Fatores de Compatibilidade Romântica

casal de mão dada a correr na praia

Neste artigo falamos dos fatores de compatibilidade romântica a considerar quando analisamos esta matéria.

Compatibilidade Psicológica

Antes de iniciar a compatibilidade propriamente dita entre potenciais parceiros e depois de avaliar o potencial geral para os relacionamentos em cada uma das pessoas, há elementos que, ao nível psicológico, ajudam a perceber um potencial geral para o relacionamento.

Fatores a Considerar

Um dos elementos relevantes a considerar são as configurações gerais da carta natal de cada uma das pessoas: quais os quadrantes da carta em cada uma que são mais enfatizados pela posição dos planetas;

Os signos em que os planetas pessoais de cada pessoa estão colocados em cada uma das cartas e a compatibilidade dessa colocação, por signo/elemento;

Relativamente aos signos, convém anotar se estes são fixos, cardinais ou mutáveis e o elemento (Ar, Fogo, Terra, Água) sendo certo que uma pessoa que tem, por ex., o seu Mercúrio num signo de elemento Terra tem uma compreensão da realidade diferente daquela em que Mercúrio está num signo de Fogo, etc.

Estes fatores não dizem nada sobre o potencial de atração entre os indivíduos, mas dizem bastante sobre o modo como «funcionam» em termos psicológicos e isso ajuda a avaliar o potencial de um determinado relacionamento.

Também é preciso ter em mente qual o tipo de relacionamento, pois um relacionamento profissional tem indicadores diferentes de um relacionamento romântico, incidindo em casas e planetas diferentes.

A natureza dos planetas colocados na 1ª casa também deve ser comparada, pois indica tendências de autoexpressão da personalidade.

Sinastria

Após a análise dos fatores mais gerais ligados à personalidade de cada pessoa, começa a análise da Sinastria, que procura fatores de atração entre os dois horóscopos. Nesta abordagem, o modo como os planetas pessoais ou ângulos da carta de uma pessoa se ligam aos planetas pessoais  e ângulos da carta da outra é o foco fundamental.

Os planetas pessoais /ângulos da carta de uma pessoa devem estar em aspeto harmonioso com os planetas pessoais/ângulos do (a) parceiro (a) pois é isso que liga as energias de ambos os parceiros e os faz entrar numa relação.

Nesta análise apontamos a posição de cada planeta nas duas cartas, por signo e por casa para podermos avaliar de que modo a outra pessoa facilita ou dificulta a expressão das energias pessoais da outra.

Para uma visão global desta influência, colocamos a carta de uma pessoa à volta da carta da outra, e vice-versa, construindo uma carta composta.

Esta sobreposição das cartas permite ter uma perspetiva geral do modo como cada pessoa impacta cada uma das áreas de vida da outra pessoa. Esta é, verdadeiramente, uma  carta fundamental para entender o relacionamento, permitindo fazer previsões para o futuro da relação.

Esta carta só é, no entanto, desenhada, quando as duas pessoas pretendem ter um relacionamento duradouro a dois, como no casamento.

Fatores Básicos da compatibilidade

Em termos básicos, o signo da Lua, o signo do Sol, o signo Ascendente de ambos os parceiros , Vénus e Marte, Saturno e Júpiter, são os principais indicadores a analisar.

O nodo norte e o vertex (publicaremos um artigo sobre este) são pontos sensíveis entre as cartas, indicando um relacionamento predestinado, com lições kármicas mútuas a aprender. O relacionamento pode ser longo ou durar apenas até que o karma que gera a atração mútua seja dissipado.

Os aspetos entre o Sol, a Lua e o Ascendente ajudam a determinar o modo como os indivíduos respondem ao mundo em geral e como reagem um ao outro. O Sol representa os ideais mais profundos do «eu», a imagem ideal através da qual a pessoa se vê a si mesma e ao mundo, é o que ela sente «que é», verdadeiramente.

A Lua representa a mente emocional, o modo como a pessoa procura e deseja receber segurança em termos emocionais e a perceção subjetiva que forma de si e dos outros.

O Ascendente representa a autoexpressão imediata da personalidade, que leva os outros a formarem uma imagem do nativo, é o que este dá a ver de si aos outros quando estes lhe aparecem.

Deverá haver aspetos entre estes elementos, e aspetos harmónicos, pois isso indica personalidades compatíveis. Quando a personalidade de ambos é muito diferente, pode ser difícil o convívio e interação real entre as pessoas, que sentem, nesse caso «não ter nada em comum» uma com a outra.

Aspetos do Sol

Conjunção- a colocação do Sol no mesmo signo indica que ambas as pessoas se identificam uma com a outra, percebendo nesta as características que atribuem a si próprias em termos profundos.

Trino ou Sextil- o aspeto harmónico entre o Sol de ambos os parceiros é muito positivo, indicando um bom entendimento entre estes acerca da identidade e objetivos de vida da outra pessoa e vontade de partilhar isso com ela.

