Significado das Dignidades Essenciais dos Planetas

(alt=" ")

Falamos neste artigo do significado  das dignidades  essenciais dos planetas descritas no artigo anterior e desenvolvidas na Astrologia Helenística.

O conceito de dignidade, que explicámos no último artigo, mostra o domínio de cada planeta numa certa parte do Zodíaco.

Note-se que os antigos astrólogos não faziam uma clara distinção entre signos e casas (até uma certa altura, pelo menos)  porque viam os signos como «a casa» do planeta.

Este tem regência sobre um determinado signo porque tem aí a sua casa; e, neste contexto, à exceção do Sol e da Lua, cada planeta tinha uma casa diurna e uma casa noturna.

Vamos a seguir explicar o peso de cada uma das dignidade essenciais  referidas no artigo anterior :

Dignidade da Regência do Signo

Sendo o signo a «casa» do planeta, corresponde à sua posição mais forte onde o planeta opera no seu próprio território, que lhe é familiar e que domina. Segundo Lilly, isto corresponde ao estado de alguém plenamente satisfeito e contente, no pleno domínio do que é seu .

Dignidade por Exaltação

É a segunda melhor posição, correspondendo, no comentário  de Lilly, ao estado de um convidado recebido com honras na casa de outra pessoa.

Segundo as palavras do astrólogo hebreu Ibn Ezra do século 12, um planeta exaltado é como uma pessoa na posição mais elevada do seu nível social. Já Lilly, compara a dignidade de um planeta exaltado com a de um homem arrogante que assume como seu aquilo que não lhe pertence.

Dignidade por Regência da Triplicidade

As triplicidades eram vistas como conceitos importantes na harmonia das configurações zodiacais, correspondendo ao «desenho» de figuras triangulares no Zodíaco.

Note-se que, para os antigos astrólogos a geometria desempenhava um papel importantíssimo, tendo os próprios aspetos dos planetas sido interpretados a partir do «desenho» que formam entre si.

Antes de mais, os aspetos eram padrões energéticos. As triplicidades devem entender-se no mesmo contexto.

As triplicidades eram vistas como relações perfeitamente harmónicas no interior do Zodíaco. Inicialmente, havia 3 regentes para cada triplicidade, tendo isto sido posteriormente simplificado para 1 regente diurno e outro noturno, sendo que Ptolomeu usa esta forma simplificada na sua tabela.

Quando o regente de uma triplicidade se encontra colocado na triplicidade que rege isso corresponde a uma forma de dignidade. Trata-se de um dado positivo, embora inferior às dignidades referidas acima. Segundo Lilly, esta dignidade é semelhante à de um homem modestamente envolvido nos bens  e fortuna deste  mundo.

Ibn Ezra por seu lado compara esta posição  à de um homem hospedado em casa de familiares: não é recebido com honras mas está à vontade e sente-se confortável.

Dignidade por Regência do Termo

O uso dos «termos» ou «limites» remonta ao Egito antigo e antiga Mesopotâmia. Ptolomeu, por seu lado, afirmou que tinha usado o melhor dos dois sistemas mais antigos na sua definição dos termos.

Nas suas palavras, a sua definição dos termos ajuda o uso dos signos, das triplicidades e das posições planetárias de exaltação e terá sido por essa razão que fez uso deles.

Um planeta colocado no seu termo está em situação de força temporária, mesmo quando o termo corresponde ao signo de detrimento.

Isto significa que o termo ajuda a compreender que o planeta pode estar colocado num signo onde, á partida é considerado fraco mas, se estiver no próprio termo, essa «fraqueza» é reduzida e aliviada.

Nas palavras do astrólogo Ibn Ezra, estar no próprio termo é semelhante a alguém que está sentado no próprio assento. Assim, apesar de estar em território estranho ou desconhecido, o facto de se sentar em algo que lhe pertence dá-lhe o conforto de alguma segurança.

Os termos eram usados também para descrever fisicamente o nativo, e também psicologicamente ou em termos de caráter. Isto mesmo pode ser constatado pelos artigos sobre os termos na definição de V. Valens, um astrólogo contemporâneo de Ptolomeu.

William Lilly, do século XVII, é da mesma opinião, tendo referido que  os termos mostram como um nativo partilha as características físicas e o temperamento do planeta que o rege mais do que revela a «fortuna»  ou destino do nativo.

Dignidade pela Regência da Face

A «face» corresponde ao nível mais baixo de dignidade essencial e é uma outra forma de designar os «decanatos» de que já falámos em artigo anterior, originalmente associados à definição do calendário egípcio.

O uso dos decanatos era comum na astrologia egípcia tardia, para fazer previsões. O astrólogo helenístico Firmicus  Maternus afirmou que Nechepso e Peetosiris, do séc. II a. C os usavam para prever todo o tipo de doenças.

Na sua obra Mathesis. Firmicus considerou que um planeta no decanato que rege produz efeitos semelhantes aos da colocação no signo que rege.

Porém, esta valorização do decanato não se manteve na tradição posterior astrológica. Ibn Ezra comparou esta dignidade com um homem vestido com a sua roupa e ornamentos. Já Lilly afirmou que um planeta na sua face é como um homem que gera algum respeito mas que tem de lutar bastante para o manter.

Significado da Dignidade  Essencial de um Planeta

A definição da dignidade essencial nos tempos antigos tinha por objetivo mostrar a força de um planeta para este dar apoio ás conquistas mundanas de um nativo em termos de posição social, posses  e conquistas no mundo.

Quanto mais dignidades  essenciais um planeta tem, mais capacidade possui para apoiar a possibilidade de uma pessoa atingir uma posição elevada na terra, não apenas  em termos de posses e de bens como também em termos de honras e respeito.

Neste sentido revela também o grau de integridade moral da pessoa que tem os planeta dignificados no horóscopo (ou não).

Encontrar os planetas mais dignificados no horóscopo significa também encontrar as áreas nas quais uma pessoa tem mais hipóteses de «vencer » no mundo, afirmando-se numa determinada área, uma vez que os planetas são significadores de coisas diferentes.

Permite igualmente  perceber se há boas possibilidades de a pessoa realizar determinadas ambições ou se será melhor optar por algo diferente, mais apoiado pela força dos planetas no horóscopo.

No próximo artigo falaremos do significado dos planetas não fortalecidos pela dignidade essencial.

Deixe um Comentário a sua opinião conta