A 5ª Casa do Horóscopo Segundo a Astrologia Helenística

 

5ª casa na Astrologia Helenística

A 5ª casa era designada antigamente como a casa da «Boa Fortuna», muito provavelmente porque é aqui que Vénus, a «estrela de Afrodite», tem a sua «alegria». Este conceito de «alegria», contentamento ou felicidade dos planetas será tratado num outro artigo.

Nos tempos em que os filhos – e uma quantidade razoável destes- eram vistos como um bem e uma segurança  essencial para o nativo, a 5ª casa passou a significar também os filhos, pois tê-los era sem dúvida sinal de «Boa Fortuna».

A economia doméstica precisava de braços e mãos para trabalhar sendo que, na antiguidade, a agricultura e os ofícios artesanais beneficiavam grandemente da existência, na família, de crianças em bom número. O mesmo acontecia com a segurança em situação frequente de guerra e escaramuça. Assim, ter filhos é um sinal de boa  fortuna e tem a ver com a 5º casa.

Enquanto a 4ª casa significa os muros ou vedações  que colocamos entre aquilo que nos pertence e os outros, a 5ª casa simboliza a saída desses muros para iniciar o encontro com o outro, a nível pessoal- pois a 5ª casa ainda está abaixo do horizonte, sendo que muitos dos seus processos são «invisíveis» para o mundo em geral. A 5ª casa é uma casa sucedente, não sendo por isso um movimento linear e totalmente harmonioso em direção aos outros.

Crises e conflitos internos no dar e receber desse processo estão ainda presentes pois, nesta casa, ainda não existe o «nós» que é típico da 7ª casa, que procura já um equilíbrio, através da negociação e do contrato, entre o eu e o tu. Na 5ª casa o processo está ainda a nascer, num movimento de «avanços e recuos» que forma, como bem notou Curtis Manwaring, um aspeto de 90º em relação à primeira casa sucedente, a 2ª.

Assim, a 5ª casa representa desafios em relação aos nossos recursos disponíveis e, por associação com a 1ª casa sucedente- a 2ª- também indica o modo como investimos – materialmente em termos financeiros ou emocionalmente em relação aos outros.

E, por associação de ideias, também representa os nossos  hábitos de gastar  todos os tipos de recursos.  Estando no quadrante oeste do horóscopo, no entanto, a 5ª casa significa também a resposta que os outros dão aos nossos esforços de exteriorização e relacionamento.

A 5ª casa simboliza aquilo que exteriorizamos a partir do nosso eu ou identidade, que lançamos para fora de nós num processo criativo, tanto em termos biológicos- como ter um filho- como em termos emocionais e intelectuais, simbolizando todos os processos criativos, incluindo a diversão e o jogo. É uma casa de experimentação, de «treino» em relação às possibilidades de ser.

Emocionalmente, simboliza o romance – que contém uma boa parte de fantasia e efabulação que conduz ao encontro com  o outro, numa espécie de estória imaginada que se experimenta viver na primeira pessoa e que é mais comandada pelas fantasias emocionais do que pelo sentido pragmático da realidade e das necessidades sociais, como sucede com a 7º casa, que simboliza o casamento.

Quando a 5ª casa é ocupada por signos de Água, os antigos afirmavam que isso é sinal de fertilidade e de abundância de filhos. O mesmo era considerado quando os maiores benéficos, Júpiter e Vénus, estavam aqui colocados.

Porém, quando Saturno está nesta casa, os antigos viam aqui ou a dificuldade em ter filhos ou a morte prematura destes. Os signos quadrúpedes ocupando esta casa eram também indicadores de poucos filhos. Através dos tempos, a presença de planetas  maléficos na 5ª casa foi considerada um indicador de relacionamento problemático com os filhos.

Robert Schmidt refere a associação na Astrologia Helenística , com o astrólogo Valens, da amizade e da sociedade, bem como as ações benéficas.  Mas ,segundo Schmidt ,foram os astrólogos medievais que associaram à 5ª casa os significados de alegria e diversão, romance e relacionamentos amorosos e prazer (devido ao facto de Vénus ter nesta casa a sua «alegria») mas este investigador considera que tais temas não estavam presentes na antiga astrologia Helenística.

Sendo uma casa sucedente, tal como acontece com a 2ª, a 5ª casa move-se para fora da influência da 4ª casa, afastando-se desta (daí o significado de desafios e conflitos pois há um afastamento em relação aos normais limites de segurança) mas o movimento  diurno traz de volta, na direção da 4ª, o que primeiro afastou. Daí a associação com a «sorte» que acontece por intervenção divina, de forma imprevisível e inesperada.

Esta sorte refere-se a algo que é devido ao nativo mas que vem ter com este sem que este o espere ou preveja no momento em que acontece. Aqui, R. Schmidt esclarece alguns aspetos curiosos: a 4ª casa, na Astrologia Helenística também significa os filhos mas, enquanto estes são suportados pelo nativo, no sentido de que este tem os filhos que consegue sustentar (na família).

Mas, estando a 5ª casa associada com a «sorte» imprevisível, a 5ª casa pode significar os filhos que nascem fora do casamento ou que «acontecem» sem serem planeados. A 10ª casa é, no entanto, para a Astrologia Helenística, a casa principal na significação dos filhos pois significa os filhos  que nascem pela própria ação deliberada do nativo. Note-se que a 11ª casa também tem significados associados aos filhos mas, neste caso, como herdeiros e aprendizes  do trabalho familiar.

A 5ª casa significa todos os atos espontâneos que beneficiam o nativo, todos os atos de bondade realizados a favor do nativo e as amizades e associações entre este e outros, como resultado de encontros ocasionais.

Relacionados

Leave a Comment