Analisar os Filhos no Horóscopo

pai e filho a jogar á bola

Neste artigo mostramos como analisar os filhos no horóscopo, segundo o ensinamento de Ptolomeu, o pai da astrologia ocidental, tal como este os expôs na obra Tetrabiblos. Estas são as bases da análise astrológica no ocidente  desde há quase dois mil anos.

Para analisar a questão dos filhos, segundo Ptolomeu, observamos os planetas colocados no meio do céu (10ª casa) ou em aspeto com esta casa ou com a 11ª casa. Se não houver planetas nestas condições, observamos as casas opostas, isto é, a 4ª e a 5ª casas.

E teremos de ver a Lua, Vénus e Júpiter, para prever se haverá filhos. E observamos também o Sol, Marte e Saturno para ver se haverá poucos ou nenhuns filhos.

Mercúrio tanto pode indicar que haverá filhos como que não haverá, dependendo  com qual dos dois grupos referidos está em aspeto ou associação. E também tendo em conta que, quando Mercúrio ascende de manhã [1]dá filhos e, quando ascende de tarde, os nega.

Distinguimos, deste modo, os planetas que dão filhos- Lua, Vénus e Júpiter; os planetas que negam filhos- Sol, Marte e Saturno- e Mercúrio, que pode dar ou não filhos. Se estiver sozinho e sem aspetos e se erguer no horizonte de manhã, dá filhos; se se erguer de tarde, nega-os.

E, se estiver em associação com um dos outros grupos de planetas, atua de acordo com estes, devido à sua natureza neutra.

Quando os planetas doadores de filhos estão sem aspetos e colocados em signos masculinos e não bicorpóreos, dão apenas um filho. Mas se estiverem colocados em signos bicorpóreos e femininos ou em signos férteis como Peixes, Escorpião e Caranguejo, dão dois ou mais.

Quando os planetas doadores de filhos estão em signos masculinos ou estão em aspeto com o Sol, darão filhos rapazes. Mas quando estão colocados em signos femininos dão filhos do sexo feminino.

Porém, se os planetas maléficos forem mais poderosos do que os planetas doadores de filhos, ou se os planetas doadores de filhos estiverem colocados em signos estéreis como Leão ou Virgem, dão filhos mas estes não vingarão.

Quando os planetas que negam filhos estão colocados nas casas que significam filhos referidas atrás, e estão colocados em signos masculinos ou estéreis e os planetas que dão filhos não são mais fortes do que eles, isso significa completa ausência de filhos.

Mas se o Sol, Marte e Saturno estiverem colocados em signos femininos ou signos férteis, recebendo o aspeto de planetas benéficos, darão filhos, mas estes sofrerão ferimentos ou danos fisiológicos e terão vida curta.

Quando os planetas de ambos os sectos (noturno e diurno) tiverem alguma relação com os signos que dão filhos, haverá perda de filhos, de acordo com o número de planetas em aspeto com os planetas e signos que dão filhos, em cada secto.

E, para avaliar esta matéria, vê-se qual o grupo que tem superioridade sobre o outro, tanto em número de planetas como na força desses planetas em cada secto, ou quais estão mais perto de casas  angulares, ou  estão mais perto do Este (Ascendente).

Deste modo, se os planetas que dão filhos se erguem primeiro e estão dignificados no próprio signo que regem, dão filhos e estes serão pessoas prósperas e ilustres.

Mas, se os planetas que dão filhos estão a pôr-se e estão colocados em casas que pertencem a planetas do secto contrário, dão filhos que terão uma vida humilde e obscura.

Quando os planetas doadores de filhos estão bem colocados e formam aspetos harmónicos entre si e com a Parte da fortuna, os filhos serão amados pelos pais, receberão propriedade destes e serão atraentes fisicamente.

Mas, quando os planetas que dão filhos formam aspetos desarmónicos como a oposição ou quincôncioos filhos serão problemáticos, estarão sempre envolvidos em brigas e conflitos, são negativos e não terão sucesso em acumular património.

Quando os planetas que dão filhos estão em aspeto harmonioso entre si, os filhos estabelecerão boas relações uns com os outros, de respeito mútuo; mas, se esses planetas estiverem em aspeto de quincôncio e oposição, serão briguentos e cheios de esquemas, procurando enganar outros.

Como nota final importante, Ptolomeu ensina  a encontrar mais informação sobre os filhos. É a seguinte, a técnica: considerar o planeta que dá filhos como Ascendente da «carta dos filhos» e analisar as casas do horóscopo a partir dessas novas configurações, como se fosse o horóscopo dos filhos.

 

[1]  A Lua, o sol e os restantes planetas ascendem, culminam e põem-se no horizonte terrestre em cada dia. É necessário consultar efemérides astronómicas ou o site do observatório astronómico e ter em conta o local da Terra e o dia. Por ex., dia 20 de fevereiro de 2021  em Lisboa, Portugal, o sol nasceu ás 7h. 21m , culminou às 12h e pôs-se às 18h 19’. Já a Lua, por ex., cruzou o horizonte Este ou Ascendente apenas às 12h , culminou às 18h 21’ e pôs-se à 1h 42’. Assim, o sol ergueu-se antes da Lua nesse dia. Para os restantes planetas faz-se a mesma observação,

Relacionados

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar