Astrologia Horária- Questões da 1ª Casa #2

mulher junto de arbusto florido

Continuamos a apresentar as questões relacionadas com a 1ª casa do horóscopo na Astrologia Horária e os procedimentos da sua interpretação.

Uma pergunta  comum da 1ª casa é: «A minha saúde vai melhorar

Nas questões sobre a saúde, o Ascendente, a Lua e o Sol são elementos importantes a analisar. Os aspetos que cada um recebe e a força que possuem é um indicador geral da saúde. Quanto mais fortes estiverem melhor será a saúde; quanto mais fracos, mais problemas haverá nesta área.

Se o significador do querente (regente do Ascendente) ou o co-significador (Lua) estiverem na 6ª casa da carta horária ou se recebe o  aspeto de um planeta maléfico colocado na 6ª casa  isso indica doença. A natureza desta é mostrada pelo planeta que aflige o significador e pelo signo em que o planeta que aflige se encontra colocado.

Para interpretar corretamente os fatores referidos no último parágrafo é necessário ter em mente as partes do corpo significadas pelos planetas e pelos signos.

Quando o planeta significador ou co significador está a separar-se de um aspeto maléfico e, ao mesmo tempo, se aproxima da formação de um aspeto benéfico, pode-se concluir que a saúde não é boa mas melhorará.

Neste caso a recuperação será mais rápida quando os planetas significadores estão colocados em signos cardinais  e mais lenta quando estão colocados em signos fixos.

Quando os planetas significadores do querente estão colocados na 8ª casa e se aproximam da formação de um aspeto maléfico com um dos planetas maléficos (Marte ou Saturno)  há grande probabilidade da morte do querente.

O mesmo acontece se os planetas significadores do querente começam a formar um aspeto maléfico com um planeta colocado na 8ª casa e, ao mesmo tempo, o Sol, a Lua e o Ascendente estão severamente aflitos e não recebem aspetos de planetas benéficos ( Vénus ou Júpiter).

Para avaliar o estado recente de saúde, numa pergunta que tem a ver com esta matéria, é possível saber se houve doença recente analisando os aspetos de separação  dos planetas significadores do querente. A natureza dos planetas de que estes significadores se separam e dos  signos onde estão colocados mostra o tipo de doença.

Por sua vez, os aspetos de aplicação que os significadores do querente formam na carta horária mostram o estado futuro de saúde do querente.

Como nota final diga-se que o astrólogo deve evitar fazer juízos definitivos, quando encontra aspetos indicadores de morte provável, na consulta horária. A humilde compreensão de que há fatores que fogem ao controle do astrólogo e de que a astrologia não é capaz de fazer previsões de caráter absoluto, deve prevalecer. O astrólogo não é Deus.

A seguir mostramos alguns ensinamentos a partir da obra Introduction to Astrology de W. Lilly , publicada por Zadkiel. Quando terminarmos de publicar as questões de cada uma das casas e a sua interpretação, iremos explorar para os leitores esta obra que é a grande base da Astrologia horária dos que praticam hoje este ramo da Astrologia.

Uma outra pergunta frequente da 1ª casa é : «O querente terá uma vida longa?»

Ver em primeiro lugar se o regente do Ascendente (da carta horária)  e a Lua estão sem aflições: combustão ou aspetos de conjunção, quadratura ou oposição dos regentes da 4ª,  6ª, 8ª ou 12ª casas..

Observar se os significadores do querente estão em movimento direto (não se aplica à Lua, que nunca fica retrógrada), se estão fortes por dignidade, em movimento rápido e colocados numa casa angular, especialmente a 1ª ou a 10ª, ou ainda na 9ª e 11ª e se recebem bons aspetos de Júpiter, Vénus ou do Sol; ou ainda se estão colocados nos termos de Júpiter ou Vénus.

Todos os elementos referidos no parágrafo anterior são indicadores de uma longa vida e saúde.

Pelo contrário, o regente do Ascendente  e a Lua em casas maléficas e aflitos (ver o 1º parágrafo acima)  não abonam em relação à saúde ou longevidade do querente.

Se o regente do Ascendente está «sob os raios do Sol» ou vai entrar em combustão (esta situação é pior do que a anterior pois, naquela, o planeta está a afastar-se do sol e na segunda está a aproximar-se da queimadura solar);

Ou se a Lua está colocada numa casa cadente e aflita por aspeto dos regentes da 6ª ou 8ª casa; ou quando Saturno, Marte ou o nodo sul da Lua estão no Ascendente ou quando estes estão na 7ª casa peregrinos ou estes planetas estão retrógrados ou no signo de detrimento;

Nestas circunstâncias, deve-se ajuizar que o querente não terá uma vida longa e irá passar por alguma situação de perigo ou má fortuna, cuja natureza  é vista a partir dos significados dos planetas envolvidos e das casas que regem e/ou onde  estão colocados.

