Compatibilidade entre os Nakshatras 1

Casal de noivos no dia do casamento

Neste artigo começamos a descrever a análise da compatibilidade entre os Nakshatras, seguindo os ensinamentos do Dr. B. V. Raman.

Nas descrições dadas a seguir, o Nakshatra de referência é o da Lua.

Na compatibilidade entre os Nakshatras, o 3º, 6º e 7º Nakshatra a partir do Nakshatra de nascimento da mulher devem ser evitados. Mas, ainda pior do que estes dois é o 5º Nakshatra a partir do Nakshatra da Lua da mulher.

O 88º e 108 navamsa[1] do pada do Nakshatra de Nascimento da mulher são de evitar, pelo que o homem que nasceu nesses padas de Nakshatras é incompatível com a mulher, segundo a tradição.

Quando o Nakshatra da Lua do homem é o 4º, 7º ou 10º a partir do Nakshatra da Lua da mulher, isso é bom para a harmonia no relacionamento.

Quando a mulher nasceu no 4ª Nakshatra a partir do Nakshatra do homem , isso chama-se Mahendra e a relação é próspera e traz riqueza; quando a mulher nasceu no 7ª Nakshatra a partir do Nakshatra do homem , isso chama-se Upendra  e é favorável para o nascimento de filhos.

Quando a relação entre o Nakshatra da mulher e do homem tem mais de 15 Nakshatras de separação, isso é considerado muito bom.

Na sociedade de castas da antiga índia desenvolveu-se um critério – Varna- que retratava essa estratificação. Era considerado que quando ambos os noivos pertencem ao mesmo Varna, isso é o melhor.

Na sociedade patriarcal era ainda considerado aceitável que o homem pertencesse a um Varna superior ao da mulher, mas inadmissível o contrário. Isto está hoje completamente ultrapassado, pois as sociedades concedem, em boa parte das sociedades atuais, democráticas, direitos iguais para o homem e a mulher.

Assim, deixamos este critério da compatibilidade para trás, como fóssil que é de um tempo que já se escoou.

A compatibilidade sexual (Yoni)  era vista como importante  e determinava-se pelo seguinte: considerava-se favorável que a mulher nascesse num Nakshatra feminino e o homem num Nakshatra masculino .

Aswini, Bharani, Pushyami, Aslesha, Makha, Uttara, Swati, Visakha, Jyeshta, Moola, Poorva-shadha, Uttarabhadra, Sravana, Poorvabhadra são masculinos e os restantes são femininos.

Mas há outra classificação, que também admite uma 3ª categoria, os eunucos. Assim, esta conceção considera Aswini, Rohini, Punarvasu, Pushyami, Hasta, Anuradha, Sravana, Poorvabhadra, Uttarabhadra masculinos, Mrigasira, Moola e Satabhisha são eunucos e os restantes são femininos.

Boas e Más Combinações entre os Nakshatras

As indicações a seguir são para a posição da Lua no horóscopo dos parceiros. Os leitores notarão que as descrições a seguir têm implícitos juízos de valor relacionados com a cultura de quem escreveu sobre isto, nomeadamente na ideia de que o homem deve ser sempre superior e dominante em relação á mulher, no casamento.

E também a ideia de que a sexualidade e o casamento servem para procriar. Estas são ideias de um mundo antigo que não são hoje aceites por muitos, inclusivamente na Índia, país de origem destas ideias.

O homem nascido num Nakshatra masculino e uma mulher nascida no mesmo Nakshatra, é uma má combinação;

Um homem nascido num Nakshatra masculino e uma mulher num Nakshatra feminino é uma boa combinação.

Um homem nascido num Nakshatra masculino e uma mulher nascida num Nakshatra eunuco também é uma boa combinação;

Um homem nascido num Nakshatra feminino e uma mulher nascida num Nakshatra masculino será objeto de censura, segundo o texto.

Ambos os parceiros nascidos num Nakshatra feminino é apenas razoável.

O homem nascido num Nakshatra feminino e a mulher nascida num Nakshatra eunuco não é favorável.

Um homem nascido num Nakshatra eunuco e a mulher nascida num Nakshatra masculino, deve ser rejeitado, segundo o texto.  

O homem nascido num Nakshatra eunuco e a mulher nascida num Nakshatra feminino «passa». Mas se ambos nasceram em Nakshatras eunucos, deve ser rejeitado.

