Os signos Opostos na Identidade- A complementaridade Touro / Escorpião

Os signos Touro   e Escorpião são ambos femininos e fixos: Touro tem elemento Terra  e Escorpião  tem elemento Água . Este par de signos opostos representa uma dinâmica das mais complexas do Zodíaco.
Aparentemente, Touro  e Escorpião exprimem qualidades contrárias: Touro  representa o eu encarnado num corpo e totalmente embrenhado no mundo material e nos objetivos materiais e sensuais da vida humana; por seu lado, Escorpião representa a concentração do poder no interior de si mesmo, de modo a usar essa fonte de poder para se fortalecer e aumentar a sua força de vontade. Mas basta uma leve análise para compreender que as experiências de cada um destes signos implicam necessariamente as experiências e aprendizagens do outro, tornando estes dois signos complementares e inseparáveis e, deste modo, a face e o reverso do mesmo processo dinâmico da identidade.
Touro representa o envolvimento do desejo e da individualidade no mundo material, no qual procura desenvolver todos os recursos necessários para garantir uma boa vida num corpo encarnado; simboliza o compromisso de viver a existência terrena de forma plena, para retirar dela todas as experiências, competências e recursos que permitam ao corpo físico sentir conforto e prazer ( e evitar a dor). Em Touro, o impulso da vida é o da materialização, da encarnação no corpo físico e da experimentação que torna o corpo e as suas faculdades sensoriais a principal ferramenta de aprendizagem no mundo.
A associação que habitualmente se faz do signo Touro com o seu desejo de conforto, sensualidade e luxo significa que neste signo a vida material, terrena- e também mortal – é vivida em toda a sua plenitude, sem sentimentos de culpa nem arrependimentos. A materialidade é assumida com naturalidade e sem juízos de valor: a vida mortal nada tem de mau em si mesma, representa um ponto de desenvolvimento importante da vida e este, apesar de finito, apesar de ter a morte como destino certo, também tem inegáveis virtudes; muitas experiências da vida humana só têm valor porque somos seres capazes de sofrer neste corpo mortal, ou então de usufruir de múltiplas sensações de prazer. É toda esta dimensão da vida encarnada no corpo e entranhada no mundo material que o signo de Touro  representa e, nesse aspeto,  manifesta uma tranquilidade e capacidade de se sentir feliz com esse destino como poucos outros signos são capazes. Não há desespero nem irrequietude no signo de Touro, existe antes uma bonomia, uma serenidade que se contenta com os prazeres que a sua incursão no mundo lhe vai proporcionando.
Mas, justamente esta quietude de Touro, este deixar-se estar sem querer mais nada além do que lhe permite sentir plenamente a felicidade e o bem estar que o mundo físico e os seus recursos lhe proporcionam agora, mostra como o signo de Escorpião ,fervilhante sob a superfície, numa intensidade que deseja transformar todos os objetos externos em pura energia dominada partir de si, complementa maravilhosamente as características de Touro: este é exteriorização do seu desejo no mundo e do usufruto dos prazeres que esse mundo pode oferecer; Escorpião, por seu lado, é desejo de apropriação do mundo externo sob a forma de poder pessoal concentrado e disciplinado no interior de si. O seu magnetismo natural advém precisamente desta interiorização concentrada da energia que se torna fonte pessoal e controlada de poder; não focada nos objetos mas na pura vontade pessoal que vai além do agora, submergindo na profundidade à procura da causa primeira e final que dá sentido a qualquer momento presente.
Touro representa a vontade como capacidade de perseverar no seu modo de ser, significa a estabilização do espírito no corpo material , focado nas experiências que podem ser vividas através do corpo e, por isso, significa também a possibilidade de se tornar dependente dessas experiências, esquecendo tudo o mais: comida, bebida, sexo e demais prazeres do corpo podem ser explorados até deixarem a pessoa obcecada por eles , estagnando completamente em outras áreas da sua vida: a vontade exercida no exterior de si pode conduzir ao desejo desenfreado e viciante, totalmente indiferente aos desejos e padrões dos outros até se confundir com a própria sensação, perdendo a distância entre o «eu» que vive e a sensação que é vivida.
Mas Escorpião centraliza tudo na consciência desse «eu» que se vai fortalecendo através das experiências e das emoções. Escorpião sente a atração pelo abismo, entrevê o mistério que espreita por detrás de cada manifestação sensível e deseja conhecer a sua causa. Compreende que entre a superfície e a face escondida de todas as coisas nem sempre há coincidência, que muitas vezes a superfície é enganosa e esconde o seu oposto. Isso torna-o cauteloso e muito inquisitivo, bem como o leva a esconder e a reservar os seus verdadeiros motivos, separando a interioridade da exterioridade: olha para o sensível e procura o invisível que está por detrás; acredita que a verdadeira fonte do poder e da força de todas as coisas não é visível à vista : enquanto Touro procura dominar o mundo materialmente falando, confundindo-se prazenteiramente com as próprias sensações, Escorpião descobre o poder extraordinário das emoções no seu interior e percebe que elas são uma forma de poder que alimenta a sua força para agir no mundo.
Touro  e Escorpião têm muitas características comuns: ambos são teimosos, intensos, determinados, possessivos, cautelosos, auto-centrados, receptivos, emocionais, ambiciosos, amantes das coisas boas da vida, do conforto, do luxo e do dinheiro. Porém, manifestam características contrárias em muitos outros aspetos: Touro  é sereno e paciente, tranquilo, por vezes indeciso e lento; Escorpião é irrequieto, decidido, magnético, atraído pela escuridão que subjaz no fundo de si próprio e pela conquista de si mesmo através do controlo das emoções.
Touro representa o impulso para conquistar o mundo exterior através do desenvolvimento de um conjunto de recursos e bens a que chama «seus» . Vê-se a si mesmo através das suas posses no mundo; toma consciência de si próprio a partir do seu corpo e dos objetos materiais que adquire na interação com o mundo; sente-se poderoso na medida em que assegura conforto para o corpo e prazer para os sentidos;
Escorpião representa o florescimento interior do poder pessoal após o encontro com o outro, com o parceiro de vida; alimenta-se do poder que provém das emoções e dos sentimentos que são resultantes desse encontro; descobre a sua interioridade como fruto do amor e da energia sexual partilhada e sente que essas energias têm o poder misterioso de o transformar e transmutar; o desejo de descodificar o mistério, de interpelar o segredo da vida acontece porque , sem perceber como, a sua estrutura física de ser vai para além de si própria e escancara perante si o plano espiritual escondido no âmago da sua carne mortal; entrevê fascinado como a vida e a morte se cruzam no mesmo segredo, num misterioso laço que ele intuitivamente entrevê mas não é capaz de explicar. Este paradoxo do mistério torna a sua abordagem do mundo cautelosa e muitas vezes movida de suspeição, levando-o a esconder-se e a construir uma imagem de dualidade em que modela uma superfície que esconde por baixo a verdade do que ele realmente sente ou deseja.
Touro  e  Escorpião sentem  ambos a urgência de se relacionar com os outros, embora de maneira diferente: Touro,em grande parte deseja constituir uma família que o ajude a perpetuar o seu modo de vida, de forma simples, harmoniosa e eficaz; deseja rodear-se de coisas e de seres belos como a posse que resume todas as outras posses e dá sentido à sua luta diária para conquistar mais e mais recursos que assegurem uma «boa vida» no mundo. Escorpião procura no outro a intensidade emocional que o põe à prova na sua capacidade de domínio e de incorporação do outro pela submissão ao seu desejo e vontade pessoal. Deseja experienciar essa intensidade que só é possível na interação e que, sozinho, ele não pode  conhecer. Num caso como no outro, ambos se reveem no outro:  Touro revê-se nos resultados que a relação lhe traz- uma boa casa, um cônjuge dedicado, filhos, conforto , luxo, boa comida, etc; Escorpião revê-se nos sinais subtis das emoções que o invadem; na paixão intensa, nas emoções associadas e na transfiguração interior que elas fazem no seu ser.
Agora, em que sentido é que podemos considerar que as características de cada um dos signos completam o modo de ser do outro?
A satisfação serena de Touro com a sua vida no mundo terreno leva-o a correr o risco de se perder na estagnação da inércia e da indulgência,, esquecendo que o seu ser é mais do que as sensações e os prazeres que o corpo lhe permite; o seu destino pede que ele goze inteiramente o mundo físico mas não se perca nele, compreendendo que todos esses prazeres que o fazem tão feliz não são capazes de preencher completamente a sua vida- ele também é um ser espiritual , a prova disso é o seu desejo de se rodear de beleza e de harmonia: ora, a « Beleza » resulta do encontro entre a matéria e o espírito que se entrelaçam para criar algo que supera o imediato para buscar a eternidade. Existe intemporalidade em todas as formas realmente belas e, portanto, viver o momento aqui e agora, por importante que seja, não pode esgotar o sentido da nossa vida, precisamos de atravessar as sensações físicas para nelas encontrar uma causa transcendente que nos faz descobrir a nossa espiritualidade. E são exatamente as características de Escorpião que permitem efetuar essa descoberta ao fazerem nascer nos meandros da Psique o mistério e a «profundidade» que se esconde atrás de toda a realidade; Assim, Touro precisa de descobrir a transcendência em relação ao imediato, para desejar mais do que o que tem e lhe dá prazer físico; precisa de descobrir que nenhuma forma de prazer é exclusivamente física, é também sempre espiritual.
Por sua vez, Escorpião , com o seu secretismo e concentração interior, precisa de pacificar a sua irrequietude, superar a sua eterna desconfiança em relação aos outros; precisa de aprender a paciência e a bonomia serena que lhe permita relaxar e entregar-se inocentemente às experiências no mundo sem temer que estas, de algum modo, lhe ameacem o poder pessoal. O tormento que facilmente toma conta das suas emoções e se transforma em ressentimento na relação com o outro precisa de ser mudado através de uma natureza mais compassiva. Escorpião  dificilmente se entrega completamente em qualquer experiência porque, em primeiro lugar, observa-se a si próprio a controlar o que sente e, em grande parte, para ele, amar é subjugar o outro, vê-lo a obedecer-lhe e a deixar-se dominar. A grande lição que Escorpião precisa de aprender é que o «poder» não se opõe ao amor ; na verdade, o amor é também uma forma de «poder» mas apenas é eficaz quando se abandona a dualidade «eu« /«tu» e se constitui o «nós» como identidade conjunta embora não se apague a realidade de cada um ; enquanto não aprende isto, Escorpião é tomado por uma irrequietude que, incessantemente, encara o encontro com o outro como a eterna luta entre duas vontades na qual ele deseja que a sua saia vencedora e o outro aceite ser dominado. Mas, quando descobre o poder do verdadeiro amor que não procura dominar nada nem desconfia de nada, Escorpião transfigura-se e assume finalmente a serenidade e a tranquilidade que não deseja mais nada porque se tornou completa, integrando o mundo físico no mundo espiritual e emocional, característicos do modo de ser do signo Touro.

Deixe um comentário