Animais como Nós, O Pássaro Jardineiro, um Artista Admirável


 
Muitas espécies animais têm sido notadas pelas suas capacidades de inteligência, companheirismo, beleza,  lealdade, etc. Mas algumas, para além dessas qualidades, são capazes de mostrar talento  e criatividade artística. Uma dessas espécies é a ave Ambliornys inornata,  ou «Ave construtora de Aposentos» ou, como é comumente designada, Bowerbird o Pássaro Jardineiro. 
Esta ave pertence a uma família que tem 20 espécies, das quais  10 são endémicas na Nova Guiné, 8 na Austrália e 2 encontram-se em ambas as regiões.  As aves têm um tamanho que varia entre 22 e 40 cm e, normalmente, não têm uma plumagem vistosa: os machos não seduzem as fêmeas usando a beleza das plumagens mas antes os seus talentos artísticos:
A fêmea é uma «crítica de Arte»,anda de câmara em câmara, visitando o trabalho de vários machos, entrando na câmara por eles construída e apreciando e inspeccionando o trabalho artístico deles, regressando para a câmara daquele que melhor satisfaz o seu gosto estético. 
Estas aves  encontram-se numa ampla variedade de habitats, desde as florestas húmidas às de eucaliptos e de acácias. Alimentam-se principalmente de frutos mas também ocasionalmente de insectos, néctar, flores e folhas. Os machos atingem a maturidade por volta  dos 7 anos e, enquanto são juvenis, treinam os talentos que mais tarde irão exibir para conquistar as fêmeas e acasalar. 
A  característica mais notável desta ave é a sua habilidade para construir estruturas com ramos e paus, que formam câmaras, ou aposentos, destinados a cativar as fêmeas. Dentro das câmaras e fora delas, os machos constroem arranjos artísticos feitos com uma multiplicidade de objectos cujas cores e estilos podem variar de espécie para espécie.
Em cada espécie, as estruturas são semelhantes mas não há nenhuma  igual na decoração, que exprime o gosto individual do artista. Ao criar a sua «composição», o macho tem uma ideia clara do que pretende e, se os objectos forem mudados quando ele se encontra fora, não descansa enquanto não volta a colocar tudo como estava antes.  
Os machos exploram o seu habitat à procura de objectos para a sua criação. Usam de tudo: centenas de conchas, pedras, penas, flores, moedas, objectos coloridos de plásticos que foram deitados fora, bagas, peças de vidro, etc. Muitas vezes assaltam os trabalhos de machos concorrentes e roubam peças, destroem, etc, pois a competição é  grande e as fêmeas são muito exigentes nas suas escolhas.
Quando uma fêmea acasalou com um dos machos de topo a nível criativo, é provável que volte a escolhê-lo no ano seguinte. Os machos mais desajeitados a nível estético não conseguem captar a atenção das fêmeas. 
Quando constrói a sua câmara, o macho coloca dentro dela e cá fora a sua colecção de objectos cuja cor foi especificamente escolhida para agradar ao gosto da fêmea. Por ex., a espécie Satin gosta de objectos azuis e detesta o vermelho. 
Para além deste arranjo estético, o comportamento de acasalamento desta ave inclui uma dança complexa. Os estudos mostram que, enquanto as fêmeas mais jovens privilegiam o arranjo estético dos aposentos, as mais experientes dão particular atenção à dança do macho, como que a averiguar as suas características de personalidade. 
A utilização muito variada de estilos decorativos entre as espécies e a relação existente com os recursos presentes no habitat leva a considerar que pode haver um esboço cultural  nestas formas de construção.
O comportamento desta ave  na construção das «câmaras de sedução» bem como os rituais de dança que acompanham a demonstração artística, leva a considerar esta ave como uma das que têm um comportamento mais  elaborado e complexo.
Observe os talentos desta ave magnífica e maravilhe-se: 

Deixe um comentário