Óleo Essencial de Angélica

ang1

A lenda afirma que os benefícios da planta Angelica foram revelados a um monge por um anjo durante uma epidemia de peste, explicando assim o largo uso desta planta no combate a essa terrível epidemia.  Existem muitas variedades de Angelica, que pode atingir entre 1,5 e 2 m mas, a melhor, segundo os peritos, é a officinallis, donde é extraído o óleo.

O óleo de Angélica tem um aroma relaxante e suave , que ajuda a  obter um ambiente calmante, e as suas propriedades levaram a designá-lo por  «óleo dos Anjos» . hoje em dia este óleo é usado largamente em muitos países europeus,  pela indústria alimentar, devido ao seu aroma para intensificar o sabor/cheiro de alimentos e bebidas e na indústria de perfumes.

ang4

O óleo é extraído da planta Angelica Archangelica or Angelica Officinalis, que cresce na Europa do Norte e em outras regiões. Paracelso, durante uma grande epidemia de peste em Milão, no século 16, aconselhou o seu uso para combater esta epidemia: os caules eram mastigados para prevenir a infeção e as sementes e as raízes eram queimadas para purificar o ar. Na peste de 1660, voltou a ter largo uso  no combate aos terríveis efeitos da epidemia.  Desde tempos muito antigos, foi usada na China, para fins medicinais.  À medida que o tempo foi passando, a Europa foi descobrindo  as suas muitas propriedades medicinais, consideradas verdadeiramente miraculosas. Estas propriedades assentam num conjunto elevado de compostos fitoquímicos, presentes no sue óleo essencial, obtido pela destilação a partir do rizoma, sementes e de toda a planta.

Existem dois óleos essenciais de Angelica: um extraído das raízes, outro das sementes. Embora as sementes produzam mais óleo do que as raízes, o óleo destas últimas é muito mais forte e concentrado. Por vezes estes dois óleos são misturados. Quando acabado de extrair, o óleo não tem cor. À medida que o tempo passa vai adquirindo uma cor amarelada e, mais tarde, castanho escuro. Não deverá ser usado quando adquire esta última cor.

O óleo de Angélica é conhecido pelas suas propriedades antiespasmódicas, aliviando assim muitos sintomas desagradáveis como cãibras, contracções no trato respiratório, músculos ou nervos, dores de estômago e no peito, quando relaxa essas zonas do corpo; tem propriedades carminativas, isto é, alivia os gases, relaxando os músculos abominais e intestinais e fazendo sair o gás sendo por isso um excelente auxiliar em caso de flatulência e dores de estômago, náuseas e indigestão;  depurativas e diuréticas pois ajuda a purificar o sangue, e também a purifica-lo, pois, ao aumentar o fluxo de urina, ajuda a libertar as toxinas acumuladas; diaforéticas, digestivas, hepáticas, ajudando o corpo a libertar-se de resíduos que causam problemas renais, baixando também a pressão sanguínea e a acumulação de gordura. Ajuda a alcançar o equilíbrio ácido- básico,  promovendo o equilíbrio potássio/ magnésio. Ajuda  a remover o ácido úrico, o que alivia os sintomas de reumatismo, artrite e gota; e  emenagogas (ajuda a tornar os períodos menstruais das mulheres mais regulares e equilibrados), expectorantes, febrífugas, estimulantes e tónicas. Deste modo, alivia os espasmos, cólicas digestivas, melhora a digestão, aumenta o fluxo de urina e remove as toxinas.

ang2

Deste modo, o  óleo de Angélica é bom para o fígado, protegendo-o de infeções e estimulando o seu  bom funcionamento; reduz a febre e o catarro, auxilia no tratamento das desordens nervosas, alivia as dores , incluindo as dores de cabeça e a dor ciática e tonifica o corpo. Também fortalece o sistema imunitário, produzindo igualmente bons efeitos no tratamento da bronquite e da asma. A sua ação é também positiva sobre o sistema linfático. O seu uso é deste modo benéfico globalmente , tendo grande potencial curativo.

Quanto o modo de usar, este óleo essencial pode ser queimado no difusor para produzir uma atmosfera calmante, pode ser inalado directamente e pode diluir-se em «óleo de transporte», vegetal, para ser usado de forma tópica, em massagens. Mas deve ficar uma palavra de cautela: as mulheres grávidas e  a amamentar e os diabéticos não devem usar este óleo essencial.  Para as pessoas em geral, fica também a advertência de que o óleo não deve ser usado em concentração elevada, pois, nesse caso, pode produzir irritação da pele, fototoxicidade e hiperatividade do sistema nervoso. Para produzir os seus efeitos benéficos, deve fazer-se um uso correto do óleo, diluindo-o num óleo base, ou óleo de massagem, numa concentração de 2 gotas de óleo de Angélica para 20 ml (4 colheres de chá de óleo de base). Nesta concentração, pode misturar-se com 2 gotas de óleo de eucalipto e , ligeiramente aquecido, pode massajar-se nas costas e no peito, para aliviar constipações e tosse. Também podem deitar-se 2 gotas do óleo na água do banho . Não deverá haver exposição solar após a aplicação do óleo no corpo nem exposição a raios ultravioleta pois isso pode causar dermatite.

Mastigar algumas raízes secas  da planta duas vezes por dia, durante 6 meses aumenta, segundo os entendidos, a resistência a viroses. Outro uso tradicional é mastigar alguns caules após as refeições para evitar gases e flatulência.

ang3

As raízes e sementes podem ser queimadas para purificar o ar, deixando um aroma muito agradável.  As folhas e raízes da Angélica também ficam muito bem no «pot pourri».

O óleo de Angélica pode usar-se misturado com óleo de alfazema, camomila, manjericão, limão, gerânio, uva, patchouli e tangerina.

Deixamos, para os que queiram experimentar, uma «receita caseira»  de xarope desta planta: o «Vinho de Angélica» útil como fortificante quando se está a convalescer e em muitas  das situações  que descrevemos atrás, segundo a «Bíblia da Aromaterapia». Para fazer este fortificante deverá ter os seguintes ingredientes: 1 litro de vinho de Málaga; 30 gr de raízes de Angélica; 20 gr de sementes de Angélica; 10 gr de Canela. Misture bem todos os ingredientes e deixe estar durante 10 dias num frasco hermeticamente fechado. Coe para um recipiente. Pode tomar 3 colheres de sopa por dia deste xarope. E boa saúde!

Uso Metafísico do Óleo Essencial de Angélica

A tradição atribui ao óleo essencial de Angélica as qualidades espirituais de conforto, concentração, força e estamina, enraizamento. Também se diz que esta é uma das fragrâncias angélicas, daí o nome atribuído a esta planta. Também está associado à cura, proteção e à visão interior. Tradicionalmente, espalhavam-se algumas gotas desse óleo essencial nos 4 cantos da casa para proteção, tanto no interior como no exterior da casa, quando aplicável. Quando a vida se torna problemática, o óleo essencial ajuda, segundo os entendidos, a encontrar  soluções, dando energia e força para avançar e superar os problemas.

Deixe um Comentário a sua opinião conta