase minguante ou escura. Neste caso tende a produzir resultados maléficos e deve ser classificada como funcional maléfica.
 Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Gémeos- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Marte, pela regência da 6ª casa, a casa das dívidas, dos conflitos e da doença e também da 11ª, conotada com a realização de desejos que podem ter origem no egoísmo do nativo. Na Astrologia Jyotish clássica, estas duas casas do horóscopo são consideradas maléficas, a 6ª por razões óbvias e a 11ª por causa da relação que tem com os desejos que podem ser de caráter egoísta.
2º- Júpiter, que rege a 7ª e a 10ª casas e tem o seu signo Mooltrikona Sagitário, na 7ª casa, uma casa marakha, (capaz de infligir a morte). A razão pela qual se classifica Júpiter como maléfico deve-se ao facto de ele ser um planeta naturalmente benéfico e a 7ª e a 10ª casas são ambas casas kendra, pelo que se considera que os resultados do planeta são negativos. Além disso, rege uma casa marakha, a 7ª. Porém, alguns astrólogos discordam desta classificação e consideram que é mais correto considerar Júpiter como um planeta neutro.
3º- O Sol é regente da 3ª casa e, por esse facto, é considerado funcionalmente maléfico. Como a Astrologia Jyotish clássica considera que as casas 3ª, 6ª e 11ª são casas maléficas, pela regência desta casa o Sol é classificado como temporalmente maléfico. Pensamos que esta classificação é algo bizarra, pois o Sol como regente desta casa impulsiona as iniciativas pessoais e costuma dar muito bons resultados quando está forte e bem colocado.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos segundo V. K Choudhry e Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish 
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª.
Para o Ascendente Gémeos , são os seguintes os planetas funcionais maléficos:
Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A razão pela qual os regentes da 6ª, 8ª e 12ª casas não são considerados funcionais maléficos para este Ascendente deve-se ao facto de os signos que ocupam essas casas não serem signos Mooltrikona. Deste modo, os efeitos das casas maléficas são mais fracos do que acontece com outros Ascendentes, o que compensa em parte a fragilidade a que está sujeito o regente do Ascendente, Mercúrio.
Para o Ascendente Gémeos são os seguintes os planetas funcionais benéficos: 
Sol, Lua, Marte, Mercúrio, Júpiter, Vénus e Saturno. Mercúrio, pela regência da 4ª casa que é também uma casa Mooltrikona, é o mais benéfico potencialmente (pois é preciso analisar a sua força no horóscopo antes de o considerar como tal).
Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Bons e Maus Planetas para o Ascendente Touro

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
Planetas Benéficos para o signo Ascendente Touro- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
O Ascendente Touro não é o mais feliz no que se refere a planetas benéficos, pois os dois maiores naturais  benéficos são funcionais maléficos para este Ascendente. Segundo as regras clássicas,os  planetas benéficos quando regem  casas angulares (Kendra)- 1, 4, 7, 10- dão resultados negativos, enquanto os planetas maléficos naturais quando regem essas casas dão resultados positivos. As casas angulares são  a base da estrutura da vida dos nativos, e é  necessária alguma agressividade para estes se afirmarem no mundo e enfrentarem os muitos problemas e adversidades que  este  lhes coloca;  considera-se assim que a energia suave e inclinada para o conforto e para os prazeres dos planetas benéficos naturais não é a adequada para se para ser bem sucedido nos aspetos mais dinâmicos da existência.
Para o Ascendente Touro apenas Saturno e o Sol, quando estão fortes e bem colocados, sem receber aspetos de outros planetas funcionais maléficos, podem ser considerados sem reservas planetas benéficos para este Ascendente. Outros dois, Mercúrio e Marte, são objeto de discussão, sobretudo Mercúrio.
1º- Saturno é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 9ª e a 10ª casas, o que faz dele um planeta yogakaraka, sozinho forma um yoga de poder e de riqueza, um Rajayoga.
2º- O Sol. Rege a 4ª casa, uma casa kendra e o Sol é um planeta natural maléfico pelo que dá resultados positivos, perdendo a natureza negativa natural.
3º- Mercúrio é potencialmente o 3º planeta mais benéfico para este Ascendente, pela regência da 5ª casa. Também rege a 2ª casa, que é uma casa Maraka, isto é ,relacionada com a morte. Mas a sua ação, se estiver bem colocado e for forte, pode ser muito positiva no que se refere à aquisição de bens materiais e de riqueza, pois Mercúrio forma uma assinatura específica de riqueza ou Dhana Yoga para este Ascendente. No entanto, vários astrólogos inclinam-se para considerar Mercúrio como um planeta que dá resultados mistos, embora mais bons do que maus, talvez numa percentagem de 2/3 de resultados bons para um terço de resultados maus e que, por essa razão, devia ser considerado neutro. Isto significa que, genericamente, é muito difícil prever os efeitos deste planeta, a menos que ele esteja associado com planetas funcionalmente benéficos e esteja forte e sem aflições no horóscopo.

