Astrologia Jyotish versus Astrologia Ocidental

Todos nós sabemos qual é o «nosso signo» querendo com isso significar que temos o nosso sol em «Aquário» ou «Caranguejo», etc. Na Astrologia Ocidental: o sol é o ponto de referência fundamental. Este sistema de Astrologia usa o zodíaco tropical- colocando o signo de Carneiro a 0º no equinócio de Março. Mas a Astrologia Hindu usa o Zodíaco sideral, tendo como ponto de referência não a Terra em relação ao Sol mas um conjunto de estrelas fixas, as constelações, sendo aí que coloca os 0 º do primeiro signo.
Estas constelações e a sua relação com o signo da Lua no momento do nascimento, são o primeiro ponto de referência para a Jyotish. O signo do Sol também tem a sua importância mas está em terceiro lugar, após o signo da Lua e o signo do Ascendente. A colocação das estrelas é feita corretamente no Zodíaco Sideral. No Zodíaco Tropical, devido ao fenómeno conhecido como precessão dos equinócios, existe uma diferença entre a posição real das estrelas e a que é considerada pela Astrologia ocidental. Mesmo assim, muitos consideram que ambos os Zodíacos podem ser considerados corretos porque a Astrologia Ocidental tem o seu ponto de enfoque na consciência e no perfil psicológico dos indivíduos (e como, subjectivamente, estes se posicionam num certo local da Terra ao longo do movimento aparente do sol, isto simbolicamente é representado pelo Zodíaco Tropical) enquanto que a Astrologia Hindu tem o seu enfoque na compreensão das causas externas que profundamente influenciam o destino e as vidas dos seres humanos e, por isso, é compreensível que considere a posição correta das estrelas em relação ao Zodíaco.
 Como existe uma diferença de cerca de 23º em relação à posição das estrelas no Zodíaco Tropical – que se «adianta» relativamente à posição das constelações, normalmente, existe uma diferença de signos em relação aos dois sistemas: a menos que se tenha nascido no momento em que um planeta rápido está a iniciar o seu trânsito por um signo, quando por exemplo na Astrologia Ocidental se diz que o Sol está em «Aquário» na verdade está, no Zodíaco Sideral, cerca de 23º antes, no signo de Capricórnio, 
Cada um dos sistemas astrológicos tem, no entanto, o seu lugar: se queremos conhecer melhor o perfil psicológico do nativo e os meandros da sua personalidade, o Sistema Ocidental é adequado. Se queremos efectuar previsões precisas e pormenorizadas acerca de diversos aspectos da vida, o sistema Jyotish vai mais longe e é mais fino na sua análise e pormenores. 
A Astrologia Jyotish dispõe de um conjunto de ferramentas, apuradas com precisão e fazendo uso de técnicas quantitativas objectivas, que permitem realmente um nível muito aprofundado de análise. Uma dessas ferramentas é o sistema Dahsa pelo qual constatamos que não basta analisar os trânsitos para prever eventos, há que ter em conta, por ex., que em cada período da vida sucessivamente um certo planeta desempenha um papel central nas nossas vidas. A Jyotish possui ainda outras técnicas para analisar a força e a influência dos planetas e das áreas da nossa vida simbolizadas pela carta de nascimento como Shadbala, Ashtakvarga, Vimsopack, Bhava Bala, etc, que permitem uma precisão sem igual no sistema astrológico ocidental. 
Na antiga Índia, a Astrologia fazia parte da Ciência Sagrada (Vedas) e dava orientação para a vida espiritual. Nos tempos de hoje, a Astrologia Jyotish procura orientar em todas as dimensões da complexa vida humana, material e espiritual.