A Oitava Casa Segundo a Astrologia Helenística

A 8ª Casa do Horóscopo na Astrologia Helenística

Neste artigo falamos dos significados da 8ª casa segundo a Astrologia Helenística, que pela primeira vez sistematizou esses significados, seguidos posteriormente pelos vários ramos da Astrologia ao longo do tempo, por vezes com algumas modificações. O conhecimento dos significados «originais» das casas é um precioso auxiliar da interpretação das áreas significadas pelo horóscopo ainda hoje ajudando-nos a compreender melhor cada uma das casas do horóscopo.

A 8ª casa era designada pelo nome de «lugar ocioso» e «lugar da morte».  Para compreender este significado, é útil lembrar um outro conceito, usado pela Astrologia Helenística, que é o da «aversão» entre signos.  O grande autor e um dos grandes sistematizadores da Astrologia Helenística, Ptolomeu, considerava que os signos  que não mantêm entre si nenhum dos 5 aspetos maiores– conjunção, sextil, oposição, quadratura e trino- estão numa situação de «aversão» entre si. Este conceito assenta na ideia de que, fora dos aspetos citados, não existe afinidade entre os signos .

A afinidade entre os signos é definida pelas categorias de quadruplicidade- referente aos elementos Água, Fofo, Terra e Ar; à categoria da triplicidade- referente à qualificação da sua energia como cardinal, mutável e fixo; e à categoria do género- feminino ou masculino.

Quando dois signos estão em aversão, não partilham nenhuma destas categorias, o que não acontece com os cinco aspetos referidos, em que partilham pelo menos uma destas categorias. Deste modo, dois signos em «aversão» são totalmente divergentes um do outro.

Voltando aos significados da 8ª casa, os antigos consideravam-na como o lugar onde o corpo se desfaz na morte pois esta casa está em aversão com a 1ª, o lugar onde nasce a vida e se dá a primeira respiração.

Mas como veio esta casa a significar as heranças? Paulus Alexandrinus refere que esta é a casa onde se completa o processo da morte e,  tal como acontece com o desmoronar do corpo, que é deixado para trás como algo que já não faz parte das posses do indivíduo, sendo por isso devolvido à Terra, o mesmo acontece com todos os bens e posses que a pessoa manteve em vida e que são agora deixados a outros que a eles tenham direito. Assim, a 8ª casa tem a ver com os procedimentos e consequências relacionados com o processo físico da morte e que resultam dele. Por isso Alexandrinus afirma que a 8ª casa, quando ocupada por planetas benéficos, indica que o nativo receberá heranças. Assim, por associação, esta casa indica também aqueles que são  próximos do nativo e que este irá perder durante a vida devido a morte.

A 8ª casa também representa as posses que outros irão receber de nós. Esta relação com as posses que os outros recebem de nós associa outros significados comuns da 8ª casa: impostos, bens financeiros, taxas, etc. Estes significados estão relacionados com a 8ª casa no sentido de deixarmos em herança os bens que eram nossos  a outros, mas também significa o termos de gastar os nossos bens e recursos, quando perdemos a saúde e ficamos doentes. Assim, alguns outros significados relativos a dinheiro no banco, seguros, taxas e impostos aparecem associados porque, quando alguém recebe heranças, precisa de pagar impostos. A morte não fica barata, é ela própria uma fonte de despesa e de receita.

A 8ª casa significa o local onde temos de colocar os recursos: no banco, para prevenir perdas, seguros para prevenir algum desastre, taxas e impostos para não perdermos tudo acusados pelo governo, a capacidade para conseguir crédito quando precisamos de um empréstimo  e as perdas, como quando perdemos o corpo físico no processo da morte.

Os antigos consideravam que os planetas colocados nesta casa ficavam com a sua energia «cancelada» ou «ociosa» tornando-se incapazes de produzir os seus resultados. No entanto, reconheciam  uma exceção: a Lua que, segundo Vallens, quando está na fase da Lua cheia e está colocada nesta casa, «rejubila», pois está a chegar ao secto noturno, que rege, logo que o Sol se põe. Como a Lua significa «Fortuna», tradicionalmente a sua colocação na 8ª casa, quando está na fase de Lua cheia, indica que o nativo receberá herança. Mas, para os restantes planetas, a colocação na 8ª casa indicava, na visão dos antigos, que as casas que esses planetas regem   não veriam os seus significados florescer, pois estes permaneceriam escondidos, degradados ou seriam perdidos. Esta conceção mantém-se na Astrologia Jyotish, que considera a 8ª casa uma casa dusthana ou maléfica embora lhe reconheça os mesmos resultados positivos que a Astrologia Helenística referia, associados a heranças e «dinheiro não ganho» recebido de forma inesperada.

Digiprove sealCopyright secured by Digiprove © 2018

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.