Personalidade Básica Ascendente Balança, Lua Virgem e Sol Balança

ele

Respondemos a  mais um pedido com uma nova personalidade básica .

Os nativos com Ascendente no signo de Balança são habitualmente elegantes e atraentes, possuindo alguns traços distintivos que lhes dão refinamento, muitas vezes beleza e um sentido inato da harmonia. São pessoas que gostam de se rodear de objetos e de seres belos pois são muito sensíveis aos fatores estéticos. Gostam de conforto e de luxo e dão muita importância à sua aparência. Costumam ter um guarda-roupa variado e de grande qualidade e gostam de ornamentos e de  joias, bem como de tudo o que lhes permite manter e aumentar a beleza e a forma física. Podem por isso frequentar com assiduidade o ginásio, o SPA, os cuidados estéticos.

Para além disto, estes nativos não funcionam bem sozinhos, precisam de um parceiro a nível pessoal, tanto ao nível da amizade como dos relacionamentos amorosos: se esta área das suas vidas não correr satisfatoriamente mais nada funciona verdadeiramente. Esta dependência do  seu propósito de vida e sentido de felicidade de uma outra pessoa faz deles pessoas inseguras   que casam  com frequência muito cedo para alcançarem a segurança básica que, para eles, consiste em ter um parceiro a quem se liguem, de forma permanente.  O casamento ocupa, deste modo, um lugar fundamental na vida destas pessoas que são românticas mas também precisam do apoio do parceiro para lhes confirmar a identidade e as competências ou capacidades pessoais.  Porém, como procuram no parceiro a  assertividade e a capacidade de afirmação que lhes falta (representado pelo signo oposto, Carneiro), isto muitas vezes atinge-os como um bumerangue, quando não têm a sorte de encontrar alguém que seja firme sem ser autoritário  ou abusador. O divórcio ocorre por isso também com frequência após muito sofrimento emocional que obriga estas pessoas a escolher entre os seus valores e aquilo que acham correto e a sua dependência emocional em relação a parceiros pouco escrupulosos. Esta é  uma experiência muito difícil mas também necessária para «obrigar» estes nativos demasiado dependentes de outrem a tornarem-se mais independentes e completos, encontrando em si mesmos recursos e força para se afirmarem na vida de acordo com os princípios que defendem.

E é nesta tarefa que a excelente capacidade lógica e a inteligência dos nativos de Balança pode ajudar pois são exímios na compreensão e na argumentação, sendo capazes de medir e analisar com profundidade  as duas partes de qualquer conflito ou oposição, de forma imparcial e objetiva. São também excelentes negociadores e mediadores, sendo orientados por um impulso inato de equilíbrio e de desejo de igualdade. São estes princípios profundamente arraigados no  seu âmago que lhes permitem ultrapassar a sua dependência emocional e tornarem-se mais maduros e afirmativos, sobrepondo o poder racional e os seus valores a todas as dependências emocionais que reconhecem como indesejáveis e  prejudiciais. Quando atingem este ponto, estes nativos são excelentes líderes e orientam-se para uma vida que pode ser muito útil para a sociedade, seja numa carreira de investigação científica, seja  ocupando  funções de proteção e direitos sociais, seja na atividade política  e jurídica, ou outras carreiras igualmente relevantes socialmente. O  tipo médio exprime  o seu desejo de harmonia e de ligação através de alguma atividade em que trabalha na área da estética ou do entretenimento enquanto mantém uma vida social bastante ativa.

Quando ao Ascendente Balança se associa a Lua no signo de Virgem, temos um signo de Terra  que não se harmoniza de imediato com o Ar do signo do Ascendente. A Lua em Virgem torna esta personalidade mais introvertida e menos imediatamente sociável. Acentua também a capacidade crítica desta pessoa, cujo perfecionismo pode conduzir a dificuldade no relacionamento próximo com os outros, por encontrar sempre «defeitos» na sua forma de ser e de agir.  A Lua rege a 10ª casa neste Ascendente e encontra-se colocada na 12ª. Não é uma posição que facilite o reconhecimento ou a visibilidade pública dos méritos pessoais. Esta pessoa  tende a passar despercebida e, por mais méritos que tenha, estes não são, muitas vezes, visíveis para os outros, o que pode ser causa de frustração para uma personalidade que tem brio em fazer tudo «o melhor possível».  Esta colocação do regente da 10ª casa produz instabilidade e mudanças frequentes no emprego bem como indica muitas vezes uma vida que tem que enfrentar dificuldades persistentes. Alguns nativos com esta posição do  regente da 10ª casa têm que abandonar o seu país de origem para trabalhar em outro país.

Por outro lado,  a Lua colocada na 12ª casa também  revela a necessidade de crescer e  de amadurecer muito cedo, deixando muitas vezes  um rasto de amargura pela ausência do calor afetivo  da mãe durante a infância. Indica que a pessoa teve que se isolar emocionalmente e só pôde contar consigo própria numa idade em que deveria ter tido a disponibilidade do calor materno. A mãe pode ter tido uma vida difícil ou mesmo pode ter morrido cedo. Esta posição da Lua acentua  o caráter indeciso e pouco firme que é predisposição do signo Balança e estes nativos, devido à falta de amor e de nutrição/proteção durante a infância, podem casar muito cedo para tentar encontrar o que não tiveram cedo na vida mas  têm muitas vezes dificuldade em  confiar e abrir-se inteiramente ao outro e isso leva também ,com alguma frequência, ao fracasso do casamento. Existe habitualmente  o sentimento de não ser amado verdadeiramente,  e pode haver inimigos a causar problemas  e isso torna a felicidade mais difícil de alcançar. Pelo menos até a pessoa perceber que essas experiências  difíceis têm uma finalidade importante no seu desenvolvimento espiritual. A colocação da Lua na 12ª casa revela a necessidade de avançar espiritualmente para uma outra forma de compreensão da realidade e, até esta surgir, a pessoa debate-se  com o seu sofrimento emocional . Deverá aproveitar as características do signo Virgem ocupado pela Lua para superar isso: a Lua em Virgem é profundamente racional. O seu sentido prático ajuda estes nativos a situarem-se no aqui e agora da existência e a terem uma ideia clara da realidade e daquilo que é possível ou não fazer.

A Lua em Virgem tempera o idealismo romântico do Ascendente Balança ajudando a desenvolver uma abordagem mais realista de todas as coisas. Virgem impele para o aperfeiçoamento mas na esfera da realidade concreta, da realização  das tarefas  do quotidiano e do trabalho, substituindo impulsos românticos por objetivos viáveis no aqui e agora e  capazes de contribuir para  a subsistência material. A sua colocação na 12ª casa pode, por outro lado, conduzir a uma carreira que se desenvolve fora dos olhares públicos, como o trabalho numa instituição de saúde (hospital, centro de enfermagem), de proteção social (lares, etc.) Esta posição da Lua também pode indicar trabalho em organizações internacionais de ajuda (refugiados, vítimas de guerra, etc.). De qualquer modo, esta configuração parece ser mais produtiva e causadora de realização pessoal quando o nativo se dedica a alguma causa ou atividade que ultrapassa a satisfação das suas meras necessidades individuais. Deve ver-se se a Lua estava brilhante no nascimento pois isso ajuda  a realizar os seus significados positivos.

Quando a esta configuração do Ascendente no signo de Balança e da Lua em Virgem se associa o Sol no signo de Balança,  percebemos que o propósito de vida da alma desta pessoa (representado pelo Sol) está ligado à redefinição da identidade e que isso deve ser feito através das experiências na existência concreta.

Sol está debilitado  no signo Balança e a sua colocação na 1ª casa não favorece a autoestima nem a autoconfiança deste nativo. Será uma dura prova, a luta com estes fatores que dilaceram a identidade e que dificultam a autoaceitação e a capacidade de se amar a si mesmo.  A tendência  crítica da Lua em Virgem tenderá a virar-se privilegiadamente contra a própria pessoa e será muito duro vencer este impulso que vem do inconsciente (12ª casa) e , provavelmente , de um passado remoto. Um sentimento de culpa tende a perpetuar-se continuamente e a levar à autoanulação da pessoa que se torna assim capaz de grandes sacrifícios, esquecendo as próprias necessidades  e, sobretudo, esquecendo que os «erros» são inerentes ao ser humano. A sua grande lição de vida será, provavelmente, aprender a perdoar-se  e a deixar de se anular. Existem nesta configuração muitos fatores inconscientes a introduzir-se nos processos normais de pensamento e nas escolhas desta pessoa  que terá que percorrer um longo caminho até se perdoar a si mesma e permitir-se alcançar paz mental.

Enquanto essa autoaceitação não ocorrer, problemas de saúde, falta de reconhecimento dos outros, que podem mesmo fazer falsas acusações contra si,  irritabilidade e uma atitude por vezes explosiva, podem tomar conta  dos cenários da sua vida.   O pai deste nativo pode também ter uma vida difícil  e cheia de sofrimento por alguma razão e, deste modo, confirma-se  a falta de um enquadramento afetivo harmonioso durante a infância . Este nativo não contou, provavelmente,  com o apoio que deveria ter tido de ambos os pais, o que é um começo de vida muito difícil e que deixa muitas marcas difíceis de vencer. Porém, este levar ao limite da ausência de apoio dos que nos são mais próximos é também uma forma evidente para a mente muito analítica e inteligente destes nativos de que é possível encontrar apoio em si mesmo, explorando os recursos que nos ligam a algo maior do que nós e superar as feridas profundas deixadas pelas memórias mais difíceis. Na verdade, existe um caminho alternativo ao da amargura  e do ressentimento, da raiva e da frustração: é o caminho do serviço altruísta aos outros, dando-lhes aquilo que nós não tivemos e que aprendemos a apreciar como ninguém. Essa ajuda aos outros é uma forma privilegiada para um nativo que precisa tanto da confirmação de si mesmo   através dos outros como é o nativo de Balança, construir a sua identidade. Em cada dar genuíno há sempre também um receber, reconhecido na transparência da alma que se sente em paz consigo mesma.  E, para este nativo, essa aprendizagem de um «outro» que vai para além do pessoal, parece ser a melhor forma de atingir os objetivos representados pela simbólica da sua personalidade básica. Nem todos os caminhos são igualmente fáceis mas os mais difíceis têm também um maior potencial  final de realização.

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.