Óleo Essencial de Cajuput

óleo essencial de Cajupt

Menos conhecido do que outros óleos populares, o óleo essencial de Cajuput (ou Cajeput) é amplamente conhecido na Austrália, Indonésia e na Malásia, regiões onde . se encontra a árvore da qual é extraído. A palavra Cajuput tem origem indonésia e significa «madeira branca».

O óleo essencial de Cajuput tem semelhanças com o óleo de Eucalipto  e também com o óleo essencial da Árvore do Chá, que é da mesma família , mantendo, no entanto, características próprias. O óleo de Cajuput e tem propriedades antisséticas, cosméticas, bactericidas, inseticidas, descongestionantes, analgésicas, expetorantes, febrífugas, vermífugas, antiespasmódicas, carminativas, estimulantes, tónicas, emenagogas e sudoríficas. Este óleo extrai-se através  da destilação a vapor dos galhos e das folhas frescas  da árvore Melaleuca Leucadendra  Cajuputi. O óleo da Árvore do Chá por sua vez é extraído da árvore Melaleuca Alternifoli.   Ambos os óleos são quentes e  têm um aroma  canforado. Nos países referidos, estes óleos são amplamente usados para o alívio da dor e das infeções respiratórias.  Porém, o óleo essencial de Cajuput não tem os mesmos componentes químicos que o óleo da Árvore do chá, sendo mais rico em Eucalyptol, Limoneno e Alfa-terpinol.

árvore Cajuput

O óleo essencial de Cajuput tem muitos fins medicinais, dos quais se destacam a sua ação bactericida e antissética, pois combate eficazmente, segundo os entendidos, bactérias, fungos e vírus  presentes em muitas doenças infecciosas, sendo mesmo usado provisoriamente, por ex., em casos de suspeita de  tétano, quando a pessoa se feriu em objectos ferrugentos, até que a vacina seja administrada. Também é referida a sua ação  positiva em doenças como gripe, febre tifoide e cólera.

Quando usado diluído e vaporizado no ar, tem uma ação inseticida sobre os mosquitos e também sobre as invasões de formigas.

Tem acção semelhante à do óleo essencial de Eucalipto no tratamento de estados congestionantes das vias respiratórias, aliviando a congestão nasal e da garganta e ajudando a melhorar em caso de constipação e inflamação da garganta, da laringe e  em caso de bronquite. Alivia constipações e é reputado como preventivo de inflamações respiratórias como a bronquite, faringite e laringite.  O vapor do óleo pode ser inalado a partir de um difusor para o efeito mas as pessoas que sofrem de alergias ou asma não deverão inalar este óleo essencial pois pode provocar fortes  reações adversas devido ao forte conteúdo de Eucalyptol.

Possui uma acção estimulante, produzindo sensação de calor, desse modo ajudando a transpiração e  a melhoria dos processos de circulação sanguínea. Também estimula as secreções hormonais, promovendo assim a libertação de toxinas do corpo.

Aplicado localmente numa zona dolorosa, ajuda a aliviar a dor, podendo ser aplicado inclusivamente nos dentes e em qualquer área que cause dor; pode ser massajado na  testa para alivio de dores de cabeça e, se ingerido em solução muito fraca, (sob supervisão de um perito)  pode aliviar as dores nas articulações, segundo os peritos. Este óleo tem sido aconselhado a quem sofre de artrite reumatoide para alívio da dor, aplicado localmente ou, em alternativa, colocando 2 ou 3 gotas na água do banho e lavar-se com essa água mas evite as zonas sensíveis de pele como as mucosas. Alivia igualmente as cãibras musculares,  massajando a zona em causa, com uma gota diluída num óleo de transporte. Isto não apenas alivia as dores mas também reduz a inflamação. O óleo essencial de Cajuput  diluído em outro óleo de transporte tem ainda uma ação eficaz no tratamento da psoríase e outras afeções da pele e também atua como repelente de insetos.

Possui uma acção tonificante e amaciadora da pele, ao mesmo tempo que contribui para a manter saudável e isso faz com que seja largamente usado na indústria cosmética.

A sua acção carminativa faz com que reduza a quantidades de gás nos intestinos e impeça a formação de mais gases.

Possui uma ação eficaz em caso de nevralgia, devido às sua fortes características analgésicas.

O óleo essencial de Cajuput é amplamente usado na perfumaria, na constituição de bálsamos para alívio da dor, em inaladores nasais com função descongestionante, etc..

árvore Cajuput

Efeitos Secundários do Óleo Essencial de Cajuput- Leia antes de Usar

Apesar de não existirem muitos relatos de efeitos de irritação devido à aplicação ou ingestão, quando usado como aconselhado, deve evitar-se uma aplicação demasiado frequente nas aplicações externas e na ingestão interna, devendo apenas ser ingerido em doses muito diluídas e apenas quando realmente necessário. A ingestão deste óleo só deve fazer-se com supervisão de alguém com conhecimentos técnicos de aromaterapia.  Estudos efetuados em 2002 sobre os  possíveis alérgenos presentes neste óleo não encontraram nada significativo mas, para algumas pessoas, pode haver sensação de irritação pelo que, antes de usar este óleo em superfícies extensas do corpo, deve fazer-se um teste de aplicação numa zona pequena do corpo que não abranja as zonas mais sensíveis da pele, especialmente nas mucosas, que em algumas pessoas podem ficar irritadas em contacto com o óleo.

Este óleo não deve ser usado por mulheres grávidas ou a amamentar, nem por crianças nem, como referido atrás, por pessoas com alergias ou asma.

Usos Metafísicos do Óleo Essencial de Cajuput

Este óleo é considerado essencialmente um agente de limpeza de todas as energias negativas.  É usado para limpar objetos e para proteger de energias intrusas. Diz-se que ajuda a quebrar velhos hábitos compulsivos, aumentando a força de vontade e a determinação individual.

Óleo Essencial de Bétula

óleo essencial de Bétula

Existem dois tipos de Bétula, a Bétula branca ou prateada (Conhecida cientificamente por Betula Pendula) e a Bétula preta (conhecida cientificamente como Betula Lenta).  A Bétula é uma árvore  largamente usada para fins ornamentais e também, desde há séculos, para fins medicinais.

O óleo essencial de Bétula é difícil de obter, nem sempre se encontrando no mercado, pelo menos com boa qualidade . Para produzir o óleo essencial , a casca desta árvore é extraída e pulverizada e depois destilada através de vapor para lhe ser extraído o óleo essencial. É um processo difícil e pouco sustentável e, geralmente, encontra-se   à venda apenas numa certa altura do ano. Por vezes, o que se encontra à venda  tem qualidade inferior, por estar diluído ou ser mais fraco, seno por isso da maior importância adquiri-lo em locais acreditados pela qualidade. Este óleo possui um aroma refrescante e agradável  que não se assemelha ao de outros óleos obtidos a partir da madeira de árvores.

Tem sido usado desde há séculos como tónico da pele, tanto nos tratamentos de beleza como tratamento para superar estados de fadiga. Tem sido igualmente usado para alívio da depressão , tristeza, medos, etc..

O óleo essencial de Bétula  tem propriedades desinfetantes e antisséticas. Produz  ainda efeitos tónicos, estimulantes, antidepressivos, analgésicos, antirreumáticos, anti artríticos, diuréticos, adstringentes, febrífugos, germicidas, insecticidas e depurativos.

óleo essencial de Bétula

 

Os ácidos salicílico e  Salicilato de metilo são os principais componentes responsáveis pela acção germicida e bactericida, protegendo a pele de fungos e bactérias. A acção estimulante deste óleo essencial atua positivamente no sistema nervoso, circulatório, digestivo e endócrino, estimulando a produção de enzimas e hormonas como a insulina, razão pela qual é útil no tratamento da diabetes, segundo os entendidos.  Possui uma acção redutora da febre, ajudando o processo de transpiração quando há estados febris e, desse modo, promovendo a libertação de toxinas , acelerando em simultâneo o processo de recuperação.  Possui uma acção analgésica e anti espasmódica, que alivia dores de cabeça, dores musculares, dores de dentes ou nas articulações.  A ação estimulante  da circulação sanguínea alivia os problemas associados com má circulação do sangue, como edema, reumatismo ou artrite.  Segundo a tradição, o óleo essencial de Bétula é um excelente tonificante da pele, sendo-lhe atribuídas propriedades anti flacidez e  antirrugas, sendo usado em pequenas doses para esse efeito.  As suas propriedades adstringentes também fortalecem as gengivas e os músculos e, segundo os peritos, também fortalecem o cabelo. A acção desintoxicante e depurativa deste óleo torna-o uma boa ajuda na remoção de toxinas da corrente sanguínea através da ação que tem no aumento do fluxo de urina e na eliminação do ácido úrico. A ação germicida e bactericida  ajuda nas infeções e problemas de pele, incluindo eczema . Usa-se muitas vezes misturado em loções ou cremes para esse efeito. Os componentes Betulenol e Betulene são responsáveis pela acção diurética que auxilia na remoção de toxinas do corpo, ajuda na cura de infecções urinárias, limpa os rins e ajuda a prevenir a formação de pedra nos rins. Nos climas muito frios, atua como um tónico, dando energia e promovendo a sensação de calor.

Como Usar o Óleo Essencial de Bétula

Para usufruir de todos os benefícios deste óleo, é essencial que leia com atenção as precauções. nunca use um óleo essencial sem o diluir.

Para a acção tonificante sobre a pele pode misturar-se uma gota nas loções para o corpo ou para o rosto.

Para massagem: misturar uma gota de óleo essencial ao óleo de massagem e massajar nas áreas doridas ou fatigadas.

No difusor: deitar uma gota de óleo de cada vez para aclarar o ar, relaxar, sentir maior clareza mental , energia e vitalidade.

Ação calmante sobre a pele: os peritos aconselham misturar o óleo essencial de bétula e o de helichrysum  1 gota de cada no óleo de transporte  e massajar sobre a pele.

Ação relaxante: Pode usar-se uma gota de óleo essencial  misturada com óleo de transporte e massajar a zona do pescoço para aliviar a tensão. Em alternativa, pode-se massajar a sola dos pés.

Para um banho reconstituinte: misturar   2  a 3 gotas na água do banho para recuperação da fadiga muscular.

Bétula

Precauções

As mulheres grávidas ou a amamentar não devem usar este óleo. Do mesmo modo, as pessoas que sofrem de epilepsia ou são alérgicas aos seus compostos essenciais – o salicilato de metilo pode ser irritante – não deverão usá-lo também. As crianças e as pessoas com pele sensível também não o deverão usar: teste sempre a sua aplicação numa pequena superfície da pele antes de o usar em todo o corpo.  A zona do corpo mais segura para usar este óleo essencial é a sola dos pés. Para todas as pessoas, o óleo não deve aplicar-se na zona dos olhos nem no nariz ou ouvidos.

Propriedades Metafísicas do Óleo de Bétula

Diz-se que este óleo essencial ajuda a encontrar a força interior que permite à pessoa ajudar-se a si mesma, centrando-a e  enraizando-a de modo a receber ajuda através de meios subtis.  Neste sentido, promove, segundo dizem, a força interior para recuperar de relacionamentos mal sucedidos e do sofrimento emocional causado por outros, fazendo com que a  pessoa se sinta internamente apoiada  e estável.

Pode-se diluir 1 gota de óleo essencial em óleo de transporte e massajar na zona do plexo solar para aumentar a autoconfiança.

1 gota no difusor pode usar-se durante a meditação.

Respirar o aroma deste óleo quando a pessoa se sente sozinha ou não amada  diz-se que ajuda a superar os sentimentos negativos- pode respirar a partir do inalador ou colocar uma gota no difusor.

Outras propriedades metafísicas são a capacidade protetora e de purificação que  limpa as vias subtis de comunicação, afastando energias indesejáveis presentes e permite concentrar-se e focar-se  no que se pretende.  É reputado como auxiliar nas lutas espirituais e é considerada uma das fragrâncias angélicas.  Diz-se que limpa todas as barreiras físicas que impedem a pessoa de encontrar a verdade.

Pode usar-se para limpar a casa de energias negativas que estejam presentes, colocando entre 3 e 5 gotas  nos cantos de uma divisão ou das divisões da casa.

Óleo Essencial de Bergamota

óleo essencial de Bergamota

Continuamos a descrever as propriedades de alguns óleos essenciais com grande potencial terapêutico. Hoje falamos do óleo essencial de Bergamota, que tem propriedades desodorizantes eficazes a remover os odores desagradáveis do corpo, a que se juntam outras características muito interessantes como a ação antiespasmódica, antibiótica, antissética, sedativa, analgésica, desinfetante, antidepressiva, cicatrizante e digestiva para nomear apenas algumas.  Este maravilhoso óleo ajuda no alívio das dores, combate a depressão, ajuda a curar feridas e a  atenua as marcas das cicatrizes , sendo também um excelente auxiliar da digestão.

A Bergamota (Citrus Aurantium, uma variedade do Citrus Bergamia) é um fruto cítrico de cuja casca se extrai o óleo essencial. É uma planta tropical mas também é capaz de se adaptar ao clima europeu. O óleo extrai-se por compressão fria e não por destilação a vapor. O aroma muito agradável deste óleo faz dele um ingrediente comum de muitos perfumes. Também pode ser um ingrediente no fabrico de uma variedade do chá preto, que recebe então o nome de «earl grey tea».

citrus aurantium

Os componentes deste óleo essencial têm uma ação que melhora a circulação do sangue e estimula o funcionamento hormonal, contribuindo assim para o equilíbrio metabólico. Esta ação estimulante é igualmente antidepressiva  e aumenta a disponibilidade energética geral, ao mesmo tempo que melhora o estado do humor. A digestão  também é favorecida, devido ao  aumento dos sucos gástricos e  a uma melhor absorção dos nutrientes.

A ação desinfetante e antibiótica do óleo essencial de Bergamota inibe o crescimento de germes, fungos e vírus e previne infeções da pele , razão pela qual é também um ingrediente comum nos sabonetes e produtos de limpeza para usar no banho.  Tem uma ação desinfetante também  sobre os intestinos e  sistema digestivo. Pode ser igualmente usada no couro cabeludo, deixando o cabelo brilhante e livre de agentes patogénicos . Podem deitar-se algumas gotas na água do banho para usufruir destes benefícios.

A ação deste óleo essencial no combate à dor deve-se à ação de certos componentes que atuam no sistema nervoso, diminuindo a sensibilidade à dor. Por esta razão, substitui com vantagens  os medicamentos  d combate à dor,  na presença de dores fortes de todos os tipos, desde dores de cabeça a dores musculares, entorses, etc..

As propriedades sedativas e analgésicas do óleo essencial de Bergamota ajudam a aliviar situações de ansiedade e forte stress, sendo também referido pelos peritos o seu efeito muito positivo no combate à insónia. Estimula a secreção de hormonas que causam prazer e relaxamento, como a dopamina ou a serotonina.

Pela aceleração dos processos da digestão, o óleo essencial de Bergamota combate a obstipação e ajuda a regularizar o peristaltismo intestinal.

