Nakshatra da Lua Moola

jovem com apresentação não convencional

Moola é um dos 3 Nakshatras com regência de Ketu (os outros são Ashwini e Magha). Ketu produz dissociação, desligamento, por vezes também desorientação.  Coloca a pessoa na posição de mera observadora ou de testemunha, desligando a função do «eu» que vive uma dada situação. Estas pessoas podem, por isso, não reconhecer quaisquer limites, mostrando desrespeito sempre que estes estão estabelecidos. Em termos emocionais, os Nakshatras de Ketu produzem dispersão, abandono. Os nativos com a Lua no Nakshatra Moola sentem o desejo profundo, em termos espirituais, de purificação, de viver num mundo «perfeito» e isso torna difícil a sua adaptação ao mundo terreno. Diz-se que viveram muitas vidas em planetas muito mais puros e menos densos do que a Terra e a vida neste planeta é, em grande parte, um choque para estas pessoas.

Quando a Lua está colocada no Nakshstra de Moola, as emoções dispersam-se e fragmentam-se, de tal modo que a pessoa tende a sentir um completo vazio emocional.  A dificuldade de sentir alguma unidade no plano emocional faz com que não se identifiquem com nenhum dos seus estados emocionais. O resultado é que as suas emoções e interesses são também dispersos, sem unidade. Estas pessoas são capazes de manifestar interesses múltiplos ao mesmo tempo, sem na verdade se focarem em nenhum. Tendem a formar ideias múltiplas e fragmentadas e podem exprimir uma diversidade de capacidades, sem que nenhuma se revele, verdadeiramente, una ou essencial. Não admira por isso que, ao exprimirem uma miríade de diferentes ideias, pareçam aos outros pouco coerentes e contraditórias.

Estas características fazem com que estes nativos, apesar de manifestarem interesse por assuntos religiosos ou filosóficos e de tentarem fazer chegar essas ideias aos outros, sejam recebidos com pouco interesse pois têm dificuldade em fazer-se apreender como sinceros na defesa dessas ideias, bem como falham na justificação delas perante os outros.  Não são, por isso, comunicadores nem educadores ou pregadores de sucesso.

A colocação da Lua no Nakshatra Moola  dispersa as fronteiras que, naturalmente, permitem distinguir as ideias e as coisas umas das outras, tal como acontece no espaço e no tempo da Terra e o resultado é a fragmentação e a dispersão que coloca o caos no plano mental e emocional. Os outros podem perceber essa dispersão dos contornos das ideias e das coisas na mente destes nativos como expressão hipócrita ou mentirosa, que contradiz o que dizem pensar ou sentir. Na mente destas pessoas, porém, é como  se o espaço e o tempo lineares que conhecemos se dissolvessem e tudo fosse possível ao mesmo tempo , o que contradiz a experiência da maioria. Deste modo, mentalmente estas pessoas têm grande dificuldade em ajustar-se às circunstâncias limitadas em que vivem.

Apenas um regente bem colocado e forte do signo Sagitário, no qual se encontra este Nakshatra pode atenuar estas características da Lua em Moola e dar a estas pessoas uma vivência mais equilibrada.  Assim, um Júpiter forte e uma 9ª casa correspondente a Júpiter e a Sagitário também forte podem ajudar a compensar esta dispersão mental que cria um vazio interior na pessoa. Se Ketu estiver colocado numa casa trina ( 5ª ou 9ª casas)  em relação à posição do Ascendente ou da Lua isso também ajuda a trazer equilíbrio mental e emocional. Na verdade, é como se estas pessoas tivessem dificuldade em acomodar-se aos limites do próprio mundo terreno em que vivem, tendendo a expandir-se continuamente para além deste (Moola simboliza as «raízes que sustentam a galáxia em que se encontra a Terra).

A colocação da Lua no Nakshstra Moola é difícil porque estes nativos sentem um enorme abismo a fragmentá-los internamente e parece não haver nenhum estímulo, nenhum laço com outros que possa preencher o seu vazio interior para lhes trazer contentamento e alegria.  Apesar disso, estas pessoas manifestam adesão aos ideais filosóficos e princípios significados por Sagitário mas sentem-se sempre incompletas e insatisfeitas. Tendem a manifestar uma atitude de niilismo, no sentido de não acreditarem que a bondade dos valores morais possa fazer a diferença na mudança da sua realidade e do mundo . Assim, é frequente aderirem de forma entusiasta a ideias filosóficas e valores para, logo a seguir, rejeitarem interiormente tudo isso como se fosse inútil.  Fecham-se desse modo ao mundo e às suas possibilidades, substituindo o entusiasmo por apatia.  Apesar disso, podem ser vistas muitas vezes a desenvolver projetos na área da filosofia e  da religião, bem como na educação. Porém, frequentemente também, abandonam esses projetos antes de terminarem, numa atitude de rejeição e desapontamento: as suas expetativas são excessivamente perfecionistas e associadas com uma «realidade ideal» que imaginam na sua mente e não conseguem adaptar-se à realidade da vida na Terra nem às limitações dos seres humanos, por isso acabam por cair na apatia e no desencanto.

Estas pessoas revelam deste modo um padrão de comportamento: primeiro entusiasmam-se  e aderem a alguma «grande ideia» e depois desistem, com apatia e desencanto, por não poderem realizar a ideia nas condições que sonharam. Mas não se pense que ficam apenas desapontadas com os outros, não, o desencanto também se faz sentir  relativamente a si próprias, faltando-lhes muitas vezes autoconfiança.

Na análise dos efeitos da colocação da Lua no Nakshatra Moola considera-se que esta posição nunca é benéfica em termos da vida pessoal, podendo, no entanto, dar resultados  mais positivos quando está colocada nas casas upachaya  no que se refere  à vida pública.  Torna-se difícil de experienciar pois provoca irrequietude psicológica na vida familiar. Estas pessoas podem tomar decisões que se revelarão bastante negativas para si próprias e para a família e tendem a não aprender nada com tais más decisões, não aceitando a sua responsabilidade nelas.

Não aceitam quaisquer  limites, nem das convenções nem das regras da moral, não se sentindo minimamente culpadas pela transgressão de tais regras.  Assim, não se sentem obrigadas a cumprir quaisquer regras sociais ou morais e podem achar natural que os filhos cresçam sem qualquer imposição ou limitação , deixando-os agir como entenderem, mesmo que se magoem, prejudiquem a saúde, falhem no desenvolvimento educativo, etc. Podem igualmente considerar normal o envolvimento em numerosos relacionamentos extramaritais, revelar falta à palavra dada, etc., cultivando um completo relativismo no que se refere aos valores= qualquer escolha é tão boa como qualquer outra  e não existem más escolhas. Estas pessoas não veem as contradições nem aceitam as oposições que são válidas para a maioria (por ex., não há contradição em procurar o máximo de luxo e prazer material  e ao mesmo tempo querer desenvolver uma vida espiritual pois consideram que estas coisas não estão relacionadas entre si).

Ao mesmo tempo que desejam acreditar profundamente numa visão otimista da vida, estes nativos acreditam que nada vale o esforço e que, no final, tudo o que nos aguarda é a morte ,não há lugar para a esperança fundamentada. Há, deste modo, um pessimismo inerente á sua  natureza, muito difícil de alterar. Por isso tudo aquilo a que se apegam, sejam coisas, pessoas ou crenças, acaba por se abandonado, até que resulte apenas o «nada» para estas pessoas. Ketu impele-as para desfazerem ou cortarem os laços com o casamento, filhos, religião e filosofia, a educação e a aquisição da sabedoria e tudo o que é significado por Júpiter.

No entanto, também se encontram nativos com fortíssimas convicções, por ex., religiosas, podendo ser adeptos de ascetismo extremo pois sentem a necessidade de encontrar raízes fortes que os possam sustentar e podem chegar ao extremismo. Mas, inevitavelmente, isso acaba por desaparecer e dar lugar ao desapontamento. Após a idade madura, estas pessoas podem continuar a dedicar-se a ideias e causas pelas quais já não sentem qualquer apego, podendo ser socialmente úteis a esses níveis. Socialmente podem ser amáveis e bem vistas e alcançam em geral sucesso mundano, pela realização  das suas obrigações profissionais. Podem também ter comportamentos cruéis com os outros e  podem trair sem qualquer arrependimento.

Estas pessoas tendem a correr riscos desnecessários que põem em perigo a integridade física e também adotam frequentemente hábitos indesejáveis no que se refere à alimentação e cuidados do corpo, tendendo a desprezar os hábitos saudáveis.

A Lua no Nkshatra Moola pode atrair acontecimentos traumáticos que afetam a vida social, emocional e física dos nativos, incluindo  possíveis acidentes, doença, mudanças súbitas na posição social, etc. Existe uma tendência autodestrutiva nesta posição da Lua.

Há um padrão de trauma emocional  trazido do passado nestes nativos,  que sentem que a mãe tentou de algum modo aniquilá-los , porventura recorrendo ao aborto assistido, tendo por isso memórias que  geraram  o impulso subconsciente de se auto atacarem. Estas pessoas manifestam geralmente a rejeição total pelas práticas do aborto. Também sentem muitas vezes que o parceiro é um elemento de desonestidade, desrespeito, violência e traição.

Quando a Lua está colocada no 1º pada  os nativos anseiam por encontrar  as raízes do seu ser e são muito assertivos na procura da verdadeira causa das coisas, podendo destruir tudo o que se opuser ao que desejam saber. Podem ser atletas agressivos e competitivos. Estudam a fundo as causas de tudo aquilo em que se envolvem, podendo dar bons detetives e investigadores. Precisam de encontrar a informação de que necessitam e fazem a sua procura de forma profunda e agressiva, não recuando perante nenhumas dificuldades.  Estas pessoas são muito competitivas e precisam de compreender a fundo as suas próprias crenças. O seu estilo perante a vida é essencialmente competitivo, assertivo e também agressivo.

Quando a Lua está colocada no 2º pada ,saber em que acreditar, quais as raízes das próprias crenças  é importante para estas pessoas mas trata-se de encontrar algo que tenha valor, ao investigar. Desejam semear algo que traga bons frutos que cresçam.  Desejam encontrar coisas e bens valiosos, tanto no sentido material como espiritual. O seu objetivo é de facto esse, não apenas encontrar conhecimento mas conhecimento valioso, objetos, joias, dinheiro, desejam colecionar todo o tipo de bens que estão «enterrados» ou escondidos e que tenham valor. Também podem valorizar os aspetos espirituais da vida, se a Lua estiver colocada numa casa relacionada.

Quando a Lua está colocada no 3º pada  os nativos desejam investigar mas também publicitar e partilhar a informação, os segredos, o  conhecimento superior que descobrem com a sua investigação. Podem ser excelentes jornalistas de investigação e editores; desejam partilhar  com o mundo o conhecimento da descoberta de informação valiosa para o público. Gostam de conhecer as raízes profundas das coisas e podem escrever sobre arqueologia, conhecimento oculto e secreto, etc. A sua «missão» é  partilhar com os outros essa informação valiosa para todos.

Quando a Lua está colocada no 4º pada  os nativos sentem que é necessário investigar a fundo as raízes do ser  e da realidade, pois esta não se mostra à superfície. Daí a necessidade de investigar a fundo e de conhecer a fundo todas as  coisas. Neste pada os nativos sentem apego emocional pelo conhecimento que encontram e sentem que esse conhecimento é necessário  para nutrir e curar as pessoas. Podem sentir grande atração pelas práticas curativas alternativas, muitas delas de caráter espiritual. Sentem o impulso interno para curar , para encontrar a causa de todos os problemas, usando a manipulação de energia para curar. Podem encontrar equilíbrio emocional na dedicação em curar espiritualmente os outros, através das práticas tradicionais como reiki, acupuntura, medicina chinesa, etc.

6 Thoughts to “Nakshatra da Lua Moola”

  1. Wellington Souza

    Olá, eu tenho uma dúvida q me corroe por dentro. Qual Nakshatra é o q descreve mais a nossa personalidade? é o da Lua (mente), Sol (alma) ou Ascendente (corpo físico). Por tudo o q eu já li tenho 99% de certeza q é o da Lua mas vejo q em muitos livros eles classificam pessoas famosas com os nakshatras de seus ascendentes ao invés do da Lua e acho isso muito errado. Então qual é o principal?

    1. A sua questão é interessante e não há uma resposta única e absoluta para ela. O próprio Parashara, que sistematizou os elementos da astrologia Jyotish, considerava que devia ser usado como ponto de referência principal o que fosse mais forte, incluindo o Sol. Normalmente, para decidir, considera-se a Lua como Ascendente também, e testa-se se é a Lua ou o Ascendente que são mais fortes. no fundo, ambos são fatores fundamentais, sobretudo se atendermos a que a primeira forma de Astrologia praticada na Índia era lunar. Mas, hoje em dia, muitos astrólogos usam o Ascendente como referência fundamental. No entanto, os Nakshatras de colocação dos planetas, para além da Lua e do Ascendente, são igualmente importantes, considerando-se os três básicos em primeiro lugar (Asc, Lua e Sol) mas também o do regente do Ascendente e dos outros planetas.

      1. Wellington Souza

        Eu compreendo. Ainda sigo acreditando que o Nakshatra da Lua dita 90% da personalidade do indivíduo. Usando como exemplo o meu próprio mapa, tenho Lua em Vishakha, Ascendente em Purva Bhadrapada e Sol em Ardra. Desses três o que mais “sinto” na minha personalidade é justamente o da Lua, me sinto um super nativo de Vishakha. Quantos aos outros não sinto muito a influência mas como nunca fiz um mapa completo não posso afirmar nada.

        1. Acreditamos que a sua postura é a correta: aprender a «sentir» as energias planetárias do mapa e a forma mais autêntica de compreender os conceitos. e, depois, compreender que não estamos presos a essa matriz, podemos alterá-la, pois a astrologia não nega a liberdade individual.

  2. jaleks754

    Olá! É verdade que mal posicionado ou aspectado no mapa, esse Nakshatra pode render tendências suicidas? A descrição da Lua nesse Nakshatra lembra muito pessoas que se matam e nada (dinheiro, confortos, terapia, templos) nem ninguém (família nuclear, bons amigos, casamento) preenche o vazio interno dessas pessoas. Isso me deixa intrigado.

    1. Note que este é um Nakshatra com regência de Ketu que, por definição, deseja cortar todos os laços com a realidade material. Mas daí a pressupor que conduz ao suicídio é excessivo. É claro que, se houver muitas aflições no mapa isso poderá ocorrer, mas também ocorre com pessoas que não têm a sua Lua num Nakshatra de Ketu. Como em tudo, um só elemento do horóscopo não chega para tirar conclusões. A globalidade do mapa é soberana.

Deixe um Comentário a sua opinião conta