Trânsito de Rahu e Ketu 2014- Ascendente Touro

fem

Para uma introdução a este trânsito, clique aqui.

Rahu a transitar pelo signo de Virgem levará as pessoas a desenvolver esforços para aperfeiçoar a sua relação com o trabalho e com os ambientes do quotidiano, podendo gerar uma atitude muito crítica sobre estas áreas. Também levará à tomada de consciência da necessidade de mudar maus hábitos alimentares e de estilo de vida, chamando a atenção para a necessidade de viver uma vida mais saudável e diferente dos padrões  maioritariamente aceites – Rahu procura sempre alguma via diferente da que é defendida pelas regras aceites. Haverá uma insistência na organização e nas questões de pormenor e a pessoa quererá aperfeiçoar aquela área de vida correspondente à casa ocupada por Rahu em trânsito. Nessa área, Rahu fará sentir descontentamento e vontade de melhorar ou aperfeiçoar. Os assuntos representados por essa casa serão objeto do interesse, dos desejos ou ambições da pessoa.

Por outro lado, a posição de Ketu no signo de Peixes está em consonância com o lado ascético de Ketu e reforça  o significado de libertação e de desejo de salvação representado por Ketu. A área de vida onde se encontra Ketu em trânsito será objeto de «desligamento» não havendo iniciativas para produzir concretizações dessas áreas na vida material. Pelo contrário, Ketu leva a pessoa a ignorar essa área, que não é por isso objeto de perceção atenta, passando despercebida à consciência imediata, ao mesmo tempo que a pessoa aspira a uma vida mais espiritual, sentindo que aquelas coisas representadas pela casa onde Ketu está localizado não lhe fazem realmente falta pois já as desenvolveu suficientemente.

Assim, são as seguintes as tendências do trânsito de Rahu e Ketu para o Ascendente Touro:

Trânsito de Rahu e Ketu em 2014 para o Ascendente Touro

Rahu transita pela 5ª casa e Ketu transita pela 11ª casa. Para quem tem filhos, este será um período em que a atenção estará focada  neles e em tudo o que lhes  diz respeito. A forma como o nativo exerce o seu papel de pai ou de mãe  será analisada de forma crítica e a pessoa quererá saber o que é que pode melhorar nesta área para ser um pai ou uma mãe melhor . Questões como «o que posso fazer para que o meu filho tenha mais sucesso na escola, seja mais equilibrado, mais criativo, mais independente,» etc.  são agora muito pertinentes. A educação dos filhos será um tema capaz de absorver inteiramente a atenção  destes nativos a tempo inteiro.

Se, por outro lado, o nativo não tem filhos, então a sua própria instrução académica pode tornar-se o grande objetivo/preocupação/interesse do momento: aquele curso que ficou a meio de repente torna-se um ponto fraco intolerável na vida pessoa e ela pensa que quer e que  tem que conseguir terminá-lo;

se a pessoa tem um negócio ou uma carreira que depende largamente das suas capacidades criativas- como sucede nas carreiras artísticas- nesta altura quererá aperfeiçoar  o que faz , tendo uma consciência muito clara daquilo que lhe falta para ela ser excelente nessa área e, deste modo, pode  querer ter aulas de canto, aulas de música, de representação , de dança ,de pintura, frequentar ações de formação na área  de marketing , etc, de modo a poder aperfeiçoar aquelas «pequenas grandes coisas» que separam o talento do génio que a pessoa agora está apostada em atingir.  Porque, neste momento, não lhe chega ser «boa» no que faz, precisa de ser excelente. Ou, em alternativa, poderá finalmente levar a cabo aquele projeto em que tem vindo a pensar há anos mas que nunca concretizou por falta de oportunidade, de recursos, etc. Desta vez agarra o projeto e não há desculpas. Outra coisa importante a considerar é o desejo de originalidade, de fazer algo em que os outros ainda não  pensaram e que esta pessoa apresenta pela primeira vez. Ou então  o desejo de fazer as coisas de modo diferente pois Rahu impele  para quebrar as regras e para  transgredir.

Ketu na 11ª casa , por sua vez, vai levar a pessoa a considerar que há coisas mais importantes do que o dinheiro. Nesta altura  será mais importante melhorar a educação ou aperfeiçoar os talentos naturais do que aumentar os rendimentos e ganhos. A pessoa também vai deixar os amigos e o círculo social habitual em segundo plano pois  pensará que precisa de se focar em si mesma e naquilo que pode melhorar em si , para aperfeiçoar a expressão individual. Por isso, durante este período o convívio com os amigos, com os irmãos mais velhos e  com o círculo social  tende a ser mais espaçado e farão menos coisas juntos. Por agora, estes nativos não estão focados nas atividades sociais que tendem a ser vistas como supérfluas , estando antes concentrados em aumentar as suas competências criativas ,em fazer uso da inteligência, etc. Ganhar dinheiro é menos importante do que aumentar o conhecimento ou aperfeiçoar-se em algum campo criativo. Durante esta altura a pessoa pode até ganhar dinheiro mas não lhe dará uma importância essencial.

Nota: Estes efeitos são gerais e não têm em conta as diferentes configurações do horóscopo de nascimento, como por ex., a existência de outros planetas nas casas em que transitam Rahu e Ketu nem a interação com outros planetas em trânsito.

Efeitos do Trânsito de Júpiter e Saturno em 2014-parte 2

aleg

No  próximo dia 18 de junho Júpiter muda de signo, entrando no seu signo de exaltação, Caranguejo. Essa mudança vai originar uma situação astrológica importante, em que os efeitos do trânsito de Júpiter e Saturno  se vão fazer sentir na nossa vida .Trata-se de um momento assinalável, não apenas porque Júpiter estará, durante um ano, no seu signo e exaltação, dando por isso os seus máximos efeitos positivos, mas também porque, durante alguns meses, até ao início de novembro, o outro planeta complementar, Saturno, um planeta de movimento lento que funciona como gatilho do karma nas nossa vidas, também estará no seu signo de exaltação, Balança, concluindo um período de 2 anos e  meio em trânsito neste signo.

A coincidência de estes planetas estarem ambos, por algum tempo, simultaneamente no signo de exaltação e no grau de máxima exaltação  ao mesmo tempo é raro, tendo acontecido pela última vez no Verão (junho) do ano de 1955. Assim, por algum tempo, tanto Júpiter como Saturno poderão produzir  máximos  efeitos  positivos nas áreas da nossa vida que  vão  influenciam no nosso horóscopo.

Durante este período, será o  planeta Saturno a influenciar Júpiter, lançando-lhe  um aspeto de 10ª casa ;  este aspeto terá a sua máxima expressão durante o mês de outubro, altura em que os dois planetas vão formar um  aspeto  próximo dentro da  orbe de 5º. É verdade que, nessa altura, ambos já se terão afastado  do grau máximo de exaltação mas Saturno  ainda permanecerá perto desse grau (que se situa a 20º de Balança) enquanto Júpiter avança rapidamente ao encontro de Saturno, afastando-se desse ponto que se situa a 5º de Caranguejo. (Mas voltará a ele, posteriormente, quando o seu movimento ficar retrógrado.) Saliente-se que Saturno tem permanecido, por vários meses, perto do seu grau máximo de exaltação, nos 22º de Balança.

Agora, que tipo de influência podemos esperar dos dois planetas?

Efeitos combinados do Trânsito de Júpiter e Saturno

Júpiter significa expansão, dinheiro e riqueza, filhos, o cônjuge masculino, o conhecimento e a espiritualidade, o otimismo nas atitudes, etc..  Saturno, por seu lado significa responsabilidade , deveres, estrutura, disciplina e organização, o dar forma material às ideias e aos projetos, trabalho árduo, etc. Ora, quando Júpiter entrar no signo de Caranguejo, a casa do horóscopo onde estiver Júpiter- e que é diferente para cada signo Ascendente– será ativada por Saturno, embora a influência deste sobre Júpiter só aconteça verdadeiramente quando ambos estiverem numa orbe  entre 5º e 0º de distância- o que vai acontecer durante o mês de Outubro. Mas, antes disso, Saturno vai despoletar experiências relacionadas com a casa do horóscopo ocupada pelo signo de Caranguejo. Saturno é uma espécie de «relógio kármico» que aponta  o momento para determinado tipo de experiências aparecerem na vida da pessoa; e Júpiter fá-las aparecer, neste caso, sob a «autoridade» ou a tónica de Saturno.

Por ex., é típico que os nativos com Júpiter forte no seu horóscopo gostem de gastar dinheiro sem pensar muito nisso. Quando Saturno influencia Júpiter, no entanto, faz com que a pessoa tome consciência da necessidade de disciplinar os gastos, ou racionalizar os seus hábitos nessa matéria, ou escolher melhor as coisas em que gasta o seu dinheiro, etc. Saturno chama a atenção para uma atitude mais realista em relação àquilo que podemos fazer ou ter. O natural otimismo de Júpiter esquece muitas vezes que , sendo verdade que podemos aspirar ao infinito, talvez não seja muito aconselhável gastarmos todos os nossos recursos nisso descurando os nossos deveres e responsabilidades imediatas no aqui e agora.  Uma pessoa que não conhece os seus limites também não conhece as suas reais possibilidades e Saturno chama a atenção para a necessidade de conhecermos e aceitarmos os nosso limites para, dessa forma, tirarmos o máximo partido do que podemos ser e ter. E a sua condição de exaltação permite, de acordo com as potencialidades expressas no nosso horóscopo, recebermos aquilo que «nos é devido» agora.

Assim, durante alguns meses, Saturno vai chamar a nossa a tenção para alguma área especial da nossa vida para a qual vão surgir novas oportunidades que poderemos realizar aqui e agora , dentro dos limites deste mundo material  que é aquele onde se desenvolve a nossa vida. Júpiter assegura que, dentro das possibilidades oferecidas pelo karma de cada um, todos podemos receber alguma bênção ou proteção nas áreas de vida que forem tocadas por este trânsito. Porque é esse o papel de Júpiter, dar, proteger e abençoar, seguindo o princípio cósmico da generosidade. Saturno, por sua vez, assegura que as bênçãos que pudermos agora recolher não são totalmente gratuitas, elas resultam do nosso esforço continuado, do nosso trabalho e do nosso merecimento, por termos cumprido com o nosso dever. Se este último aspeto não for observado, duvidamos que se possa verdadeiramente recolher os benefícios deste trânsito porque Saturno não dá nada de forma gratuita, a sua justiça é a de vigiar para que cada um receba exatamente o que lhe é devido por mérito próprio. Se  nós não fizermos a nossa parte, não colhemos os frutos porque é Saturno que comanda os efeitos de Júpiter durante esta parte do trânsito. Esta situação inverter-se-á quando Saturno entrar no signo de Escorpião, no início de novembro, altura em que será Júpiter a lançar o seu aspeto sobre Saturno e a influenciar os seus efeitos, que se farão sentir também por vários meses.

Os efeitos deste trânsito conjunto variam de acordo com a colocação dos planetas em trânsito nas casas do horóscopo (e com a existência ou não de outros planetas colocados nessas casas)  e, como referimos no último artigo, da força dos planetas pela colocação por signo e por casa no horóscopo natal, bem como do período dasha/antardasha que estivermos a experienciar. Para o leitor perceber o que se pode passar, vamos deixar alguns exemplos:

Uma pessoa com o  Ascendente  em Gémeos tem neste momento Saturno a transitar pela sua 5ª casa. Júpiter esteve no último ano no seu Ascendente  a partir do qual lançou um aspeto para Saturno na 5ªcasa, uma casa afortunada e, porque Júpiter é um dos planetas com aspetos especiais, também esteve durante este ano em aspeto com a 9ªcasa. Então, este deve ter sido um período de sorte na vida desta pessoa: os assuntos representados pela 5ª casa floresceram certamente pois estava na hora de a pessoa recolher os frutos kármicos relacionados com esta área de vida. Dependendo do contexto de vida de cada um e da sua idade, esta pessoa pode ter tido sucesso nos seus estudos académicos, pode ter  tido a oportunidade de estudar no estrangeiro em condições de privilégio , pode ter tido sorte ao jogo ou em alguma atividade especulativa, pode ter-se apaixonado  (5ª casa) por alguém que simultaneamente abriu os seus horizontes para outras crenças, costumes, culturas, (9ª casa), pode ter visto reconhecido algum projeto inovador e criativo (5ª casa) e isso pode ter-lhe mostrado um novo propósito de vida, aumentado o seu estatuto, (1ª casa) etc. O que se passou aqui foi que Saturno marcou o momento no tempo em que esta pessoa deveria «receber o que lhe era devido» e, porque Júpiter estava em aspeto com Saturno e com as duas casas da sorte, a 5ª e a 9ª, Júpiter trouxe para a sua vida todos esses efeitos.

Uma outra pessoa com o Ascendente em Caranguejo tem Saturno no signo de exaltação, Balança, a transitar pela sua 4ª casa que significa, entre outras coisas, propriedades móveis e imóveis, terras, veículos, etc, para além de significar a felicidade subjetiva da pessoa, o seu «lar emocional». Júpiter, no signo de Gémeos, ocupa a sua 12ª casa e, embora lance aspeto para a 4ª casa, e para Saturno, a verdade é que permite a aquisição de bens e propriedades, se for essa a vontade da pessoa mas nega o sentimento de felicidade subjetiva pois inevitavelmente a pessoa sente-se isolada e essa solidão não permite o seu bem estar emocional interno.

Um outra pessoa com Ascendente Carneiro  tem Saturno a transitar pela 7ª casa , no signo de exaltação, enquanto Júpiter tem estado, no último ano, em Gémeos na sua 3ª casa.  A presença de Saturno nos dois últimos anos na 7ª casa ativou o «relógio kármico» para eventos  que esta pessoa pode experienciar relacionados com esta casa: ela significa o casamento mas também outras parcerias, a relação com países estrangeiros, etc. Se for desejo da pessoa casar nesta altura, e se as potencialidades de relacionamento do seu horóscopo apoiarem esse desejo (a 3ª casa é uma casa de desejos), o casamento pode de facto ocorrer durante este período de dois anos e meio em que dura o trânsito de Saturno.

No que se refere aos trânsitos, podemos escolher, na Astrologia Jyotish, duas formas diferentes de análise, ambas aceites por Parashara, o mestre que estabeleceu a maioria dos princípios aceites na Jyotish: podemos contar as casas a partir do Ascendente, e este é o modo considerado por muitos astrólogos como o mais importante pois o Ascendente marca o nascimento da nossa individualidade aqui na Terra mas também podemos, complementarmente, contar os trânsitos a partir da posição da Lua que também  tem uma relação muito estreita com o nosso destino individual em termos cósmicos. Fazer esta dupla análise- a partir do Ascendente e a partir da posição da Lua que conta como a 1ª casa nessa «carta lunar» – pode ajudar-nos a perceber vários tipos de acontecimentos que surgem por vezes em simultâneo mas que não estão relacionados com as áreas  de vida que, tendo em conta a análise dos trânsitos para um certo Ascendente, esperaríamos mas tem a ver com  as casas que são ocupadas por Júpiter e Saturno quando as contamos a partir da Lua.

No próximo artigo vamos tentar dar uma breve referência das experiências que podem ser ativadas pelo novo trânsito de Júpiter e Saturno para cada signo Ascendente. Por razões óbvias, não poderemos fazer essa abordagem em relação aos trânsitos contados a partir da posição da Lua pois, para cada Ascendente ,a Lua pode estar em qualquer uma das 12 casas do horóscopo. Mas exemplificaremos para que o(a)  leitor (a) que   tem a sua carta astrológica de nascimento possa fazer essa leitura por si próprio (a).

Trânsito de Júpiter e Saturno no Signo de Exaltação em 2014

jup

Aproxima-se  uma mudança considerável no trânsito dos planetas lentos que mais influenciam os eventos na nossa vida, Júpiter e Saturno. Júpiter primeiro, no próximo dia 18  de junho, e Saturno posteriormente, no dia 2 de novembro, mudam de signo com isso trazendo alterações significativas para todos nós, nas áreas de vida simbolizadas pelas suas posições de nascimento na carta natal  influenciadas pelas posições em trânsito destes planetas.

Saturno e Júpiter formam um par e os seus efeitos são opostos mas complementares. Estão ambos relacionados com o tempo: Saturno liga-nos ao passado e ao karma que estrutura e condiciona a nossa vida atual; Júpiter liga-nos ao futuro  pela esperança de nos libertarmos dos laços passados que nos restringem e pela capacidade de nos expandirmos através de novas oportunidades de ser. Saturno  tem uma ação de limitação e  de contração, cristaliza o nosso ser em formas bem conhecidas cuja familiaridade as torna permanentes; Júpiter tem uma ação de abertura e de expansão, leva-nos a querer transcender todos os limites materiais e a procurar atingir novas formas de ser, pela aprendizagem e pela compreensão que fazem de nós seres verdadeiramente livres.(ou desejando sê-lo). Saturno e Júpiter relacionam-se ambos com o karma pois este nada mais é do que a cadeia causal que nós criamos através das ações e das escolhas que concretizamos. Saturno lembra- nos que, devido aos efeitos que foram acumulados no passado, no presente estamos condicionados  pois todos os desequilíbrios gerados pelos efeitos das nossas ações têm que ser  compensados: Júpiter lembra-nos que a nossa vida não é apenas uma consequência do nosso passado e que, pelas escolhas que fazemos  e pelos projetos que desenvolvemos criamos o futuro e há a esperança de nos tornarmos mais livres e, por isso , mais sábios e felizes, sobretudo se não repetirmos os erros do passado.

