Tema da Semana- Animais como Nós

ani1

Hoje lembramos um dos temas da rubrica  «Reflexão de Fim de Semana»- Animais como Nós- no qual abordámos aspetos do comportamento e inteligência dos animais. Os leitores perdoarão o facto de este tema sair da Astrologia mas  é para nós um assunto importante  e sempre presente, na medida em que partilhamos a nossa existência terrena  também com estes seres  não humanos que coabitam connosco ao longo da nossa vida  e que merecem ter os seus interesses e direitos reconhecidos por todos.  Não muito longe vai o tempo em que a ignorância e o foco exclusivo nos interesses  e direitos dos seres humanos levava à desvalorização das vidas dos  animais que, em tantos aspetos, são tão ou mais generosos que os seres humanos, têm consciência ética que os leva a salvar outros seres sem nada esperar em troca e são também muito inteligentes ,  capazes de resolver problemas, usar ferramentas e, sobretudo, de sentir alegria e tristeza como nós, são capazes da lealdade e do  afeto que pouco seres humanos   conseguem igualar.

Por tudo isso, escrevemos vários artigos sobre a inteligência, bem como os procedimentos científicos que nos ajudam a aferi-la, o comportamento ético  a partir de evidências e testemunhos e outros aspetos do comportamento  dos animais que nos ajudam a ter mais consciência do respeito que estes seres nos devem merecer e que deixamos  aqui para os leitores poderem ler e lembrar que  eles são, afinal, animais como nós.

anim2

Os artigos que  lhe deixamos nesta página  são apenas alguns dos que escrevemos, poderá  encontrar muitos outros neste blog e na mesma rubrica.

Acerca dos direitos dos Animais

Os animais têm sentido ético?

Os animais têm alma ?

Comportamento heróico dos animais

Alex o Papagaio cinzento

Papagaio Kea

O cão, esse magnífico amigo

Magpie Inteligente e brincalhona

O chimpanzé

O elefante

O Golfinho

Um Pássaro Artista

Tema da Semana- Nakshatras

const

Para esta semana escolhemos o tema «Nakshatras». Estes são as constelações do Zodíaco Sideral, que é o pano de fundo no qual se situam os diversos signos do Zodíaco. As constelações consideradas pela Astrologia Jyotish, em número de 27 são, senão o mais antigos sistema de Astrologia , pelo menos um dos mais antigos. Muito antes de se falar dos «signos», entendendo-se por estes os que são ocupados pelo Sol, a Astrologia foi um sistema lunar e o ciclo principal era dado pelo movimento mensal da Lua através dos diversos Nakshatras ou constelações siderais.

A posição da Lua num determinado Nakshatra define a «estrela de nascimento de cada um» e determina em grande parte o destino pessoal. Mas, atendendo a que os elementos mais importantes do horóscopo são o Ascendente, o Sol e a Lua, tal como são hoje estudados pela Astrologia Jyotish moderna, a colocação do Sol e do Ascendente  num determinado Nakshatra , para além da colocação da Lua, lança luz sobre aspetos importantes do destino individual.

Cada um dos Nakshatras tem subdivisões- cada Nakshatra ocupa uma extensão de 13º e 20’- e estes graus subdividem-se, por sua vez, em quatro partes, designadas «padas» sendo que cada pada tem a regência de um determinado signo. Os Nakshatras formam um sistema completo de interpretação que pode ser considerado autónomo e tem relação, entre outras coisas, com os quatro propósitos da existência: Dharma, ou propósito de vida; Artha ou procura de riqueza; Kama ou motivação/desejo: Moksha ou procura da salvação. Tem ainda relação com um tipo de energia específica que é a  energia dos «Gunas» (Satva, Raja, Tama). Ao todo, os 27 Nakshatras podem subdividir-se em três grupos de nove Nakshstras cada um num sistema complexo de que falaremos em outra ocasião.

Por agora queremos chamar a atenção para a importância e o caráter único deste tema da Astrologia Jyotish que, através de toda a simbologia dos Nakshtras, desenvolveu mecanismos de interpretação que não se encontram em outros sistemas astrológicos.

