Alimentos que Podem Matar os Nossos Animais de Estimação

 
O Natal aproxima-se rapidamente e, com ele, a apetência  para os doces  com a indulgência da época a acompanhar os hábitos alimentares. Indulgência que estendemos não só a nós – «é só agora , depois faço dieta»- como também aos nossos animais de estimação. Afinal, eles são parte da família e queremos partilhar com eles todos os momentos festivos . Porém, nós que gostamos deles como membros efetivos da nossa família, devemos estar cientes de que muitos dos alimentos que são bons para nós ou que, sendo  prejudiciais em excesso, são «perdoáveis» durante a época festiva, podem ser mortais para os animais que temos em casa.
 
O organismo dos nossos animais –cães, gatos, aves- é diferente dos nossos. Eles não metabolizam alimentos , bebidas e outras substâncias do mesmo modo que nós e uma distração  da nossa parte pode ser muito perigosa ou fatal para eles.
 
Assim, para prevenir perigos que possam pôr em risco os nossos animais, não apenas agora na época do Natal mas  também regularmente no dia a dia, apresentamos alguns dos alimentos que são muito banais nas nossas casas mas que não devem ser dados a ingerir aos nossos animais:
 
·         Cebola e alhos- crus, cozinhados ou desidratados, destroem os glóbulos vermelhos do sangue, produzindo anemia. Mesmo consumidos em pequena quantidade, regularmente, são prejudiciais, causando fraqueza, dificuldades respiratórias e  vómitos.
 
·         Café, chá e todas as bebidas com cafeína (incluindo  as bebidas de Cola)-  a cafeína produz palpitações, respiração ofegante, tremores musculares e, em grande quantidade, é fatal, não existindo antídoto.
 
·         Chocolate, Cacau- Possui uma substância, a Teobromina, que altera o ritmo cardíaco, causa  muita sede, tremores, vómitos, convulsões, ritmo cardíaco acelerado e morte. Quanto mais pequeno for o animal menor é a quantidade que pode ser fatal. O chocolate negro e amargo são os que têm maior quantidade desta substância.
 
·         Uvas e Passas- Não se conhece a razão mas, em alguns cães a ingestão de uvas produz falha renal. O animal fica letárgico, vomita, etc. e pode ser fatal.
 
·         Alimentos dietéticos contendo Xylitol- esta substância, usada para adoçar os alimentos dietéticos aumenta a circulação de insulina no organismo dos animais baixando os níveis de açúcar de forma drástica, levando a falha no fígado com perda de coordenação, convulsões, etc. A falha do fígado pode matar o animal no prazo de dois dias.
 
 
·         Alimentos fermentados e massa crua levedada- Quando fazemos bolos, é quase impossível não «provarmos» a massa e, muito naturalmente, se o nosso animal está junto de nós, damos-lhe a provar também. Ou, simplesmente, pomos a massa a levedar ao  alcance dele. Podem ser distrações fatais. A ingestão da massa crua com fermento pelo animal faz com que esta aumente de volume no estômago do animal, distendendo-o e causando dores fortes. Mas, adicionalmente, ao aumentar de volume e levedar, a massa produz álcool que pode causar envenenamento por álcool ao animal, exigindo cuidados imediatos de emergência médica.
 
·         Restos de refeições humanas com gordura e ossos-  o excesso de gordura pode causar pancreatite  e os ossos podem alojar-se em locais indevidos, produzindo sufocação ou , quando partidos, podem produzir lacerações e feridas nos órgãos internos.
 
·         Diospiros, pêssegos e ameixas- o problema com estes frutos são os caroços . Os caroços do diospiro causam inflamação intestinal levando mesmo a obstrução do intestino delgado. Estes caroços possuem pequenas doses de cianeto que, como sabemos é altamente tóxico também para os humanos (que, avisadamente, não os ingerem, o que não acontece com os animais)
 
·         Ovos crus, carne e peixe crus-  os ovos crus têm uma enzima que interfere com a absorção de uma vitamina do complexo B . E, em geral, estes alimentos crus possuem bactérias que podem ser perigosas para os animais, tal como são para os humanos, por isso, só devem ser dados cozinhados embora não demasiado cozidos.
 
·         Alimentos e bebidas açucaradas-  tal como sucede com os humanos, os animais apreciam muito o sabor doce mas, tal como nós, enfrentam os mesmos problemas: obesidade, problemas nos dentes, diabetes. Devem ser ingeridos só excecionalmente e em pequenas quantidades.
 
·         Sal- muitos alimentos naturais têm sal, e por isso, alimentos com sal adicionado, como bolachas salgadas ou batatas fritas são muito prejudiciais para a saúde dos nosso animais levando à produção excessiva de urina que causa envenenamento por excesso de produção de iões de sódio.
 
·         Abacate-  este fruto é altamente venenoso para a maioria dos animais,(incluindo as aves) devido a conter uma substância , persina, que é muito tóxica e que se encontra tanto nos frutos como em todas as partes da planta.
 
·         Tomate-  este ingrediente banal dos nossos cozinhados é também tóxico para os cães, sobretudo a planta mas também deve  evitar-se dar  o fruto a ingerir aos cães.
 
·         Especiarias, especialmente noz moscada, fermento em pó, bicarbonato de sódio-  Estas são substâncias também muito tóxicas para os nossos animais.
 
 
Há no entanto alguns alimentos humanos que pode dar ao seu animal, embora com moderação, sem que lhe façam mal: carnes magras, sem gordura visível; pedaços de maçã sem as sementes;  banana, se eles apreciarem, cenouras, pepino, curgete, feijão verde, batata cozida ou assada em pequenas quantidades, melancia. Em caso de dúvida, sobre os alimentos que o seu animal pode ingerir, consulte o seu veterinário.
E, quando o seu animal lhe parecer doente, não lhe dê medicamentos que você usa habitualmente para si. Medicamentos banais como ibuprofeno, por ex., podem pôr o seu animal em perigo de vida ou mesmo causar-lhe a morte.
 
Tenha também cuidado com as decorações natalícias que  a curiosidade do seu animal pode levar a explorar (ingerindo peças, lâmpadas, fitas….) e que podem pô-lo em perigo , causando ferimentos, queimaduras, etc.
 
 
Resta-me desejar-lhe uma quadra natalícia feliz com os seus animais de estimação e sem preocupações quanto à  saúde ou ao  bem estar de todos. 

Deixe um comentário