Pistas para Compreender a Matéria da Questão

Mulheres sentadas a dialogar

Neste artigo damos algumas pistas para compreender a matéria da questão da consulta horária e das reais preocupações do querente.

Segundo alguns astrólogos, é possível determinar a matéria de uma questão analisando, na carta horária, a colocação do significador do querente e co significador, e também das casas ocupadas por planetas que têm aspetos maiores  com aqueles.

Deve  ser  dada atenção à  análise dos aspetos formados com os significadores , tendo em mente que uma oposição significa separação e que uma quadratura significa obstáculos.

A natureza da questão, quanto à sua complexidade ou simplicidade pode avaliar-se pela presença de vários planetas na 1ª casa, que simboliza o querente. A presença de vários planetas na 1ª casa significa que a questão envolve vários fatores e tem a sua complexidade.

Por outro lado, a presença do regente do Ascendente na primeira casa significa que a questão está ligada principalmente com assuntos pessoais.

As casas que os planetas significadores regem , bem como as casas que os planetas colocados na 1ª casa regem, complementam a compreender a matéria da questão  do querente.

Deste modo se, para além da colocação do regente do Ascendente na 1ª casa, estiver  também nessa casa algum planeta que rege casas estreitamente ligadas com a vida pessoal- como é o caso da 4ª, 5ª ou da 7ª, poderemos aceitar que a questão tem relação com assuntos de saúde, a casa/lar, os filhos, parceiro(a) amoroso ou o cônjuge.

Por ex., a colocação do regente da 8ª casa na 1ª, pode ser um indicador de preocupação pelos rendimentos do cônjuge.

A Lua é sempre co significador do querente. Se está por exe., na 12ª casa, isso é um forte indicador de que a pessoa se sente impotente ou «presa» a condições que são bastante limitadoras.

Se, na 1ª casa, estiver colocado um planeta significador da mudança, como a Lua ou Mercúrio, podemos inferir igualmente que o querente deseja saber se haverá alguma mudança significativa nas condições que está a viver no momento  em que faz a pergunta.

Os leitores poderão interrogar-se sobre a necessidade de fazer estas inferências analíticas da carta, quando temos a pergunta efetuada pela pessoa que deseja a consulta.

Porém, basta ter consciência de que, na maior parte das vezes, a pessoa que procura uma resposta para uma certa questão não tem, ela própria, consciência de vários níveis de preocupação que estão presentes na mente subconsciente mas não chegam a ser formuladas verbalmente, sendo por isso  importante o esforço do astrólogo para compreender melhor a matéria da questão.

A análise cuidada das configurações da carta horária permite, deste modo, uma compreensão mais profunda da questão que preocupa o querente e, desse modo, a resposta dada vai mais ao encontro do que são as suas reais expetativas e preocupações.

Quando, por ex., os significadores do querente se encontram colocados na 3ª e 9ª casa, podemos inferir que há no querente preocupações sobre viagens, estudar, escrever e publicar.  Se o regente de uma dessas casas se encontrar, por ex., na 2ª casa, podemos inferir que o querente quer saber se, pela atividade da escrita ou pela realização de uma viagem ou realização de estudos em país estrangeiro ganhará dinheiro.

A Lua co significadora do querente, deve ser vista sempre também, em especial nos aspetos que acabou de formar e/ou que irá formar a seguir: se tiver acabado de sair de uma quadratura com outro planeta ou de uma conjunção com um planeta maléfico, isso significa que o querente passou por algum problema, associado com a casa em que se deu o aspeto de separação.

Se, em vez disso, a Lua estiver prestes a formar um aspeto de aplicação  harmonioso (trino ou sextil ou conjunção) com um planeta benéfico, isso indica sorte para o que o querente deseja alcançar.

Se, pelo contrário, a Lua estiver a aproximar-se da formação de um aspeto negativo (oposição, quadratura ou conjunção com um planeta maléfico) são de esperar obstáculos ao que se deseja.

No juízo sobre os aspetos dos planetas deve ter-se em consideração dois fatores: se o aspeto é de separação ou aplicação; se os planetas que formam os aspetos são benéficos ou maléficos e a natureza dos aspetos formados. E, é claro, também se os planetas em causa são significadores principais da matéria da questão ou do querente ou de outras pessoas relacionadas pela questão.

Assim, se houver  o aspeto de um planeta benéfico para uma casa que representa pessoas, como por exemplo, Vénus a formar um trino com um planeta colocado na 11ª casa que simboliza os amigos,  isso indica que o querente pode contar com ajuda de amigos na matéria que o preocupa.

Um dos elementos mais importantes na interpretação astrológica é esta ligação intuitiva dos fatores simbólicos, que se vai ganhando com a prática da leitura, tanto no horóscopo de nascimento como na carta horária, sendo que, nesta, os planetas não são vistos como fatores psicológicos que descrevem o nativo mas como elementos cujo significado está mais ligado com eventos concretos , o que pode ser mais fácil de identificar, para a maioria.

Relacionados

Leave a Comment