Quadratura- Este é um aspeto desafiador entre o Sol de ambos, sinalizando conflito e dificuldade em perceber quem a outra pessoa é e o que deseja da vida.  Pode haver dificuldade de entendimento que torna demasiado extenuante manter a relação.

Aspetos da Lua

Os aspetos da Lua indicam o quão cada um tem consciência das necessidades emocionais da outra pessoa e é capaz de as preencher. Os aspetos harmoniosos, como o trino ou o sextil entre as duas Luas, indica empatia mútua e um sentimento de segurança na companhia da outra pessoa, criando laços de forma imediata.

Os aspetos desarmónicos como a quadratura ou oposição não comprometem necessariamente a viabilidade do relacionamento, mas mostram que é mais difícil sintonizar com as necessidades do outro e que é preciso trabalho para as pessoas conseguirem viabilizar um entendimento e segurança mútuos.

Aspetos Sol Lua

Desde Ptolomeu, os aspetos entre o Sol de um e a Lua do outro são considerados o indicador mais forte de compatibilidade entre os parceiros, indicando uma forte ligação a nível profundo, na qual cada um completa o outro.

No entanto, a conjunção entre o Sol ou Lua de um e a Lua ou Sol do outro apresenta algum desafio nos tempos de hoje pois a pessoa que tem a Lua em conjunção com o Sol da outra tende a tornar-se dependente da que tem o Sol envolvido, deixando-a liderar a relação.

Uma combinação mais harmoniosa será a que combina o Sol e a Lua de ambos através de um sextil ou trino em que há mais equilíbrio entre o que cada um espera do outro.

Já a quadratura entre o Sol /lua de um e a Lua/Sol do outro pode  indicar desafios provocados por conflitos entre vontades, sendo mais difícil a quadratura do que a oposição.

No entanto, tradicionalmente, aceita-se que qualquer aspeto entre o Sol e a Lua- mesmo os considerados desarmónicos- é um bom aspeto para o casamento.

Aspetos Vénus/Marte

Qualquer aspeto entre Vénus e Marte, independentemente de ser harmónico ou desarmónico, indica forte atração e afeto pelo que é considerado positivo para a compatibilidade de casamento.

Vénus representa o modo como cada um aborda o amor e os relacionamentos românticos, mostrando o potencial de atração emocional.

Marte, por seu lado, revela o modo como se exprime a sexualidade, para além de revelar  a capacidade de ação do indivíduo para conseguir o que deseja na vida.

Quando há aspetos entre Vénus e Marte em ambos os horóscopos, isso é indicador de atração física forte e paixão. Porque esta é uma dimensão considerada importantes no casamento, hoje em dia, considera-se que tanto os aspetos harmónicos como desarmónicos entre Marte /Vénus de um e Vénus/Marte do outros, são positivos.

A diferença é que, quando os aspetos são harmónicos (sextil/trino) os parceiros têm mais facilidade de adaptação em relação ás características um do outro, enquanto que, quando esses aspetos são tensos ou negativos, as pessoas podem discutir mais, havendo desentendimentos mútuos de vez em quando, que precisam de trabalho dos parceiros para construir a relação.

Saturno e Júpiter

Estes são planetas não pessoais, mas refletem o modo como as regras sociais influenciam a personalidade. É sempre mais fácil que Júpiter esteja em aspeto com os planetas pessoais ou ângulos da carta do que Saturno, que remete para ligações kármicas, que têm sempre algo de compulsivo e de fardo a vivenciar.

Uma relação harmoniosa de Júpiter e Saturno com os planetas da outra pessoa mostra como o relacionamento se integra nas regras sociais aceites. Júpiter por ex., é um planeta de expansão e otimismo e o seu aspeto com planetas pessoais do (a) parceiro mostra como a pessoa de Júpiter ajuda a outra a manter o otimismo na área de vida que recebe o aspeto (indicada pela casa do horóscopo onde está o planeta).

Já o aspeto de Saturno mostra á outra pessoa como o (a) parceiro (a) lhe lembra as responsabilidades, deveres ou obrigações, numa certa área da sua vida.

Ponto Médio entre o Sol e a Lua

Este é considerado por muitos um fator fundamental na análise dos relacionamentos e dedicar-lhe-emos um artigo específico.

Aspetos do Nodo Norte da Lua

Quando os nodos norte dos parceiros estão em aspeto um com o outro, isso, segundo a astrologia do karma,  indica que as pessoas estão juntas para cumprir um karma comum, sendo um sinal de relacionamento predestinado.

Quando o aspeto é entre o nodo sul e o nodo norte dos parceiros, o do nodo sul sente que o parceiro lhe dá inspiração para compreender melhor as raízes do seu passado. No entanto, é melhor haver um aspeto entre os nodos norte pois isso sintoniza as pessoas para crescerem ambas espiritualmente, ajudando-se mutuamente nesse propósito.

Relacionados

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments