Os Períodos da Vida Humana e Seus Regentes

pessoas de diferentes idades

Neste artigo falamos dos períodos da vida humana e os seus regentes, de acordo com a obra Tetrabiblos, de Ptolomeu.

Ptolomeu refere que cada horóscopo pessoal deve ter em conta o país de nascimento do nativo pois as configurações do horóscopo subordinam-se sempre às características do país de origem.

Deste modo, a forma do corpo, as características sociais e culturais e as próprias qualidades da mente e da personalidade, são influenciados pela origem cultural, o astrólogo deve ter sempre em mente estas referências quando analisa uma natividade.

Do mesmo modo, há que ter em conta as «divisões do tempo» isto é, as diferentes idades do indivíduo e as ações ou eventos que são apropriadas ou inapropriadas em cada uma de acordo com a sociedade e cultura em que este vive.

Ptolomeu faz corresponder a regência de um planeta a cada idade do desenvolvimento do ser humano. Assim, a primeira infância tem regência da Lua, o corpo celeste mais próximo da Terra. Por outro lado, a vida humana na Terra termina com a regência do planeta mais afastado da Terra no tempo de Ptolomeu, Saturno.

Com base neste pressuposto, divide-se a vida do ser humano em 7 períodos, cada um tendo as características do planeta que o rege.

Períodos da Vida Humana

Lua– O primeiro período da vida tem regência da Lua. Este período tem a duração dos primeiros quatro anos de vida. Este é um período de mudanças constantes no desenvolvimento do corpo,  com crescimento rápido.

Caracteriza-se também pela alimentação macia e húmida, pela ausência de qualidades da mente , ainda não desenvolvidas, embora se manifeste a sua qualidade ativa e a sua contínua mudança.

MercúrioMercúrio rege os 10 anos seguintes da segunda idade do ser humano. A partir dos 10 anos a criança começa a mostrar um maior desenvolvimento da mente lógica e da inteligência e começa a  revelar conhecimentos rudimentares.

Neste período, começam a revelar-se também características particulares da personalidade individual. O corpo começa a modelar-se também através do exercício físico. A alma, diz Ptolomeu, é despertada por tutoria e instruções.

VénusVénus rege o 3º período da vida, que dura 8 anos. Durante este período, o desenvolvimento das características sexuais tem lugar no corpo e surge também o impulso natural para os relacionamentos amorosos.

É um período marcado pelo surgimento da sexualidade ativa e das paixões, da cegueira apaixonada.

Sol– O Sol rege o 4º período da vida, que dura 19 anos. Este período, da maturidade na juventude, corresponde àquele em que o indivíduo ganha maestria no controlo e orientação das suas ações.

É ainda marcado pelo desejo de alcançar uma posição significativa na vida, glória, riqueza e nome. Neste período, também há uma mudança da atitude de diversão  e erro ingénuo para outra mais séria, de ambição e decoro de quem sabe o que quer da vida.

Marte–  Marte tem a regência do 5º período da vida, que tem a duração de 15 anos. Neste período, severidade e miséria aparecem na vida, problemas e cuidados no corpo e na mente, faz surgir a perceção de que a pessoa já passou a sua fase melhor da vida.

Impele a pessoa para trabalhar ativamente para realizar as suas ambições, antes que chegue o final da vida, de modo a sentir que a sua vida deixou alguma marca significativa.

JúpiterJúpiter rege o 6º período da vida, com a duração de 12 anos.  Neste período, em que a velhice se instala, o indivíduo abandona o trabalho ativo, deixa para trás a labuta e a turbulência da vida ativa, atividades perigosas, etc., e retira-se.

Desenvolve, em vez disso, o decoro e a sabedoria, a capacidade de aconselhar e admoestar, a consolação. É a fase de a pessoa se estabelecer em honra, elogios e independência, acompanhada de modéstia e dignidade, nas palavras de Ptolomeu.

Saturno– Na velhice e até ao final da vida, Saturno estabelece-se como o regente do último período da vida. Neste período, tanto os movimentos do corpo como da mente são mais lentos e difíceis. É o declínio da vida, dos desejos, impulsos e alegrias.

Nesta última fase, o corpo é fraco e frágil, é fácil sofrer ferimentos e difícil sentir prazer pela vida. Este aspeto nos dias de hoje, porém é, para muitos, menos dramático do que nos tempos antigos em que os velhos se limitavam a esperar pela morte.

Hoje a velhice pode ser vivida de forma bem mais ativa e feliz, desde que a pessoa continue a manter o gosto de viver e a prática de exercício e uma vida saudável.

A descrição acima é geral e, segundo Ptolomeu, segue o ritmo da natureza. Mas, para informação específica sobre um determinado horóscopo, é preciso usar as prorrogações, isto é, as progressões, de que falámos em outro artigo  e de que falaremos no próximo e último artigo com o qual termina a obra Tetrabiblos.

Relacionados

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar