Planetas Benéficos, Neutros e Maléficos para o Ascendente Leão

Para uma introdução a este tema, apresentada no primeiro artigo desta série, por favor clique aqui.
Planetas Benéficos e/ou Neutros para o signo Ascendente Leão- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Marte é o planeta mais benéfico para este Ascendente pois rege a 4ª e a 9ª casas , tendo o seu signo Mooltrikona na 9ª casa, que é a casa trikona mais forte, sendo também a que se refere à sorte do nativo para esta vida. Quando um planeta rege uma casa angular (Kendra), neste caso a 4ª, e também uma casa trikona, neste caso a 9ª, o planeta diz-se um yogakaraka e, sozinho, forma uma assinatura de poder e de riqueza no horóscopo.
2º- Júpiter. Rege a 5ª e a 8ª casas e, apesar de a 8ª casa ser uma casa maléfica, o signo Mooltrikona de Júpiter ocupa a 5ª casa, que é uma casa de sorte também, e auspiciosa, pelo que se considera que prevalecem os significados de Júpiter como regente da 5ª casa. Assim, interpreta-se a ação de Júpiter como fazendo valer os significados positivos da 8ª casa: heranças, ganho súbito de dinheiro, etc.
3º- Sol. É temporalmente benéfico com base na regra que diz que o Regente do Ascendente nunca pode ser maléfico porque ele «superintende» a todos os aspetos da vida da pessoa e é o seu guardião mais básico.
4º-A Lua rege a 12ª casa. É considerada temporalmente neutra, sendo necessário estudar cuidadosamente os seus efeitos no horóscopo, a sua força , aspetos recebidos e lançados etc, antes de determinar se é funcionalmente maléfica ou benéfica.
Planetas Maléficos para o Signo Ascendente Leão- Abordagem da Astrologia Jyotish Clássica
1º- Saturno, pela regência da 6ª casa, a casa das dívidas, conflitos e da doença e também da 7ª, uma casa marakha isto é, capaz de produzir a morte do nativo. Esta classificação não é, no entanto, pacífica. Muitos astrólogos consideram que o regente da 11ª casa é o planeta mais maléfico e, por essa razão, colocam Mercúrio «em primeiro lugar no pódio» dos mais maléficos. Porém, se nos lembrarmos de que Saturno é o planeta significador da doença, da morte, de tudo o que causa tristeza e sofrimento, vemos que a sua regência de duas casas que têm afinidade com esses significados reforça-os, pelo que, potencialmente, a ação de Saturno é poderosamente negativa. Acresce também que Saturno é um grande inimigo do Sol, que rege Leão. Por isso, consideramos mais lógica a posição dos astrólogos que o classificam como o mais maléfico para este Ascendente: as suas natureza são opostas- O sol significa a criação da vida, Saturno significa a sua destruição.
2º- Mercúrio, que rege a 2ª e a 11ª casas e tem o seu signo Mooltrikona Virgem na 2ª casa, uma casa marakha, (capaz de infligir a morte). Parece-nos no entanto muito contraditória esta classificação, pois vejamos: a 2ª casa significa o discurso, a família, o falar verdade, as competências que desenvolvemos para vencer na vida, etc.. E a 11ª casa simboliza a realização dos desejos e ambições, as interações sociais e as amizades. A consideração de que Mercúrio é um planeta temporalmente maléfico para este Ascendente porque a 2ª casa é uma casa cujo regente pode infligir a morte, nos seus períodos e subperíodos parece-nos fraca.
3º- Vénus regente da 3ª e da 10ª casas e, por esse facto, é considerado funcionalmente maléfico. Como a Astrologia clássica considera que as casas 3ª, 6ª e 11ª são casas maléficas, e porque Vénus é um planeta naturalmente benéfico, ao reger uma casa kendra- a 10ª- perde, segundo a tradição , esse caráter benéfico. Porém, o que se observa em muitas natividades, quando Vénus é forte, é que dá talentos artísticos ao nativo e a capacidade de atingir a fama e obter nome e reputação, para este Ascendente, pelo que também não nos parece uma classificação coerente à luz dos resultados que produz na vida dos nativos.
Planetas Benéficos e Planetas Maléficos para o Ascendente Leão segundo V. K Choudhry e a Abordagem Sistémica da Astrologia Jyotish 
Esta abordagem é extraordinariamente simples e respeitadora dos princípios clássicos da Jyotish, embora com adaptações que a tornam muito eficaz na análise e nas previsões. Além do mais, permite ultrapassar as contradições de alguns velhos princípios da Jyotish que radicam muitas vezes na tradição oral e com os quais se digladiam muitos astrólogos védicos hoje, aceitando nuns casos o que rejeitam noutros, embora usem os mesmos princípios, o que se torna contraditório.
Segundo esta abordagem, um planeta funcional maléfico é aquele cujo signo Mooltrikona ocupa uma das casas maléficas que, nesta abordagem são: a 6ª, a 8ª, a 12ª. 
Para o Ascendente Leão, são os seguintes os planetas funcionais maléficos:
Lua, Rahu e Ketu (os nodos podem ter um comportamento não maléfico, quando ocupam boas casas e não afligem o ponto mais efetivo da casa que ocupam). A Lua rege a 12ª casa e, neste sistema, ao contrário do que acontece na Astrologia Jyotish tradicional,  Caranguejo e não Touro, é o signo Mooltrikona da Lua. O autor baseia-se no facto de que, em relação a todos os outros planetas, o signo Mooltrikona tem regência do próprio planeta: no caso dos planetas que regem 2 signos , o signo Mooltrikona corresponde a um desses dois; no caso do Sol, que rege apenas um signo, Leão, este é simultaneamente considerado «próprio signo» e «signo Mooltrikona». Ora, a Lua é o único planeta em que o signo Mooltrikona tinha regência de outro planeta , segundo a tradição, e sem justificação, o que não é muito lógico dado que o signo Mooltrikona de um planeta é aquele onde este tem mais força e atua mais em conformidade com a sua natureza mais forte. Assim, deverá ser o próprio planeta a regê-lo e não outro. Choudhry corrigiu assim uma das contradições da tradição da Jyotish, a nosso ver de forma fundamentada.
Para o Ascendente Leão são os seguintes os planetas funcionais benéficos: 
Sol, Marte, Mercúrio, Júpiter, Vénus e Saturno. Mercúrio, pela regência da 2ª casa que é também uma casa Mooltrikona, é o mais benéfico potencialmente, (pois é preciso analisar a sua força no horóscopo) porque a 4ª casa do horóscopo não é ocupada por um signo Mooltrikona. Quando isso sucede, o regente da 2ª casa, desde que ocupada por um signo Mooltrikona , é considerada a influência mais benéfica.
Esta classificação baseia-se na conceção de que apenas há 3 casas maléficas, que são a 6ª, a 8ª e a 12ª e de que, por isso, são apenas os regentes destas casas – quando ocupadas por signos Mooltrikona – que não conseguem proteger os seus significados gerais e particulares num horóscopo. Para este Ascendente, não há signos Mooltrikona a ocupar as casas maléficas e isso significa que, potencialmente, se os regentes dessas casas forem fortes, e estiverem bem colocados e não aflitos; se do mesmo modo essas casas não tiverem aflições nos seu ponto mais efetivo, os seus significados mais positivos não serão destruídos.
Isto não significa que os restantes planetas deem necessariamente bons resultados, pois isso depende da sua força e do facto de não estarem aflitos nem colocados numa das casas maléficas. Porém, com esta classificação, focamos o interesse na análise dos fatores que realmente importam e que têm a ver com a capacidade dos planetas produzirem resultados num horóscopo, o que acontece durante os trânsitos pelas posições natais em relação ao Ascendente e pelas casas, principalmente no seu ponto mais efetivo e durante os subperíodos dos planetas: os planetas funcionais benéficos trazem bons resultados de acordo como os seus significados; os funcionais maléficos trazem obstruções, conflitos, doença, perda de estatuto e de rendimento, etc. Adicionalmente, um planeta funcional benéfico fraco não consegue fazer florescer os seus significados no horóscopo, a menos que receba aspetos de planetas funcionalmente benéficos e fortes.

Deixe um comentário