Trânsito de Rahu e Ketu 2014- Ascendente Balança

ceb

Rahu a transitar pelo signo de Virgem levará as pessoas a desenvolver esforços para aperfeiçoar a sua relação com o trabalho e com os ambientes do quotidiano, podendo gerar uma atitude muito crítica sobre estas áreas. Também levará à tomada de consciência da necessidade de mudar maus hábitos alimentares e de estilo de vida, chamando a atenção para a necessidade de viver uma vida mais saudável e diferente dos padrões  maioritariamente aceites – Rahu procura sempre alguma via diferente da que é defendida pelas regras aceites. Haverá uma insistência na organização e nas questões de pormenor e a pessoa quererá aperfeiçoar aquela área de vida correspondente à casa ocupada por Rahu em trânsito. Nessa área, Rahu fará sentir descontentamento e vontade de melhorar ou aperfeiçoar. Os assuntos representados por essa casa serão objeto do interesse, dos desejos ou ambições da pessoa.

Por outro lado, a posição de Ketu no signo de Peixes está em consonância com o lado ascético de Ketu e reforça  o significado de libertação e de desejo de salvação representado por Ketu. A área de vida onde se encontra Ketu em trânsito será objeto de «desligamento» não havendo iniciativas para produzir concretizações dessas áreas na vida material. Pelo contrário, Ketu leva a pessoa a ignorar essa área, que não é por isso objeto de perceção atenta, passando despercebida à consciência imediata, ao mesmo tempo que a pessoa aspira a uma vida mais espiritual, sentindo que aquelas coisas representadas pela casa onde Ketu está localizado não lhe fazem realmente falta pois já as desenvolveu suficientemente.

Assim, são as seguintes as tendências do trânsito de Rahu e Ketu para o Ascendente Balança:

Efeitos do Trânsito de Rahu e Ketu 2014 para o Ascendente Balança

Rahu transitará pela 12ª casa e Ketu transitará pela 6ª casa. A 12ª casa é uma casa de isolamento e de espiritualidade, de afastamento dos assuntos mundanos e, nesta altura, estes nativos vão mudar bastante a sua postura habitual em relação aos seus parceiros, à sua necessidade de fazerem tudo em conjunto e de estarem continuamente com os parceiros, com os amigos etc. Rahu vai fazer surgir um súbito desejo de estar sozinho, de se encontrar a si próprio fora dos olhares dos outros e do mundo em geral. Subitamente estas pessoas vão interessar-se por um programa de recolhimento num asram ou num mosteiro; no quarto da sua casa ou num local longínquo, no qual possam isolar-se do mundo e estar consigo próprias, para «encontrarem o seu verdadeiro self», aquele que não se deixa ver  nas atividades rotineiras nem mundanas do quotidiano. Vão necessitar de se aproximar da dimensão do sagrado, seja ele religioso ou não, de uma visão mais profunda da natureza com a qual vão querer estar em uníssono, com uma forma de transcendência qualquer que lhes faça sentir  a realidade a partir de um ponto de vista espiritual.

 É claro que o signo  Balança é um signo que aprecia o luxo , o conforto e também as experiências sexuais. Ora, a 12ª casa também tem a ver com esta dimensão da vida de cada um e agora, dependendo das configurações do horóscopo, estas pessoas podem descobrir uma nova dimensão da sua sexualidade, como forma elevada de experiência espiritual, vivendo esta dimensão das suas vidas de forma completamente nova relativamente ao que era habitual. Podem inclusivamente querer ligar de forma cais palpável estes dois aspetos e, por ex., aprender  e praticar yoga tântrico ou algo semelhante.

Outros nativos, menos  voltados para a espiritualidade em sentido puro, vão sentir um desejo premente de viajar para lugares longínquos e exóticos, vivendo dessa forma, na relação com outros países e com outras pessoas, um encontro com a transcendência representada pela 12ª casa. E, se outros fatores do horóscopo o apoiarem, podem mesmo querer residir no estrangeiro, podem tomar a decisão de ir viver para um outro país, longe da terra natal.

De uma forma ou de outra, as experiências destes nativos levarão a alguma forma de desapego e de encontro com  os desejos inconscientes e com a necessidade de experimentar alguma forma de transcendência em relação ao imediato e aos ambientes  em que têm vivido. E esta necessidade tem um cunho kármico pois Rahu, ao mudar de signo, muda também a direção do karma que condiciona as nossas vidas. A entrada de Rahu em Virgem faz surgir uma consciência critica muito forte em relação ao modo como a pessoa tem realizado a sua dimensão espiritual  e o mais certo é concluir que esta tem sido negligenciada em nome da necessidade de «ganhar o pão» no dia a dia. Mas agora chega o momento de deixar essa outra área de vida e ir em busca do longínquo para uma maior realização espiritual.

Ketu a transitar pela 6ª casa,   vai gerar a perceção de que não há nada de estimulante nem de novo a realizar agora nesta área de vida. A pessoa torna-se passiva em relação a esta faceta da sua vida: o trabalho e a relação com os colegas, o ambiente do lar e os dependentes em que tem tido que  pensar  e de que  tem sido preciso cuidar; os empregados, que tiver, se existirem, tudo isso deixa repentinamente de ter um interesse principal. A pessoa pensa que tem trabalhado muito sem pensar em si mesma, tem oferecido serviço aos outros, tem cuidado da organização do lar, dos animais de estimação e dos colaboradores e colegas e por agora «está farta»; precisa de fazer uma pausa nessa área de vida e ir ao encontro de anseios mais profundos que lhe fazem um chamamento agora. Afinal, há outros que podem fazer o mesmo serviço que ela tem feito e não dramatiza sobre o que pode  acontecer com o seu «abandono». Provavelmente usará os recursos  financeiros que tiver acumulado e pode até, se tiver essa possibilidade, pedir uma licença sem vencimento e ir  ao encontro de uma transcendência que o subconsciente lhe apela para conhecer.  Por isso delegará todas as suas funções habituais em outros, se isso for possível, para se libertar. O seu apego ao trabalho e aos ambientes  doméstico e profissional agora sofrem uma rutura clara . Se não de forma aberta porque nem todos estes nativos poderão abandonar o seu serviço e partir para algum lugar longínquo, pelo menos psicologicamente a pessoa estará desligada do seu trabalho e os colegas e demais membros da equipa de trabalho vão notar ela não parece a mesma pois a sua atitude em relação ao trabalho  e aos seus  deveres concomitantes, mudou. E, o que é mais relevante, na opinião do nativo, mudou  incomensuravelmente para melhor. Porque, nos meandros da sua psique, esta pessoa está agora numa outra dimensão e está a adorar a sua nova postura perante a vida.

Deixe um comentário a sua opinião conta