Os Nakshstras são fundamentais para o estudo comparativo de horóscopos para efeitos de determinação da compatibilidade nos relacionamentos. São essenciais para analisar os períodos de vida individuais (dasha e antardasha) ao longo da vida  e sem os quais não é possível fazer previsões  sobre o futuro individual; e são imprescindíveis também para ajudar a compreender o papel dos planetas e o seu potencial para produzir efeitos na vida de cada um; para além disto, os Nakshtatras e as suas divisões em padas têm correspondência com a divisional Navamsha, também conhecida como «a carta da alma» que ajuda a compreender verdadeiro potencial de desenvolvimento de cada  pessoa. Faremos em outra ocasião um estudo mais aprofundado das divisões dos Nakshatras e da relação destas com a Navamsha.

Assim a mera colocação de um planeta num determinado Nakshatra /pada permite-nos alargar a compreensão acerca do modo como esse planeta se comportará na nossa vida e o grau de sucesso que podemos alcançar na área de vida que ele representa.  Em futuros artigos falaremos mais acerca dos Nakshatras. Por hoje, chamamos a atenção do leitor para  conteúdos já disponíveis e que poderá ler neste site.

O leitor pode ler sobre cada um dos Nakshatras consultando o menu do site «Nakshatras».

Poderá ainda ler os seguintes artigos relacionados:

Nakshatras, Regentes e Signos, no formato de uma útil tabela  que pode consultar para o seu estudo das divisões dos Nakshatras e todos os signos que as compõem , bem como os respetivos regentes;

Cartas Divisionais, Dashas e Nakshatras nas Previsões Financeiras, um exemplo que ilustra a aplicação dos Nakshatras nas previsões financeiras;

Considerações Acerca dos Nakshatras, onde se reflete e argumenta acerca da existência de «Nakshatras maléficos», relativizando-se este conceito, tradicionalmente associado à ideia de nascer «sob uma má estrela».

Os Nakshatras e  a Estrela de Nascimento uma apresentação do significado e da importância de nascer com a Lua num determinado Nakshatra.

Tema da Semana- Signos Opostos

dua

Ao longo dos três anos de vida de A Tua Vida nos Astros produzimos um número elevado de artigos. Para ajudar os leitores a tirar o máximo partido dos conteúdos do site,  iniciamos esta rubrica através da qual selecionamos um tema e vários artigos  sobre ele para dar a conhecer de forma mais ativa  aos leitores os seus vários ângulos que foram abordados por nós. 

Para esta semana escolhemos o tema dos signos opostos.  A personalidade humana é complexa, possui uma zona de «claro» e outra de «sombra», como muito bem mostraram os investigadores que mais aprofundaram os mistérios da Psique, Freud, o pai da Psicanálise e Carl Jungo discípulo que  acabou por ultrapassar o mestre.  A atração pelos opostos tem a sua raiz no desejo profundo de nos tornarmos «seres completos» e, por isso, procuramos muitas vezes nos outros o oposto que nos complementa  ou de que temos algum receio mas que, mesmo assim, nos atrai.  Cada signo estabelece uma dinâmica de oposição com o signo contrário e essa oposição revela esse mistério da identidade , que não é uma realidade linear ou simples, mas é antes uma dinâmica  de opostos. É essa dinâmica que explicamos na série de artigos sobre  Signos opostos.

De cada vez que , ao deparar-se com a descrição do signo oposto ao seu, lhe vier à mente «eu não sou nada assim» ou «eu sou exatamente o oposto disto», lembre-se de que na dimensão mais profunda da sua identidade e da sua Psique, você também é ou deverá ser assim pois essa é a única forma de se tornar «um ser completo». Essa é a única forma de encontrar completamente  o «outro que o (a) complementa em si mesmo (a),  deixando de o procurar fora de si. Se assim acontecer, talvez cada um de nós possa  relacionar-se com qualquer outro por aquilo que ele é em si mesmo sem tentar colocá-lo  à força na matriz das suas próprias necessidades. Alguns chamam a essa experiência liberta a experiência de «encontrar»  o outro… não de o possuir nem controlar mas apenas de o encontrar, como transcendência que é, também, respeito e amor incondicional.

Convidamo-lo (a) agora a ler o artigo referente ao seu signo e o seu oposto, esperando que isso lhe possa trazer alguma inspiração e compreensão. Apesar de os artigos seguintes visarem, em primeiro lugar,  o signo Ascendente, os leitores poderão ter também em conta a oposição entre os signos da Lua e do Sol.

Signo Carneiro e Signo Balança—————–Signo Touro e Signo Escorpião————–Signo Gémeos e Signo Sagitário—————– Signo Caranguejo e Signo Capricórnio————-Signo Leão e Signo Aquário——————-Signo Virgem e Signo Peixes.