Terapia das Cores, Índigo, a cor da intuição

ind

A cor índigo é uma cor associada à espiritualidade e à intuição. Trata-se de uma cor que resulta da mistura entre o azul e o violeta e é a cor associada ao chakra do terceiro olho. É uma cor fria, elétrica e adstringente e  diz-se que esta é a cor da luz usada pelo espírito para  comunicar informação de fontes superiores para um médium. É considerada a cor do espírito santo,  uma cor conectada com o misticismo e com a intuição espiritual, com a capacidade de saber e de compreender sem saber justificar porquê ou como se sabe. Por essa razão representa o 6º sentido e também é associada à «intuição feminina» como perceção extrassensorial fina da realidade.  Sejamos homens ou mulheres, esta cor conecta-nos com o lado feminino do nosso ser e permite-nos aceder à sabedoria mais profunda que corresponde à compreensão clara de porque é que estamos aqui. Também é a cor do conhecimento divino e da mente elevada. A exposição à cor índigo eleva a consciência, afastando-a do plano físico e fazendo-a entrever uma realidade mais espiritual.

A cor índigo está associada ao nosso sistema solar. No nosso organismo, associa-se ao chakra do 3º olho situado a meio da testa. Este chakra é considerado o mais espiritual de todos e permite uma compreensão que resulta da associação entre a imaginação, a intuição e a perceção, levando-nos, no entanto, para além da perceção sensorial para um plano de perceção em que «vemos, cheiramos e ouvimos» sem o uso dos sentidos físicos. Este chakra tem influência sobre os olhos,  sobre a  parte inferior da cabeça, os seios nasais e a glândula pituitária. A cor índigo, tal como os tons mais profundos de azul, é uma cor dinâmica, eficaz na cura de sintomas tanto no plano físico como espiritual.

No plano físico, o índigo tem uma ação purificadora sobre a corrente sanguínea, tonifica os músculos e reduz o sangramento; pode ser usado com sucesso para tratar todos os problemas da face (incluindo os olhos, os ouvidos, o  nariz, a boca e os seios nasais). Também pode ser usado para tratar problemas nos pulmões,  apendicite, condições de asma, bronquite, cataratas, convulsões, dispepsia, surdez, problemas dos ouvidos, doenças dos olhos, hipertiroidismo, problemas nervosos, problemas nos seios nasais, sangramento do nariz, paralisia facial , pneumonia, doenças da garganta como  amigdalite, tosse irritativa, tensão, dor de cabeça  e enxaqueca, visão defeituosa, glaucoma, etc. Também tem um efeito sedativo e ajuda-nos  a lidar com inseguranças no plano  mental  e também nas condições da mediunidade, ajudando a lidar com esta realidade.

No plano mental  e psíquico, o índigo controla as correntes psíquicas dos corpos subtis  e governa o chakra que controla a glândula pineal. Afeta a visão, o ouvido e o cheiro, tanto no plano físico como emocional e espiritual. Associada à meditação esta cor permite alcançar níveis mais elevados de consciência e desperta a devoção e a intuição. Esta cor também está  associada ao chakra causal situado atrás da cabeça e que é um registo de todos os eventos guardados do percurso da personalidade alma, os «registos akásicos» que transportam o nosso karma. Esta cor dá acesso a uma perceção extrassensorial e permite-nos ver claramente o que anteriormente estava escondido, numa apreensão sintética em que se vê claramente o lugar de cada  parte no todo universal.

O índigo também se relaciona com a auto responsabilidade, com a capacidade  de sermos  responsáveis  pela nossa própria vida; ajuda-nos a confiar na  nossa própria intuição e a seguir os ditames desta. Representa a potencialidade para desenvolvermos um ponto de vista mais elevado na nossa vida que não seja apenas o desejo de satisfazer objetivos do ego ou o conforto material.  Esta cor também nos ajuda a sentir  a unidade, na perceção de que fazemos parte do universo inteiro. Ao mesmo tempo também nos ajuda a ter a compreensão da nossa realidade como seres únicos e especiais, ajudando-nos a captar mensagens que são únicas e dirigidas a nós. Também nos ajuda a disciplinar a tendência para nos sentirmos solitários, levando-nos a sentir a união com o todo; facilita a capacidade de comunicação dos sentimentos mais profundos e dos conceitos abstratos.

A cor índigo é muito adequada para ser usada em salas de tratamento , em salas de estudo e nos quartos de dormir, integrada nos elementos da decoração.  Não é uma cor apropriada para lugares de entretenimento.

O excesso da cor índigo pode causar depressão e um sentimento de separação em relação aos outros. Esta cor pode ser equilibrada com tons suaves de laranja. A sua cor oposta e complementar é o dourado.  Quando está em desequilíbrio, a cor índigo produz uma espécie de complexo de superioridade e leva a pessoa a ter um comportamento guiado pela ilusão e pela fantasia,  guiada por um idealismo irrealista associado à convicção de que só ela é que tem razão e todos os outros estão errados.

Para equilibrar esta cor que, na maioria dos seres humanos atuais está pouco operante, podemos usar cristais: azurite, safira azul, lápis lazúli, covelite, tanzanite, sodalite, etc. e, o mais importante, devemos estar atentos a esta  visão interior e às suas mensagens que, em certos momentos da nossa vida, nos transmitem mensagens únicas que podem mudar as nossas vidas.

Poderá Gostar de Ler

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.