4º-Marte rege a 7ª e a 12ª casas. É um planeta natural maléfico por isso pode dar bons resultados como regente da 7ª casa, que é uma casa Kendra e, segundo Parasara, o grande mestre da Jyotish que nos deixou os principais fundamentos da «Ciência da Luz», o reger uma casa kendra, os planetas naturais maléficos perdem a natureza maléfica. Porém, o seu signo Mooltrikona está na 12ª casa, a casa das perdas e, por isso, a menos que esteja em aspeto com planetas funcionalmente benéficos , forte e sem aflições, Marte pode ser mais mau do que bom. Esta é a razão pela qual, geralmente, os astrólogos o consideram neutro para este Ascendente.

Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Touro- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica

1º- Júpiter, pela regência da 8ª casa e também da 11ª, conotada com a realização de desejos que podem ter origem no egoísmo do nativo. Apesar de ser um planeta benéfico natural, o seu signo Mooltrikona ocupa a 8ª casa para este Ascendente e a sua ação é essencialmente maléfica, embora, se estiver forte, permita a realização dos seus significados gerais e particulares, mas traz aflições e obstruções de todo o tipo durante os seus períodos e trânsitos.
2º- Vénus, que rege a 1ª e a 6ª casas e tem o seu signo Mooltrikona Balança (Libra), na 6ª casa, uma casa associada a dívidas, conflitos e oposições, doença, etc. Apesar de poder parecer estranho que um planeta benéfico natural como Vénus e regente da 1ª casa possa considerar-se maléfico, a verdade é que, segundo Parasara, quando um planeta benéfico natural rege uma casa kendra perde a sua natureza benéfica e os significados da 6ª casa sobrepõem-se, neste caso , aos da 1ª casa ou Ascendente, porque o signo Mooltrikona de Vénus está a ocupar a 6ª casa.
3º- A Lua rege a 3ª casa e, por esse facto, é considerada funcionalmente maléfica. Mas ,a este respeito, há que ter em conta vários aspetos: o primeiro tem a ver com a fase em que a Lua se encontrava no nascimento, se estava luminosa ou escura pois a Lua brilhante dá uma mente com grandes capacidades para a comunicação, para as atividades comerciais, etc. A Lua numa fase minguante é maléfica e, por essa razão, pode mostrar a pessoa concentrada em desejos incontrolados que a levam a mudar continuamente  de atividade , de modo de pensar ,de atuar, etc.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos  para o Ascendente Touro segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish
Esta abordagem é extraordinariamente simples e rigorososamente respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas: 6ª, 8ª, 12ª.
Para o Ascendente Touro ,são os seguintes os planetas funcionais maléficos: 
Vénus, Júpiter, Marte e Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). Júpiter é o planeta mais maléfico.
Para o Ascendente Touro são os seguintes os planetas funcionais benéficos:
Sol, Lua, Mercúrio, e Saturno. O Sol, pela regência da 4ª casa que é também uma casa Mooltrikona, é o mais benéfico.
Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc.