Passatempo – Somos Feitos um Para o Outro?

Caros Leitores

Aqui em A tua Vida nos Astros sabemos que os relacionamentos são uma área de grande interesse para quem nos lê e queremos  continuar a premiar os nossos leitores e amigos e ao mesmo tempo aumentar  o número de seguidores das nossas páginas. 

Assim, temos para oferecer um Relatório  de Análise da Compatibilidade de Relacionamento (amoroso)  entre duas pessoas.
Este relatório inclui:
a) o estudo do potencial geral de relacionamento em cada  horóscopo individual;
b) o estudo comparativo dos dois horóscopos, incluindo os testes tradicionalment usados na Astrologia Védica,  e uma análise exaustiva de todos os factores relevantes para avaliar o potencial da relação e da sua duração no tempo, com os aspectos mais fortes e os mais problemáticos entre as duas pessoas.

Sortearemos um vencedor para receber este relatório (até aviso em contrário) de cada vez que se verificarem as condições seguintes:

– Os nossos seguidores no Google Friends  ou Google + e na página do Facebook atingirem mais 100 a partir do momento em que o Passatempo tiver início.

Para receber este relatório inteiramente grátis você tem apenas que:

a) Enviar para o mail do blog:
 a.tua.vida.e.os.astros@gmail.com,  uma frase que nos mostre porque é que você é a pessoa indicada para   receber este relatório de oferta, neste momento.
b) Ser um seguidor do Blog (no Google Friends ou Google +)  e fazer “Like” na nossa página no Facebook  

Se não ganhar no primeiro sorteio, pode voltar a tentar pois  imediatamente após o primeiro sorteio entrará em vigor um novo passatempo com as mesmas condições deste (até aviso em contrário).
Boa Sorte!

Jyotish e o Destino nos Relacionamentos- Pai e Filha

O relacionamento entre pais e filhos  é, por variadíssimas razões, simultaneamente uma experiência de grande felicidade e o maior desafio das nossa vidas.  
E como já constatámos  numa relação de casamento num exemplo anterior, pode haver ligações «kármicas» fortes entre as cartas natais de pais e filhos, denotando  uma dinâmica energética complexa, de forte ligação emocional mas também, por vezes, de acentuado conflito. 
Como referido anteriormente, nesta análise dos fatores do destino vamos privilegiar Saturno e os nodos- Rahu e Ketu. São estes que revelam  a existência de laços kármicos entre os indivíduos e os focos específicos  da existência em que se desenrolará   particularmente esse relacionamento.
Vamos ver um exemplo,  relativo à relação entre pai e filha: 
 Analisando as  cartas apreendemos de imediato uma relação muito clara entre os fatores do «destino» de ambos: O Rahu do pai, simbolizando o foco do seu futuro, está na mesma estrela (Nakshatra) onde se encontra o Ketu da filha, o foco do passado que emerge no presente: Isto sucede porque os nodos de ambos estão «invertidos»– o nodo sul de um (Ketu)  está conjunto com o nodo norte do outro (Rahu)e vice-versa.
 O regente da estrela de  Rahu do pai e Ketu da filha é o Sol. Olhando para a carta natal do pai vemos que o Sol rege a 5ª casa, dos filhos e, na carta da filha, rege a 9ª casa, que simboliza o pai. A relação de um e outro enraíza-se no passado e projeta-se no futuro, com uma forte ligação entre ambos, em muitos níveis de influência.
E Saturno?  O Saturno do pai está conjunto com o sol e Mercúrio da filha ; por sua vez, o Saturno da filha está conjunto com o Mercúrio do pai.
Escusado será dizer que, na vida da filha, o pai foi a  fundamental figura de autoridade e de saber, alguém que influenciou permanentemente a sua identidade (o Sol   dela em aspeto com o Saturno dele) de forma duradoura e o seu modo de pensar e  de ver o mundo (Mercúrio) tendo sido uma referência principal ao longo da sua vida (o sol regente da 9ª casa, que também simboliza  a sabedoria, o «professor»).
 
O Mercúrio de ambos está  duplamente conectado nos seus mapas mostrando uma profunda partilha de modos de pensar e de mútua sensação de compreensão: estas duas pessoas  compreendem-se  uma à outra, numa confortante experiência de proximidade mental  e conseguem comunicar e respeitar  mutuamente as suas ideias. 

Já a relação entre os nodos de ambos foi  uma fonte  contínua de  atrito, com os desejos de um a serem contrariados pela oposição do outro: O ketu dele ( casa na carta dele)  cai na 10ªcasa dela onde os seus desejos (Rahu) de  escolha e  expressão  de uma vida social e profissional foram muitas vezes alvo da crítica perfecionista dele, de controlo e de esmagamento.

O  Rahu do pai, conjunto com a Lua e Júpiter na 12ª casa dele deu-lhe um modo de ser ascético e reservado, valores claros de honra e justiça, desejo pelo saber  e valorização do conhecimento.  Isto tudo  conjunto com o  Ketu da filha, na 4ª casa desta, influenciou definitivamente o  «clima» da  existência  dela e a escolha do seu percurso académico, desenhando definitivamente um mapa de valores fundamentais para a sua vida.
Por sua vez, a colocação do regente da 9ª casa na  2ª casa da carta da filha, conjunto com Mercúrio, descreve o pai como alguém que se concentrou na  aquisição de riqueza ( propósito Artha) e  explicita, na sua associação com Mercúrio, planeta do discurso e do pensamento,  o modo  específico de a constituir,  dando-lhe assim  o exemplo  pelo qual se orientaria  também a  expressão dela  a nível profissional e de carreira.
  Os pais são sempre uma referência incontornável  das nossas  vidas.  E quando se unem a nós pelos laços complexos e, por vezes dramáticos do «destino», tornam-se a referência mais básica  de todas as nossas afirmações e negações na vida.

Jyotish e o Karma nos Relacionamentos

Os  relacionamentos são a  área privilegiada em que se desenrola o Karma humano, enraizado nos  desejos e nas emoções   que continuamente o alimentam e constituem.
Nas cartas astrológicas das pessoas que  mantêm relações de íntima proximidade existem muitas vezes ligações kármicas fortes que nos permitem dizer que muitos dos encontros que temos uns com os outros são, em grande medida, «predestinados». 
Cada um de nós parece ser atraído para pessoas   cujos fatores do «destino», nas suas próprias cartasse conjugam  com os nossos num entrelaçar criador de  uma dinâmica   própria que dá origem a  um certo tipo de relacionamento.
Por vezes, quando isso está indicado na nossa própria carta, esses relacionamentos são harmoniosos e causadores de felicidade mútua; outras vezes existem focos de tensão e de conflito que dão origem a  interações difíceis  mas em que  os parceiros envolvidos têm alguma «lição» para  aprender em conjunto. E, pelo menos  durante algum tempo (um trânsito longo, um período ou sub-período dasha)  as pessoas ficarão juntas. Noutros casos, a ligação dura toda a vida.
Nestas interações kármicas tanto encontramos relacionamentos amorosos como relações pais/filhos, irmãos, amigos, marido e mulher e estes são os relacionamentos da nossa vida que mais nos fazem crescer  e evoluir, nas áreas indicadas na nossa carta natal. 
Este tipo de experiências parece funcionar como um importante catalisador  do nosso crescimento  como seres humanos,  melhorando a nossa capacidade de compreender a realidade essencial.
O exemplo que apresentarei a seguir refere-se a duas pessoas que foram casadas durante  40 anos, numa dinâmica  em que os fatores mútuos do destino  se cruzaram, revelando, na sua interacção, um conjunto de áreas das suas vidas que foram, desse modo, conjuntamente ativadas e transformadas.
Dados  do horóscopo feminino: eixo do destino: Rahu em Capricórnio, Ketu em Caranguejo , Rahu na 4ª casa e Ketu na 10ª. Saturno em Aquário  na 5ª casa.  Saturno é o dispositor de Rahu e rege a 4ª e a 5ª casa acentuando desse modo o significado de Rahu. A lua, dispositor de Ketu, rege a 10ª casa.  Rahu é muito forte pois  é o regente do Nakshatra em que se encontra colocado. Saturno rege o Nakshatra onde se encontra Ketu o que reforça os significados do eixo  4ª/10ª casa.
O impacto destes fatores na  vida desta mulher mostrou uma clara tensão envolvida neste eixo pois viveu uma vida de dedicação à família, sem constituir carreira mas a frustração por não desenvolver esse lado da vida teve um preço  grande ao nível da sua felicidade pessoal. 
Dados do horóscopo masculino : Rahu encontra-se na 12ª casa , Ketu está na 6ª. Saturno encontra-se no próprio signo , conjunto com Marte, exaltado e regente do ascendente. Rege a 10ª e a 11ª casas.  Rahu está conjunto com o seu dispositor, Júpiter, que rege a 9ª e a 12ª casas  e com a lua. Mercúrio, dispositor de Keturege a 3ª e a 6ª casas. O regente do Nakshatra onde se encontra Rahu é Saturno o que reforça o poder deste planeta na condução do destino desta pessoa. Ketu está no Nakshatra regido pelo Sol
A presença do Sol, Marte exaltado e Saturno no próprio signo deram a esta pessoa a capacidade e determinação para se «fazer a si próprio» e ser bem sucedido na profissão.   A sua poderosa  10ªcasa  sobrepôs-se à da esposa, ativando o Ketu  colocado na 10º casa dela  e fazendo-a confinar-se  ao espaço  do seu Rahu natal- a 4ª casa do lar,  cumprindo-se assim  um dos  significados simbólicos de Ketu na 10ª casa, de perda de uma vida profissional e de reconhecimento público. 
Olhando para o cruzamento de aspetos entre  ambas as cartas,  encontramos os seguintes interaspetos: O Rahu dele está conjunto com o Sol/Mercúrio dela .  O Rahu dela está conjunto com o Sol dele.  
O Ketu dela está conjunto com Júpiter e Marte dele e o Saturno dela está conjunto com o Vénus dele.
Com indicadores tão poderosos não admira que estas duas pessoas tenham contribuído, ao longo do tempo que passaram juntas, para uma refundação das suas identidades e objetivos de vidaCom o   Ketu  dela associado com diversos planetas dele,(Ketu está  associado à perda material)  ele tornou-se  a personalidade dominante e dominadora nesta relação, ao ponto de a identidade dela se ter confundido muitas vezes com a identidade dele. Mas ela  também ativou os significados do Rahu natal dele na 12ª casa, ajudando-o a descobrir um sentido mais espiritual no conhecimento  de si mesmo e na visão da realidade.
 
 
A  associação entre o Saturno dela e o Vénus dele  criou simultaneamente um sentimento de obrigação e de dever  em relação a ele mas também possibilitou  o desenvolvimento de um sentimento de grande segurança e de confiança-  ele era a pessoa em  quem  ela podia confiar e a única com que sabia que  podia sempre contar.
   

Relacionamentos- o Papel de Júpiter e Saturno

jup

Júpiter e Saturno não são planetas pessoais pelo que a sua ação simbólica se refere à nossa interação com o tempoJúpiter relaciona-nos com o futuro; Saturno lembra-nos que o nosso presente está enraizado no passado e é fruto dele em muitos aspetos.

Júpiter representa a Sabedoria que vai mais além  que a mera compreensão lógica  para se tornar num guia de valores e princípios- religiosos e/ou filosóficos. 

É  o planeta da criatividade, tanto a que  nos impulsiona a gerar um filho como a que  se manifesta nas obras individuais  e artísticas, mas é também  a criatividade interior que se abre ao espírito positivo e à alegria de viver e que nos torna otimistas e capazes de ver o lado bom, generoso e positivo de todas as coisas e de todos os seres.
Qual Gilgamesh do mito sumério que, esmagado pela dor causada pela morte do selvagem  Enkidu, seu amigo, desceu aos abismos, à procura  da planta  da imortalidade para, desse modo, vencer a morte, Júpiter representa a generosidade inerente das forças da vida, a dádiva de si mesmo, a integração do animal e do espiritual, a aceitação das imperfeições humanas e o desejo da sua superação. Ele simboliza a graça divina que pode afastar todos os obstáculos e livrar-nos do mal.  É por isso considerado o «grande benéfico» o planeta da sorte no horóscopo natal.
Saturno possui uma natureza oposta à de Júpiter. Ele significa o passado que nos limita e condiciona, o espírito materializado na matéria. E, enquanto símbolo da matéria,  representa também a limitação desta que é a morte. O espírito que se expande com Júpiter contrai-se e cristaliza-se com Saturno. O destino dos seres materiais é a doença, a dor e todos os tipos de obstáculos que levarão, inevitavelmente tudo o que foi criado, à sua destruição.
Saturno mostra também que o mundo material está sujeito a um conjunto de leis que constituem uma causalidade- karma- e que toda a ação terá uma reação na mesma exata proporção.
Do mesmo modo que o espírito se materializa neste mundo físico,  também está destinado a superá-lo. Assim, este planeta não indica apenas a solidez da materialização, ele também aponta para a sua superação e, por isso,  representa a disciplina, o sentido do dever, a vida do asceta  e do eremita solitário. A morte traz consigo sempre a tristeza  e a solidão mas a vida renova-se incessantemente em novos ciclos.
Mas como na história de Gilgamesh, Saturno parece ter a vitória final. Ou não?
 A verdade é que a vida é um ciclo do qual a morte, como período de transição, é  também uma parte.
Júpiter e Saturno funcionam num par complementar e cíclico em que a vida e a morte se sucedem no grande ciclo cósmico da manifestação.
Na carta natal, Júpiter mostra quais as áreas da nossa vida em que podemos ser tocados pela sorte e pela proteção. Na  análise da compatibilidade  os aspetos de Júpiter para ambos os planetas pessoais dos parceiros – por exemplo o Júpiter de um estar em aspeto com a lua do outro e vice-versa- revelam um nível de entendimento muito profundo entre as pessoas, uma ligação protegida pela sorte e pela «graça divina». Estes aspetos de Júpiter são indicadores de uma grande harmonia na interação. Pelo menos um aspeto harmónico de Júpiter de um parceiro com um dos planetas pessoais do outro é muito desejável.
Os aspetos de  Saturno entre ambos os mapas – sobretudo as ligações entre Sol/Saturno ou Lua/Saturno – podem ser bastante pesados. É claro que  não se devem fazer juízos prévios  sem observar as cartas como um todo.
Os aspetos de Saturno  também podem revelar um grande nível de lealdade entre os parceiros, fidelidade, etc, suscitando um grande sentido de segurança e confiança entre ambos. Mas há sempre algum sentimento de restrição, de obrigação, que está envolvido. 
Júpiter é o afeto generoso , compassivo e gratuito. 
 Saturno é a fidelidade pelo sentimento do dever ou  do respeito pelos princípios que dá e espera a sua recompensa. Ele está aí para lembrar que o  gratuito é uma exceção, para cada ato, gesto ou sentimento há sempre uma compensação.

Compatibilidade – O Fator Idade e o Propósito de Vida

Tenho vindo a falar  da importância da  compatibilidade de energia entre as cartas natais dos parceiros como base essencial de uma relação duradoura.
Mas outros fatores também são importantes e podem sobrepor-se mesmo àqueles que mencionei no último exemplo. Este era um casal muito jovem, com  as normais expectativas  dessa idade em relação ao futuro e à sua relação – filhos, constituição de uma vida sólida em termos financeiros, carreira, dependência emocional mútua, etc. 
Mas e quando os parceiros são mais velhos ou, simplesmente, o seu modo de ser não «encaixa» no modelo tradicional  de relacionamento? Será que, mesmo assim, os fatores básicos de que falámos ainda se aplicam? 
E  há ainda outro fator que é necessário considerar: a Astrologia Jyotish  ensina que a  nossa existência se desenvolve por quatro propósitos de vida,  expressos  nas diversas casas do horóscopo:
 
 «Dharma»-  a vocação , a missão específica pela qual se orienta o desenvolvimento pessoal do self e da nossa identidade; 

«Artha»- a acumulação de recursos, riqueza, desenvolvimento de competências e conhecimentos que permitem  sustentar o nosso modo de vida;

«Kama»– a dimensão do desejo, que nos impulsiona e motiva em todos os nossos empreendimentos e acções, dando-nos coragem e energia para nos exprimirmos no mundo  e na relação com os outros;

 Moksha»- o desejo de salvação, a procura da espiritualidade que nos recorda que não somos meros seres materiais  mas somos também seres espirituais, ansiando pela harmonia interior de todas as nossas energias e pela sintonia entre o que somos e toda a realidade. 

Cada um de nós exprime de modos diferentes estes quatro propósitos,  eles são todos necessários mas, normalmente, um ou dois são preponderantes na nossa vida.
 
Assim, a harmonização entre os propósitos de vida é outro fator importante a considerar nos relacionamentos.
 
Imaginemos uma pessoa que, pelas energias do seu mapa, é levada a prosseguir essencialmente  objetivos «Artha» de procura e acumulação de riqueza.  E esta pessoa relaciona-se com uma outra cujas energias básicas natais a impelem para o propósito «Dharma», relacionado essencialmente com o crescimento e desenvolvimento da sua identidade pessoal. Cada uma cria dinâmicas de acção que, em alguns aspectos podem coincidir mas, em muitos outros, necessariamente irão chocar. O que cada uma quer da vida são coisas diferentes. Os seus caminhos de vida separam-se em muitos aspetos.  
 Ou o caso de uma pessoa que é levada a prosseguir  principalmente objetivos  «Moksha»: provavelmente não haverá qualquer sintonia entre ela e a pessoa que prossegue principalmente «objetivos «artha», que são opostos aos seus. 
O fator idade é outro aspeto fundamental . É  evidente que os planetas pessoais continuam a desenvolver funções importantes na interacção. 
Mas as necessidades e os objetivos de alguém com 45 ou 50 anos são muito diferentes dos de alguém com 25 ou 30.
 O desenvolvimento psicológico e espiritual  dos parceiros é também diferente  nas várias etapas da vida.  O que provocaria uma rotura na relação entre duas pessoas de 25 anos , apesar de existir afeto verdadeiro entre elas, poderia produzir apenas uma crise  superável  e fornecer possibilidades de crescimento mútuo numa relação entre pessoas mais velhas
Existe um potencial de crescimento  humano associado a  diferentes «notas vibratórias» da energia de Vénus, Marte,  Mercúrio e, muito especificamente também  à energia de Júpiter e Saturno que é mais facilmente desenvolvido em etapas da vida em que os parceiros construíram já uma identidade amadurecida e orientada por interesses e valores mais espirituais

E é por isso que a desarmonia entre as energias básicas  dos parceiros anteriormente descritas podem aqui revelar-se  como  menos importantes ou secundárias.