Determinar o Tempo no qual estes eventos surgirão

Primeiro passo- Ver se o regente do Ascendente vai entrar em conjunção ou outro aspeto com o Sol ou com os regentes da 4ª ou 8ª casas. Em caso afirmativo, contar o número de graus que separam o Sol desse aspeto exato, tendo em conta o signo em que se encontra o planeta regente do Ascendente  (é preciso consultar as efemérides ou usar um software de Astrologia que mostre os aspetos).

O tempo a considerar varia conforme se trata de um signo fixo, mutável ou cardinal:

Contar uma semana por cada grau quando o planeta está num signo cardinal; um mês por cada grau para um signo mutável e um ano por cada grau para um signo fixo. Estes dados são, diz Lilly, exemplificativos, devendo ser corrigidos quando há outros elementos que corroboram ou contradizem isso na carta.

Segundo passo- contar o número de graus que separam a Lua de qualquer aspeto com planetas maléficos  ou da posição dos regentes da 6ª e 8ª casas, tendo em conta os signos em que estes estão colocados e ter em conta a sua natureza e qualidade.

Terceiro passo- Se houver algum planeta maléfico no Ascendente, contar o número de graus desde a cúspide da 1ª casa até à posição desse planeta; ou, se houver um planeta maléfico na 7ª casa, contar o número de graus desde a sua posição até à cúspide da 7ª casa. Através do número de graus e do tipo de signo que ocupa a cúspide da casa (fixo, mutável, cardinal) conforme explicado atrás, determinar o tempo em que determinado efeito se manifestará.

Se o regente do Ascendente estiver aflito pelo regente da 6ª casa e também estiver colocado na 6ª casa, ou se estiver combusto na 6ª casa, o querente terá muitas situações de doença crónica que o acompanharão até á morte.

Esta tendência será ainda mais forte se o regente da 8ª casa e a Lua, além do regente do Ascendente , estiverem todos colocados na 6ª casa.

Se a Lua, o regente do Ascendente ou o signo Ascendente estiverem aflitos pelo regente da 8ª casa, a doença que aflige o querente ou afligirá em breve, será grave.(perigo de morte).

Mas, se a Lua e outros significadores estiverem fortemente aflitos pelos regentes de outras casa, ajuizar o tipo de «má fortuna» que afligirá a pessoa a partir da natureza das casas que o planeta que  causa a aflição, rege. Mas a aflição principal virá da casa onde está colocado o planeta que aflige. Nestes casos, a má fortuna não significará morte.

Se houver alguma estrela fixa muito perto da Lua, do regente do Ascendente ou do grau do Ascendente  e que cause alguma aflição a algum destes elementos, deve-se julgar os efeitos negativos a partir do significado da estrela fixa em causa.

E, depois de referir estes prognósticos, Lilly aconselha aos aprendizes de astrologia cautela no juízo acerca da morte. Esta nunca deve ser referida apenas a partir de um elemento, por muito forte que este seja.

E mesmo que o regente do Ascendente esteja colocado na 8ª casa combusto, observe-se se a Lua, Júpiter ou Vénus ou Mercúrio, quando este recebe algum aspeto benéfico, lançam aspeto para o regente do Ascendente, antes deste entrar em conjunção exata com o Sol pois isso pode mitigar os efeitos da condição do regente do Ascendente.

Ou seja, Lilly aconselha que, não apenas os aspetos já formados sejam considerados mas também os que se irão formar e que, positivos ou negativos, vão afetar,para o bem ou para o mal, o regente do Ascendente. O segredo de uma previsão astrológica correta é mesmo este, segundo o autor.

Para efetuar esta tarefa , o estudante deve munir-se das efemérides ou usar um software de astrologia que permita observar os aspetos futuros e passados dos planetas.(Já tivemos oportunidade de referir o software gratuito Astrowin para a astrologia horária).

E lilly conclui afirmando que, se houver no futuro próximo aspetos positivos sobre o regente do Ascendente, esses aspetos podem contrapor-se ao aspeto maléfico inicial e o doente pode curar-se ou naturalmente, ou através de tratamento médico, ou, pelo menos reduzir o impacto desse aspeto inicial.

Quando duas ou mais regras das referidas estão presentes, o astrólogo pode julgar convictamente mas, na opinião de Lilly (que consideramos sábia) o astrólogo deve ser cauteloso e evitar referir o momento da morte, mesmo quando há elementos que apontam para esta.

Em vez de se referir ao momento da morte é preferível dizer que a pessoa não terá uma vida muito longa ou enfrentará  dificuldades. Isto, diz sabiamente Lilly, impedirá que a pessoa atraia para si circunstâncias negativas , usando a sua racionalidade para as evitar, depois de prevenida.

Note-se como este brilhante astrólogo tem a convicção de que a astrologia não tem por base a noção de um destino fatal mas tem, em grande parte, poder preventivo, antecipando o conhecimento do que pode acontecer  mas que, em grande medida, pode ser evitado quando a pessoa faz escolhas mais informadas.

Relacionados

Leave a Comment