Agora, como se manifestam os efeitos conjuntos destes planetas na nossa vida? Para compreendermos isso temos que ter em conta vários fatores:

  1. As configurações do horóscopo de nascimento e a posição por casa e por signo de Júpiter e Saturno. A determinação da sua natureza funcional e da sua força no horóscopo são o ponto de partida para qualquer previsão fiável em Astrologia.
  2. O período dasha e antardasha operante num determinado momento que queremos analisar: a localização por signo e casa do regente do dasha ou antardasha no horóscopo de nascimento e o seu movimento por trânsito para o momento que queremos analisar. Complementarmente, o estudo da carta divisional que se refere à área de vida que estamos a estudar. Estes elementos dão-nos uma ideia clara do potencial presente na vida da pessoa para uma certa área de vida.

Vejamos o seguinte exemplo: uma pessoa tem, neste momento, Júpiter a transitar pela sua 7ª casa, uma casa relacionada , entre outras coisas, com o casamento. Júpiter é um dos significadores gerais para o casamento mas antes de saltar para a conclusão de que este trânsito significa que a pessoa vai casar, temos que saber qual é o seu potencial de relacionamento. Se esse potencial não existir, não será porque Júpiter está em trânsito pela 7ª casa que esse evento ocorrerá. Portanto, antes de fazer previsões é preciso  ter uma visão global das áreas de vida do horóscopo e da força dos planetas e das casas para fazer vingar cada uma dessas áreas de vida da pessoa.

Outra coisa importante a não esquecer é o contexto de vida da pessoa. As previsões devem ter em conta esse contexto como ponto de partida: para uma pessoa casada  não faz sentido  interpretar o trânsito de Júpiter pela 7ª casa como significando casamento. A linguagem astrológica é  simbólica e isso quer dizer que tanto os planetas como as casas do horóscopo nunca significam apenas uma coisa: há que procurar aquela que é mais óbvia atendendo à situação- e aos desejos ou perguntas- da pessoa. Os astrólogos não são adivinhos e conhecer o contexto de vida da pessoa é um fator importante antes de interpretar os indicadores de previsão. Por ex., este trânsito pode também significar uma nova  oportunidade de negócio ou parceria, talvez envolvendo o estrangeiro.

  1. Os trânsitos de Júpiter e de  Saturno em articulação com a área de vida que  estamos a analisar, para saber qual é o grau de possibilidade de concretização dos eventos desejados, sendo que a primeira coisa a verificar é se existe algum aspeto entre Júpiter e Saturno. Se não houver, é provável que  as promessas mostradas não se realizem:  tudo o que acontece na nossa vida tem por origem a ação destes dois planetas.

Dito isto, nos próximos meses vamos assistir a uma conjugação das energias de Júpiter e de Saturno que não acontecia há muitos anos (cerca de 60): Júpiter e Saturno estarão no seu signo de exaltação- Saturno no signo de Balança e Júpiter no signo de Caranguejo. E, o que é mais importante ainda é que, a partir da segunda semana de julho, Júpiter está no ponto máximo da sua exaltação,(5º de Caranguejo) ao mesmo tempo que Saturno está muito próximo desse ponto (está nessa altura a 22 º de Balança, sendo 20º o grau de máxima exaltação) estando estacionário durante todo esse mês o que torna a sua ação extremamente forte. Assim, ambos os planetas estão na sua máxima capacidade de produzir efeitos positivos nas nossas vidas durante este Verão.

Esta conjugação de energias que não acontecia desde 1955 vai-se fazer sentir na vida de todos nós pois em alguma casa do nosso horóscopo, estas energias estão presentes e, porque estão conectadas- Saturno lança um aspeto de 10ª casa para Júpiter, dessa forma ativando a energia de Júpiter para estruturar e organizar, para disciplinar e para realizar.  Assim, será importante cada um de nós perceber quais as áreas da sua vida que irão, desde julho até ao início de novembro, passar por esta influência que corresponde a algum evento importante predestinado na nossa vida e potencialmente positivo. Nos próximos artigos vamos refletir sobre estes trânsitos para lançar alguma luz sobre o que poderemos alcançar nestes próximos meses com o trânsito de Júpiter e Saturno nos signos de exaltação.

O Trânsito dos Planetas Lentos no Horóscopo

 Na Astrologia Védica/Jyotish os trânsitos, em conjunto com a análise dos períodos Vimsottari dasha/antardasha  dos planetas são a ferramenta essencial das previsões dos eventos fundamentais na nossa vida.

Quando um planeta, sobretudo de movimento lento, entra num novo signo/casa, ativa de imediato os significados dessa área das nossas vidas e da casa/signo onde se encontra localizado o seu regente bem como os significados da casa onde o planeta que está em trânsito está localizado na carta natal e os significados da casa que está ocupada com o seu signo Moltrikona. Por sua vez, na Astrologia Védica, dá-se uma  especial atenção ao trânsito do planeta que rege o dasha (período principal)que está ativo nesse momento e cuja influência pode ir de 6 a 20 anos na nossa vida.  Do mesmo modo, consideramos o regente do sub período que está ativo pois ele está  imediatamente associado com os eventos de um determinado momento. Analisamos  os aspetos que esse planeta lança e recebe, as casas que ele  ativa e a relação que mantém com os outros planetas e  as casas na carta natal.

Tudo isto torna difícil e muito complexa a tarefa de analisar os efeitos dos trânsitos, exigindo experiência e muita intuição por parte do astrólogo: os cálculos para efetuar as análises são rigorosamente matemáticos e quantificados mas a interpretação dos seus efeitos, como acontece em qualquer ciência, depende do talento de quem a faz, da sua experiência e conhecimentos e também da sua capacidade para apreender os significados simbólicos que estão à sua frente: na Astrologia, como em qualquer outra área científica, não existem «factos brutos», todos carecem de uma construção interpretativa que assenta essencialmente nas qualidades e nos conhecimentos do intérprete.

É por isso que não basta saber qual o significado isolado de um determinado aspeto ou trânsito astrológico, é preciso «encaixá-lo» no contexto de vida da pessoa que está a viver um determinado período dasha ou trânsito para , desse modo, ser capaz de efetuar uma abordagem global dos seus efeitos na vida da pessoa; é por isso que qualquer pessoa pode ter um bom software de Astrologia e efetuar através dele todos os cálculos possíveis mas o software não tem, pelo menos ainda, a intuição capaz de apreender o todo; analisa as partes mas não as sintetiza no intrincado de experiências que formam a unidade da vida de uma pessoa.

Da mesma forma que não basta ler a «Interpretação dos Sonhos» que Freud escreveu para compreender o funcionamento do inconsciente na dinâmica da Psique humana,( é preciso ter o talento e o conhecimento extraordinário que ele recolheu e desenvolveu ao longo da vida) ,acontece o mesmo com os astrólogos: interpretar uma carta astrológica é uma «arte» no sentido mais nobre deste termo, mas uma «arte» que se apoia em bases científicas e exige capacidade de «insight» por parte de quem a pratica.

Voltando ao assunto dos trânsitos, em cada momento há dois fatores interagindo na nossa carta astrológica: as promessas natais espelhadas pelas configurações que existiram no momento em que fizemos a entrada neste mundo e que constituem a «matriz» das nossas potencialidades nesta vida; e as mudanças que esses fatores vão sofrendo ao longo do tempo, e que vão concretizando essas assinaturas presentes no momento do nascimento. Estas mudanças são estudadas pela Astrologia na análise dos trânsitos e dos períodos dasha dos planetas e dos seus sub períodos.

Nem todos os trânsitos têm o mesmo impacto ou importância na nossa vida e é aqui que a velocidade dos planetas mostra a sua importância: por ex., a Lua  leva pouco mais de dois dias a transitar por um signo por isso o seu trânsito é consultado para sabermos como decorrerá um determinado dia (ou dois);Júpiter , por ex., leva um ano a transitar um signo por isso esse trânsito tem um impacto maior nas nossas vidas . Essa é a razão pela qual damos especial atenção ao trânsito dos planetas lentos.

Quando um planeta muda de signo e entra numa nova casa do horóscopo, se formar um aspeto com um planeta natal, a casa onde se encontra esse planeta e as casas que este rege são ativadas. Se, por ex., Júpiter  entra na 5ª casa  onde tenho a minha Lua os assuntos da casa onde se encontra a Lua tornam-se importantes durante esse trânsito mas também os assuntos da casa que a Lua  rege. Os significados das casas e dos planetas envolvidos têm que ser estudados e analisados.

Outro aspeto a considerar são as relações criadas pelos trânsitos e os planetas do horóscopo: devem contar-se as casas que os separam para avaliar os efeitos de um determinado trânsito pois estabelece-se uma dinâmica nova de relação entre os planetas. Essa relação pode ser de 1/1 quando o planeta em trânsito faz conjunção com um planeta natal; 2/12, 3/11; 4/10; 5/9; 6/8; 7/7. Na relação 1/1 os assuntos da casa onde estão os planetas assumem uma importância fulcral, emergindo na vida da pessoa; na relação 2/12 há alguma coisa que se adquire e alguma coisa que se perde; na relação 3/11 é indicada luta e competição para melhorar alguma coisa (significada pelas casas envolvidas), relacionamentos e a ajuda de amigos; a relação 4/10 indica eventos que se realizarão no mundo exterior e são de esperar mudanças visíveis nas áreas envolvidas pelo trânsito; a relação 5/9 indica muitas vezes um golpe de sorte e um novo propósito ou significado para a vida; a relação 6/8 é consideada muito nefasta e indica acidentes, a perda de algo, uma morte. Relaciona-se com eventos que transformam a vida da pessoa através do sofrimento. A relação 7/7 ou de oposição indica relacionamentos entre pessoas incluindo o casamento. A natureza e efeitos determinam-se a partir do horóscopo.

Duração Média do Trânsito dos Planetas

Lua– Leva dois dias a dois dias e meio a atravessar um signo

Sol, Marte, Mercúrio e Vénus – Levam entre 18 a 45 dias a atravessar um signo ,mesmo quando ficam retrógrados.

Saturno– Leva cerca de dois anos e meio a transitar um signo

Júpiter –  Leva cerca de um ano a transitar um signo

Rahu/Ketu– levam cerca de 1 ano e meio a atravessar um signo e estão sempre retrógrados, movendo-se em sentido contrário à ordem do Zodíaco.

 

Importância dos Vários Trânsitos dos Planetas

trânsito da Lua apesar de ser breve, é considerado de grande importância na Astrologia védica pela razão simples de que é no dia a dia que realizamos ações concretas como comprar uma casa, assinar um contrato, mudar de casa, mudar de emprego, fazer uma viagem com implicações importantes na nossa vida, casar, etc: ora, a decisão sobre o melhor dia para fazer tudo isso (Muhurta) baseia-se na análise do trânsito da Lua e da sua relação com os Nakshatras, esmiuçando todas as partes do dia  para escolher a melhor hora, etc.

