Nakshatra da Lua – Ardra

Nakshatra da Lua Ardra

Continuamos a apresentar os efeitos da colocação da Lua nos Nakshatras. Poderá ler a explicação geral e aprofundada do Nakshatra Ardra neste artigo.

A Lua no  Nakshatra  Ardra  encontra segurança em ambientes de tempestade e de risco, tem uma natureza instintiva, lembrando o aspeto selvagem , carnal. especialmente sensível  ao prazer e à dor. Estes nativos exprimem-se principalmente de forma física. e sensorial. Sentem necessidade de exprimir uma natureza selvagem e indomada, necessitam de ser estimulados na dimensão carnal do seu ser, muitas vezes de forma intensa e até violenta. Só se sentem verdadeiramente vivos quando estão sujeitos e esta estimulação selvagem e instintiva e podem correr muitos riscos para a poderem experimentar.

Precisam de experiências sexuais altamente intensas e, por vezes, agressivas e podem cometer alguns excessos a este nível, correndo o risco de ver atingida a sua imagem em termos sociais para poderem sentir o que desejam. Mas, mesmo em outras áreas, precisam de constante excitação, de estímulos sensuais extremos. Isto pode assumir muitas formas, não se refere apenas à sexualidade: alguns podem precisar de  se colocar em perigo físico de vida, à mercê de ameaças sérias, outros precisam de se aventurar por áreas desconhecidas ou selvagens  com feras, perigos ambientais de todos os tipos incluindo a exposição a ambientes venenosos ou tóxicos.

A energia conjunta de Mercúrio, Rahu e da Lua  que se sente neste Nakshatra dá também o gosto pela  comunicação mas, no caso presente, trata-se de comunicar com a Natureza na sua forma mais selvagem , de falar com e pelos animais selvagens e as plantas. Estas pessoas sentem necessidade de proteger a natureza selvagem e toda a informação e comunicação que fala sobre ela.

Ardra é um Nakshatra com regência de Rahu e isso implica que o nativo sente, em geral, que a sua família de partida é, por alguma razão, uma desvantagem, em termos de hierarquia social aspirando, por isso, a subir na hierarquia social elevando-se em relação ao ponto de partida. A perceção de que esse  ponto de partida é «inferior» pode ser puramente subjetiva e não se refletir em termos materiais mas, alguma coisa na família de partida – podem ter sido razões comportamentais diferentes dos pais, em relação ao padrão aceite «nas boas famílias»- levou estes nativos a considerarem que a sua família de origem os faz sentir  inferiores e a quererem ascender a uma posição muito mais elevada. e, em geral, conseguem-no. Mesmo quando nascem em famílias de privilégio, elevam-se mais ainda em termos sociais.

A forma como estas pessoas controlam o ambiente à sua volta é essencialmente emocional e podem usar todo o tipo de emoções para continuar a ter esse controlo. Usam as emoções para se elevarem socialmente  e para interagirem com  o meio à sua volta.  Tal como acontece com a divindade que rege o Nakshatra, Rudra, deus das tempestades, estes nativos possuem um temperamento tempestuoso, podendo irromper subitamente com uma força destrutiva. A sua natureza é tal que precisa de ir ao encontro da energia mais primitiva e carnal do seu ser , sentindo-a a «dialogar» consigo e a exprimir-se através de si. Estas pessoas podem pois passar de um registo em que estão a nutrir e a cuidar para um outro imediato em que destroem e castigam. E esta energia primitiva e muito carnal é a que usam para ascender socialmente até onde desejam.

As mãos são um meio de comunicação privilegiado e tanto as usam para mostrar amizade como para castigar prender e bater. São dotados para fazer coisas com as mãos e também para usar ferramentas e tecnologia com as mãos.  São muito talentosos no uso de todo o tipo de ferramentas usadas para fazer e construir coisas. podem usar estes talentos em casa, em obras de redecorarão, pintura, pequenos arranjos em casa.

Em termos profissionais, têm afinidade com as atividades que precisam de um bom uso das mãos e dão também bons treinadores  de todos os tipos. Dão-se bem em carreiras em que é preciso proteger a informação, controlá-la e salvaguardá-la. Também poderão fazer um bom trabalho a juntar informação sobre o crime nas suas variantes sociais, poluição ambiental, uso de pesticidas e outras substâncias tóxicas e poluentes, comportamentos violentos por parte de indivíduos e grupos, etc..

Gostam de lidar – como agentes de proteção social , sociólogos, psicólogos, etc- com adolescentes problemáticos ou com práticas de ação criminosa, selvagens, marginais, que se exprimem da forma mais violenta e escura. Podem gostar de ser professores em escolas que lidam com adolescentes com estes perfis.  com estes tipos de jovens, gostam de desenvolver estratégias de controlo dos seus comportamentos e, com estes jovens, realizam um dos objetivos que mais apreciam- formar e moldar as suas personalidades, recorrendo a todos os meios incluindo  a manipulação psicológica e os castigos físicos. Em casa, com a famíliaC podem usar os mesmos procedimentos, sendo muito manipuladores e controladores da família.  controlam tudo, desde os gastos do cônjuge e os filhos, aquilo de que se pode falar , etc. Por vezes excluem mesmo membros da família, ignorando-os completamente.

Estas pessoas tendem a ver as emoções como um plano selvagem de luta em que os mais fortes assumem o poder  numa luta selvagem pela supremacia em relação aos outros. Consideram que a violência e a morte fazem parte dos processos normais da vida.

Quando têm inclinação religiosa, estas pessoas podem ser muito estritas e tão disciplinadas que têm comportamentos de grande austeridade, sendo adeptas da «fustigação da carne» para purificação. Mas não são, em geral ,capazes de se manter celibatárias. Há uma dualidade evidente entre, por um lado a capacidade de auto controlo extrema, que é capaz de se privar da satisfação das necessidades básicas e, ao mesmo tempo, a necessidade de se conectarem com as energias mais selvagens da vida.

Os nativos com  a Lua em Ardra são também muito controladores no emprego, gostando de controlar tudo, o que faz com que estejam sempre ligados ao emprego pois controlam coisas que não podem ser desenvolvidas sem darem o seu acordo.

A relação com a família  não é muito profunda, de modo que podem deixá-la a qualquer momento, sem preocupações, se houver algum objetivo que queiram alcançar e que seja incompatível com esta.

A afinidade com as condições mais extremas da vida selvagem faz com que sejam adequados para integrar forças militares e afins, onde revelam lealdade em relação à força de que fazem parte e  são capazes de  crueldade acentuada nos comportamentos tendendo a dar-se bem em situações em que, acreditam, a força bruta é o melhor remédio.

Acima de tudo, têm pavor de perder o controlo sobre tudo o que se passa na sua vida e isso gera bastante ansiedade , podendo traduzir-se em sintomas e doenças nervosas que afetam os nervos e os músculos.

Nos relacionamentos pessoais podem adotar tipos extremos em que reduzem a outra pessoa à sua dimensão animal para a poderem controlar melhor, usando métodos de manipulação que podem ser psicológicos, emocionais ou mesmo de intimidação física, para concretizar o desejo de nunca perder o controlo sobre qualquer situação. Quando zangados, reagem rapidamente e de forma agressiva ou brutal. Não receiam  infligir dor nem têm medo de a sofrer, agem de forma imediata e instintiva. Os seus instintos sexuais podem ser muito fortes primitivos e podem aguentar dores fortes de modo continuado embora isso os deixe ainda mais agressivos. Podem mostrar total desrespeito pelas regras sociais e não se importam de parecer desagradáveis e tirânicos aos outros. Apesar de tudo isto precisam de contacto físico e receiam, acima de tudo perder  o contacto físico com a realidade.

Quando a Lua está colocada no 1º pada os nativos podem tornar-se ativistas, querendo mudar a realidade social através da tecnologia mais inovadora e podem usar esta tecnologia para passar as suas mensagens de modo a destruir o que está mal e transformar a sociedade. Para isso podem usar métodos destrutivos, se a Lua estiver em aspeto com planetas maléficos e tentar acabar com «os problemas» da sociedade recorrendo á violência. Se a Lua estiver bem colocada, no entanto, estas pessoas podem regenerar a sociedade, usando métodos radicais mas para começar um ciclo mais positivo.

Quando a Lua está colocada no 2º pada os nativos precisam de mudar dramaticamente o ambiente em que vivem. Mas não sabem bem o que pretendem e têm dificuldade em controlar as suas emoções.  Procuram elevar-se acima do seu ponto de partida e ascender às posições mais elevadas da sociedade pois acreditam que a posse do poder mais elevado será  a forma de conseguirem o que desejam. Anseiam por alcançar respeito e status. Se este desejo não for preenchido, tornam-se agressivos e violentos e podem atacar fisicamente  ou de outras formas aqueles que consideram responsáveis por isso. Podem ser bons comunicadores apesar disso e conseguir passar a sua mensagem de forma eficaz..

Quando a Lua está colocada no 3º pada a pessoa tem grande  interesse pela área científica e tecnológica. Usam a informação trabalhada e difundida pela tecnologia, em especial pela Internet. Estas pessoas são muito curiosas e procuram meios para divulgar o saber e a informação através de tecnologias cada vez mais refinadas. Também acreditam na capacidade de transformar a realidade usando a tecnologia. Podem  ficar obcecadas pelo desejo de tornar o mundo perfeito e a sua própria vida perfeita e isso pode causar personalidades bastante neuróticas podendo  tornar-se destrutivos em relação a si próprios.

A colocação da Lua no 4º pada  revela uma mente criativa e capaz de usar o talento literário para produzir mudança na sociedade.  Os nativos possuem uma imaginação forte que faz as pessoas pensar  e descobrir algumas verdades essenciais. A sua mente está orientada para a transformação da sociedade usando a comunicação. Podem tornar-se intervenientes na internet usando as redes sociais para gerar influência como agentes de mudança.