Astrologia – superstição ou saber fundamentado?

RUBRICA
No mundo dominado pela ciência e pelos critérios científicos há ainda algum espaço para a Astrologia, sem ser o domínio da superstição?
Muitos dos meus amigos , quando lhes falo do meu estudo da Astrologia, abremos olhos de espanto e perguntam-me : «Como é que uma pessoa tão exigente como tu no uso de critérios científicos pode interessar-se pela Astrologia?!»
E a minha resposta é que foi precisamente essa exigência de rigor e  procura deobjetividade no conhecimento das forças que movem a nossa vida, que me trouxe, há mais de vinte anos, para o estudo desta maravilhosa ciência antiga.
Chamo-lhe ciênciana clara consciência de que muitos contrairão o sobrolho ao ler-me.
Mas repito a minha hipótese que pretendo validar : a Astrologia – e falo por aquela que pratico, a Jyotish- é uma ciência.
O conceito de ciência tem variado muito ao longo dos séculos: os critérios do trabalhocientífico aceites hoje como válidos pela comunidade que faz ciência não são os mesmos de há 50 ou 100 anos atrás- mas mantém-se a mesma determinação que sempre acompanhou os homens e mulheres praticantes de ciência: rigor, espírito crítico, metodologia que se submete ao teste empírico.
 Continuarei a explorar esta ideia, que por agora coloco como hipótese a validar: a Astrologia Jyotish é uma ciência.
Mas, para além desta preocupação com o «estatuto» da Jyotish, procurarei explicar também qual a utilidade que esta ciência  tem para  a vida das pessoas. 
É com a sua utilidade que este, como qualquer outro saber científico, justifica a sua razão de ser.

Deixe um Comentário a sua opinião conta