A Correspondência entre a 10ª Casa do Horóscopo, o Signo Capricórnio e o Planeta Saturno

Significados Gerais da 10ª Casa do Horóscopo
A 10ª casa do horóscopo simboliza o ponto mais elevado, no conjunto das casas, por onde passa o SolNesta medida é a casa onde o Sol brilha com a máxima intensidade e visibilidade. Isto torna esta casa tão importante no plano material como espiritual:
No plano material esta é casa onde somos mais visíveis para os outros e onde podemos dar o nosso maior contributo em termos de cooperação e de  interação com a comunidade humana em geral; no plano  espiritual, e lembrando-nos de que oSol é o Karaka (significador) natural do Self, do «atma» ou alma, esta é a casa onde podemos desempenhar um papel cujo serviço à comunidade e às regras que a definem pode ter um maior relevo e onde o nosso propósito de vida  se conecta com o propósito de vida dos outros com quem partilhamos uma vida social em comum.
Na Astrologia Jyotish, a 10ª casa do horóscopo é incluída em diferentes grupos, que exprimem, cada um, uma perspetiva diferente mas complementar sobre esta casa: é uma casa «Artha», isto é, onde a nossa ambição atinge o seu ponto máximo  e onde desejamos ver reconhecidos os nossos esforços e aspirações materiais para sobreviver e receber o respeito merecido pelo contributo que damos para a vida de todos, no desempenho de uma profissão ou carreira e no cumprimento das regras sociais – e, através disso, queremos alcançar riqueza, recursos e autoridade em alguma área da nossa existência; é também  uma casa «kendra» ou angular. As casa kendrasão as bases que sustentam todas as outras casa do horóscopo, são todas casas correspondentes a signos cardinais, que são os iniciadores das áreas  que sustentam a vida humana no plano  individual e social. No caso da 10ª casa, esta é a iniciadora da vida social humana que ultrapassa o plano privado  e os interesses partilhados «a dois» para cooperar no âmbito mais vasto  da humanidade ou, em sentido mais restrito, da comunidade de que se faz parte, seja a sociedade em que nascemos, seja a humanidade no seu todo; finalmente, é também uma casa «upachaya» ou de crescimento, indicando simbolicamente que  um dos percursos essenciais da alma no seu desenvolvimento é a cooperação que tem por base valores e interesses universais. A luta que  surge muitas vezes entre os valores  e interesses de cada um  e os valores e interesses coletivos é um capítulo  importante da aprendizagem  da alma na existência terrena. Nesta experiência  é preciso aprender que , para nos tornarmos verdadeiros «indivíduos», temos que transcender o narcisismo individual  de origem para compreender os laços que temos com o coletivo. Dessa compreensão nasce uma nova percepção do valor  único de cada vida individual no esquema global da realidade. O indivíduo, para ser pleno não pode ser uma ilha nem separar-se dos  outros pela ganância ou ambição que o opõem a todos os outros.
Na Astrologia Jyotish considera-se  que a 10ª casa do horóscopo é a segunda mais importante, logo a seguir ao Ascendente. O nome que esta casa tem na  Jyotish é «casa do Karma» ou «casa da ação».  Ela é a 2ª casa a partir da ,a casa da «sorte» que nos cabe nesta vida, mostrando os recursos que desenvolvemos a partir dessa sorte. Podemos usar os nossos talentos para desenvolver uma carreira em que o desejo de riqueza, de  fama, honras e   são o que mais queremos obter, esquecendo que todos nós nascemos no seio de uma comunidade cujas regras e valores nos protegem e protegeram, e evitando dar algo em troca a essa sociedade; ou, pelo contrário, podemos usar os nossos talentos e sorte para obter a vida confortável que almejamos mas também dando algo de nós, do nosso «brilho» e talentos únicos ao coletivo de que fazemos parte. Esta é a casa da vocação e esta mostra que, nesta casa especificamente, o homem está «no meio», exatamente onde existe a mesma percentagem de possibilidades de cair no maior materialismo que é possível ou reverter a procura material  na missão de dar um pouco da sua visibilidade e brilho  pessoais  aplicando-os no serviço aos outros. Nesta casa podemos aprende que é possível  equilibrar «num justo meio» tanto os interesses  e objetivos materiais como os de  altruísmo e de serviço. Esta é a grande vocação da 10ª casa que não é uma casa de renúncia, é uma casa de abundância: abundância de bens materiais mas também abundância de luz, de esclarecimento e de conhecimento.
Os aspetos que referimos antes ajudam a perceber a relação estreita entre a 10ª casa e a «autoridade»: esta casa significa o pai na  cultura dominante porque este foi  tradicionalmente aquele que deteve os papeis de autoridade, de dador de regras, de «ganhador do pão» etc.  E, porque é a casa da maior visibilidade, significa o nosso estatuto social, pois este resulta do modo como  a sociedade nos vê e nos atribui o devido reconhecimento.

Significados Gerais do Signo Capricórnio
Capricórnio representa o ponto máximo de densidade material que a alma é capaz de experienciar e, na ação concreta no mundo, simboliza o ponto máximo das aspirações na vida terrena: como esta é uma vida integrada na comunidade humana, Capricórnio está ligado ao topo das ambições materiais , sejam estas referentes a bens concretos como riqueza e todas as posses que o dinheiro pode conferir ou as honras, os cargos, os símbolos de estatuto social, de autoridade, etc que permitem ao indivíduo mirar-se e ao seu valor no mérito reconhecido pela comunidade.
Capricórnio  simboliza o caminho construído pelos esforços pessoais  para realizar as ambições  de cada um : em muitos aspetos ele  representa o culminar do crescimento  conseguido através do desenvolvimento e  da exploração dos recursos e talentos individuais: o símbolo da cabra da montanha  trepando até ao cume  é bastante expressivo: Capricórnio simboliza o «self made man», organizado  e profundamente focado em atingir os seus objetivos . Sejam quais forem os obstáculos, Capricórnio não desiste de os atingir, a sua determinação, disciplina e ambição guiam-no até alcançar o que deseja, muitas vezes riqueza, conforto material, autoridade, reconhecimento: para Capricórniotão ou mais importante do que a riqueza alcançada é que os outros  em geral e a comunidade lhe  reconheçam o valor e lhe devolvam respeito, estatuto e uma posição de destaque no conjunto das autoridades.
Capricórnio é mais motivado para agradar e receber o reconhecimento  das instituições, quer seja o governo, o patrão, etc, do que para  agradar ao parceiro de vida ou amigo. Em grande parte a sua vida só tem verdadeiro sentido se for uma vida publicamente visível e reconhecida, embora não tenha que ser necessariamente de «grande escala»: tão importante é para este nativo receber o reconhecimento do mérito por parte da instituição em que trabalha como de uma instituição mais alargada como um departamento governamental ou das autoridades locais da aldeia onde vive.
Capricórnio  foca o seu interesse em objetivos e depois age em conformidade: não existe espontaneidade na sua forma de ser e de agir, raramente atua sem um plano prévio e sem a consciência clara do que pretende alcançar. Mas, como se disse em artigo prévio, no signo de Capricórnio não existe apenas esta vertente materialista desenfreada: o signo também aponta para um «ponto médio», aquele ponto em que a matéria e o espírito estão a igual distância do «centro» que é o indivíduo.
E, assim, Capricórnio também indica o ponto em que o envolvimento com o mundo material atinge a sua máxima expressão e, por causa disso, inicia o retorno para a espiritualidade, num recuo asceta em que , atingida a máxima densidade no mundo material, há a consciência clara de que este já não pode dar mais nada, esgotou as suas possibilidades, levando o indivíduo a escolher, em muitos casos, a renúncia aos excessos materiais e o retorno à compreensão espiritual do mundo. A vantagem é que este «retorno» é feito após a integração de tudo o que adquiriu nas experiências do mundo material: tal como Sto Agostinho escreveu  nas suas «Confissões» , aquele que passou pelos pecados do mundo desenvolveu uma maior  capacidade de compaixão e entendimento do amor e do ser humano, Capricórnio representa a possibilidade da vida espiritual  altruísta mediada pelo desejo e ambição da experiência do «ter» e «possuir» no mundo material: é uma sabedoria fundada na experiência, e não um mero saber intelectual e vazio.  O pessimismo ou melancolia que caracterizam os nativos do signo tem a ver com esta compreensão instintiva de que  todas as posses do mundo são incapazes de nos preencher a inteira felicidade.~

Significados Gerais de Saturno
Saturno era, na mitologia, pai de Júpiter: enquanto este está relacionado com a expansão, o tempo futuro e o otimismo «do que há-de vir» Saturno está associado com o passado, o eterno, o cristalizado e estruturado e que tem grande dificuldade em mudar. Júpiter representa o movimento mas Saturno procura a estabilidade e a imobilidade. Em última análise, Saturno quer mostrar que o «futuro», o «tempo» e a «mudança» são  realidades aparentes e passageiras, que, no «final das coisas», só  o que se enraíza no que  «sempre foi» pode permanecer.
Esta procura da permanência e da estabilidade por Saturno revela-se no entanto também ela ilusória: tal como no mito grego Cronos (Saturno)não conseguiu devorar o filho Zeus (Júpiter) e, por isso, foi destronado por ele, que assumiu o seu papel como o Deus reinante,  a dimensão da «eternidade» ou da estabilidade não permitem o aperfeiçoamento nem o crescimento dos seres e, por isso, Júpiter está destinado a mostrar a Saturno que as estruturas cristalizadas e petrificadas são a morte da vida, que esta só se mantém através do dinamismo da mudança e que esta mudança que é o tempo e o «futuro» são capazes de mudar muitos dos significados do passado, permitindo a esperança. Júpiter introduz o papel da aprendizagem ativa, enquanto que Saturno se fica pela disciplina e pelo controlo, pela restrição do desejo em todas as formas e  pela renúncia que acaba por matar o desejo de viver no mundo material.
Mas Saturno não é apenas o Asceta, ele é o estruturador e organizador da matéria em todas as múltiplas formas que ela conhece; representa o princípio essencial de todas as manifestações da vida material de que as formas têm uma configuração limitada no espaço e no tempo: têm um começo e, por isso, terão um fim – a morte é o fim inexorável de todas elas neste mundo de matéria; e todas têm um conjunto de possibilidades definidas para além das quais não podem ir: uma macieira jamais produzirá nozes e o homem, não importa até onde a ciência possa aumentar a sua longevidade, nunca será imortal. Saturno  coloca limites a todos os aspetos da vida humana, os limites que resultam, antes de mais, dos efeitos das ações do homem  no passado: o karma. Este é um dos significados de Saturno na relação com a 10ª casa:  as nossas ações limitam as nossas possibilidades futuras, em grande parte porque somos «assombrados» pelos seus efeitos.
Saturno rege os apegos, laços e limitações que nos prendem ao passado e também as regras e as normas  da sociedade que limitam, através da moral e da censura social, o que «podemos ou devemos fazer».  Saturno rege a ambição que guia a nossa motivação para uma carreira, disciplina os nossos propósitos para nos focarmos num determinado objetivo mas obriga-nos a experienciar atrasos, impedimentos e restrições aos nossos desejos no mundo material, para nos obrigar a ir para além deles, para a descoberta de um sentido de responsabilidade universal  e não apenas individual e social.
O Sol  representa, na 10ª casa, o ego, o seu orgulho e vaidade, o desejo de fama e de riqueza como recompensa dos esforços e do valor individual. Mas Saturno mostra que a nossa máxima visibilidade  não se atinge quando somos mais ricos, ou gozamos a fama da celebridade, ela atinge-se quando atingimos a maestria em relação às adversidades do mundo exterior  e disciplinamos  e apaziguamos os nossos demónios emocionais e os seu múltiplos desejos.
Saturno representa o trabalho árduo e disciplinado para realizarmos a nossa ambição no mundo: mas esta tanto pode ser a de construir um império financeiro como a de nos tornarmos  trabalhadores humildes ao serviço da humanidade , contribuindo para lançar mais luz num mundo tantas vezes obscurecido pela ganância e pela ambição desmedida. A verdadeira autoridade advém do exemplo, do modo como se vive e se transmite aos outros  um  conhecimento mais universal.
Esperamos ter mostrado , nesta breve abordagem,  a correspondência de significados entre a 10ª casa do horóscopo, o signo de Capricórnio e o planeta Saturno.

Deixe um comentário