A Terceira Casa do Horóscopo na Astrologia Helenística

A 3ª casa na Astrologia Helenística

A 3ª casa na Astrologia Helenística

Neste artigo falamos dos significados da 3ª casa segundo a Astrologia  Helenística.

A 3ª casa do Horóscopo era designada por «o lugar da Deusa da Lua». Esta é a casa onde  os antigos afirmavam que a  Lua tem a sua «alegria» ou «felicidade». Falaremos em outro artigo das «alegrias» dos vários planetas, um conceito –chave da astrologia mais antiga.

Segundo as fontes da Astrologia Helenística, é a 3ª casa e não a segunda, que se refere às posses. A 2ª casa refere mais claramente «os meios» de ganhar a vida e o sustento, bem como o potencial de sucesso para adquirir propriedade.

Mas as  posses propriamente ditas eram atribuídas à 3ª casa, provavelmente porque a Lua é um significador de bens materiais e também de sustento e tem aqui o seu lugar de «felicidade ou alegria».

É claro que o potencial para adquirir posses (2ª casa» e as posses propriamente ditas são conceitos muito interligados, pelo que não admira que a tradição os tenha aglutinado na 2ª casa. Mas os autores helenísticos não tinham dúvidas de que é a 3ª casa que indica as posses.

As fontes antigas também referem que a 3ª casa significa os irmãos, em especial os irmãos mais novos e a correspondência que foi feita na Astrologia contemporânea entre a 3ª casa e o signo Gémeos ajuda-nos a compreender outros aspetos importantes dos significados da 3ª casa: as novas gerações  desenvolvem  outras formas de pensar que desafiam as ideias vigentes e a autoridade vigente.

Assim, os irmãos mais novos influenciam o nativo, pois a sua rebeldia e desafio à autoridade, ao mesmo tempo fornece uma oportunidade para mudar as formas de pensar e as atitudes mais conservadoras que o nativo interiorizou no processo de educação precoce.

Tal como acontece com o signo Gémeos, que significa a curiosidade incessante que questiona continuamente as ideias rígidas através de formas de raciocínio crítico divergente, por oposição a Sagitário que representa o respeito pela tradição e religião vigente que conserva as ideias do passado, Gémeos rompe com isso na sua atitude de rebeldia e desejo de mudança.

É assim que compreendemos como a 3ª casa é hoje associada ao empreendedorismo, iniciativa, comunicação «fora da caixa», com produção inovadora. Todos esses significados simbolizam o facto de a 3ª casa estar associada ao «movimento», tanto do pensamento e das ideias, como ao movimento físico, significando por essa razão o «afastamento de casa», isto é, todas as circunstâncias que nos obrigam diariamente a movimentar-nos de um lugar para o outro.

Mais uma vez podemos também relacionar isto com a própria Lua, associada a esta casa: a Lua movimenta-se sem cessar, fazendo-o ciclicamente segundo um ritmo próprio. Daí que também as deslocações indicadas por esta casa sejam as do quotidiano, repetindo-se continuadamente mas alimentando-se ao mesmo tempo dos novos estímulos que essa mudança vai trazendo.

Assim, a 3ª casa significa o pensamento que  critica e desafia as ideias «permanentes» ou consideradas definitivas pela 9ª casa, ao mesmo tempo que também estabelece a distinção entre as «ideias imutáveis» associadas ao mundo espiritual  ou religioso e as ideias nascidas do pensamento terreno e material, da curiosidade empreendedora da mente material e sensorial que alimenta o raciocínio  lógico e o poder cultural da «palavra».

Deste modo, enquanto  a 9ª casa representa o domínio da unidade do Ser, a 3ª representa a multiplicidade da manifestação finita deste, numa variedade e mudança que tanto a Lua como o planeta Mercúrio representam.

Para os astrólogos helenísticos a Lua não tinha uma associação com os significados, acrescentados pela Astrologia medieval, de escuridão ou «mal», associação que foi derivada do facto de a Lua ter a regência da «divisão noturna» (seto).

Na referência à oposição com a 9ª casa, a 3ª casa indica a formação de novos hábitos mentais, novas formas de «fé» e novas crenças, trazidas pelo raciocínio lógico da mente terrena e da relação entre a vida humana e o ambiente terreno onde se desenvolve a nossa vida.

Esta nova atitude mental abre o caminho para a tolerância e a necessidade de mudança através da constatação de que, neste mundo de finitude em que se desenrola a vida humana, nada é permanente, todas a formas e ideias se transformam e desvanecem.

Assim, a 3º casa também simboliza os ambientes imediatos e materiais da nossa vida, bem como os processos de formação da nossa estrutura mental  e dos meios que usamos para desenvolver a nossa identidade terrena, destacando-se o uso da palavra e do pensamento, ou o desenvolvimento do logos pela educação e experiências nos contextos imediatos.

É por isso que os planetas colocados nesta casa mostram  a forma como comunicamos e pensamos, o processo da nossa educação (e se esta sofre ou não desafios e obstáculos) e se, ao longo da nossa vida terrena, teremos ou não que nos mover e  afastar do lugar onde vivemos  e temos «as nossas posses».

Mostra também o modo como nos relacionamos com todos os que nos são próximos, tanto os irmãos e parentes próximos como os vizinhos e todos os que fazem parte do nosso quotidiano.

Robert Schmidt, um investigador e conhecedor profundo dos significados das casa do horóscopo na Astrologia Antiga, refere ainda outras designações que eram dadas para a 3ª casa: «O bom declínio», referindo-se esta designação à classificação, que explicámos em artigo anterior  das casas em angulares, sucedentes e cadentes, sendo que «declínio» é sinónimo de casa cadente, uma vez que é a 3ª a partir da 1ª. A razão de ser  um «bom declínio» deve-se ao facto de a Lua ter aqui a sua «alegria» e, por isso, assegurar posses

. É também designada por «Lugar à sombra» porque a Lua rege a divisão  noturna, tendo, ao mesmo tempo, a conotação de um lugar «onde se pode encontrar abrigo ou descanso. Outra designação afirma que a 3ª casa é «um lugar entre mundos».

Julgamos que esta designação se refere, entre outras coisas, ao facto de não ser um lugar de permanência mas um lugar de transição, de mudança, de movimento entre um espaço e outro (entre uma ideia e outra, etc.).Em sentido mais literal pode ser referente à divisão entre o «mundo noturno» e  «o mundo diurno».

Robert Schmidt refere ainda outros significados que foram sendo acrescentados com o tempo: a 3ª casa também significa os amigos e a relação entre anfitrião e hóspede ou convidado (ou os contactos que temos com outros de forma não permanente, acrescentamos), Viagens;

Realeza, reino, rainha, autoridade (alguém que detém os recursos, este significado apontando para as posses referidas no início), Rhetorius afirmou ainda que esta é a casa dos sonhos e da devoção religiosa (porque uma coisa é a «verdade» ou princípios espirituais ou religiosos e os seus rituais  – significados pela 9ª casa – outra é a experiência individual e mental dos mesmos através da apropriação do seu significado para cada indivíduo);

Os restantes significados associados com a 3ª casa- viagens curtas e não apenas «viagens»; cartas, mensagens e comunicação, foram acrescentados a partir da Astrologia Medieval. O significado antigo de autoridade e realeza perdeu-se a partir da época Medieval.

Deixe um comentário a sua opinião conta