A importância da Categoria Gana dos Nakshatras

Os Nakshatras classificam-se, na sua natureza quanto ao Gana, em divinos, humanos e demónicos.

São divinos (Deva) os Nakshatras Revati, Aswini, Anuradha, Shravana, Swati, Punarvasu, Mrigashira, Hasta, Pushya

Têm Gana humano (Manushya) os Nakshatras Bharani, Poorva Phalguni, Poorva-shadha, Poorvabhadra, Ardra, Uttara Phalguni, Uttara-shadha, Uttarabhadra e Rohini.

Os restantes têm natureza demónica (Rakshasa).

A combinação de um Nakshatra divino com um demónico produz brigas constantes entre os parceiros que podem mesmo conduzir á morte, segundo a tradição. A combinação entre um Nakshatra humano e um demónico é apenas aceitável.

 A combinação entre dois Nakshatras do mesmo Gana é propícia.

O Dr Raman comenta a propósito dos Ganas que uma mulher com Gana Rakshasa faz do casamento um combate constante que piora se o marido tem o mesmo Gana Rakshasa.

Isto pode ser cancelado quando os Nakshatras do Ascendente de ambos os parceiros são concordantes; ou quando os Nakshatras dos regentes navamsa da Lua de ambos são concordantes.

Quando estes são concordantes, pode ignorar-se o Nakshatra Rakshasa da mulher (mas o texto nada diz quanto ao Nakshatra Rakshasa do homem, em que pelos vistos, para o olhar patriarcal não existe problema quando é o homem a ter o seu Nakshatra com este gana).

Concordância do Gotra (Linhagem familiar)

Aswini, Poorva Phalguni, Swati, Abhijit são Marichi Gotra;

Bharani, Aslesha, Visakha, Sravana são Vasishta Gotra; Krittika, Magha, Anuradha, Dhanishta são  Angirasa Gotr.

Rohini, Poorva Phalguni, Jyeshta e Satabhisha são Athri Gotra;

Mrigashira, Uttara Phalguni, Moola, Poorvabhadrapada são Pulaha Gotra;

Punarvasu, Chitta, Uttarashadha e Revati são Kretu Gotra

O princípio básico é de que o gotra de ambos os parceiros deve ser diferente. O principal fator é a comparação do gotra nos Nakshatras da Lua. Se não houver concordância, deve ver-se o gotra dos Nakshatras do Ascendente de ambos. Se  se repetir, aqui ter o mesmo gotra,  é apenas aceitável – mas não boa- a compatibilidade de ambos.

Yonis- Nakshatras e Animais

Para aferir este critério, as constelações foram classificadas como tendo relação a um determinado animal, começando com Ashwini, o primeiro Nakshatra, com a ordem seguinte: cavalo, elefante, cabra, serpente, cão, gato, ovelha, gato,

rato, rato, camelo, búfalo (touro), leão, búfalo (touro), tigre, veado, corça, cão, macaco, boi, macaco, búfala, cavalo, mulher, vaca e elefante.

Quando  os Nakshatras de ambos exprimem animais cuja natureza é concordante, o casal viverá amigavelmente. Quando os animais são inimigos mútuos, o casal viverá

Sempre a discutir e pode separar-se.

Quando os Nakshatras de ambos têm associação com os seguintes animais, o casamento é feliz e harmonioso: elefante, cavalo, vaca, mulher, veado, cabra macho e cabra fêmea e gato.

Se os animais dos parceiros forem tigre e serpente, pode ocorrer a morte, segundo os antigos.

São os seguintes os animais inimigos: gato e serpente, cavalo e búfala; rato e cão; cão, gato e rato; gato e rato; cão e serpente. O leão não tem inimigos naturais.

O tigre é inimigo da vaca, da mulher, do búfalo, do veado, da cabra e do macaco.

O cão é inimigo da vaca, do cabra macho e fêmea, do macaco e do veado.

O elefante e o veado são inimigos.

 Segundo o autor, juntar os Nakshatras destes animais no casamento produz «um desastre».

O autor chama ainda a atenção para o facto de que o Nakshatra Chitra ser atribuído, por um sábio ,ao yoni do Leão; outro afirma que rege o yoni do tigre. A controvérsia permanece.


[1] Cada Nakshatra tem 4 padas,  cada um correspondente a 1 navamsa o que, multiplicado pelo número total de Nakashatras, totaliza 108 padas e navamsas.

Relacionados

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar