Considerações e Procedimentos Iniciais de Análise

Relógio marcando o tempo

Para facilitar a aprendizagem dos que seguem o curso que temos vindo a publicar, neste artigo resumimos algumas ideias e  procedimentos para o início  da análise  na Astrologia Horária.

A Astrologia Horária é muito antiga. Deste modo, desde Ptolomeu, na época helenística, houve grandes astrólogos que contribuíram para definir as regras e técnicas de análise deste ramo da Astrologia.

Além de Ptolomeu, Al Biruni, Guido Bonatus, William Lilly são fontes fundamentais da tradição. Mas outros astrólogos modernos têm dado igualmente um contributo importante: Henry Coley, Anthony Louis, Ivy Goldstein Jakobson, Sylvia De Long , Marion March, etc.

Os leitores poderão, deste modo, aperfeiçoar os seus conhecimentos lendo e estudando as obras destes autores.

Definir o Momento e o Local da Questão

Falámos em outro artigo da importância de formular uma questão realmente importante para o querente. Mas, sendo o astrólogo a pessoa que irá analisar a carta, como definir o momento e local considerados para levantar a carta horária?

O princípio básico é usar as coordenadas geográficas- latitude e longitude- da pessoa que faz a questão pois esta é produto de um ato de consciência que é do querente e não do astrólogo.  É claro que, se tanto o astrólogo como a pessoa que faz a questão, vivem no mesmo local, é esse que deve ser usado.

O momento escolhido para levantar a carta horária pode ser diferente conforme o tipo de contacto entre o querente e o astrólogo: se a pessoa telefona ao astrólogo, para fazer a pergunta, será o momento do telefonema que deve ser usado. Mas, se o querente usa uma carta ou email, o momento deverá ser o que corresponde àquele em que o astrólogo lê a mensagem.

Porém, se o astrólogo não compreendeu inteiramente a questão, e pergunta ao querente algo que lhe permite compreender melhor o objetivo da consulta, deverá ser considerado como o tempo da carta aquele em que o astrólogo questiona o querente para esclarecer as suas dúvidas.

Alguns astrólogos consideram que o tempo e o local da pergunta devem ser  os que se referem ao astrólogo: assim, consideram que o local e o momento a considerar para levantar a carta é aquele em que se encontram quando compreendem perfeitamente a pergunta feita pelo querente.

Este passo de questionamento do querente para compreender melhor a natureza da pergunta que este faz e será objeto da análise é muitas vezes necessário e é importante para resultados mais fiáveis.

A pergunta deve ser feita apenas uma vez, a menos que as circunstâncias mudem consideravelmente depois de feita a 1ª pergunta.

As perguntas mais fáceis de responder são as que se respondem com um mero «sim» ou não» mas outras mais complexas podem também ser efetuadas, desde que de forma clara.

Princípios Básicos Iniciais

Escolha do sistema de Casas

A maioria dos astrólogos com experiência na área da Astrologia horária prefere o sistema Regiomontanus, ainda que não neguem a possibilidade de serem usados outros sistemas. Este sistema era o preferido pelo grande astrólogo do século 17 W. Lilly.

Porém, este é um princípio que depende bastante da experiência do astrólogo e da sua sensibilidade intuitiva. Outros sistemas poderão ser usados e os autores mais consagrados pela tradição não apresentam todos as mesmas preferências.

Orbes dos Planetas

Quando existem aspetos entre os planetas, estes são eficazes quando no interior de determinadas orbes. Estas foram definidas em séculos passados, ainda que com algumas pequenas diferenças, por vários astrólogos.

Assim, Al Biruni, do século 11, considerou as seguintes orbes dos planetas: 15º para o Sol; 12º para a Lua; 7º para o Sol; 7º para Vénus; 8º para Marte; 9º para Júpiter; 9º para Saturno.

Já William Lilly, o grande astrólogo do século 17, referiu as orbes dos planetas como segue: 17º para o Sol; 12º 30’ para a Lua; 7º para Mercúrio; 8º para vénus, 7º 30’ para Marte; 12º para Júpiter; 10º para Saturno.

Quando dois planetas estão em aspeto um com o outro, tradicionalmente eram somadas as suas orbes e depois divididas por 2, para julgar a força do aspeto entre ambos. É claro que, quanto mais pequena for essa orbe, mais forte é o aspeto. O resultado da divisão das orbes dos planetas não deve estar longe das referidas nos parágrafos anteriores, para se considerar que os planetas estão em «aspeto».

Cálculo da Carta Horária

Para calcular a carta horária, existe um programa gratuito, Astrowin, desenvolvido por Allen Edwall que poderá descarregar para o telemóvel ou computador.

Associar a questão com a  Casa e os Planetas

Como referimos em outro artigo, a 1ª casa representa o querente e qualquer planeta aí colocado co-rege o querente, tal como a Lua. Quando há planetas na 1ª casa, o querente é representado primeiro pelo regente do signo que ocupa a 1ª casa, depois pela Lua e depois pelos planetas presentes nessa casa, sendo o primeiro referido o principal significador.

Algumas exceções a esta ordem são por ex., a mudança do planeta que é significador primário do querente: em vez do regente do Ascendente, é um dos planetas presentes na 1ª casa quando este rege o signo que ocupa a casa que corresponde à matéria da questão e também o signo que está na cúspide da 1ª casa (usando-se sistemas de casas não iguais).

Uma boa prática é associar a questão a uma casa determinada antes de levantar o horóscopo, por razões práticas de clareza.

A natureza da questão determina a casa que rege a questão: assuntos relacionados com dinheiro e posses referem-se à 2ª casa; família, lar pai, à 4ª, etc.

O planeta que rege o signo que ocupa a cúspide da casa relacionada com a matéria da questão é o regente da questão.

As outras pessoas são representadas pela 7ª casa. Mas, familiares são representados pela casa específica que os significa: o pai  é significado pela 4ª , a mãe pela 10ª, os amigos pela 11ª, etc.

Usa-se o princípio da correlação de casas para estabelecer relações complexas que simbolizam outras pessoas: por ex., numa questão sobre uma amiga da mãe: Para saber qual a casa a ser escolhida, contam-se 11 casas a partir da 10ª (que representa a mãe), pois a 11ª casa a partir da 10ª é quem representa os amigos da mãe.

E agora, já lhe demos as ferramentas básicas em todos os artigos anteriores, por isso, comece a praticar, usando estes procedimentos iniciais de análise  com os artigos seguintes para interpretar  as questões associadas com cada uma das casas do horóscopo.

Relacionados

Leave a Comment