Quando sucede que uma fase da Lua principalmente da Lua nova ou Lua cheia fica em conjunção com um ponto ou planeta do horóscopo, isso pode ter um significado muito evidente, pelo menos durante algum tempo: se a Lua nova acontece em conjunção exata com o meu Sol isso indica um novo começo na forma como vejo o meu propósito de vida, novas perspetivas e uma nova forma de me compreender , novos objetivos com os quais me identifico,etc.; se sucede ser a Lua Cheia a formar essa conjunção, provavelmente nesse período entre 15 ou 28 dias colherei de algum modo os frutos relacionados com a minha forma de expressão e as minhas realizações no período anterior.

Mas, quando queremos compreender como será um determinado período da nossa vida, uma análise dos planetas lentos e dos seus trânsitos dá-nos uma visão mais concreta sobre o que pretendemos saber. É por isso que, habitualmente, para sabermos que tipo de eventos podemos esperar num determinando ano da nossa vida olhamos para o trânsito de Júpiter, de Saturno   e de Rahu/Ketu.

Os planetas com trânsito de duração intermédia (Sol , Mercúrio e Marte) têm efeitos mais temporários embora possam ser importantes- mas são os planetas de trânsito lento que estabelecem o contexto geral da nossa vida durante um certo período.

O Trãnsito de Júpiter

Júpiter  demora 12 anos a orbitar o Sol  e cerca de um ano a transitar por um signo; regressa à mesma posição natal após 12 anos. Este regresso ou «retorno de Júpiter» faz surgir muitas vezes algum evento importante. Júpiter  é o «grande benéfico» e, por isso, o seu trânsito traz muitas vezes oportunidades de crescimento e de sorte na área específica da casa por onde transita. Este planeta simboliza a expansão e o crescimento e se estiver bem colocado no horóscopo é natural que o seu trânsito traga aspetos positivos na nossa vida. Num horóscopo feminino, Júpiter também simboliza o marido por isso, se transitar pela 7ª casa isso indica muitas vezes que o casamento ou uma nova associação ou parceria serão importantes nesse ano da vida da pessoa: Júpiter também é o planeta indicador dos filhos e, por isso, quando transita pela 5ª casa do horóscopo, pode indicar gravidez e nascimento de criança nesse ano (metaforicamente, pode indicar também qualquer outro assunto relacionado com a 5ª casa: namoro, um novo projeto criativo, etc).

O Trânsito de Saturno

Saturno é o planeta mais lento, demorando cerca de 29 anos e meio a orbitar o Sol e cerca de 2 anos e meio a transitar por um signo; regressa à posição natal após 29 , 30 anos, no que se designa por «retorno de Saturno». Habitualmente o retorno de Saturno coincide com a fase de desenvolvimento de autonomia individual , quando é preciso abandonar as referências de vida do ciclo anterior e começar um novo ciclo. É habitual a pessoa questionar-se acerca do modo como levou a sua vida até então e sentir necessidade de assumir novas responsabilidades que lhe permitam crescer e individualizar-se mais , na sua interação com o mundo. Se o indivíduo não adotar um novo modo de vida e este se fizer necessário, habitualmente Saturno faz com que surjam experiências na vida que o obrigam a reconhecer os seus limites e a assumir a responsabilidade de se autonomizar no mundo. Nesta altura, os assuntos da casa onde se encontra Saturno no horóscopo de nascimento surgem com grande relevância na vida da pessoa. Saturno força o indivíduo a atingir maior maturidade e responsabilidade, de acordo com os aspetos e configurações que forma no horóscopo.

Na Astrologia Védica há um trânsito de saturno, Sade Satti, constituído por 3 ciclos e que dura 7 anos e meio, que é considerado um marco decisivo de transformação e mudança na vida da pessoa. Cada ciclo deste trânsito dura dois anos e meio: começa quando Saturno entra no signo anterior ao nosso signo da Lua; continua no 2º ciclo com Saturno a transitar pelo mesmo signo da Lua e termina com Saturno em trânsito pelo signo a seguir ao signo da Lua. Este pode ser um período difícil na nossa vida, com muitos obstáculos e desafios, mas, apesar de ser um trânsito temido por muitos, nem sempre Saturno nos reduz à miséria, pobreza ou sofrimento: os efeitos de Saturno são muitas vezes punitivos quando a pessoa se recusa a assumir as suas responsabilidades em alguma área de vida mas, naqueles que conscientemente e voluntariamente vivem de acordo com «o que deve ser» os efeitos do planeta deixam de ser maléficos embora tragam sempre alguma lição que pode ser bastante difícil – o objetivo de Saturno é obrigar-nos a «deixar ir» aqueles aspetos de nós que estão gastos e já não nos ajudam a crescer. É sempre difícil largar os nossos apegos e muitas vezes sabemos que esses apegos não contribuem para nada de positivo na nossa vida mas, mesmo assim ,não queremos abdicar deles e insistimos. É aí que o planeta atua forçando-nos e tirando-nos o que mais desejamos para nos obrigar a mudar.

Para além deste trânsito Sade Satti a Astrologia Védica considera ainda que o trânsito de Saturno pela 4ª casa e 8ª casa a partir da Lua é ocasião de experiências muitas vezes difíceis e que se destinam a forçar a auto transformação pessoal.

