Casas «Tópicas» e «Dinâmicas» na Astrologia Helenística

casas tópicas e dinâmicas

Os astrólogos helenísticos usavam o sistema «uma casa= um signo inteiro». As casas tornaram-se, deste modo, o «domicílio» dos planetas regentes dos signos. Porém, para analisar a força dos planetas usavam as «casas dinâmicas». Para o efeito dividiam os 4 ângulos do horóscopo- Do Ascendente ao Fundo do Céu, deste ao Descendente, etc., dividindo por 3 o número de graus que ia de um ponto angular ao outro.

As casas do horóscopo não são, no entanto, estáticas, são antes dinâmicas e representam o movimentos dos planetas e dos 4 ângulos do horóscopo através do movimento diário da eclítica. É neste contexto de movimento que devemos entender a classificação das casas como kendra ou angulares, sucedentes e cadentes. Ao longo dos artigos que iremos publicar sobre cada uma das casas do horóscopo a partir dos conceitos da Astrologia Helenística, iremos perceber melhor algumas características atribuídas a cada casa do horóscopo nos nossos dias.

As casas angulares- 1, 4, 7 e 10-  eram designadas kentron, que significa «ponto» à volta do qual  se desenha um movimento circular, o movimento dos planetas, que são vistos como movimentando-se à volta destes «pontos pivot» que são as cúspides das casas angulares. Assim, os planetas colocados nas casas kendra estão mais fortes pois estão centrados nos pontos mais fortes do horóscopo ; os que estão colocados na 2ª casa a partir destes pontos- 2ª, 5ª, 8ª, 11ª- movimentam-se para fora do espaço de influência dos pontos angulares , através do seu movimento natural à volta da eclítica, de oeste para este, embora sejam «devolvidos» à sua colocação original pelo movimento de rotação  diurno da Terra que faz com que todos os planetas ascendam no Este e se ponham no Oeste uma vez por dia.

Os planetas colocados nas casa cadentes ou apoklima- 3, 6, 9, 12- eram vistos como tendo um movimento de viragem, desviados para o lado, «virados» antes de poderem  regressar aos pontos estacionários que são os ângulos do horóscopo, através do seu movimento  natural à volta da eclítica na rotação diurna da Terra.

Esta conceção dinâmica do horóscopo e das casas faz com que, na opinião do investigador de Astrologia Helenística Robert Schmidt, as casas angulares sejam vistas como «pontos de viragem» em relação aos quais as restantes casas «giram» de forma complementar.

Assim, a 1ª casa faz do indivíduo o pivot essencial, à volta do qual a 2ª casa se desenvolve no sentido de trazer algum tipo de retorno ao bem estar do nativo, enquanto que a 12ª casa significa aquilo que é levado (perdas) ou é tirado do nativo. Os planetas na 12ª casa aproximam-se do Ascendente mas são levados ou virados para fora com a rotação diurna da Terra.

A 10ªcasa é uma casa de concretização pela ação, de realização. Os planetas colocados no meio do céu na 10ª casa simbolizam a realização de ações, nomeadamente ligadas à carreira do nativo. Ora, os planetas colocados na casa sucedente 11ª movem-se  na direção exterior da 10ª casa e do contexto imediato da ação individual mas são «devolvidos» à 10ª casa pelo movimento de rotação diurna . Ao afastarem-se da 10ª casa têm o papel de procurar apoios dos outros para levar a  cabo as ações da 10ª casa por isso esta casa significa os amigos, os patronos, proteção e favores que facilitam a concretização dos propósitos individuais.  Por isso esta casa significava também, para os que eram escravos, a sua emancipação.

This site is protected by wp-copyrightpro.com

%d bloggers like this: