Grandes Figuras da Arte e da Cultura- Michelangelo


 
Michelangelo
15 de Março (gregoriano) de 1475, 1h 45 m
Caprese, Itália, 43 N 39, 11 E 59.
Local mean time 11 E 59
(Espólio de Lois Rodden)
Michelangelo  rivalizou com Leonardo na disputa pelo epíteto de homem da Renascença. Foi também um extraordinário  artista e, apesar de não ser tão multifacetado como Leonardo, desenvolveu as suas capacidades em múltiplas áreas: foi escultor e pintor, arquitecto, poeta, engenheiro. Duas das suas esculturas mais famosas foram  obras de juventude: a Pietà e o colossal David. Embora  ele se considerasse  um escultor, são da sua autoria dois dos frescos mais famosos da Capela Sistina  em Roma: o Génesis e o Juízo final.  Foi um solitário e, apesar de ter ganho bastante dinheiro  na sua longa vida, levou uma vida ascética,  não dando importância aos confortos do corpo.  Andava sempre mal vestido, andrajoso mesmo, e dormia muitas vezes com a roupa que vestira durante o dia e com os sapatos calçados.  Do mesmo modo  comia pouco e dormia pouco e trabalhava incansavelmente. Não dava importância aos confortos materiais mas ambicionava  uma vida de glória e  um nome respeitado. Os homens da sua época chamaram-lhe «divino» devido aos seus dotes artísticos.  A História deu-lhes razão.

A identidade Básica : Ascendente Sagitário, Lua em aquário e Sol em Peixes

 

O Ascendente  no signo de Sagitário indica uma pessoa  com natureza filosófica  e  espiritual. É sabido que Michelangelo ficou fascinado com Savonarola, o monge que assumiu a missão de denunciar os excessos dos poderosos (leia-se da Igreja da época), pregando um estilo de vida simples e de renúncia aos bens materiais.  Savonarola morreu na fogueira da inquisição  mas parece que Michelangelo nunca esqueceu as suas prédicas nem a sua mensagem.  Michelangelo vivia obcecado com a necessidade de pureza e  a vida ascética que levou resulta da sua necessidade de transcender a dimensão puramente terrena onde confessou sentir-se dividido e aprisionado. Mas, como é habitual em  Sagitário, estes ideais espirituais eram acompanhados de uma profunda reflexão  e de espírito crítico.  Também podemos relacionar com Sagitário  a brutal franqueza do nativo, que lhe criou uma fama de pessoa  impulsiva   e com mau génio , que falava com os outros sem os poupar a qualquer crítica que considerasse merecida.
 
A Lua em Aquário  acentua o gosto pelo conhecimento, pela dimensão intelectual , mostrando uma mente altamente inteligente e criativa e um  gosto pela dimensão mais transcendente da realidade. Ao mesmo tempo, torna o nativo pouco convencional e com pouca inclinação para seguir a tradição ou as regras impostas por outros. A Lua rege a 8ª casa relacionada com os mistérios da vida e da morte, com a vida espiritual, etc. Deste modo, apesar de estar colocada na 3ª casa, relacionada com a interacção comunicativa a nível mundano,  Michelangelo mostrou uma mente mais interessada em estudar a dimensão oculta da realidade, situada para além do plano sensorial.  A conjunção da Lua com Mercúrio  indica também os talentos de Michelangelo para a Música e para a  poesia. 
O Sol em Peixes, elemento Água é uma energia que não se mistura com as anteriores, indicando aspectos bem díspares na personalidade do nativo: o  homem que era tantas vezes rude para «desmascarar» o que  o seu lado de Sagitário considerava  incorrecto  e que abertamente explodia de impaciência e de rejeição  era a mesma pessoa que  doava grandes somas de dinheiro para caridade,  sustentava a família e apoiava artistas pobres, numa grande generosidade e disponibilidade. O Sol em Peixes é compassivo, preocupado com as realidades espirituais, embora também se sinta ansioso em relação à segurança no plano material. Talvez essa seja a razão pela qual se diz que Michelangelo era extremamente avarento e, apesar de doar bens e riqueza,  pouco gastava consigo próprio. A conjunção entre o Sol e Marte na 4ª casa  explica, em associação ao Ascendente em Sagitário,  o carácter impaciente e o «mau génio» registados pelos contemporâneos em relação a este nativo considerado irrascível  e desconfiado, contrariando deste modo a versão mais habitual do nativo de Sagitário e Aquário, que costuma ser afável e bastante social. 

As assinaturas Específicas  do Destino no Horóscopo

A Lua está colocada no Nakshatra Satabisha 3º pada. O regente é Rahu.  Curiosamente, Michelangelo e Leonardo partilham a mesma estrela de nascimento. Este Nakshatra está relacionado com o velar e desvelar, com o segredo, a verdade escondida além das aparências. Simboliza por isso o conhecimento esotérico e escondido, gerando nos nativos uma vontade de existência reclusa e solitária, orientando-os para a descoberta da realidade interior, ao mesmo tempo que desvaloriza o conhecimento e a experiência sensorial.  Michelangelo foi um claro exemplo  de uma vida entre a matéria e o espírito  suspirando pela «verdade do espiritual contra a ilusão dos sentidos.»
O regente do Ascendente está colocado na 2ª casa mostrando que o nativo fará um esforço considerável para acumular riqueza e desenvolver competências e conhecimentos que lhe permitirão controlar  o mundo material . Mas  Júpiter está debilitado e o seu dispositor, Saturno, está colocado na 8ª casa, gerando obstáculos e perdas financeiras. Segundo parece, a família foi sempre  o calcanhar de Aquiles do nativo, gerando despesas consideráveis: muito do que  ele ganhou também o perdeu. Esta configuração traz infelicidade à vida pessoal, pouca sorte nas parcerias amorosas e uma vida familiar problemática. 
Michelangelo nunca casou, é consensual que era homossexual mas, apesar de não condenar a homossexualidade, escolheu a  vida ascética  embora haja algumas dúvidas sobre se terá tido algum relacionamento que ultrapassasse o carácter meramente platónico.
Vénus na 5ª casa  no signo de Carneiro lembra a grande ambição do nativo que, apesar de não ligar aos confortos materiais nem ao luxo, desejava ser conhecido e ser famoso, queria que o seu nome fosse reconhecido e honrado tanto a nível pessoal como familiar.
O Sol e Marte  colocados na 4ª casa com Ketu  asseguram fama e a posse de bens imóveis  mas esta configuração não permite muita felicidade nem paz mental, dilacerando a pessoa entre os infindáveis desejos de sucesso e de fama e um vazio impossível de preencher  com qualquer posse do mundo material. Esse vazio leva o nativo a procurar uma vida espiritual mas a divisão entre os aspectos mundanos e os espirituais é difícil de ultrapassar. 
Entre as assinaturas (yogas ) mais significativas, refiro: vários Rajayoga- o regente  da 5ª casa está associado ao regente da 9ª na 4ª casa e estão em conjunção. Este yoga diz que o nativo de torna «um rei»; há planetas benéficos na 2ª, 4ª e 5ª casas a partir do Atma Karaka e do regente do Ascendente, indicando que o nativo será bem sucedido e atingirá altas realizações. Mercúrio está na 12ª casa e Vénus está na 2ª casa a partir do Sol (Yoga Ubhayachara); Júpiter está na 12ª casa e Marte está na 2ª casa a partir da Lua (Duradhara Yoga)  Estes yogas apontam para uma vida «semelhante à de um rei», com todos os confortos disponíveis; Júpiter, vénus, o sol e o regente do Ascendente estão todos em casas kendra mútuas e o 9ª regente é forte (yoga Bheri). Este yoga promete riqueza e fama.

Confirmação pela Navamsa

O Ascendente Navamsa «cai» na 2ª casa do horóscopo natal.  A realização pessoal faz-se deste modo  pela aquisição de riqueza , conhecimentos e competências. A vida familiar e o ambiente doméstico tornam-se também evidenciados.  O regente do Ascendente Navamsa está colocado na 8ª casa. Isto não favorece a felicidade pessoal e traz perdas, muitas despesas, obstáculos e sofrimento à vida do nativo.
Saturno, o regente da 9ª casa, está colocado na 2ª  casa em vargottama, assegurando a sorte na acumulação de bens por esforço próprio. Apesar de ter acumulado riqueza, Michelangelo teve sempre muitas despesas e também algumas perdas: algumas das suas obras, embora tenham sido pagas, acabaram por se transformar em pouco mais do que despesa por vários factores. Ganhou muito e gastou muito, apesar da sua fama de avarento. Marte está debilitado  em conjunção com Saturno; é o regente da 11ª casa (dos ganhos e da realização dos desejos) e mostra bem estas ambiguidades do estatuto financeiro de Michelangelo. No entanto, quando morreu, tinha uma considerável quantia em moedas de ouro na sua casa.
O Sol continua na 4ª casa, na Navamsa, não favorecendo a felicidade mas assegurando que uma parte importante da vida do nativo se relaciona com as posses familiares.
A Lua  colocada na 9ª casa dá inclinação para a vida mística . É regente da 2ª casa e a sua colocação na 9ª casa da sorte favorece a aquisição de riqueza  e   traz sorte associada a viagens.  A Lua está em Vargottama o que a torna especialmente auspiciosa. 
Michelangelo  teve uma longa vida, tendo vivido até perto dos 89 anos.  Quando  a magnífica e colossal escultura  David ficou pronta (1504), estava activo o período principal (mahadasha) de  Saturno, sub- período de Vénus. Saturno rege a 2ª e a 3ª casas e Vénus rege  a 11ª:  esta obra nasceu do esforço e da teimosia de Michelangelo que, por sua iniciativa e contra a opinião de outros artistas, achava que era possível fazer tamanha obra sem o mármore quebrar. E o seu desejo (11ª casa) concretizou-se, tendo começado para ele uma nova etapa de sucesso.
A pintura dos frescos na Capela Sistina  entre 1508 e 1511 aconteceu também no período principal de Saturno e sub-períodos de Marte e  de Rahu. Rahu está  em Vargotamma na Navamsa e  bem colocado por signo e por casa no horóscopo natal- em virgem e na 10ª casa -tendo trazido projecção pública e fama .
Quando morreu, estava activo o período principal (mahadasha) do sol e o sub- período de Ketu ambos colocados na 4ª casa que também significa o fim da vida.

Deixe um Comentário a sua opinião conta