Tetrabiblos- Viagens para Países Estrangeiros

turistas a fotografar durante viagem

Este artigo trata da escolha das melhores condições para marcar viagens para países estrangeiros, segundo a obra Tetrabiblos de Ptolomeu.

Na época em que este autor escreveu (século 2 ) tratava-se de uma decisão importante pois os perigos eram mais que muitos na situação de viagem, não sendo certo que a pessoa conseguiria regressar. Daí que se desse tanta importância às condições astrológicas, para se escolher o melhor momento para realizar a viagem.

Na escolha de condições para viajar, Ptolomeu diz que devemos atender aos aspetos que o Sol e a Lua mas, especialmente a Lua, formam com as casas angulares (1, 4, 7 e 10).

A posição da Lua no ponto em que «se põe» no horizonte (zona ocidental da carta do lado direito e perto ou na 7ª casa) bem como a sua colocação nas casas em que declina[1] indica viagens para o estrangeiro ou mudança de lugar.

Por vezes, Marte também pode indicar o mesmo, quando está a pôr-se ou quando declina a seguir ao Meio do céu (10ª casa) e também quando está em oposição ou quadratura com o Sol ou a Lua.

Quando a Parte da Fortuna está em aspeto com um destes (Sol, Lua ou Marte)  o nativo passará a sua vida no estrangeiro e aí formará relacionamentos e modo de vida.

Quando há planetas benéficos colocados em aspeto com as casas angulares ou estão colocados  nas casas sucedentes ou panapara (2, 5, 8, 11) a vida do nativo no estrangeiro será bem sucedida e este fará no estrangeiro ações honrosas e proveitosas, regressando de forma rápida ao seu país e sem obstáculos.

Porém, se houver planetas maléficos em aspeto com as casas angulares as viagens serão trabalhosas e perigosas, podendo incluir ferimentos e o regresso será difícil.  Mas é preciso ver se há fatores mistos, uns positivos e outros negativos, antes de julgar.

Assim, é preciso ver quantos e qual a natureza dos planetas que estão em aspeto com as casas angulares: quais são mais fortes, os maléficos ou os benéficos? Conforme o número de planetas benéficos e de planetas maléficos e a sua força, faz-se o juízo dos seus efeitos.

Quanto aos locais da viagem, Ptolomeu diz que, quando o Sol e a Lua estão colocados na parte inferior dos quadrantes do Este, as viagens são para  Este e Sul do mundo (tendo em conta, bem entendido, a colocação de origem do nativo).

Quando o sol e a Lua estão colocados na parte oeste dos quadrantes ou mesmo no ocidente (7ª casa) as viagens serão para oeste e para norte.

E quando os signos que ocupam as casas indicadoras de viagem são de figura  simples ou os planetas que os regem, as viagens serão esporádicas e realizadas em longos intervalos.

Mas, quando os signos que ocupam essas casas são bicorpóreos ou de dupla forma, o nativo viajará frequentemente e essas viagens durarão bastante tempo.

Quando Júpiter ou Vénus têm a regência das casas que governam as viagens e também dos signos de colocação do sol e da Lua, as viagens serão seguras e também agradáveis. Viajarão por conta das autoridades do país, ou através dos recursos dos amigos.

Encontrarão, além disso, condições de bom tempo e terão todos os suprimentos de que necessitam para o seu bem-estar e objetivos da viagem.

E, se Mercúrio estiver envolvido na relação com Vénus e Júpiter, o nativo alcançará também lucro ou tirará proveitos da viagem, e ganhos, presentes e honras advirão dessa viagem.

Quando Saturno e Marte controlam o Sol e a Lua (por serem os dispositores destes) e, particularmente, se estão em oposição com estes, tornam os resultados das viagens inúteis e colocam o nativo em grandes perigos.

Esses perigos relacionam-se com viagens desafortunadas, naufrágios[2] quando os planetas estão em signos de água, dificuldades em locais desertos. E, quando os planetas referidos estão em signos de Terra, o nativo corre perigo de queda de lugares altos e devido a ventos fortes.

Quando esses planetas estão colocados nos signos cardinais, a pessoa corre perigo de falta de provisões (meios financeiros para comprar o que precisa) e de condições não saudáveis , doenças, etc.

Quando esses planetas estão colocados em signos de forma humana,  o nativo corre perigo de «esquemas», roubos, pirataria, se viaja por mar.

Se estão colocados em signos terrestres, a pessoa corre perigo de tremores de terra e ataques de animais.

E, se Mercúrio também estiver em conjunção com esses planetas, enfrenta também perigos devido ao tempo atmosférico, acusações perigosas, mordida de répteis e outros animais venenosos.

Para analisar a qualidade específica das causas dos eventos, benéficos ou maléficos nesta matéria, analisa-se a regência das casas do horóscopo da ação (10ª ), corpo (1ª), propriedade (2ª) e dignidade (9ª, 11ª ).

Quando os planetas (à exceção do sol e da Lua) transitam nestas casas, trazem consigo a atualização destes eventos, benéficos ou maléficos, relativos às viagens e aos seus resultados.

 

[1] Um planeta declina quando está colocado numa casa cadente( 3ª, 6ª, 9ª 12ª ). Assim, o planeta declina porque estas casas, devido ao movimento diário de rotação da Terra, «caem», isto é, afastam-se das casas pivot ou angulares. Pode ler mais sobre isto aqui.

[2]  Hoje certamente mais difíceis de acontecer, dadas as condições tecnológicas muito superiores às de 2000 anos atrás. Ainda assim, podem acontecer problemas nas viagens marítimas.

Relacionados

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar