Tetrabiblos- Analisar Amigos e Inimigos

amigos reunidos no campo

Ptolomeu ensina a analisar a amizade e inimizade, ou seja, as relações mais duradouras, tanto no que se refere à disposição amigável como  as mais duradouras hostilidades na vida do nativo.

Para tal, segue-se a seguinte técnica: em primeiro lugar, tem-se em conta ambos os horóscopos, pois trata-se de uma dimensão que envolve pelo menos duas pessoas.

Assim, em relação às pessoas envolvidas, os fatores a ter em  conta são o Sol, a Lua,  Parte da Fortuna e qual o signo e casa de colocação para o Sol,  a Lua, a Parte da Fortuna.

Para as relações de amizade serem duradouras e de natureza verdadeira, os elementos referidos no parágrafo anterior deverão estar, em ambos os horóscopos, no mesmo signo/casa, ou em receção mútua, todos ou a maioria dos elementos e, particularmente ,se as casas do horóscopo estão distantes em ambos as cartas, 17º uma da outra.

Segundo Ptolomeu, quando as condições enunciadas estão presentes, a relação de amizade é inquebrável , resistindo a qualquer desentendimento.

Mas, quando os elementos de um estão em signos opostos ou em quincôncio (formando um arco de 150º) com os do outro, produzem inimizades profundas e contenciosos duradouros.

Note-se que o autor não está a falar de meros aspetos de 180 ou 150 graus, está a falar na relação que os signos mantêm entre si no horóscopo. Por ex., Leão é o signo oposto de Aquário; Virgem é o signo em quincôncio com Carneiro pois dista deste em 150º.

Quando as configurações, em ambos os horóscopos, implicam apenas um aspeto de trino (120º) ou de sextil (60º), a amizade existe mas não é inquebrável.

Do mesmo modo, se há apenas um aspeto de quadratura (90º) entre os elementos, há inimizade mas não tão acentuada como a que existe nas condições descritas atrás.

Assim, nas amizades marcadas por estes aspetos, há ocasionalmente amuos, ou palavras de depreciação, quando os planetas maléficos transitam sobre as configurações envolvidas no relacionamento.

E, no caso das inimizades, os aspetos de mera quadratura podem ter períodos de tréguas e pazes quando os planetas benéficos transitam sobre as configurações envolvidas no relacionamento.

Filosoficamente, Ptolomeu distingue ainda três tipos de amizade e inimizade, considerando que estas resultam ou da preferência, ou da necessidade ou do prazer e da dor.

E, quando os planetas e a parte da fortuna estão todos ou a maioria em aspeto uns com os outros, todos os tipos de amizade estão presentes na relação. Mas, se apenas houver uma relação de aspeto entre os signos, a amizade resulta da escolha, que é o melhor tipo de amizade, segundo o autor, e a mais segura.

Do mesmo modo, quando os  signos nas casas onde se encontram os planetas e a parte da fortuna estão associados , mas não os outros elementos, a inimizade é também a pior e sem remédio.

Quando os signos de colocação da Parte da fortuna em ambos estão associados, a amizade é devida à necessidade (critério de utilidade).

E, quando apenas os signos onde se encontram os vários planetas e a  Parte da fortuna estão em aspeto, a amizade é por motivo de prazer ou dor.

Em relação aos elementos referidos é preciso atender aos que têm mais relevância e aos aspetos recebidos dos planetas.

Uma casa que se sobreponha porque os elementos em ambos os horóscopos estão no mesmo signo ou no signo seguinte ou no signo mais próximo desse, considera-se que esse fator tem o controlo principal da amizade ou inimizade conforme o caso para avaliar o tipo de amizade.

As casas nas quais os planetas benéficos lançam aspeto e se notam mais as influências benéficas ,são vistos como dando indicação sobre os benefícios que se podem receber, no caso da amizade e do maior sucesso na inimizade.

Para julgar as inimizades e amizades ocasionais que surgem entre os indivíduos, veem-se as progressões  dos planetas benéficos e maléficos até aos signos do sol , da Lua e da Parte da Fortuna de ambos os indivíduos.

Nesses períodos, tanto as amizades como inimizades temporárias surgem, permanecendo durante o tempo mínimo da progressão por esses planetas e no máximo até outros planetas que se aproximam, progredirem até ao Sol, a Lua e a Parte da fortuna.

Quando Júpiter e Saturno ficam em receção mútua por progressão, cada um ficando no signo do outro, produzem amizades através de apresentação mútua, agricultura, herança.

Quando Marte e Saturno formam receção mútua por progressão, produzem brigas intencionais e esquemas. Quando Saturno e Vénus ficam em receção mútua ,geram amizades através  dos parentes, mas estas esfriam rapidamente.

Quando Saturno e Mercúrio ficam em receção mútua por progressão, geram casamentos e alianças ou parcerias relacionadas com o comércio, o dar e receber.

Júpiter e Marte em receção mútua por progressão geram associações através de dignidades ou para gestão de propriedades.

A receção mútua entre Júpiter e Vénus por progressão origina amizades através de mulheres, rituais religiosos, etc.

A receção mútua entre Júpiter e Mercúrio gera associações para discussão filosófica e temas de debate instruído com pessoas de inclinação filosófica.

A receção mútua entre Marte e Vénus causa associação por adultério, amor ou relacionamentos ilegítimos, mas florescem apenas brevemente.

A receção mútua entre Marte e Mercúrio produz inimizades, disputas ruidosas, processos litigiosos em tribunal, devido a negócios ou envenenamento.

A associação entre Mercúrio e Vénus produz associações de natureza artística ou poética, ou a uma relação com apresentação através de carta ou de mulheres.

Para determinar a intensidade ou falta dela nestas relações, vemos as casas em que se encontram os planetas. Se estiverem em casas angulares ou em conjunção com a Parte da Fortuna ou a casa onde se encontra o Sol e a Lua, serão intensas e de grande importância na vida do nativo.

Mas, se estiverem em outras casas serão irrelevantes. A natureza positiva ou negativa da associação ou relação vê-se pela natureza benéfica ou maléfica dos planetas envolvidos.

Relacionados

Leave a Comment