O aroma cítrico associa-se a uma ação desodorizantes que vai muito além do simples cheiro ou aroma. Na verdade, este óleo inibe o crescimento das bactérias que causam mau odor e o seu aroma fresco torna-o perfeito também para o  uso em spray ambientador.

As propriedades antibióticas e anti infeciosas , explicam a sua eficácia como agente de redução da febre ou temperatura corporal.  Esta propriedades também ajuda  a curar mais rapidamente feridas, pele gretada, comichão e eczema., ao mesmo tempo que protege de agravamento infecioso, sendo um bom auxiliar na prevenção de infeções graves como o tétano.

O óleo essencial de Bergamota tem ainda uma ação tónica sobre o sistema digestivo e circulatório, sobre a pele e os músculos. Pode ser usado no vaporizador para combater a congestão  nasal e no peito nas afeções respiratórias.

Bergamota

Como Usar o Óleo Essencial de Bergamota
  • Pode ser colocado no difusor para aliviar a tensão e melhorar o ambiente do lar.
  • Umas gotas na pele quando se toma banho ou misturado com o gel do duche, ajuda a relaxar, sendo um momento de prazer pela inalação do seu aroma purificante e fresco.
  • Colocar umas gotas (depois de diluir em óleo de coco ou de amêndoas doces) antes de dormir para relaxar e propiciar o sono, bem como aumentar a sensação de bem- estar.
  • Pode-se deitar 2 gotas do óleo essencial no tónico ou leite de limpeza da pele ou loção para o corpo.
  • Inalado do difusor, ou aplicando entre 1 a 3 vezes por dia na sola dos pés ou colocando  1 ou 2 gotas em óleo de coco e massajando  a parte superior do abdómen , ajuda a aumentar a autoestima, a relaxar e a diminuir a tensão nervosa.
  • Massajar com 1 ou 2 gotas de óleo essencial de Bergamota diluído em óleo de coco ou outro óleo de transporte sobre o estômago para auxiliar a digestão.
Cuidados a Observar no Uso do óleo Essencial de Bergamota

É preciso ter um cuidado especial com o armazenamento do óleo essencial de Bergamota: deve-se usar um frasco escuro para o proteger da luz e nunca o expor diretamente à luz do Sol, uma vez que um dos seus componentes, o bergapteno, torna-se venenoso quando é exposto à luz solar. Deste modo, o óleo deve guardar-se em frascos escuros  num lugar escuro. Quando aplicar este óleo na pele, não se exponha à luz solar até o óleo ser inteiramente absorvido. Mulheres grávidas e crianças não deverão usar este óleo, pelo menos sem consultar o médico. Em todos os casos, deverá evitar-se o contacto  do óleo com os olhos,o interior dos ouvidos e as zonas sensíveis da pele.

Fruto da Bergamota

Propriedades Metafísicas do óleo Essencial de Bergamota

O óleo essencial de Bergamota  está associado a qualidades de alegria, força, equilíbrio.  Acredita-se que ele amplifica a luz, a energia e a força. Afasta tudo  o que é sombrio da psique e faz sentir alegria no coração e na alma. É considerado uma das fragrâncias angélicas.  Diz-se que afasta tudo o que é nebuloso e que causa sentimentos negativos, preparando para receber as energias superiores que iluminam  a partir do plano mais espiritual.

Diz-se que 3 a 5 gotas deste óleo essencial borrifadas na carteira ajudam a atrair dinheiro: para atrair sucesso, a tradição aconselha colocar entre 5 a 8 gotas deste óleo essencial num saquinho   e trazê-lo de forma continuada para atrair o sucesso.  Diz-se ainda que ajuda a reduzir o stress em situações de crise, melhora a vida sexual e ajuda a pessoa a alcançar o que deseja.

Tendo em conta as precauções mencionadas acima, está na hora de começar a desfrutar deste agradável óleo essencial.

Óleo Essencial de Benjoim

ben3

O Benjoim é usado desde há milhares de anos pelas propriedades medicinais e em cerimónias de carácter religioso. As suas qualidades antidepressivas, aromáticas e desinfectantes têm sido apreciadas ao longo dos séculos como provam os  vestígios do seu uso nas culturas mais antigas de que há registo. A árvore da qual é extraído –  Stirax Benzoin –  é original do Laos e do Vietname e cultiva-se abundantemente, hoje em dia, na Malásia e nas ilhas de Java e Sumatra. Esta árvore pode atingir mais de 20 metros. O Benjoim é uma goma resinosa que se extrai da casca da árvore a partir dos 7 anos de idade e que continua a produzi-la durante 15 a 20 anos. Atribui-se a um navegador português a introdução desta goma resinosa na Europa, no século 16, altura em que era usada em pó e oferecida a pessoas notáveis  como presente muito apreciado. Nostradamus incluiu o Benjoim em muitos tratamentos medicinais. Nesta época, em França, o Benjoim era chamado de bálsamo pulmonar, sendo queimado junto da pessoa doente que inalava o fumo. Na atualidade  usa-se como um dos ingredientes do incenso. Tem também largo uso no fabrico de perfumes, como fixador.

ben4

O óleo de Benjoim tem uma consistência espessa e resinosa, de cor dourada e um aroma muito agradável e, para o obter fazem-se incisões na casca e a resina começa a exsudar, sendo recolhida depois de endurecer.  O óleo é extraído da goma resinosa através de um solvente. Este óleo deve o seu aroma agradável de baunilha ao componente Vanillin. Quando acaba de ser exsudada, a resina é amarelada, tornando-se castanho avermelhada quando fica dura. Depois de limpa, é usada em forma de pó ou de óleo, sendo esta última mais apropriada para uso na pele. (diluído).

O óleo de Benjoim tem efeitos antidepressivos, relaxantes e sedativos sobre o sistema nervoso: alivia a ansiedade, tensão e stress, equilibra o humor, fazendo regressar à normalidade todos esses estados mentais., através de um efeito tranquilizante. Desde a antiguidade que se conhecem os seus efeitos vulnerários, isto é, protege as feridas abertas de contrair infecção.

Pode ser usado como um desinfetante ou germicida , bactericida  e é um fungicida eficaz, tendo mesmo propriedades antivirais. Quando é usado em aplicações externas previne as infeções.

ben2

O óleo de Benjoim tem também propriedades carminativas, isto é, alivia a flatulência e o excesso de gases no intestino e no estômago. Relaxa a musculatura do abdómen e ajuda a melhorar o apetite. Auxilia a digestão, depois de se ingerir comida demasiado condimentada.

O aroma muito agradável do Benjoim faz dele um  belo desodorizante, tanto do ambiente como do corpo. Queimado no difusor, o seu aroma enche todo o espaço e afasta os maus odores. Tem o mesmo efeito quando é deitado na água do banho ou misturado com óleo de massagem, eliminando os maus odores do corpo que são causados por germes.

Usado com óleo de massagem, ajuda a tonificar os músculos. Misturado com um pouco de água e usado em gargarejos e  melhora a saúde das gengivas, tornando-as mais firmes. Estas propriedades adstringentes fazem dele um aliado dos produtos refirmantes da pele.

Usado morno em massagens sobre o peito, o óleo de Benjoim  tem um efeito expetorante, ajudando a expelir mucosidades do sistema respiratório e aliviando a congestão nasal, facilitando consideravelmente a respiração. O seu efeito relaxante  e tranquilizante induz o sono, sendo muito útil em casos de insónia, sobretudo devido a situação de stress ou excitabilidade do sistema nervoso.

Nas inflamações com efeitos cutâneos como bexigas, sarampo, erupções  e irritações cutâneas , o seu efeito anti-inflamatório revela-se também um auxiliar precioso.

As propriedades anti-reumáticas são um dos motivos de maior procura deste óleo essencial, que também combate a artrite quando aplicado em uso externo, devido à excelente absorção dos seus princípios ativos pela pele. Muitos bálsamos antiartríticos incluem-no nos seus ingredientes.

O óleo de Benjoim  ajuda ainda  a regular o mecanismo metabólico, tendo acção estimulante sobre o equilíbrio da insulina e ajudando a evitar picos glicémicos no organismo.

ben1

Como Usar o Óleo Essencial de Benjoim

Tratamento de erupções cutâneas como eczema, psoríase, etc.- Precisa de 1 e ½ colher de argila, de preferência verde, 3 gotas de óleo de Benjoim  e a água necessária para formar uma pasta suave. Aplique de imediato sobre as zonas afectadas e deixe estar durante 20 m. Retire com chá de camomila morno. Em situações agudas pode repetir este tratamento várias vezes por dia.

Para tratamento de outras afecções como queimaduras, escaras, feridas na pele, encontrámos uma receita: em duas colheres de sopa de óleo de amêndoas doces, deite 2 gotas de óleo essencial de germe de trigo e 6 gotas de óleo essencial de Benjoim e aplique nas áreas afectadas.

Para tratamento do catarro e afecções respiratórias colocar uma taça de água quente na qual se deitaram 3 gotas de óleo essencial de Benjoim junto à cama onde vai dormir, à noite. Em alternativa, pode fazer banhos de vapor colocando numa taça com água quente 4 gotas de óleo essencial de benjoim e 1 gota de óleo essencial de eucalipto; coloque uma toalha sobre a cabeça e respire o vapor resultante.

Para atenuar as manchas castanhas na pele,  usa-se o óleo de Benjoim em conjunto com o óleo essencial de Limão:  eis uma receita que dizem ser eficaz -misturar 2 gotas de óleo essencial de limão, 2 gotas de óleo essencial de germe de trigo e 4 gotas de óleo essencial de Benjoim em duas colheres de sopa de óleo de amêndoas doces. Aplicar na pele limpa.

Propriedades Metafísicas  do óleo de Benjoim

Metafisicamente este óleo está associado à prosperidade e à purificação. Ajuda, segundo a tradição, a não se deixar vencer pelas dificuldades e a ser guiado por elas para alcançar mais iluminação. Está associado à capacidade de receber as bênçãos do espírito e à alegria  de dar e de  receber essas bênçãos, fazendo fluir a energia cósmica da abundância e da alegria de a  partilhar com os outros. O óleo essencial de Benjoim é considerado uma das fragrâncias angélicas. Na Malásia, afirma-se que este óleo essencial á capaz de deter os maus espíritos. Em algumas regiões da Ásia, os pescadores queimam óleo de Benjoim antes de sair para a pesca. Outros usam esta essência sob a forma de elixir para conseguir aumentar a longevidade.

Queimado num difusor, este óleo limpa e purifica o lar, segundo a tradição.

Óleo Essencial de Alecrim

ale3

O óleo de Alecrim é um dos mais populares.  A planta do qual é extraído- Rosmarinus Officinalles- é usada desde há muitos séculos pelos seus benefícios na saúde e, na região do mediterrâneo, tem sido também largamente usada como planta aromática na culinária.  Esta planta, que forma um arbusto, pertence à família que inclui o manjericão, a salva, a alfazema  e a murta.

O uso do Alecrim remonta à antiguidade. Os romanos usavam esta planta em cerimónias religiosas, nos casamentos,  na culinária, cosmética e nos tratamentos medicinais.  Os antigos egípcios queimavam-na como incenso. A adição de algumas folhas de alecrim aos alimentos ajuda a sua digestão. Os gregos também a usavam, como estimulante mental e para melhorar a memória.

Paracelso, um importante inovador na área da medicina do século 16, dava grande importância ao Alecrim pela sua propriedade de fortalecer  a saúde geral e aconselhava o uso desta planta para curar problemas em órgãos como o cérebro, o coração e o fígado. Foi usado como tratamento das dores reumáticas dos ossos e articulações, quando não havia outras formas de tratamento das doenças reumáticas e ainda hoje é usado para o mesmo efeito.

Na atualidade,  o óleo essencial de Alecrim entra na composição de muitos medicamentos, pelas propriedades hoje bem estudadas, sobre uma série de problemas de saúde: Assim, alivia os sintomas da indigestão, flatulência, obstipação, dores de estômago; desintoxica o fígado e ajuda a produção e libertação regular de bile; estimula e melhora a circulação sanguínea. Recentemente descobriu-se que o Alecrim ajuda o processo de crescimento do cabelo, ao mesmo tempo que fortalece o couro cabeludo e o cabelo, sendo usado na composição de champôs e loções capilares. O uso regular do óleo essencial de Alecrim estimula os folículos capilares e, segundo alguns, ajuda a abrandar o processo de perda de cabelo, razão pela qual é usado como tónico capilar preventivo, no início da calvície. Massajar o couro cabeludo com este óleo (diluído) ajuda a equilibrar a secura  e a irritação que produz a caspa. Tem sido usado desde há muitos anos, combinado com azeite de oliveira aquecido, para ajudar a escurecer o cabelo e a fortificá-lo.

ale2

Nos tratamentos da pele, o óleo de Alecrim é usado para tratar o eczema, dermatites, acne, devido às propriedades antimicrobianas e antisséticas.  Estas mesmas propriedades são também usadas no tratamento do mau hálito, em lavagens bucais, remoção de bactérias , tratamento da gengivite, etc.. Ajuda também a reduzir os níveis de cortisol, tendo deste modo uma ação antioxidante contra os radicais livres.

Mas as virtudes deste extraordinário óleo não se ficam por aqui: o óleo de Alecrim é também um excelente tónico mental e nervoso, aumentando a capacidade de concentração mental e estimulando a atividade mental. Esta propriedade do alecrim é conhecida há milhares de anos : os antigos gregos usavam esta planta para melhorar a memória dos estudantes para facilitar a retenção dos conhecimentos e antes da realização de exames.  O seu efeito faz-se sentir também na atenção, colocando a mente em estado mais focado e alerta e estudos recentes apontam o seu caráter benéfico na prevenção e tratamento da doença de Alzheimer.

É ainda excelente no tratamento da depressão, fadiga nervosa e dificuldade de retenção pela memória. E é um auxiliar poderoso no alívio das dores, incluindo dores de cabeça, dores musculares, artrite, reumatismo, etc.. Massajar a zona dorida com este óleo essencial permite um alívio rápido da dor. Banhos de vapor com o óleo de Alecrim ajudam a tratar os sintomas do reumatismo e  tem propriedades anti-inflamatórias.  Também é usado no inalador e difusor, pois o seu aroma fresco é muito agradável, razão pela qual é largamente usado em cosméticos, em ambientadores, óleo de banho , velas, etc.

ale1

Como Usar o Óleo Essencial de Alecrim

Para melhorar a memória: juntar 3 gotas de óleo essencial de Alecrim a meia colher de sopa de óleo de coco e esfregar no pescoço ou, em alternativa, colocar no difusor por 1 hora.

Para fortalecer o cabelo: colocar 5 gotas de óleo essencial no couro cabeludo molhado após o duche e massajar.

Para alívio das dores: misturar 2 gotas de óleo de Alecrim com 2 gotas de óleo de coco e massajar nas zonas doridas. Pode adicionar-se também 2 gotas de óleo essencial de hortelã.

Para melhorar as funções da bexiga: misturar 3 gotas de óleo essencial de Alecrim com ¼ de colher de sopa de óleo de coco e massajar sobre a bexiga duas vezes por dia.

Para uso geral:  Pode misturar 2 ou 3 gotas de óleo essencial de Alecrim à água do banho ou ao champô ou loção para o corpo.

Receita Caseira de Óleo de Alecrim

Encha um recipiente de vidro com  folhas de Alecrim bem lavadas;  deite fora os caules. Enxugue as folhas. Encha o recipiente onde estão as folhas com  azeite  bom de oliveira até o Alecrim estar completamente coberto. Alguns aconselham usar antes  óleo de girassol ou cártamo, faça a sua experiência e escolha o que preferir. Coloque o recipiente num local onde receba a luz e o calor do Sol,  bem fechado, se possível perto de uma janela ,durante um mês. Depois desse tempo, escorra o óleo para um recipiente de vidro limpo, comprimindo bem as plantas para largarem todo o óleo e rejeite completamente todas as plantas. Guarde o recipiente bem fechado e num lugar  fresco e aproveite as virtudes desta excelente planta.

Uso Metafísico do Óleo de Alecrim

O óleo de Alecrim é considerado uma das fragrâncias angélicas. O seu aroma fresco e canforado ajuda, segundo se diz, a obter ajuda do plano espiritual. Este óleo desperta a memória profunda de quem somos e, segundo os entendidos, ajuda a ter consciência da mente consciente e subconsciente, bem como a ter perceção da própria  dimensão espiritual.  Durante muitos séculos, foi usado como incenso, queimando-se para dispersar as energias negativas. Segundo dizem, duas ou três gotas na almofada  afastam as energias negativas e , se usado  como perfume corporal (por ex., misturado na loção para o corpo),  diz-se que atrai  o amor.  Também se acredita que aumenta a criatividade e a sensibilidade .

Este é um óleo /aroma que é um verdadeiro bálsamo para o corpo e para a mente,  não devendo deste modo faltar na sua coleção de aromaterapia  básica.

Óleo Essencial de Asa Fétida

asa1

Este óleo é obtido a partir do rizoma de várias espécies da planta Ferula, mais especificamente da Ferula asafoetida e do latex seco desta planta perene que atinge um metro e meio ou dois metros de altura. É uma planta nativa dos desertos do Irão, Paquistão e das montanhas do Afeganistão e é cultivada principalmente nas regiões  próximas da Índia, onde é largamente usada. Tal como o nome indica, a planta tem um cheiro fétido que lembra o enxofre, ou alho e cebola podres porém, quando cozinhada, esse cheiro torna-se agradável, lembrando o cheiro do alho e da cebola  ou alho porro quando cozidos.

Os nomes populares da Asa Fétida mostram bem a disparidade de opiniões sobre a planta: desde esterco do diabo a comida dos deuses, passando por Funcho Gigante. A planta usa-se largamente como auxiliar da digestão e como condimento em vários pratos. A parte da planta que é usada é a resina gomosa extraída das raízes e rizoma de plantas com pelo menos 4 anos de idade. O óleo de Asa Fétida é extraído da resina e rizomas a partir de destilação a vapor. A resina é composta por uma percentagem entre 4 e 20 % de óleo essencial, 40 a 60 % de resina e 25 % de goma.

Na medicina Ayurvédica da Índia, esta planta e o seu óleo essencial ((Heeng Oil) usam-se há mais de 5000 anos. É um tratamento tradicional para a flatulência, cólicas e outros problemas digestivos e também para o tratamento de dores de dentes, problemas de impotência, dores menstruais, diabetes, asma, vermes intestinais, etc. O seu uso está bem documentado nos textos Ayurvédicos que tratam da «ciência da cura».  O mesmo uso alargado era feito pelos antigos romanos, que também a usavam para curar os problemas referidos.

asa2

Na medicina Ayurvédica, a Asa Fétida é considerada como um agente capaz de restabelecer o equilíbrio num sistema nervoso demasiado ativo ou excessivamente emocional  e era tradicionalmente usada no tratamento da «histeria». Também foi usada para combater a epidemia de gripe espanhola devido à sua ação  vigorosamente expetorante. Também é reconhecido o seu efeito sedativo sobre o sistema nervoso e alguns referem o seu efeito positivo sobre a síndrome do intestino irritável, sendo igualmente mencionada a sua propriedade de baixar a pressão arterial e de controlo da glicose no sangue.

Na Índia, a planta  Asa Fétida é usada frequentemente como condimento e erva culinária. O óleo essencial é igualmente usado para dar sabor a alguns pratos , aos quais transmite o seu cheiro forte. É usada especialmente pelas populações que não comem alho nem cebola, substituindo-os. Os romanos usavam-na também como especiaria.

asa4

Antigos médicos  como Avicena conheciam bem o efeito positivo da Asa Fétida no tratamento de problemas digestivos e afecções respiratórias.

Nos tempos do Velho Oeste, nos Estados Unidos da América, era usada misturada com outras especiarias fortes para combater o alcoolismo.

Tal como a planta que lhe dá origem, o óleo essencial de Asa Fétida tem propriedades terapêuticas usadas no tratamento das desordens digestivas e respiratórias, carminativas, vermífugas, abortivas, antiespasmódicas, antimicrobianas, anti epilépticas, etc..

O uso deste óleo essencial deve respeitar algumas regras: o óleo não deve ser ingerido, deve aplicar-se sempre diluído e é conveniente fazer um teste na pele antes de o aplicar em largas superfícies do corpo pois pode ser irritante para algumas peles sensíveis. Deve ser evitado o contacto com os olhos.

asa3

Como Usar o Óleo Essencial de Asa Fétida
  • Para o alívio de problemas gastrointestinais, incluindo flatulência, massajar a barriga com 1ml de óleo de sésamo ao qual se juntaram 2 gotas de óleo essencial de Asa fétida.
  • Para o alívio de constipações e problemas respiratórios, juntar 2 gotas de óleo essencial ao inalador de vapor e massajar as costas, peito e pescoço para libertação da expetoração.
  • Para o alívio das dores menstruais, pode-se colocar 2 gotas de óleo essencial de Asa Fétida num mililitro de óleo de sésamo e massajar o baixo abdómen.
  • Para alívio rápido da dor de dentes, pode-se usar 1 gota deste óleo essencial num algodão e passá-lo pelo dente que está dorido ou, em alternativa, colocar 1 gota num copo de água morna e gargarejar (sem engolir) para alívio de gengivas que sangram, dores de dentes, mau hálito, etc..
Uso Metafísico do Óleo de Asa Fétida

Segundo a tradição, usar um saquinho à volta do pescoço com esta planta afasta as doenças e as energias negativas. Segundo as mesmas fontes, adicionar um alho e um cravinho torna esta mistura de plantas muito eficaz para «expulsar todoo tipo de energias e seres  maléficos». Embora seja conhecida pelo seu efeito purificador, que levou ao seu uso em rituais de purificação que incluem a queima da planta para libertar um fumo purificador, o cheiro da planta é tão nauseabundo que induz facilmente o vómito, segundo se diz, devendo por isso ser usado com cautela.

Óleo Essencial de Anis

anis4

Desde a antiguidade que o Anis tem sido usado como especiaria, para dar sabor a comida e a bebidas. Em países como a Índia, foi usado desde a antiguidade como refrescante bucal e calmante digestivo. No mundo antigo no Egito, Grécia e Roma as propriedades medicinais do Anis eram conhecidas e apreciadas. Os romanos trouxeram o Anis para a Europa onde foi largamente usado como auxiliar da digestão. Era adicionado, em conjunto com funcho  e cominhos, a  bolinhos que eram comidos após a refeição para ajudar a digestão.

O óleo de Anis extrai-se por destilação a vapor dos frutos secos da planta Pimpinella Anisum, dando origem a um óleo claro e fino, cujo ingrediente principal é o Anethol na percentagem de 90% ao qual deve o aroma característico. Esta planta é originária da Ásia sendo hoje predominante na área mediterrânica, onde cresce como planta nativa selvagem em vários países. A sua produção para fins medicinais (entra como ingrediente em xaropes para a tosse e outros tratamentos para a garganta) e para  extração do óleo essencial é feita em Espanha, Rússia e França.

O óleo de Anis tem um aroma a alcaçuz e pode misturar-se com outros no difusor e inalador, ajudando no tratamento da bronquite, constipação e gripe. Usado em diluição fraca, ajuda a acalmar o nervosismo e o stress. O óleo essencial de Anis confunde-se muitas vezes com o óleo de Estrela de Anis.  Este último provém de uma planta usada nos países asiáticos, que entra como ingrediente no medicamento para a gripe «Tamiflu» . Embora tenham um aroma semelhante, as suas propriedades não coincidem inteiramente.

anis2

Este óleo tem sido usado tradicionalmente como anti epiléptico pois tem um efeito narcótico e sedativo, reduzindo o movimento circulatório e respiratório, bem como a resposta nervosa. Esta redução ajuda em situação de ataque epiléptico ou crise nervosa. Mas, pelas mesmas razões, deve ser usado com cuidado para não ultrapassar a dose segura de concentração; alivia as dores reumáticas e a artrite ; ajuda a acelerar o processo de cura das feridas devido à ação antisséptica e esta propriedade também o torna útil para tratar as convulsões. É antiespasmódico e descongestionante e a sua acção relaxante ajuda a melhorar as cãibras ou contrações do trato respiratório, nervos, músculos, etc..É carminativo, analgésico, anti bacteriano, (tem uma ação eficaz contra diversos tipos de bactérias), é também usado em tratamentos  oftálmicos. Também tem sido referido o uso eficaz no tratamento de  problemas nervosos, tratamentos de pele. Também se usa nas dores musculares, flatulência, reumatismo. Pode ser usado de modo seguro como purgante  ajudando a limpar os intestinos em caso de obstipação (deve ser usado em concentração baixa, diluído); usa-se com vantagem na asma e bronquite, pelas propriedades descongestionantes sobre o trato respiratório e os pulmões  e é igualmente expetorante, ajudando a limpar os pulmões em caso de catarro na constipação e gripe.

Tem funções insecticidas quando vaporizado em spray ou fumegado, ajudando a manter os insetos à distância. Também é vermífugo ajudando a libertação de vermes dos intestinos.

Pode ser de boa ajuda no tratamento de cólicas  digestivas e para aliviar os efeitos do congestionamento do peito.

anis

Sem negar os seus efeitos tão benéficos, o óleo de Anis deve ser usado com precaução pelas pessoas de pele muito sensível; também não deve ser usado por mulheres grávidas ou a amamentar, nem por pessoas com cancro do endométrio ou  a fazer tratamento de substituição hormonal. Crianças com menos de 5 anos também não devem usar este óleo. O óleo deve ser rejeitado se tiver oxidado. Segundo Tisserand e Young, a máxima concentração deste óleo deverá ser de 2,4% pois, mais concentrado, pode interferir com a coagulação sanguínea. Usado em doses de alta concentração tem efeito narcótico e reduz a respiração e a circulação. É tóxico para pássaros e pequenos animais e deverá ser usado com a máxima cautela nas crianças, sempre em doses muito fracas. Algumas pessoas com pele sensível  podem sentir irritação na pele.  Não deve ser usado em caso de doentes com certos tipos de cancro, pois  pode ter efeitos negativos, pela ação que tem sobre a hormona de estrogénio.

Receita Caseira de óleo de Anis

Para fazer o seu próprio óleo de Anis, vai precisar de :

– sementes secas de Anis, um pilão para moer as sementes, gaze, recipiente de vidro, recipiente de madeira  ou de louça para moer as sementes, óleo de amêndoas doces para servir como  óleo de transporte.

Pise as sementes secas de Anis com o pilão para libertar o óleo e o aroma sem as desfazer em pó,  coloque as sementes assim pisadas no interior do recipiente de vidro, encha este com o óleo de amêndoas doces , feche completamente o recipiente e coloque-o ao Sol . O calor do Sol libertará o óleo essencial das sementes esmagadas. Depois passe o óleo resultante por uma gaze, para o separar das sementes,  coloque-o num recipiente  bem fechado num local fresco e seco e depois poderá usá-lo, diluindo-o em mais óleo de amêndoas doces.

anis3

Uso Metafísico do óleo Essencial de Anis

É considerado um estimulante espiritual, protetor e purificador, promovendo a coragem. Estimula a mente consciente abrindo-a para a ligação com todos os seres. Diz-se que ajuda a proteger de pesadelos,  se forem derramadas algumas gotas do óleo essencial de Anis na almofada. Para afastar energias negativas da casa, podem colocar-se entre 3 a 5 gotas em lamparinas aromáticas espalhadas pela casa. Podem colocar-se 10 a 15 gotas deste óleo na água do banho para purificação.

Óleo Essencial de Alfazema

alf3

O óleo de alfazema (Lavandula Angustifólia)  é o mais versátil de todos. Os seus efeitos relaxantes são bem conhecidos , bem como os efeitos benéficos sobre a pele.

O aroma da Alfazema é calmante e relaxante , tanto no plano físico como psíquico.  Alivia a tensão nervosa, alivia a dor, tem uma ação desinfetante sobre a pele, melhora a circulação sanguínea e também tem efeitos positivos no alívio de problemas respiratórios. O nome latino da Alfazema (Lavandula) significa «lavar»   e a planta tem, efetivamente, um excelente efeito na lavagem de feridas, hematomas e golpes ou cortes na pele.

O óleo de Alfazema é obtido a partir da destilação a vapor das flores, que têm sido usadas desde há séculos para variados fins, incluindo o popular pot-pourri  colocado nos armários, tanto para aromatizar como para combater as traças devoradoras da roupa.

O óleo de Alfazema pode ser misturado com outros óleos essenciais, como o óleo de gerânio, de noz moscada, de pinho, de sálvia, entre outros.

Entre os muitos usos do óleo de Alfazema, conhecidos desde há séculos, está a função de repelente natural de insetos, que continua hoje a ser usado pois é bastante eficaz:  massajar a pele com um pouco de óleo de Alfazema (diluído, bem entendido), quando se está em zonas com muitos mosquitos, traças e outros bichos semelhantes pode ser um preventivo eficaz para evitar as picadas desses insetos. Mas, mesmo que se tenha sido picado, a aplicação deste óleo tem acção anti inflamatória que reduz a inflamação e a dor.

alfaz

A essência da Alfazema é também um conhecido meio alternativo para ajudar os que sofrem de insónias, pois os seus efeitos relaxantes induzem o sono. Para ajudar a regularizar o sono, basta colocar algumas gotas na almofada, ou massajar suavemente a testa e as têmporas com umas gotas de óleo de Alfazema diluído. Muitas pessoas têm conseguido regularizar o sono usando este método, deixando de lado outros tratamentos à base de medicamentos.

O aroma da Alfazema tem um efeito muito calmante no sistema nervoso, possuindo uma acção que tem sido confirmada por vários estudos científicos,  atuando sobre o sistema nervoso autónomo e aliviando sintomas de ansiedade e stress. Propicia um sono tranquilo e ajuda a equilibrar os movimentos cardíacos.  Alivia a sensação de cansaço emocional, esgotamento nervoso, ao mesmo tempo que estimula as actividades cognitivas. Estudantes em véspera de testes têm experimentado melhorias no plano cognitivo, quando inalaram o aroma do óleo de Alfazema e Alecrim, combinados.   Ajuda também  a reduzir as dores de cabeça e a depressão.

Outro uso popular do óleo essencial de Alfazema é no tratamento do acne.  Esta perturbação, que aflige grande número de adolescentes e alguns adultos, é causada por uma bactéria que se desenvolve junto às glândulas sebáceas. A alfazema inibe  o desenvolvimento da bactéria que causa esta infecção e ajuda a regular  o excesso de produção de sebo. Para resolver o problema, o óleo essencial de Alfazema pode misturar-se com outros óleos e loções para o corpo.

No tratamento da dor, a essência de Alfazema é igualmente muito eficaz, atuando mesmo  em caso de feridas ou tensão muscular, reumatismo e lumbago, etc.  É eficaz também no tratamento das dores pós operatórias . Alguns estudos mostraram que os doentes que foram objecto de cirurgia e que receberam no oxigénio uma pequena quantidade de essência de alfazema vaporizada, sentiram menos dores do que os restantes.

Também no tratamento de problemas respiratórios, constipações, infecções da garganta, asma, bronquite, laringite, etc., o óleo de Alfazema pode ser usado na forma de vapor (colocado num vaporizador que permite a inalação) ou directamente aplicado na pele do pescoço, peito e costas (sempre diluído). As propriedades antibacterianas deste óleo ajudam a combater as infecções respiratórias.

Alguns estudos mostram que esfregar um pouco deste óleo no couro cabeludo estimula o crescimento do cabelo (para além de combater, nas crianças, os tão desagradáveis piolhos).

Outros usos na saúde incluem a melhoria da circulação sanguínea, melhoria da digestão e da mobilidade intestinal, maior resistência às doenças pelo fortalecimento do sistema imunitário, tratamento dos fungos da pele, ajuda do processo de cicatrização de feridas , tratamento da leucorreia.

Apesar das suas muitas vantagens, há que fazer um uso correto deste óleo essencial : este não deverá ser ingerido, a ingestão deste óleo pode causar sérios problemas,  a sua aplicação é apenas tópica ou usada em aromaterapia. Também não deve ser usado por mulheres grávidas nem a amamentar, nem por diabéticos.

Para diluir o óleo de Alfazema pode usar 12 gotas deste óleo essencial para 30 ml de óleo «de transporte» como por ex., óleo de amêndoas doces, o nosso preferido. Se quiser prepara uma porção menor ou maior de óleo essencial , a medida padrão , exceto para alguns casos, é de 2% de óleo essencial   e 98% de óleo de transporte.

alf2

  Uso Metafísico do óleo de Alfazema

O óleo essencial de Alfazema é usado desde há séculos como proteção e purificação, para obter proteção psíquica. A Alfazema é  considerada uma das essências consideradas angélicas.  A tradição diz que esta essência afasta a tristeza e a depressão, ajuda a alcançar o equilíbrio psíquico e traz as energias espirituais da luz para perto, permitindo sentir conforto e companhia. Tem sido frequentemente usado para proteção psíquica, afastando as energias negativas. Segundo a tradição, este óleo essencial promove a harmonia no lar e a fidelidade no casamento. Durante muito tempo  foi usado para proteger as crianças de energias malévolas, sendo-lhe reconhecida a propriedade de neutralizar as energias negativas circundantes e ambientais.

Óleo Essencial de Angélica

ang1

A lenda afirma que os benefícios da planta Angelica foram revelados a um monge por um anjo durante uma epidemia de peste, explicando assim o largo uso desta planta no combate a essa terrível epidemia.  Existem muitas variedades de Angelica, que pode atingir entre 1,5 e 2 m mas, a melhor, segundo os peritos, é a officinallis, donde é extraído o óleo.

O óleo de Angélica tem um aroma relaxante e suave , que ajuda a  obter um ambiente calmante, e as suas propriedades levaram a designá-lo por  «óleo dos Anjos» . hoje em dia este óleo é usado largamente em muitos países europeus,  pela indústria alimentar, devido ao seu aroma para intensificar o sabor/cheiro de alimentos e bebidas e na indústria de perfumes.

ang4

O óleo é extraído da planta Angelica Archangelica or Angelica Officinalis, que cresce na Europa do Norte e em outras regiões. Paracelso, durante uma grande epidemia de peste em Milão, no século 16, aconselhou o seu uso para combater esta epidemia: os caules eram mastigados para prevenir a infeção e as sementes e as raízes eram queimadas para purificar o ar. Na peste de 1660, voltou a ter largo uso  no combate aos terríveis efeitos da epidemia.  Desde tempos muito antigos, foi usada na China, para fins medicinais.  À medida que o tempo foi passando, a Europa foi descobrindo  as suas muitas propriedades medicinais, consideradas verdadeiramente miraculosas. Estas propriedades assentam num conjunto elevado de compostos fitoquímicos, presentes no sue óleo essencial, obtido pela destilação a partir do rizoma, sementes e de toda a planta.

Existem dois óleos essenciais de Angelica: um extraído das raízes, outro das sementes. Embora as sementes produzam mais óleo do que as raízes, o óleo destas últimas é muito mais forte e concentrado. Por vezes estes dois óleos são misturados. Quando acabado de extrair, o óleo não tem cor. À medida que o tempo passa vai adquirindo uma cor amarelada e, mais tarde, castanho escuro. Não deverá ser usado quando adquire esta última cor.

O óleo de Angélica é conhecido pelas suas propriedades antiespasmódicas, aliviando assim muitos sintomas desagradáveis como cãibras, contracções no trato respiratório, músculos ou nervos, dores de estômago e no peito, quando relaxa essas zonas do corpo; tem propriedades carminativas, isto é, alivia os gases, relaxando os músculos abominais e intestinais e fazendo sair o gás sendo por isso um excelente auxiliar em caso de flatulência e dores de estômago, náuseas e indigestão;  depurativas e diuréticas pois ajuda a purificar o sangue, e também a purifica-lo, pois, ao aumentar o fluxo de urina, ajuda a libertar as toxinas acumuladas; diaforéticas, digestivas, hepáticas, ajudando o corpo a libertar-se de resíduos que causam problemas renais, baixando também a pressão sanguínea e a acumulação de gordura. Ajuda a alcançar o equilíbrio ácido- básico,  promovendo o equilíbrio potássio/ magnésio. Ajuda  a remover o ácido úrico, o que alivia os sintomas de reumatismo, artrite e gota; e  emenagogas (ajuda a tornar os períodos menstruais das mulheres mais regulares e equilibrados), expectorantes, febrífugas, estimulantes e tónicas. Deste modo, alivia os espasmos, cólicas digestivas, melhora a digestão, aumenta o fluxo de urina e remove as toxinas.

ang2

Deste modo, o  óleo de Angélica é bom para o fígado, protegendo-o de infeções e estimulando o seu  bom funcionamento; reduz a febre e o catarro, auxilia no tratamento das desordens nervosas, alivia as dores , incluindo as dores de cabeça e a dor ciática e tonifica o corpo. Também fortalece o sistema imunitário, produzindo igualmente bons efeitos no tratamento da bronquite e da asma. A sua ação é também positiva sobre o sistema linfático. O seu uso é deste modo benéfico globalmente , tendo grande potencial curativo.

Quanto o modo de usar, este óleo essencial pode ser queimado no difusor para produzir uma atmosfera calmante, pode ser inalado directamente e pode diluir-se em «óleo de transporte», vegetal, para ser usado de forma tópica, em massagens. Mas deve ficar uma palavra de cautela: as mulheres grávidas e  a amamentar e os diabéticos não devem usar este óleo essencial.  Para as pessoas em geral, fica também a advertência de que o óleo não deve ser usado em concentração elevada, pois, nesse caso, pode produzir irritação da pele, fototoxicidade e hiperatividade do sistema nervoso. Para produzir os seus efeitos benéficos, deve fazer-se um uso correto do óleo, diluindo-o num óleo base, ou óleo de massagem, numa concentração de 2 gotas de óleo de Angélica para 20 ml (4 colheres de chá de óleo de base). Nesta concentração, pode misturar-se com 2 gotas de óleo de eucalipto e , ligeiramente aquecido, pode massajar-se nas costas e no peito, para aliviar constipações e tosse. Também podem deitar-se 2 gotas do óleo na água do banho . Não deverá haver exposição solar após a aplicação do óleo no corpo nem exposição a raios ultravioleta pois isso pode causar dermatite.

Mastigar algumas raízes secas  da planta duas vezes por dia, durante 6 meses aumenta, segundo os entendidos, a resistência a viroses. Outro uso tradicional é mastigar alguns caules após as refeições para evitar gases e flatulência.

ang3

As raízes e sementes podem ser queimadas para purificar o ar, deixando um aroma muito agradável.  As folhas e raízes da Angélica também ficam muito bem no «pot pourri».

O óleo de Angélica pode usar-se misturado com óleo de alfazema, camomila, manjericão, limão, gerânio, uva, patchouli e tangerina.

Deixamos, para os que queiram experimentar, uma «receita caseira»  de xarope desta planta: o «Vinho de Angélica» útil como fortificante quando se está a convalescer e em muitas  das situações  que descrevemos atrás, segundo a «Bíblia da Aromaterapia». Para fazer este fortificante deverá ter os seguintes ingredientes: 1 litro de vinho de Málaga; 30 gr de raízes de Angélica; 20 gr de sementes de Angélica; 10 gr de Canela. Misture bem todos os ingredientes e deixe estar durante 10 dias num frasco hermeticamente fechado. Coe para um recipiente. Pode tomar 3 colheres de sopa por dia deste xarope. E boa saúde!

Uso Metafísico do Óleo Essencial de Angélica

A tradição atribui ao óleo essencial de Angélica as qualidades espirituais de conforto, concentração, força e estamina, enraizamento. Também se diz que esta é uma das fragrâncias angélicas, daí o nome atribuído a esta planta. Também está associado à cura, proteção e à visão interior. Tradicionalmente, espalhavam-se algumas gotas desse óleo essencial nos 4 cantos da casa para proteção, tanto no interior como no exterior da casa, quando aplicável. Quando a vida se torna problemática, o óleo essencial ajuda, segundo os entendidos, a encontrar  soluções, dando energia e força para avançar e superar os problemas.

Óleo Essencial de Pimenta da Jamaica

 

caa3

A palavra em inglês que designa este óleo essencial «allspice» (todas as especiarias) é apropriado pois esta essência tem a fragrância misturada de cravinho, canela, cardamomo, pimenta e outras especiarias que parecem todas misturadas.

O óleo de Pimenta da Jamaica pode extraído das bagas ou das folhas  da planta da pimenta- pimenta officinalles-  através de destilação a vapor. Possui um aroma forte e quente. O óleo extraído das folhas tem cor amarela, enquanto que o óleo extraído das bagas tem cor acastanhada. A planta da qual se extrai este óleo é uma árvore originária da Índia ocidental e América do Sul que pode atingir 10 m de altura. As bagas começam a ser produzidas a partir do 3º ano de idade, com cada baga contendo 2 sementes verdes em forma de rim que depois de colhidas se tornam preto brilhante.

Este óleo essencial tem propriedades anestésicas, analgésicas, antissépticas, antidepressivas, antioxidantes, carminativas, relaxantes, rubefacientes,  estimulantes e tónicas.

Produz um efeito de relaxamento no corpo e na mente, alivia a dor, ajuda a dar cor ao rosto, dissipando a palidez, etc.  O elevado conteúdo de fenóis, especialmente o Eugenol, dá-lhe características anti-virais.

O óleo de Pimenta da Jamaica apresenta um aroma doce que combina a mistura de vários cheiros de especiarias, como referimos acima. Este aroma deve-se à presença de uma quantidade elevada de Eugenol, um  composto químico (fenol) que é extraído de outros óleos essenciais como o óleo de cravinho, noz moscada, canela,  manjericão e  da folha de louro. Este óleo está presente numa concentração de 80 a 90 % no óleo de cravinho. O aroma deste óleo é por isso muito parecido com o óleo essencial de canela ou cravinho.

css2

Este óleo pode ser usado no Outono e no Inverno queimado no difusor.  Porém, para evitar irritações na membrana da  mucosa, é melhor usá-lo  em concentração fraca e misturado com alguns outros óleos essenciais, como o de laranja e bergamota.  Pode usar-se no difusor ou queimador para aliviar sintomas de tristeza ou depressão e melhorar o estado psicológico.

Diluído , tem propriedades afrodisíacas, segundo alguns e o seu aroma quente e rico é usado na produção de fragrâncias masculinas.

Quanto ao seu uso terapêutico, pode usar-se em  massagens,  muito diluído em outro óleo para tratamento da artrite e de problemas musculares, nas zonas afetadas,  no peito em massagens suaves para aliviar sintomas de infeção respiratória, constipação, espasmos musculares mas sem esquecer que o óleo não deverá ser usado puro nem sem ser diluído  pois a sua aplicação na pele, nessas condições, pode produzir irritação dérmica. Também pode usar-se em massagens para alívio das cólicas gástricas , indigestão, etc…
csa

Segundo os peritos o óleo de Pimenta da Jamaica, rico em fenóis, conserva-se , bem engarrafado, por 2 a 3 anos.  A possibilidade de produzir irritação na membrana mucosa aconselha a um uso prudente,  devendo-se diluir este óleo e não ultrapassar, segundo Robert Tisserand e Young,  a concentração de 0,15 %. Segundo estes autores, a concentração superior deste óleo pode interferir com o processo de coagulação sanguínea.

O óleo de Pimenta da Jamaica pode usar-se misturado com o óleo de gengibre, gerânio, alfazema, laranja, patchouli.

Ao usar este óleo, não se esqueça de o  usar bastante diluído (uma pequena parte é suficiente para produzir os seus efeitos positivos), assim poderá desfrutar das suas propriedades positivas e evitar efeitos desagradáveis, segundo os peritos.

Uso Metafísico do Óleo Essencial da Jamaica

Este  óleo essencial está associado com a prosperidade e fertilidade, com a cura e a compaixão, com a sorte e o dinheiro.  Segundo a tradição, queimado no difusor, atrai sorte e dinheiro. Para ajudar o processo de cura, tradicionalmente colocam-se  grãos de pimenta da Jamaica num recipiente junto da cama de alguém doente para que ganhe mais energia e acelere o processo de recuperação. Quando queimado, o óleo essencial promove , segundo se diz, a purificação, o despertar psíquico e a sabedoria, bem como sonhos proféticos.  Diz-se que afeta a mente e os pensamentos de quem o  usa, podendo intensificar a capacidade para desenvolver estratégias de modo a  alcançar o que se deseja. Deverá ser usado com uma mente limpa e sem ganância caso contrário pode ter efeitos negativos gerando competição agressiva . As sementes de pimenta da Jamaica podem ser usadas como contas de um colar e usadas ao pescoço para promover, segundo a tradição, a fertilidade.