Nakshatra da Lua Poorva Ashada

casal jovem em interação romântica

casal jovem em interação romântica

A Lua no Nakshatra Poorva Ashada encontra-se em pessoas que têm a capacidade  de fazer, cedo na vida, as escolhas certas, que permitem  uma expansão rápida na vida, levando-as a alcançar alguma vitória ainda bastante jovens.

Sendo um Nakshatra com regência de Vénus,   inclina para sentir segurança emocional em ambientes artísticos, sensuais. Estes nativos  gostam da companhia de pessoas  amáveis, que sabem negociar e chegar a bom termo de acordo de forma civilizada e equilibrada.

A Lua no Nakshatra Poorvashada  aprecia todos os tipos de prazer, incluindo os da comida, podendo exceder-se nos doces; gosta de viver com o máximo de conforto e de luxo. Aprecia a diplomacia nas interações humanas e acredita que os acordos e contratos são a melhor forma de salvaguardar os interesses  de cada um. Estas pessoas gostam de estar rodeadas de beleza, gostam de música, de discutir ideias que trazem harmonia e conciliação.

O seu padrão de vida, no entanto, é o de alcançarem vitórias  estrondosas cedo na vida, possivelmente com muito sucesso, riqueza e até, quando o horóscopo como um todo é favorável, fama, mas estas «vitórias precoces» não mantêm o mesmo ritmo ao longo da vida, reduzindo bastante o seu impacto a partir da idade madura.

Os nativo são, no entanto, geralmente apreciados por todos durante a vida, embora o ímpeto criador e artístico da juventude perca o seu máximo viço. No plano  humano, no entanto, mantêm sempre as qualidades de boas interações com os outros, sendo talentosos para conseguir acordos e  fazerem mediações.

O Nakshatra Poorva Ashada situa-se totalmente no signo Sagitário, pelo que Júpiter e os seus significados de humanismo, filosofia, valores elevados fazem parte também do interesse dos nativos que têm a Lua colocada neste Nakshatra.

Estes associam o talento natural para efetuar acordos e mediações com os valores e princípios de Sagitário,  o que faz deles excelentes educadores, doutrinadores, pregadores, políticos e filósofos, diplomatas, conselheiros, etc.

A lua no Nakshstra Poorvashada apresenta, porém, um desafio de papéis que afeta ambos os sexos nos papeis de mãe/pai e amante/parceiro amoroso, uma vez que a Lua  orienta para a parentalidade mas Vénus inclina para a sensualidade.

Do mesmo modo, a relação de inimizade entre Júpiter e Vénus pode criar outros conflitos que se geram entre o amor pelos prazeres mundanos e o cultivo dos ideais espirituais, etc. Outros aspetos deste conflito podem ser a tendência para ficar dececionado(a) ou desiludido(a).

Torna-se difícil exprimir as «verdades» jupiterianas através da linguagem sensual e muito mundana de Vénus e pode haver alguma confusão interna na relação com os temas espirituais, que tendem a misturar-se com a sensualidade de Vénus.

De modo geral, a Lua no Nakshatra Poorva Ashada faz nascer o desejo de se ligar aos outros, de forma profunda e total.

Os nativos podem exprimir esse desejo na relação com uma religião ou ideologia mas, apesar de parecerem muito convincentes perante os outros, usando uma linguagem associada à experiência espiritual, estas pessoas estão muitas vezes envolvidas na procura de estímulos que satisfazem os prazeres sensuais, embora possa haver uma genuína convicção de que o fazem por razões espirituais.

Em geral, estas pessoas estão bem com a vida e consigo próprias pois o sucesso que costumam alcançar bem cedo leva-as a acreditar que o seu estilo de vida é o correto e está de acordo com a «doutrina» religiosa ou espiritual em que acreditam.

Assim podem, por vezes, tornar-se dogmáticos ferrenhos em relação a uma certa ideologia ou religião e , ao mesmo tempo, estarem convictos de que estão «no caminho da verdade». Estas pessoas podem focar-se de tal forma na sua consciência de verdade que deixam de ouvir os outros ou de considerar outras opiniões.

Podem sentir a ilusão de que, de algum modo, foram beneficiadas ou privilegiadas para trazerem uma certa «verdade» ao mundo. E ignoram a posição dos outros. Se forem contrariadas nas suas convicções, podem responder com desprezo e rejeição.

Isto pode fazer com que fiquem isoladas numa espécie de «torre de marfim» das suas certezas e arriscam-se a perder o sentido da realidade, ao mesmo tempo que contemplam, felizes, a satisfação consigo próprias por «verem melhor» do que todos os outros.

Apenas admitem no seu círculo pessoal os que aceitam as suas posições sem as criticar. Deste modo, tendem a criar uma espécie de «ilha emocional» na qual se refugiam e onde admitem apenas os que fazem parte do seu mundo , perdendo todo o interesse por aquilo que se passa fora deste.

Assim, dificilmente desenvolvem consciência social, não sentindo necessidade de prestar serviço fora do círculo estreito do seu mundo pessoal.

Deste modo, o fôlego principal destas pessoas é que têm, cedo na vida, uma «oportunidade de ouro» que permite que deem um salto qualitativo muito significativo em direção  a algum tipo de sucesso e esse momento nas suas vidas define o seu futuro , podendo manter-se os seus frutos ao longo da vida.

Este sucesso que lhes acontece cedo, cria a perceção de serem especiais e de terem direito a ser privilegiados, gerando um sentimento de satisfação e merecimento próprio que pode crescer até se focar apenas nessa perceção pessoal de grandeza e esquecer os outros, que são ignorados, esquecidos ou desprezados como «não importantes».

Estas pessoas tendem, deste modo, a formar uma visão épica de si próprias e esta conduz as justificações que vão dando ao longo da vida para seguirem o rumo que seguem.

É que, após escolherem, muito cedo, o rumo que desejam seguir, tornam-se incapazes de mudar de caminho mais tarde, como se o primeiro fôlego da juventude fosse a única essência da sua existência terrena. E mantêm-se fiéis a todas as pessoas e causas ligadas a essa «primeira vitória» que alcançaram na vida.

Em termos da personalidade, estes nativos são leais, determinados, trabalhadores, não se afastando dos compromissos que fizeram na juventude nem da adesão às causas pelas quais se definem. Apesar de tenderem a ser bastante dogmáticos, podem apoiar sem reservas e de forma leal as instituições ligadas às crenças e valores que perfilham.

Podem ser também muito obstinados e teimosos, não aceitando mudar de opinião mesmo quando outros mais sabedores apresentam os seus pontos de vista. Podem ter uma ligação muito forte à família, de tal forma que esta pode tornar-se amoral, em certos casos chegando ao abuso sexual (incesto) e a desenvolver uma perceção de que a família próxima está acima de tudo (incluindo dos impostos como contribuição social).

Prazer, riqueza conservados ao longo da vida, em conjunto com conhecimento acumulado, são alguns dos aspetos que mais prezam e lhes  trazem felicidade. Podem envolver-se em situações de exploração que lhes trazem proveitos pessoais.

A mãe destes nativos manifesta, em geral, uma dinâmica de valorização da riqueza e do conforto material, da beleza e da obtenção de objetivos materiais como sendo fundamentais para a vida.

A valorização da beleza física  também é, frequentemente, um tema ligado  à mãe, pelo que esta passa a estes nativos estes aspetos como essenciais , levando a que procurem manter-se atraentes ao longo da vida  e o mais possível ricos e com muitos bens na sua posse.  Podem possuir coleções de muitos objetos valiosos, muitos de natureza artística, para a qual sentem grande inclinação., especialmente arte sacra.

A tendência para se unirem a pessoas que sentem a vida da mesma forma faz com que, em geral, homens e mulheres assumam um relacionamento forte com o cônjuge, sendo devotados a este e muito leais.  E gostam de viver a vida através do «prazer do momento», não gostando de adiar a sua gratificação.

Quando a Lua está colocada no 1º pada os nativos procuram encontrar a beleza no amor pelo divino, ou de criar relacionamentos com alguém que exprime, de algum modo, o «divino» para a pessoa. Exprime o seu amor através da arte, da criação de alguma coisa com natureza artística,  de modo a que esta exprima alguma verdade. As belas artes são uma área essencial para estas pessoas.

Desenvolvem ideias acerca do mundo que são, ao mesmo tempo, espirituais e uma expressão artística. Podem ser atores, artistas, ou simplesmente procuram criar um relacionamento afetivo que sintam ser a expressão criadora do seu amor. Assim, ligam verdade, amor e criatividade, podendo alcançar considerável sucesso nestas áreas. Os nativos são confiantes, assertivos, procurando o sucesso mas sem perder de vista objetivos éticos.

Quando a Lua está colocada no 2º pada os nativos procuram encontrar beleza em algo maior do que si  próprios , neste caso através do estudo de  alguma verdade filosófica. São pensadores, capazes de grande dedicação ao trabalho. Pretendem ser exímio na expressão de ideias filosóficas, dando-lhes uma forma perfeita, harmoniosa, bela.

Podem gostar de trabalhar em alguma organização para dar apoio a outros, através das suas ideias, acreditando que estas têm o poder de curar, mental e psiquicamente, os outros. Podem alcançar bastante sucesso, tanto no plano material como espiritual.

Quando a Lua está colocada no 3º pada os nativos sentem que o seu merecimento e valor próprio está na capacidade de formar relacionamentos com aqueles que forem perfeitos e através dos quais possam exprimir a sua criatividade, beleza e crenças. Precisam de estar num relacionamento que é o contexto a partir do qual desejam «fazer arte», a arte do amor tal como o sentem.

Adoram o luxo e todos os prazeres da vida, preferindo usufruir desses prazeres do que ter de trabalhar. Gostam de viajar em conjunto com parceiros de viajem, são diplomáticos e amáveis nas interações. Podem ser indecisos.  Sendo um pushkara navamsa, se a Lua estiver forte pode haver muito sucesso no plano material através do trabalho em equipa ou em parceria.

Quando a Lua está colocada no 4º pada os nativos  passam por vários processos de transformação e obstáculos na vida, com pouca estabilidade emocional, rejuvenescendo-se depois desses momentos e mudando as sua opiniões após isso. Este é um pada de extremos e tanto pode indicar a pessoa altamente espiritual e compassiva que possui elevada sabedoria como alguém materialista ao extremo.

Há um fascínio pelo oculto. Estes nativos passam por alguns momentos de crise mas depois são potencialmente  capazes de ter impulsos criativos que lhes trazem novos começos e iniciativas.  Podem ser dotados para atuar em cenários de emergência ou catástrofe.

Deixe um comentário a sua opinião conta