O Trânsito dos Nodos- Rahu e Ketu

Rahu /Ketu levam 19 anos a orbitar o Zodíaco, e, nessa altura, regressam à posição natal. Considera-se que esse retorno ajuda a despoletar o desenvolvimento futuro do novo ciclo de 19 anos , trazendo alguma mudança, muitas vezes inesperada, relacionada com a área de vida representada pela casa em que os nodos se encontram no horóscopo de nascimento. Quando transitam pelas casas angulares do horóscopo- , , e  10ª  isso indica mudanças muito visíveis nessas áreas de vida, eventos que serão muito significativos na vida da pessoa durante esse ano e meio, para o bem e para o mal, dependendo do modo como estão colocados no horóscopo de nascimento. Considera-se que o trânsito de Rahu /Ketu, sobretudo quando fazem o retorno à posição de nascimento, despoleta eventos kármicos que mudam substancialmente a vida da pessoa, não sendo possível controlar nem impedir essas mudanças.

Princípios Gerais Sobre os Trânsitos

mom

Os trânsitos dos planetas  pelos pontos do horóscopo mostram o desenvolvimento, no tempo, das assinaturas específicas  que indicam as  experiências do destino individual.  Cada mapa astrológico constitui uma imagem estática desse intrincado núcleo de experiências que marcarão a nossa vida. Mas, por si só,  não explica «quando» é que elas aparecerão; o mapa astrológico , com as posições dos planetas nas casas do horóscopo e as interações entre eles e as casas   dá-nos indicações acerca dos tipos de experiências e das suas qualidades , mostrando as áreas da nossa vida que serão afetadas; os trânsitos, em conjunto com os planetas do período Dasha  que estiver ativo despoletam  essas experiências, aparecendo como  eventos fundamentais nas nossas vidas. Os trânsitos  mais significativos são aqueles que se referem  aos planetas de movimento  lento porque são influências que se mantêm durante muito tempo.

São os trânsitos e os períodos dasha dos planetas que mostram o momento e o resultado das principais  experiências da nossa vida.  Os trânsitos não podem ser analisados isoladamente, na Astrologia Jyotish, têm que ser enquadrados nos  períodos dasha dos planetas ( e sub  períodos destes); por sua vez, os períodos Dasha  são complementados e mais bem compreendidos  com a análise dos trânsitos.

Considerações Gerais sobre os Trânsitos

O primeiro  aspeto a considerar é que, na Astrologia Védica/Jyotish, o ponto de referência principal para  a análise dos trânsitos é a posição da Lua no nosso horóscopo. Esta posição é encarada como um «segundo Ascendente» e tem o nome de «Janma Rasi» (signo da Lua de nascimento). O que isto significa é que, na Astrologia Védica tradicional, o trânsito dos planetas é avaliado nos seus efeitos conforme a posição desses planetas em relação ao signo  onde está a nossa Lua no nascimento.  Adicionalmente são também considerados os trânsitos em relação ao Sol e ao Ascendente  de Nascimento mas a referência à  Lua  tem sido um fator preferencial. E, com ela , o Nakshatra  em que se encontra e o seu regente planetário.

Acerca dos Nakshatras e da sua influência nos trânsitos,  é importante ter em conta o conceito de  «Tara»: este refere-se ao número de constelações, contadas a partir da constelação em que se encontra a Lua  no nascimento.  A cada momento, como podemos ver nas  efemérides  diárias que publicamos, todos os planetas, para além de estarem colocados em signos, estão também colocados em Nakhastras.  Estes, tal como os signos, seguem uma ordem determinada de 1 a 27 (em alguns casos considera-se um 28º). Se, por ex., um planeta estiver a transitar  por um Nakshatra que fica a uma distância de 4  relativamente ao Nakshatra da Lua natal,  o seu trânsito dará bons resultados; se o planeta transita por uma constelação separada por 5 relativamente à da Lua natal, o trânsito não dá resultados bons. Esta relação com os Nakhatras é essencial para determinar «os melhores momentos» para fazer alguma coisa ou «Muhurta». Quando queremos iniciar um projeto, comprar casa, mudar de emprego ou queremos fazer alguma coisa importante para nós, a Lua não deve estar numa constelação de Tara negativo caso contrário as energias serão obstrutivas para nós e os resultados não serão os desejados.

Apresentamos a tabela dos vários  Tara,  como informação suplementar:

Nº de Nakhstras ( contados a partir da Lua Natal)Nome do TaraSignificado
1, 10, 19JanmaNascimento- resultados mistos
2,11,20SampatRiqueza- bom
3,12,21VipatPerigo- Mau
4,13,22KshemaBem estar- Bom
5, 14, 23PritiakObstáculos- Mau
6,15,24SaadhaniRealizações-Bom
7, 16,25Naidhina/VadhaMorte(fim)- Mau
8,17,26MitriAmigo-Bom
9,18,27Parami MitraMelhor Amigo-Bom

Outro fator importante a ter em conta é  que os planetas  não têm os mesmos resultados ao transitar pelos 30 graus de um signo-  são mais poderosos em alguns graus do que noutros: o Sol  e Marte são mais fortes nos primeiros 10 graus de cada signo; já a Lua e Saturno são mais fortes nos últimos 10 graus; Júpiter e Vénus dão melhores resultados  entre os 10 e os 20 graus ; Mercúrio e Rahu  dão os mesmos resultados ao longo de todo o signo.

Outro aspeto a considerar na análise dos trânsitos é a relação entre o planeta e o signo que é transitado por este:  um planeta no seu signo de exaltação dará muito melhores resultados do que se transitar no signo da sua debilitação. Por ex., Júpiter produz muito melhores resultados se transitar pelo signo de Caranguejo (onde está exaltado)  do que se transitar pelo  signo de Capricórnio (onde está debilitado); Saturno produz melhores efeitos quando transita pelo próprio signo (Aquário ou Capricórnio) ou por Balança onde está exaltado, do que se transitar pelo signo de Carneiro onde tem a sua debilitação.  Adicionalmente, também se tem em conta se o planeta transita por um signo de planeta amigo, neutro ou inimigo pois quando está em signo inimigo, um planeta reduz  os seus efeitos positivos.

Um outro fator  importante na Astrologia Védica/Jyotish no que se refere aos trânsitos é o conceito de Vedha ou obstrução.  Este conceito refere-se à relação que os planetas estabelecem entre si quando estão em trânsito e ao número de casas do horóscopo que os separa uns dos outros: assim, torna-se possível que um planeta possa obstruir os efeitos de outro planeta, bons ou maus, quando ocupa uma determinada casa em relação a esse planeta.

Mesmo que o planeta se encontre numa casa «favorável»  a partir da Lua, os seus efeitos podem ser obstruídos pela presença de determinados planetas na casa de  «vedha»  em relação àquela por onde o planeta considerado transita.

Casas Vedha

Planeta em TrânsitoCasas auspiciosas a partir da Lua Natal (entre parêntesis as casas Vedha ou de obstrução para cada uma)
Sol3 (9); 6 (12); 10 (4) ;11 (5)
Lua1 (5); 3 (9); 6 (12); 7 (2); 10 (4); 11 (8)
Marte3(12);  6 (9) ;  11(5)
Mercúrio2(5) ; 4 (3);  6(9) ;  8 (1) ; 10(8) ;  11(12)
Júpiter2(12) ;  5(4) ; 7(3) ; 9(10) ; 11(8)
Vénus1(8) ;  2(7) ; 3 (11) ; 4 (10) ; 5(9) ; 8(5) ; 9(11) ; 11(6); 12(3)
Saturno3 (12) ;   6(9) ;  11(5)

Relativamente ao efeito Vedha  é preciso ter em conta que alguns planetas nunca causam  este efeito: sol e Saturno;  Lua e Mercúrio, nunca causam efeito de obstrução um ao outro.  Tendo em conta a tabela, por ex., se o Sol transita pela 3ª casa a contar da Lua natal,  planetas colocados na 9ª casa em relação à Lua causam o efeito «Vedha». Mas, se o planeta que transita pela 9ª casa for  Saturno, esse efeito não existe.  O mesmo acontece em relação à Lua. Se a Lua transita pela 1ª casa (o mesmo signo que a Lua natal) planetas colocados na 5ª casa a partir dessa localização da Lua causam Vedha. Mas, se for Mercúrio a transitar por essa casa, o efeito Vedha não existe.  Suponhamos que tenho a Lua  no  signo de Touro. Contando 5 casas  a partir daí  temos o signo de Virgem. Se houver algum planeta a transitar por esse signo ao mesmo tempo que a Lua transita por Touro, os efeitos causados pela posição da Lua em Touro  são obstruídos. Mas, se Mercúrio for o planeta que transita por Virgem,  a obstrução não existe.

É preciso ter em conta, no entanto, que o efeito Vedha  não é sempre negativo: um planeta que causa Vedha a outro  também pode anular os  efeitos negativos do seu trânsito. O software especializado da Astrologia Védica apresenta as relações de Vedha em todos os trânsitos, pelo que não precisamos de fazer cálculos nem análises complexas para  obter esta informação.

Outro fator a considerar é a natureza  dos planetas: os benéficos naturais (Lua, Vénus e Júpiter)  produzem sempre efeitos mais auspiciosos, seja qual for a casa  e o signo por onde transitem, do que os maléficos naturais ( Sol, Marte, Saturno, Rahu e Ketu); Mercúrio é neutro e pode ter resultados auspiciosos ou adversos conforme a associação com as casas e os planetas.  Mas devemos ter sempre em conta que um planeta cuja natureza é benéfica produz sempre menos resultados maus quando está mal colocado do que um planeta maléfico mal colocado.

Efeitos dos Planetas de Acordo com as Casas do Horóscopo

A natureza das casas também influencia o resultado dos trânsitos dos planetas: um planeta benéfico a transitar por uma casa maléfica desperdiça completamente a sua natureza.  Mas os planetas maléficos dão bons resultados nas chamadas casas de «crescimento» ou upachaya (3,6,10 ,11); o trânsito pelas chamadas casas dusthana (ou maléficas)- 2,8 e 12- tem normalmente resultados adversos salvo exceções.

Sol dá bons resultados quando transita pelas casas 3,6,10 e11 a partir da Lua. Resultados adversos nas outras casas.

Lua–  dá  bons resultados na 1ª, 3ª, 6ª, 7ª, 10ª e 11ª  a partir da Lua  e resultados adversos nas restantes.

Marte- dá bons resultados na 3ª, 6ª, 10ª e 11ª  a partir da Lua e resultados adversos nas  restantes.

Mercúrio dá bons resultados na 2ª, 5ª, 8ª, 10ª e 11ª a partir da Lua  e resultados adversos ou menos bons  nas restantes.

Júpiter- dá bons resultados na 2ª, 5ª, 7ª 9ª e 11ª  a partir da Lua e adversos ou menos bons nas restantes.

Vénus-  dá bons resultados na 1ª, 2ª, 3ª, 4ª 5ª, 8ª, 9ª, 11ª e 12ª  a partir da Lua e resultados adversos ou menos positivos nas restantes.

Saturno  dá bons resultados na 3ª, 6ª e 11ª  a partir a Lua   resultados adversos nas restantes.

Na análise dos efeitos dos trânsitos é também utilizado o método quantitativo de Ashtakvarga dos planetas que analisa a sua força na produção dos resultados –benéficos e maléficos – em cada signo relativamente ao nosso horóscopo de nascimento. Esta análise , nos dias de hoje, é feita a partir de relatório obtido por software, pois baseia-se em cálculos matemáticos bastante  morosos sem esse recurso.

Pelo exposto, fica claro porque é que a Astrologia Védica/Jyotish é tão precisa na análise dos trânsitos e na sua capacidade de previsão dos eventos  da nossa vida, como nenhuma outra forma de Astrologia é capaz de ser.