A 4ª Casa Segundo a Astrologia Helenística

A 4ª casa na Astrologia Helenística

A 4ª casa do horóscopo segundo a Astrologia Helenística era também designada por «lugar subterrâneo», era vista como o «lugar mais próximo da Terra», o lugar mais escondido de todos os lugares e, no ser humano, significava os aspetos mais escondidos  do seu ser. A associação com a Terra revela outro significado, o de que a 4ª casa simboliza o enterro, bem como os assuntos do nativo imediatamente após a morte. E, como a morte deixa para trás tudo o que o nativo possuía em termos materiais, a 4ª casa…

Continuar a Ler

A Terceira Casa do Horóscopo na Astrologia Helenística

A 3ª casa na Astrologia Helenística

A 3ª casa do Horóscopo era designada por «o lugar da Deusa da Lua». Esta é a casa onde  os antigos afirmavam que a  Lua tem a sua «alegria» ou «felicidade». Falaremos em outro artigo das «alegrias» dos vários planetas, um conceito –chave da astrologia mais antiga. Segundo as fontes da Astrologia Helenística, é a 3ª casa e não a segunda, que se refere às posses. A 2ª casa refere mais claramente «os meios» de ganhar a vida e o sustento, bem como o potencial de sucesso para adquirir propriedade.…

Continuar a Ler

A Segunda Casa do Horóscopo Segundo a Astrologia Helenística

SEgunda casa do Horóscopo segundo a Astrologia Helenística

A segunda casa do horóscopo era também designada, na Astrologia Helenística ,de «Portal do Hades». Paulo Alexandrinus descreveu os significados desta casa mas não deu explicações sobre esta designação que a relaciona com a morte. Entre muitas das suposições que  encontrámos para  esta associação as que nos parecem mais credíveis são referidas pelo investigador da Astrologia Helenística Robert Schmidt, que refere  que a designação de Portal de Hades se deve ao facto de a 2ª casa ser a primeira (o portal) na qual o Sol se retira para o submundo …

Continuar a Ler

A Primeira Casa do Horóscopo Segundo a Astrologia Helenística

1ª casa do horóscopo na Astrologia Helenística

Iniciamos o primeiro de 12  artigos em que vamos descrever os significados de cada uma das casas do horóscopo segundo  a Astrologia Helenística, indo deste modo à origem desses significados. Esta recuperação dos significados das casas do horóscopo tal como estes foram definidos pelos antigos astrólogos ajuda a perceber muitos aspetos pouco claros da caracterização das casas do horóscopo , perdidos ou mal  interpretados pela Astrologia Medieval e adotados pela Astrologia Moderna. A primeira casa do horóscopo era designada pelos gregos antigos de «horóskopos» ou «horóscopo», entendida como «o ponto…

Continuar a Ler

Casas «Tópicas» e «Dinâmicas» na Astrologia Helenística

casas tópicas e dinâmicas

Os astrólogos helenísticos usavam o sistema «uma casa= um signo inteiro». As casas tornaram-se, deste modo, o «domicílio» dos planetas regentes dos signos. Porém, para analisar a força dos planetas usavam as «casas dinâmicas». Para o efeito dividiam os 4 ângulos do horóscopo- Do Ascendente ao Fundo do Céu, deste ao Descendente, etc., dividindo por 3 o número de graus que ia de um ponto angular ao outro. As casas do horóscopo não são, no entanto, estáticas, são antes dinâmicas e representam o movimentos dos planetas e dos 4 ângulos…

Continuar a Ler

As Casas do Horóscopo na Astrologia Helenística

Iniciamos hoje a escrita de uma série de artigos que procuram dar a conhecer como a astrologia antiga considerava as casas do horóscopo. Todos os sistemas astrológicos posteriores partiram destas conceções iniciais sobre este tema. Na sua origem, a astrologia era inseparável da astronomia e os primeiros esboços teóricos tiveram por intenção a constituição de um calendário que marcasse o tempo e os ciclos vitais e também as formas como o destino (Moira, no grego) se exprimia na vida humana. É  por isso que consideramos tão interessante o artigo de…

Continuar a Ler

Transmissão da Astrologia Helenística para a Índia

Durante muito tempo especulou-se sobre a relação entre a Astrologia Helenística oriunda da cultura greco-romana e a Astrologia da Índia. Hoje sabe-se que houve efetivamente uma transmissão do saber astrológico  helenístico para a Índia. Segundo investigadores como Buché-Leclerq,  que afirmou, no livro publicado no final do séc. XIX L’Astrologie Grec que a Astrologia Helenística chegou à Índia no séc. II da era cristã, a Astrologia Helenística deu um forte contributo para o desenvolvimento da astrologia na Índia. Prova disso é o texto publicado no séc. IV, segundo estimam os investigadores,…

Continuar a Ler

Tradição Astrológica- Séculos V e VI

Terminamos, com este artigo, a visão geral sobre as origens da astrologia, na cultura greco-romana e a sua relação com as teorias filosóficas da época.  As técnicas astrológicas desenvolvidas neste período foram a base de todos os sistemas astrológicos que se disseminaram pelo mundo, embora fossem sofrendo, com o tempo, alterações , tanto na astrologia medieval  do ocidente como nos sistemas de astrologia que se desenvolveram na índia, como veremos no próximo artigo. No século VI a tradição astrológica encontrava-se estabelecida. Apesar de ter havido muitas diferenças filosóficas entre os…

Continuar a Ler

Primeiros Astrólogos -Séculos IV e V

Continuamos a traçar algumas das influências que mais se fizeram sentir na Astrologia dos primeiros tempos e que deixaram marcas na discussão do valor e da natureza da Astrologia até hoje. No passado, a Filosofia e a Astrologia estiveram entrelaçadas, nos aspetos teóricos. Conhecer brevemente algumas dessas ideias partilhadas esclarece muitos dos conceitos de usamos hoje nas práticas astrológicas sem, no entanto, termos consciência clara da sua origem e história. Este artigo aborda especificamente alguns dos primeiros astrólogos dos séculos IV e V da nossa era. Jâmblico (séc. III e…

Continuar a Ler

Primeiros Astrólogos- Influência Neoplatónica

  Continuamos a seguir a origem das ideias que influenciaram e influenciam as teorias astrológicas, traçando o percurso da História da Astrologia. Conhecemos essas ideias a partir da sua relação com muitos dos filósofos da antiguidade helenística. Falamos hoje da influência neoplatónica . Numenios viveu no séc. II da era cristã e professava a teoria defendida pela cosmologia dos  autores gnósticos e herméticos,  de que a alma  humana descia  através do Cosmos pelo portal que era o signo Caranguejo. Quando isto acontecia, perdia a memória da sua vida divina e…

Continuar a Ler