Reflexão de Fim de Semana: Animais como Nós – o Papagaio Kea

O papagaio Kea é um  animal extraordinário no que se refere às capacidades de aprendizagem e de resolução de problemas.  Um estudo recente levado a cabo por investigadores das Universidades de Viena e de Oxford  mostrou a sua espantosa capacidade para aprender e se adaptar tendo surpreendido  os próprios ornitólogos que já conheciam as suas características. 
Neste estudo os investigadores testaram a aprendizagem de tarefas novas e a capacidade para extrair conclusões desse novo conhecimento e de abandonar conhecimentos anteriores que já não são úteis.  E os resultados foram surpreendentes. A experiência consistiu em mostrar às aves uma caixa que continha comida mas que não estava acessível de imediato. Para acederem à comida havia 4 soluções possíveis: 1. Empurrar um interruptor; 2. Usar uma alavanca com um gancho na ponta que abria uma janela de acesso; 3. Atirar bolas num caminho para atingir a comida e deixá-la ao alcance; 4. Usar um pau para atingir a comida fazendo-a rolar para o alcance da ave.
Sempre que uma ave descobria como usar uma das soluções, esta era bloqueada pelos investigadores, de modo que já não funcionaria  se fosse novamente utilizada pelo animal, obrigando-o a descobrir outra das soluções. As aves aprenderam a usar mais do que uma das soluções disponíveis e uma delas aprendeu as 4 sem dificuldade nenhuma, abandonando as técnicas inúteis de imediato logo  que as mesmas deixaram de funcionar, revelando assim uma espantosa capacidade de adaptação ( e inteligência!) 
Os resultados  deste estudo são mais surpreendentes ainda devido ao facto de , em estado selvagem, os Kea não utilizarem ferramentas.  E também porque os seus longos e curvos bicos não facilitam a utilização de paus, que se torna bastante problemática. No entanto, estes admiráveis animais conseguiram adaptar-se ao uso de um pau  combinando o uso do bico e do pé para o colocar no sítio pretendido!
Os investigadores  concluíram sem qualquer dúvida que os Kea não se limitam a descobrir as soluções dos problemas por acaso, por mera tentativa  e erro mas analisam a situação  e descobrem qual  a melhor solução para um problema utilizando a inteligência criativa para escolher a melhor solução. 
Os Kea  são papagaios de montanha que habitam exclusivamente na Nova Zelândia, seu habitat natural.  Vivem em altitudes que vão dos 300 aos 2000 m embora haja alguns que vivem fora da linha de neve nas zonas alpinas. Eles são uma das principais atracções turísticas pois as suas características  atraem as pessoas que vão especificamente a esta região para os verem: são brincalhões, gostam de se rebolar na neve,  fazem acrobacias aéreas quando voam,  etc. 
Os Kea adultos medem cerca de 48 cm e têm plumagem verde oliva com o pescoço e a parte superior da cabeça em tons de amarelo esverdeado; o peito e o abdómen são verdes com tons acastanhados ; uma parte  das asas é cor de laranja avermelhado e também têm penas em tons de azul e amarelo. Os bicos dos machos são muito grandes e curvos habitualmente é fácil distingui-los das fêmeas pois estas têm bicos mais pequenos e menos curvos. 
Habitam nas zonas das montanhas embora no Inverno tendam a ficar nas zonas mais baixas onde é mais fácil encontrar comida  mas na Primavera e no Outono sobem para as zonas de pasto para se alimentarem de bagas e frutos da estação.  Preferem passar a maior parte do tempo no chão onde entretêm os humanos com as suas brincadeiras. 
A sua alimentação é variada e inclui rebentos vegetais, raízes, bagas, frutos, néctar de flores, sementes, cadáveres  em decomposição e insectos.  Usam os bicos como ferramentas para procurar comida nos locais menos acessíveis como fendas nas rochas. 
Têm uma curiosidade imensa e tendem a entrar nos edifícios pelas chaminés, mastigando tudo o que encontram (principalmente  objectos de borracha). Com os bicos abrem as tampas dos caixotes do lixo e outras e podem fazer bastantes estragos, sendo  considerados como  uma praga inteligente para muitos habitantes locais. 
Quando não estão a entreter os humanos com as suas brincadeiras, rebolando na neve, banhando-se nos charcos gelados a derreter ou a saltitar à procura de alguma coisa para mastigar, encontram-se nas montanhas, em grupos de cerca de 10 indivíduos. 
Na altura do acasalamento, os juvenis formam grupos de cerca de 100 indivíduos. Têm hábitos semi- nocturnos  podendo ser muito activos à noite, especialmente nos meses de Verão.  As fêmeas atingem a maturidade cerca dos 3 anos e os machos por volta dos 3 ou 4 anos. Os machos acasalam com várias fêmeas (3 ou 4). As fêmeas põem 3 ou 4 ovos entre Julho e Janeiro, em ninhos construídos no chão entre pedras ou raízes das árvores.  
Quando os juvenis atingem um mês o macho ajuda a alimentá-los. Os juvenis permanecem no ninho durante 10 a 12 semanas.
Os  papagaios Kea têm consciência de si próprios,  passando com distinção no teste do espelho utilizado pelos cientistas para averiguarem quais os animais que têm consciência de si próprios. Estes animais fazem pois parte do grupo daqueles que têm uma noção de «eu» que é capaz de pensar  as sua  experiências como sendo «suas», individualizadas.
 Estes papagaios são alvo da ira dos donos de quintas  que os acusam de matar as ovelhas ao fazerem buracos na pele das suas costas para extraírem a gordura. Existe alguma polémica sobre isto, com alguns a recusarem a responsabilidade dos Kea na morte das ovelhas.
Entre a polémica e a ira dos locais e o  fascínio dos  turistas que os visitam, estes papagaios são sem dúvida uma maravilhosa demonstração de superiores capacidades de adaptação e inteligência , destacando-se no mundo animal.

Deixe um comentário a sua opinião conta