Significados Originais dos Planetas

planetas e a sua energia

Neste artigo explicamos os significados originais dos planetas na astrologia helenística, a partir de diversos fatores de influência.

Esta caracterização dos planetas segue o trabalho do astrólogo e investigador Chris Brennan a partir do seu estudo da obra de Vettius Valens.

Nos  tempos antigos apenas sete planetas eram reconhecidos e aceites, sendo todos visíveis a olho nu. A Lua   e o Sol eram incluídos neste conjunto, como «planetas», sendo hoje mantida, por tradição, essa designação, pelo significado simbólico, considerado mais importante neste caso, do que a caracterização científica.

Os antigos faziam uma associação entre os planetas benéficos Vénus e Júpiter- com a luz que emana destes e os torna mais brilhantes no céu, associando «luz» e «bem» e «escuridão» e «mal»- assim, Saturno e Marte são maléficos e escuros.

Significados dos Planetas a Partir dos Elementos e Qualidades

Os planetas eram igualmente associados ás qualidades primárias- seco, húmido, quente e frio-, como pode ser constatado na obra Tetrabiblos de  Ptolomeu. Mas Valens e outros astrólogos helenísticos, consideraram também outras qualidades, como veremos em outro artigo.

Na caracterização dos 4 elementos associados aos planetas, Ptolomeu seguiu a teoria do filósofo Aristóteles, que via estas qualidades como formando contrários: quente e frio são qualidades consideradas ativas, enquanto seco e húmido são consideradas qualidades passivas.  As qualidades contrárias não podem combinar-se entre si. Deste modo, algo seco não pode ser ao mesmo tempo húmido, do mesmo modo que algo frio não pode ser, ao mesmo tempo, quente. As qualidades ativas são independentes, não sendo afetadas por outras, enquanto as qualidades passivas são dependentes das ativas (é o quente que produz o seco  e o frio que produz o húmido segundo os antigos).

Outro aspeto importante a ter em conta é que algumas destas qualidades favorecem a vida e o seu florescimento, enquanto outras se opõem à vida: o quente e húmido favorecem a vida , enquanto o frio e seco destroem a vida.

Uma qualidade ativa só pode combinar-se com uma qualidade passiva. Há, deste modo, quatro possibilidades de combinar os elementos: quente e seco- o Fogo; quente e Húmido- o Ar;  frio e seco- Terra; frio e húmido- Água. A estes fatores junta-se também o temperamento dos  signos e planetas.

Com base nestas considerações, Ptolomeu definiu a natureza dos planetas e atribuiu-lhes os seus significados tradicionais, considerando-os  maléficos ou benéficos:

  • Saturno, o mais afastado do Sol, foi definido como frio e seco,  duas qualidades que destroem a vida, considerando-se que tem excesso de frio. Este excesso faz dele o grande maléfico; o seu temperamento é melancólico.

Mercúrio é frio e seco como Saturno mas, ao contrário deste, que é denso , estático e  pesado,  é leve e móvel, partilhando apenas em parte o temperamento melancólico, que mistura com o nervoso.

Júpiter foi definido como quente e húmido, ambas as qualidades favorecendo a vida; estas qualidades estão também em equilíbrio neste planeta, o que faz dele o grande benéfico.

Vénus é quente e húmido, como Júpiter mas a proporção destas qualidades tem menos equilíbrio do que em Júpiter, sendo a sua natureza benéfica mas menos do que a de Júpiter; têm ambos temperamento sanguíneo mas, no caso de Vénus, esta também tem parcialmente temperamento fleumático.

Marte é quente e seco e o mesmo acontece com o Sol mas Marte tem temperamento mais colérico do que o Sol, apesar de ambos partilharem este temperamento e, por isso, Marte é mais maléfico do que o Sol.

A Lua é fria e húmida, tendo temperamento fleumático.

Significados dos Planetas a Partir do signo de Domicílio e Exaltação

  1. Schmidt , um profundo estudioso da astrologia helenística, afirma que os significados dos planetas podem igualmente derivar-se a partir dos significados dos signos nos quais os planetas têm o seu domicílio e a sua exaltação. Uma relação entre os significados dos planetas que regem o próprio signo e o signo de exaltação é também estabelecida:

Assim, o Sol tem domicílio em Leão e fica exaltado em Carneiro. Isto faz com que partilhe significados que são atribuídos a Marte, tornando-se estes complementares:

O Sol e Marte regem os homens que combatem, embora estejam em posições diferentes: o sol é o comandante e  Marte é o soldado. (note-se que na astrologia jyotish esta complementaridade também existe mas é descrita de modo diferente: o Sol é o rei e Marte o comandante das forças de combate);

Na astrologia helenística o Sol é considerado benéfico, embora na Jyotish seja considerado semi-maléfico, com vários autores a discordar. Para os antigos astrólogos helenísticos, o Sol representa o poder controlado e equilibrado pela sabedoria, é a energia do poder mantendo em equilíbrio as qualidades do regente e do governante que tem em vista o bem comum; Marte, por seu lado, representa a energia bruta , agressiva e violenta, não controlada.  Tanto o Sol como Marte representam a autoridade mas enquanto o Sol é a autoridade «natural», obtida pelas suas qualidades, Marte é a autoridade conquistada pela força.

Tanto o Sol como Marte podem ser maléficos, o Sol por associação com outros planetas ou por perda da força natural e Marte porque é um maléfico por natureza. O Sol destrói através da queimadura, Marte destrói cortando, separando um corpo em partes.

Marte rege a cabeça, no corpo humano, enquanto o Sol rege o coração.

A natureza de Marte e do Sol é extrovertida: Marte sempre pugnando por ser o primeiro enquanto o Sol deseja ser sempre o centro de todas as atenções.

A mesma correlação pode ser feita em relação à Lua e Vénus: Vénus rege o signo  Touro e a Lua fica exaltada no signo Touro. A natureza de Vénus é benéfica e a da Lua é medianamente benéfica. Ambas representam as mulheres. A Lua significa a emoção e Vénus o desejo sensual. Estes aspetos acabam por ser inseparáveis.

A Lua tem o domicílio em Caranguejo e Júpiter fica exaltado em Caranguejo. Partilham a natureza benéfica, ainda que Júpiter seja mais benéfico do que a Lua em termos potenciais. Ambos significam crianças: a sua geração (Júpiter) e conceção ( Lua).

Vénus tem o domicílio em Balança e Saturno fica exaltado em Balança. Saturno é um maléfico e Vénus é um benéfico, sendo opostos e complementares: Vénus é amigável enquanto Saturno é rude; Vénus é social enquanto Saturno é solitário; Vénus é pura enquanto Saturno é sujo; porém, ambos simbolizam o casamento, com a diferença de que Vénus representa o casamento por amor enquanto Saturno representa o casamento por contrato e ausência de amor.

Saturno tem o domicílio em Capricórnio e Marte fica exaltado em Capricórnio. São ambos maléficos, sendo semelhantes e complementares. Ambos representam, no entanto estados de doença diferentes no corpo: Marte representa os estados agudos, febres (quente), Saturno, por seu lado, representa os estados crónicos e os calafrios, constipações (frio).

Júpiter tem domicílio em Peixes e Vénus fica exaltado em Peixes. Têm ambos natureza benéfica, sendo semelhantes e complementares: Júpiter está relacionado com a espiritualidade superior e os prazeres espirituais; Vénus está relacionado com a observação dos rituais e a piedade e com os prazeres do corpo.

Significados dos Planetas com Base nos Signos Opostos que Regem

Os signos opostos permitem compreender alguns dos significados opostos dos planetas. Assim, os significados dos signos Touro e Balança opõem-se aos significados  de Escorpião e Carneiro. Sendo opostos e complementares, estes signos também representam qualidades opostas dos seus regentes:

Vénus representa a união na relação «eu/tu», a cooperação, a amizade; Marte representa o desapego e o individualismo, a inimizade.

Gémeos e Virgem opõem-se a Sagitário e Peixes. Enquanto Mercúrio representa o pequeno, Júpiter representa o grande; Mercúrio é contestação; Júpiter é a conformação com a ordem; Mercúrio pode ser a servidão, Júpiter é a liberdade; Mercúrio é a mente intelectual  e o conhecimento que esta adquire através da conceptualização, Júpiter é o conhecimento obtido por intuição e inspiração.

Os signos Leão e Aquário são opostos e os seus regentes partilham a natureza maléfica mas são também opostos. O sol é movimento, ação, atividade seletiva; Saturno é estático e preguiçoso.

Caranguejo e Capricórnio são opostos. A natureza da Lua e de Saturno é oposta: a Lua procura unir e nutrir, possuir e acumular, nutrir os filhos; Saturno rejeita e exclui, em vez de filhos naturais tem filhos adotivos ou sob tutela.

Este exercício de procurar compreender os significados dos planetas  pelas associações com os elementos, o temperamento e os signos traz, indubitavelmente, mais  compreensão para melhor interiorizar os significados dos planetas.

Deixe um Comentário a sua opinião conta